Lista de nomes do Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde junho de 2011). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Esta é uma lista de todos os nomes oficiais ou denominações dadas por exploradores que o Brasil já teve no seu contexto histórico, desde o seu descobrimento pelos europeus em 1500 até a atualidade.

Antes da independência[editar | editar código-fonte]

Pré-colonização[editar | editar código-fonte]

  • Pindorama - Termo popular entre muitos índios, que em tupi-guarani significa terra das palmeiras.

Primeiras aclamações dos portugueses[editar | editar código-fonte]

Nas primeiras décadas após o descobrimento, não houve uma ocupação oficial/governamental nem criação de alguma instituição administrativa. Nesse período, as terras pertenciam a Portugal devido a tratados com a Espanha. Até 1549, foram utilizados os seguintes nomes:

Outros nomes menos conhecidos atualmente também eram populares ao Brasil, como Nova Lusitânia, se dando ao fato de ser a primeira terra de outro continente descoberta pelos lusitanos (portugueses) e Cabrália, referente a Pedro Álvares Cabral. Os navegadores ibéricos Vicente Yáñez Pinzón e Diego de Lepe realizaram expedições na costa da região hoje conhecida como Brasil antes de Cabral, embora não tenham batizado especificamente. Os nomes acima foram frequentemente utilizados no período pré-colonial.

Período colonial (1530-1815)[editar | editar código-fonte]

Durante este período, o nome "Brasil" começou a ser usado para referir-se à colônia portuguesa na América do Sul. "Brasil" deriva da palavra pau-brasil, madeira frequentemente encontrada no litoral amazônico que, por sua vez deriva do adjetivo (agora obsoleto) brasil, que significa "pertencente ou relativo a brasas". Até a Reforma Ortográfica de 1907, a palavra era grafada com 'z' ("Brazil"), mas para propósitos de maior entendimento este artigo utiliza a grafia atual.

  • Nomes anacrônicos - Em 1534, Portugal instala o já experimentado sistema de Capitanias Hereditárias. "Brasil colonial" e "Brasil Colônia" são nomes dados ao período, e não ao lugar. Principado do Brasil (1645-1815) também não era o nome do lugar, mas apenas um termo utilizado por historiadores para nomear o período. Vice-Reino do Brasil é um termo anacrônico, porque em 1763 houve a mudança da capital do Estado do Brasil de Salvador para o Rio de Janeiro, e a entrega dos títulos de vice-rei aos governadores, mas nunca houve um ato normativo que elevou o Brasil a vice-reino.
  • Estado do Brasil - Em 1549, as terras conhecidas como Nova Lusitânia/Cabrália passam a ser oficialmente denominadas de Estado do Brasil. Tomé de Souza foi o primeiro governador-geral do Estado do Brasil. Em 1621, o rei Felipe II (título espanhol), ou Felipe III (título português), dividiu o Estado do Brasil propriamente dito em duas repartições: a repartição sul manteve o nome de Estado do Brasil e a repartição norte mudou o nome para Estado do Maranhão.
  • Reino do Brasil do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves - após a transferência da família real para o Rio de Janeiro ocorrida em 1808, em 1815 ocorreu a elevação do Estado do Brasil à condição de Reino, unido a Portugal e Algarves.

Depois da independência[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]