Lista de capitais do Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde janeiro de 2014). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Esta lista de capitais do Brasil apresenta localidades que são ou já foram local onde está estabelecida a sede de governo. Assim, estão incluídas sedes coloniais, capitais nacionais e estaduais do Brasil, bem como transferências simbólicas comemorativas.

Capitais nacionais[editar | editar código-fonte]

Sedes administrativas da América portuguesa[editar | editar código-fonte]

Embora não seja precisamente correto considerar que uma colônia tenha capital (já que a ideia de capital está relacionada ao conceito de soberania), a cidade de Salvador é geralmente tratada como a "primeira capital do Brasil" por ter abrigado durante mais de dois séculos a sede da administração colonial portuguesa (governo-geral e vice-reinado). A rigor, no entanto, o Brasil só teve uma capital de jure a partir da Independência em 1822. Vale, também, mencionar que durante alguns períodos a colônia brasileira não esteve unificada, sendo dividida em Repartição Norte e Repartição Sul, e também em Estado do Maranhão (que depois ainda seria desmembrado em Estado do Grão-Pará e Rio Negro e Estado do Maranhão e Piauí) e Estado do Brasil, cada um com sedes diferentes; e que, no contexto da primeira das Invasões holandesas no Brasil, a sede do Estado do Brasil foi transferida provisoriamente para Olinda.

Sedes das colônias não portuguesas no Brasil[editar | editar código-fonte]

Brasil independente[editar | editar código-fonte]

Capitais estaduais[editar | editar código-fonte]

Acre[editar | editar código-fonte]

Entre 1904 e 1920 o Acre não teve uma única capital, com as capitais dos três departamentos se reportando diretamente ao governo federal.[1]

Alagoas[editar | editar código-fonte]

desmembrado a partir de Pernambuco

  • Alagoas (1823–1839) — sede da província das Alagoas
  • Maceió (1839–1889) — sede da província das Alagoas
  • Maceió (1889–atual) — sede do estado de Alagoas

Amapá[editar | editar código-fonte]

desmembrado a partir do Pará

  • Amapá (município) (1943–1944) — sede do território do Amapá
  • Macapá (1944–1988) — sede do território do Amapá
  • Macapá (1988–atual) — sede do estado do Amapá

Amazonas[editar | editar código-fonte]

desmembrado a partir do Pará

Bahia[editar | editar código-fonte]

Ceará[editar | editar código-fonte]

Distrito Federal[editar | editar código-fonte]

Espírito Santo[editar | editar código-fonte]

Goiás[editar | editar código-fonte]

desmembrado a partir de São Paulo

Maranhão[editar | editar código-fonte]

  • sem sede para a Capitania do Maranhão (1536–1538)
  • capitania extinta (1538–1615)
  • sem sede para a Capitania do Maranhão (1615–1621)
  • São Luís (1621–1641) — sede da Capitania do Maranhão
  • subordinada à Nova Holanda (1641–1644)
  • São Luís (1644–1821) — sede da Capitania do Maranhão
  • São Luís (1821–1889) — sede da província do Maranhão
  • São Luís (1889–atual) — sede do estado do Maranhão

Mato Grosso[editar | editar código-fonte]

desmembrado a partir de São Paulo

Mato Grosso do Sul[editar | editar código-fonte]

desmembrado a partir do Mato Grosso

  • Campo Grande (1979–atual) — sede do estado de Mato Grosso do Sul

Minas Gerais[editar | editar código-fonte]

desmembrado a partir de São Paulo

Pará[editar | editar código-fonte]

Paraíba[editar | editar código-fonte]

Paraná[editar | editar código-fonte]

desmembrado a partir de São Paulo

Pernambuco[editar | editar código-fonte]

Piauí[editar | editar código-fonte]

desmembrado a partir do Maranhão

Rio Grande do Norte[editar | editar código-fonte]

Rio Grande do Sul[editar | editar código-fonte]

desmembrado a partir do Rio de Janeiro, apesar de não lhe ser limítrofe

Rio de Janeiro[editar | editar código-fonte]

desmembrado da Capitania de São Vicente

  • Rio de Janeiro (1565–1822) — sede da Capitania do Rio de Janeiro
  • Rio de Janeiro (1822–1834) — sede da província do Rio de Janeiro
  • Niterói (1834–1889) — até 1835, denominada "Vila Real da Praia Grande"; sede da província do Rio de Janeiro
  • Niterói (1889–1892) — sede do estado do Rio de Janeiro
  • Petrópolis (1894–1903) — sede do estado do Rio de Janeiro
  • Niterói (1903–1975) — sede do estado do Rio de Janeiro
  • Rio de Janeiro (1975–atual) — sede do estado do Rio de Janeiro

Rondônia[editar | editar código-fonte]

criado em 13 de setembro de 1943 sob o nome de "Território do Guaporé", desmembrado dos estados do Mato Grosso e Amazonas. Transformado em estado de Rondônia em 1982

  • Guajará-Mirim (1943–1944) — Sede do Território do Guaporé
  • Porto Velho (1944–1956) — Sede do Território do Guaporé
  • Porto Velho (1956–1982) — Sede do Território de Rondônia
  • Porto Velho (1982–atual) — Sede do Estado de Rondônia

Roraima[editar | editar código-fonte]

criado em 1943 sob o nome de "Território do Rio Branco", desmembrado do Amazonas. Transformado em estado de Roraima em 1988.

  • Boa Vista (1943–1962) — sede do Território do Rio Branco
  • Boa Vista (1962–1988) — sede do Território de Roraima
  • Boa Vista (1988–atual) — sede do Estado de Roraima

Santa Catarina[editar | editar código-fonte]

desmembrado a partir de São Paulo

São Paulo[editar | editar código-fonte]

Sergipe[editar | editar código-fonte]

desmembrado a partir da Bahia

Tocantins[editar | editar código-fonte]

desmembrado a partir de Goiás

Capitais de unidades da federação extintas[editar | editar código-fonte]

Fernando de Noronha[editar | editar código-fonte]

Criado em 1943 sob o nome de "Território de Fernando de Noronha". Incorporado a Pernambuco.

Guanabara[editar | editar código-fonte]

Criado em 1960 a partir do território do antigo Distrito Federal. Fundido com o estado do Rio de Janeiro em 1975.

Iguaçu[editar | editar código-fonte]

Criado em 1943 sob o nome de "Território do Iguaçu". Reincorporado ao Paraná e a Santa Catarina.

Maracaju[editar | editar código-fonte]

Criado em 1932 pelos revolucionários do sul do Mato Grosso durante a Revolução de 32 sob o nome de "Estado de Maracaju", desmembrando do sul de Mato Grosso (atual Mato Grosso do Sul). Reincorporado ao Mato Grosso.

Ponta Porã[editar | editar código-fonte]

Criado em 1943 sob o nome de "Território de Ponta Porã". Reincorporado ao Mato Grosso, hoje compõe o estado de Mato Grosso do Sul.

Princesa[editar | editar código-fonte]

Criado em 1930 pelos revolucionários de Princesa Isabel, sob o nome de "Território de Princesa", por discordâncias políticas. O estado livre correspondia aos limites do município na época[3]

  • Princesa (28 de fevereiro–11 de agosto de 1930)

São João da Palma[editar | editar código-fonte]

Criada em 1808 como capitania por decreto de Dom João VI sob o nome de "São João das Duas Barras", foi extinta em 1814. Recriada como província autônoma em 1821 sob o nome de "São João da Palma", extinta em 1823 por Dom Pedro I. Hoje parte do Pará e Tocantins.[4]

  • Barra do Tacay-Una (1808–1810) — atualmente chamada Marabá
  • Vila de Palma (1810–1814) — atualmente chamada Paranã
  • Cavalcante (1821–1823)

Capitais de territórios já controlados pelo Brasil[editar | editar código-fonte]

Cisplatina[editar | editar código-fonte]

Guiana Francesa[editar | editar código-fonte]

Transferências temporárias simbólicas[editar | editar código-fonte]

Em caráter simbólico, as unidades da federação brasileira podem ter suas sedes de governo transferidas temporariamente. Em relação ao governo federal, a Constituição de 1988 traz:

Art. 48. Cabe ao Congresso Nacional, com a sanção do Presidente da República, não exigida esta para o especificado nos arts. 49, 51 e 52, dispor sobre todas as matérias de competência da União, especialmente sobre:
VII — transferência temporária da sede do Governo Federal;
CF1988[5]

A transferência ocorreu em apenas três oportunidades:

Para os estados, a transferência é mais comum. Há situações de transferências recorrentes, em que a capital estadual é alterada em determinada data todo ano, como também há casos de transferências pontuais que não se repetiram. Dentre as pontuais estão:

  • Palmeiras de Goiás (6 de julho de 2017) — transferência por um dia da capital goiana em homenagem ao aniversário da cidade e para apresentação do programa Goiás na Frente[6]
  • Santa Cruz de Goiás (27 de agosto de 2017) — transferência por um dia da capital goiana em homenagem ao aniversário da cidade e para apresentação do programa Goiás na Frente[6]
  • Trindade (1 de setembro de 2017) — transferência por um dia da capital goiana em homenagem ao aniversário da cidade e para apresentação do programa Goiás na Frente[6]
  • Caruaru (18 de maio de 2007) — transferência por um dia da capital pernambucana em homenagem ao 150.º aniversário da cidade[6]
  • Cabo de Santo Agostinho (10 de julho de 2017) — transferência por um dia da capital pernambucana em homenagem ao 140.º aniversário da cidade[6]

As transferências cíclicas de capitais estaduais são:

  • Marechal Deodoro (15 de novembro, desde 2010) — transferência anual recorrente da capital alagoana em homenagem à cidade natal do primeiro presidente brasileiro Deodoro da Fonseca[6]
  • Cachoeira (25 de junho, desde 2008) — transferência anual recorrente da capital baiana em homenagem ao início das lutas pela independência no estado[6]
  • Porto Seguro (22 de abril, desde 2016) — transferência anual recorrente da capital baiana em homenagem à chegada dos portugueses em 1500[6]
  • Goiás (25 de julho, desde 1983) — transferência anual recorrente da capital goiana em homenagem ao aniversário da cidade, que foi capital do estado[6]
  • Vila Bela da Santíssima Trindade (19 de março, desde 2016) — transferência anual recorrente da capital mato-grossense em homenagem ao aniversário da cidade, que foi primeira capital do estado[6]
  • Mariana (16 de julho, desde 1945) — transferência anual recorrente da capital mineira em homenagem ao Dia de Minas e aniversário da cidade, que foi primeira capital do estado[6]
  • São Francisco do Sul (11 de agosto, desde 2010) — transferência anual recorrente da capital catarinense em homenagem à fundação da capitania de Santa Catarina e sua cidade mais antiga[6]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Historia do Acre AC». www.achetudoeregiao.com.br 
  2. «Cametá torna-se sede do Grão Pará — Blog do Jeso». Blog do Jeso. Consultado em 21 de fevereiro de 2016. 
  3. MEDEIROS, Mardson. «A Revolta de Princesa — 1930». Princesa Isabel. Consultado em 7 de Maio de 2012. [ligação inativa] 
  4. «Diário do Senado Federal — 14 de março de 2004» (PDF). Senado Federal do Brasil. Consultado em 13 de janeiro de 2014.. Arquivado do original (PDF) em 11 de agosto de 2014 
  5. «Constituição da República Federativa do Brasil de 1988». www.planalto.gov.br. Consultado em 25 de novembro de 2017. 
  6. a b c d e f g h i j k l m n Pimentel, Matheus (14 de novembro de 2017). «Por que Itu, no interior de São Paulo, virou capital do Brasil por um dia». Nexo Jornal 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]