Porto Velho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Porto Velho
"Pérola do Madeira"
"PVH"
Acima, à esquerda, a sede do Governo do Estado de Rondônia; à direita, uma vista parcial da cidade; ao centro, à esquerda, a Casa da Cultura de Porto Velho; à direita, um pôr do sol no Rio Madeira; abaixo, uma panorâmica da cidade.

Acima, à esquerda, a sede do Governo do Estado de Rondônia; à direita, uma vista parcial da cidade; ao centro, à esquerda, a Casa da Cultura de Porto Velho; à direita, um pôr do sol no Rio Madeira; abaixo, uma panorâmica da cidade.
Bandeira de Porto Velho
Brasão de Porto Velho
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 2 de outubro de 1914 (99 anos)
Emancipação 21 de setembro de 1943 (70 anos)
Gentílico porto-velhense
Prefeito(a) Mauro Nazif Rasul (PSB)
(2009–2012)
Localização
Localização de Porto Velho
Localização de Porto Velho em Rondônia
Porto Velho está localizado em: Brasil
Porto Velho
Localização de Porto Velho no Brasil
08° 45' 43" S 63° 54' 14" O08° 45' 43" S 63° 54' 14" O
Unidade federativa  Rondônia
Mesorregião Madeira-Guaporé IBGE/2008 [1]
Microrregião Porto Velho IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Lábrea/AM, Canutama/AM, Humaitá/AM (N), Machadinho d'Oeste, Cujubim, Itapuã do Oeste, Candeias do Jamari (L), Acrelândia/Acre (O), Alto Paraíso, Buritis, Nova Mamoré e departamento do Pando-Bolívia (S).
Distância até a capital 2 589 km[2]
Características geográficas
Área 34 082,366 km² (BR: 26º)[3]
Área urbana 41,2 km² (BR: 73º RO: 1º) – est. Embrapa[4]
População 484 992 hab. (BR: 46º RO: 1º) –  IBGE/2013[5]
Densidade 12,989
Altitude 85 m
Clima equatorial Am
Fuso horário UTC−4
Indicadores
IDH-M 0,736 (RO: 1º) – alto PNUD/2010 [6]
Gini 0,470 est. IBGE 2003[7]
PIB R$ 7 522 929 mil (BR: 72º RO: 1º) – IBGE/2010[8]
PIB per capita R$ 17 636,36 IBGE/2010[8]
Página oficial
Prefeitura www.portovelho.ro.gov.br
Câmara www.portovelho.ro.leg.br

Porto Velho é um município brasileiro e capital do estado de Rondônia. Situada na margem à leste do Rio Madeira, na Região Norte do Brasil. Foi fundada pela empresa americana Madeira Mamoré Railway Company em 4 de julho de 1907, durante a construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, comandada pelo magnata norte-americano Percival Farquhar. Em 2 de outubro de 1914 foi legalmente criada como um município do Amazonas, transformando-se em capital do estado de Rondônia em 1943, quando criou-se o Território Federal do Guaporé. [9] Com uma população de 484 992 habitantes (Estimativa IBGE 2013), é o município mais populoso do estado de Rondônia, o quarto mais populoso da Região Norte, atrás de Manaus, Belém e Ananindeua, e o mais populoso município da Região fora do eixo Amazonas-Pará. Entre todos os municípios brasileiros, é o 45° mais populoso em 2013, figurando no mesmo ano como a 21ª capital estadual do país com mais habitantes. Se destaca também por ser a capital brasileira com maior área territorial, extendendo-se por pouco mais de 34 mil km² (sendo mais extenso que países como Bélgica e Israel), sendo também o mais populoso município fronteiriço do Brasil (e a única capital inserida nesse contexto), além de ser, ao lado de Rio Branco e Teresina, a única capital estadual que faz fronteira com municípios de outro estado. É a única capital estadual que faz fronteira com outro país, a Bolívia.

Em termos econômicos, a cidade detém o quarto maior PIB da Região Norte, depois de Manaus, Belém e Parauapebas, além de ser atualmente a capital estadual que mais cresce economicamente no país, com crescimento do PIB em 30,2% no ano de 2009[10] . Em 2010, o PIB de Porto Velho foi estimado em R$7,5 bilhões, segundo o IBGE, respondendo por cerca de 1/3 do PIB de Rondônia naquele ano[8] .

História[editar | editar código-fonte]

Em 15 de janeiro de 1873, o Imperador Dom Pedro II assinou o Decreto-Lei nº 5.024, autorizando navios mercantes de todas as nações a subirem o rio Madeira. Em decorrência, foram construídas modernas instalações de atracação em Santo Antônio, que passou a ser denominado Porto Novo.

O porto velho dos militares continuou a ser usado por sua maior segurança, apesar das dificuldades operacionais e da distância até Santo Antônio, ponto inicial da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré.

Percival Farquhar, proprietário da empresa que afinal conseguiu concluir a ferrovia em 1912, desde 1907 usava o velho porto para descarregar materiais para a obra e, quando decidiu que o ponto inicial da ferrovia seria aquele (já na província do Amazonas), tornou-se o verdadeiro fundador da cidade que receberia o nome Porto Velho.

Palácio Getúlio Vargas, sede do Governo de Rondônia.


Tornado município do Amazonas em 2 de outubro de 1914, Porto Velho foi criada por desbravadores por volta de 1907, durante a construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré.

Desde meados do século XIX, nos primeiros movimentos para construir uma ferrovia que possibilitasse superar o trecho encachoeirado do rio Madeira (cerca de 380 km) e dar vazão à borracha produzida na Bolívia e na região de Guajará-Mirim, Santo Antônio do Madeira, província de Mato Grosso, foi a localidade escolhida para construção do porto onde o caucho seria transbordado para os navios, seguindo então para a Europa e os Estados Unidos.

As dificuldades de construção e operação de um porto fluvial, em frente aos rochedos da cachoeira de Santo Antônio, fizeram com que construtores e armadores utilizassem o pequeno porto amazônico localizado 7 km abaixo, em local muito mais favorável.

Emancipações[editar | editar código-fonte]

Tornou-se município em 1914, quando ainda pertencia ao Estado do Amazonas. Em 1943, passou à condição de capital e, juntamente com o município de Guajará-Mirim, passou a constituir o Território Federal do Guaporé, que em 1956 passou a ser denominado Rondônia, vindo a ser elevado à categoria de estado (subdivisão) em 4 de janeiro de 1982. [11]

Crescimento demográfico[editar | editar código-fonte]

A cidade nasceu e cresceu a partir das instalações ferroviárias da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. Graças aos tantos ciclos econômicos que se seguiram (exploração de borracha e posteriormente de cassiterita e de ouro), o município foi se consolidando e acolhendo os migrantes que hoje formam a sua população.[12]

Moravam cerca de mil pessoas quando a obra da construção da Estrada de Ferro foi concluída, grande parte funcionários da empresa construtora.

Geografia[editar | editar código-fonte]

A capital rondoniense se localiza na parte oeste da Região Norte do Brasil, na área abrangida pela Amazônia Ocidental no Planalto Sul-Amazônico, uma das parcelas do Planalto Central Brasileiro.

Relevo[editar | editar código-fonte]

O relevo do município é pouco acidentado, não apresentando grandes elevações ou depressões, com variações de altitudes que vão de 70 metros a pouco mais de 600 metros. A região situa-se no vale do rio Madeira, entre a planície amazônica e o planalto central brasileiro.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Rio Madeira e parte da cidade.

Porto Velho está localizada na Bacia do Rio Amazonas. O Rio Madeira é o principal rio que banha o município, vindo do sul da Bolívia.

Os principais rios são:

  • Rio Madeira (principal braço direito do Rio Amazonas): banha Porto Velho, possui grande quantidade de ouro em seu leito e até pouco tempo, na época da vazante, abrigava 30 000 garimpeiros. Seu curso é dividido em dois níveis: Alto Madeira, trecho das cachoeiras e corredeiras, e o Baixo Madeira. Dois lagos se destacam pela sua importância biológica: Lago do Cuniã, com 104 000 hectares, na reserva biológica de Cuniã, e Lago Belmont, no rio Madeira. O rio tem pesca abundante, destacando-se os seguintes peixes: piraíba, jaú, dourado, caparari, surubim, pirara, piramutaba, tambaqui, tucunaré, jatuarana, pacu, pirapitinga, curimatá, a piranha preta e o terrível candiru.[13]
  • Rio Abunã (afluente da margem direita do rio Madeira): faz a delimitação da fronteira entre Brasil e Bolívia, banha o distrito de Fortaleza do Abunã e nasce no Acre.
  • Rio Mutum-Paraná.
  • Rio Jacy-Paraná.
  • Rio Candeias do Jamari.
  • Rio Ji-Paraná ("Rio Machado").

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima predominante é o tropical superúmido, de transição entre clima semiúmido da Região Centro-Oeste e o equatorial predominante na Região Norte. É caracterizado por ser muito quente, mas mesmo assim provido de bastante umidade, e uma pequena estação seca que dura cerca de dois meses.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), a temperatura mínima registrada em Porto Velho foi de 7,4ºC, observada dia 19 de julho de 1975.[14] Já a máxima foi de 39,9ºC, no dia 27 de agosto de 1963.[15] O maior acumulado de chuva registrado em menos de 24 horas foi de 148,1 mm, em 5 de janeiro de 1990.[16]

Dados climatológicos para Porto Velho
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima registrada (°C) 37,2 36,4 38,7 37,1 36,8 38,8 37,9 40,9 39,4 40 39,7 39,8 40,9
Temperatura máxima média (°C) 30,3 30,6 28,5 30,8 30,6 30,3 31,6 32,9 32,7 32,3 31,4 30,7 31,1
Temperatura média (°C) 25 25,5 25,7 25,5 24,9 23,5 24 25 25,6 25,8 25,7 25,5 25,2
Temperatura mínima média (°C) 21,7 21,8 21,8 21,9 21 19,2 18,3 19 20,8 21,8 22 22 21
Temperatura mínima registrada (°C) 14,4 15,4 12 12,8 12 11,8 7,4 10 12,1 17,7 18,1 11 7,4
Precipitação (mm) 346,8 295,7 312,7 205,9 118 38,8 22,6 201,6 86,5 185,3 207,3 332,5 2 353,9
Dias de chuva 19 17 17 16 11 5 4 6 9 13 16 18 151
Umidade relativa (%) 89 88 89,1 89 86 84,1 80 82 84 86 87 88,7 86,1
Horas de sol 108,5 92,4 114,7 126 127,1 198 220,1 158,1 150 148,8 195 124 1 762,7
Fonte: Observatório de Hong Kong (médias de temperatura, precipitações e horas de sol),[17] Weatherbase (recordes de temperatura e umidade)[18] World Weather Information Service (dias de chuva).[19]

Política municipal[editar | editar código-fonte]

O atual prefeito de Porto Velho é Mauro Nazif Rasul (2013/2016), do PSB, e o atual vice-prefeito é Dalton Di Franco, do PDT.

Por ser uma capital de estado relativamente nova (1981), a cidade possui muitos funcionários públicos, tanto federais quanto estaduais. Como há pouca qualificação, grande parte da mão-de-obra especializada vem de outros estados.

Câmara de vereadores[editar | editar código-fonte]

A Câmara Municipal de Porto Velho fica no bairro Meu Pedacinho de Chão, distante do Centro da cidade. O atual presidente é o vereador Allan Queiroz, do PSDB, para o período de 1º de janeiro de 2013 a 31 de dezembro de 2016.

Relações exteriores e intermunicipais[editar | editar código-fonte]

Cidades-irmãs[editar | editar código-fonte]

A política das cidades-irmãs procura incentivar o intercâmbio entre cidades que têm algo em comum com Porto Velho. A troca de informações e o aumento do comércio entre elas são meios de tornar as cidades-irmãs mais próximas. Porto Velho possui apenas uma cidade-irmã, que é:

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Reservas indígenas[editar | editar código-fonte]

  • Reserva Karitiana
  • Reserva Kaxaraxi
  • Reserva Karipuna

O município de Porto Velho conta com três reservas indígenas. [21]

A Reserva Karitiana, com 89.098 hectares, fica a 95 quilômetros da capital. É habitada por cerca de 100 índios, que se dedicam à agricultura de subsistência (arroz, milho, farinha, etc.). Lá já foram construídas casas em alvenaria, depósitos, uma enfermaria e uma pista de pouso.

A Reserva Kaxaraxi, com mais de 85 mil hectares, fica na divisa com o estado do Amazonas. Seus mais de 100 índios vivem do extrativismo da castanha e da banana.

A terceira reserva indígena é a dos Karipunas, com 2.200 hectares, situada no Distrito de Jaci-Paraná.

Economia[editar | editar código-fonte]

Reflexo do crescimento populacional

O PIB de Porto Velho é de R$ 7.522.929,00 e o PIB Per capita R$ 17.636,36. [22]

Composição econômica de Porto Velho
Serviços
83,8%
Agropecuária
5,3%
Indústria
10,9%

Fonte: IBGE


Atividades econômicas em Porto Velho - (2012)[23]

Evolução demográfica de Porto Velho


Porto Velho recebeu 5 mil novas empresas em apenas um ano, além de 30 mil novos empregos. Segundo a Federação das Indústrias do Estado de Rondônia (FIERO), o Estado possui hoje a maior taxa de ocupação da população economicamente ativa da região Norte (94,6%) e a segunda menor taxa de desemprego do Brasil. A renda média do trabalhador porto-velhense é também a mais alta da região: R$ 880,00, acima da média nacional.

Turismo[editar | editar código-fonte]

As Três Caixas D'Água, um dos mais importantes pontos turísticos de Porto Velho.
Locomotiva da lendária Estrada de Ferro Madeira-Mamoré.

Porto Velho tem pequeno potencial turístico, devido ao seu patrimônio histórico e humano. É a 8ª cidade da Região Norte, 5º destino de empresários vindos da Bolívia a negócios e eventos.

As atrações históricas são a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, cenário da série de televisão Mad Maria [24] , produzida pela Rede Globo; a Catedral do Sagrado Coração de Jesus; o Cemitério da Candelária; a sede da Arquidiocese; o terminal ferroviário; a locomotiva Coronel Church (a primeira máquina vinda para a Amazônia, em 1872), as Caixas D'Água (símbolos da cidade, edificadas pelos ingleses); a igreja de Santo Antônio do rio Madeira e sua belíssima cachoeira, marco inicial de Porto Velho.[25]


  • As Três Caixas D'Água: vindas em módulos metálicos dos Estados Unidos.
  • Estrada de Ferro Madeira-Mamoré: apesar de ter sido um centro ferroviário, a cidade não conta mais com o passeio de trem, que foi desativado por falta de conservação da linha, que acabou ruindo por conta de um temporal.
  • Parque Natural Municipal de Porto Velho
  • Parque Urbano de Porto Velho
  • Passeio de Barco no Rio Madeira
  • Palácio Getúlio Vargas
  • Mercado Cultural
  • Museu Geológico
  • Museu Internacional do Presépio
  • Museu Ferroviário
  • Casa de Cultura Ivan Marrocos

Centros de Compras e Lazer[editar | editar código-fonte]

Maquete eletrônica do Porto Madeira Shopping, atualmente em construção e sem previsão de inauguração.

Porto Velho Shopping

O Porto Velho Shopping é o mais completo centro de compras, serviços e lazer da cidade.

Abriga lojas de grandes marcas regionais e nacionais, muitas delas encontradas em Rondônia apenas no Porto Velho Shopping. Moda, tendências, diversão, ampla praça de alimentação com 672 lugares e 14 lojas de fast food, com 143 lojas satélite, 7 Mega lojas, 4 lojas âncoras, 5 salas de cinema multiplex, Planet Park, Faculdade. Localizado na Av. Rio Madeira, esquina com Av. Calama.[26]

Porto Madeira Shopping

O Porto Madeira Shopping é um shopping localiza-se na Av. Guaporé, esquina com a BR-364, sem previsão para sua inauguração, inicialmente prevista para 10 de dezembro de 2010.

Quando concluído, será o maior shopping center do estado de Rondônia, superando o Porto Velho Shopping, atualmente o único da capital e um dos dois existentes no estado (somando-se a este, o Park Shopping Vilhena, na cidade de Vilhena, RO). O shopping contará com 180 lojas satélite, 6 lojas âncoras, incluindo 1 hipermercado, 4 mega lojas, 6 salas de cinema Multiplex Stadium, praça de alimentação com capacidade de 400 lugares, 17 lojas de alimentação e estacionamento com pouco mais de 1.500 vagas.[27]

Estrutura urbana[editar | editar código-fonte]

Vista Panorâmica de Porto Velho a partir do bairro Pedrinhas, em maio de 2010.
Vista Panorâmica de Porto Velho a partir do bairro Pedrinhas, em maio de 2010.

Educação[editar | editar código-fonte]

A sede da UNIR fica no prédio do antigo Porto Velho Hotel. Seu campus está situado na BR-364, sentido Rio Branco (Acre).

Ensino Básico

Existem poucas escolas particulares e estas se encontram praticamente sem vagas, devido ao grande afluxo populacional que a construção das usinas hidrelétricas já começou a atrair.

Ensino superior

Porto Velho conta com uma universidade pública — UNIR — e as seguintes faculdades particulares: Faculdade São Lucas, FARO, FATEC, FIMCA, FIP, Universidade Católica de Rondônia, UNIRON, ULBRA e IMAm - Instituto Metodista da Amazônia. Os cursos ministrados virtualmente contam com alguns pontos de presença de faculdades e universidades de outras cidades do país.

Os três cursos de Medicina, de Direito, de Engenharia e outros bem cotados têm atraído muitos estudantes do interior e de estados vizinhos, tornando esta capital uma cidade universitária.

Segurança pública[editar | editar código-fonte]

Forças Armadas

A cidade conta com os quartéis do 5º BEC, 17ª Brigada de Infantaria de Selva, 31ª Circunscrição do Serviço Militar, 17º Base Logística, 3º Cia do 54º BIS e o Hospital de Guarnição. Além disso, dispõe de base aérea, que foi modernizada para acolher o Sistema de Proteção da Amazônia (SIPAM).

De acordo com a revista Época, Porto Velho é a 3ª capital mais violentas do país. No ranking nacional, ocupa a 19ª posição em relação aos municípios brasileiros mais violentos.[28]

Transportes[editar | editar código-fonte]

Terminal de passageiros do Aeroporto Internacional Governador Jorge Teixeira.

O principal meio de transporte para se chegar a Porto Velho é o rodoviário. Para o estado do Amazonas, devido ao estado precário da BR-319, o melhor meio de transporte é o aéreo. A cidade conta com um aeroporto internacional. Em 2012, Porto Velho possuía uma frota de 207 318 veículos.[29]

Aeroporto[editar | editar código-fonte]

O Aeroporto Internacional Governador Jorge Teixeira é o mais importante do estado e recebe voos diários de Brasília, Belo Horizonte, Cuiabá, Manaus e Rio Branco, dos municípios do interior do estado de Rondônia como Ji-Paraná e Vilhena e do interior do Amazonas como Humaitá, Lábrea e Manicoré. Também conta com voo para Porto Alegre, com escalas em Campinas, Rio de Janeiro, Cuiabá, Campo Grande e Curitiba; para São Paulo, com escala em Brasília e Cuiabá; e para Fortaleza, com escala em Manaus e Belém,além de outros destinos com menor fluxo de passageiros. A TRIP pretende operar voo ligando Porto Velho a Lima.

O aeroporto tem capacidade de receber 920 mil passageiros por ano e opera com as principais companhias aéreas nacionais e regionais, tais como TAM, Gol, Azul, TRIP e Avianca.

Trecho duplicado da BR-364, próximo a Porto Velho.
Táxis enfileirados em uma tarde movimentada na Rodoviária de Porto Velho.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

A Rodoviária fica na Avenida Governador Jorge Teixeira (hoje considerada uma rodovia, a BR-319, sob administração dos órgãos públicos federais).

Porto Velho é cortada por duas rodovias federais, a citada BR-319 e a principal delas, a BR-364, única rodovia federal a cortar o Estado no sentido norte-sul, passando pelas principais cidades rondonienses.

Porto[editar | editar código-fonte]

Área portuária de Porto Velho.
Porto do Cai n'Água.

O Porto Graneleiro - Sociedade de Portos e Hidrovias de Rondônia (SOPH) - faz parte do corredor de exportação de grãos, principalmente a soja, que vem do sul do Estado e do Mato Grosso (Sapezal e cidades vizinhas). A soja in natura embarcada em Porto Velho segue a Itacoatiara, de balsa, e de lá em navios para a América do Norte, Europa e Ásia. Além de grãos e outras mercadorias, como a madeira, o porto também escoa os produtos a da cadeia de carne e laticínios.

No Porto do Cai n'Água, há embarcações que fazem o trajeto até Humaitá, Manicoré e Manaus, municípios do Amazonas, como também das localidades do Baixo Madeira, como São Carlos, Calama e outras pequenas localidades.

Ferrovia[editar | editar código-fonte]

Nos finais de semana eram realizadas viagens de trem à antiga Primeira Estação, na Cachoeira de Santo Antônio. Atualmente, a linha está desativada.

Cultura e sociedade[editar | editar código-fonte]

Porto Velho é a síntese da diversidade cultural do Estado de Rondônia e demonstra seu pluralismo através de seu calendário de festas, onde se destacam os festejos de Carnaval com a tradicional Banda do Vai Quem Quer, fundado no ano de 1981 por Manoel Mendoça, o Manelão, e que reúne mais de 100 mil pessoas nas ruas da capital de Rondônia durante os festejos de Carnaval. [30]

Evidenciando a força da cultura nordestina na capital, o Arraial Flor do Maracujá, realizado a mais de 30 anos na cidade de Porto Velho durante as festas juninas é o segundo maior arraial do Brasil, onde reúnem artistas de fora e local, mesclando desta forma as regiões. [31]

Há ainda a realização da Expovel, (Exposição Agropecuária de Porto Velho) e o Festival da Costela Assada, realizado pelas Lojas Maçônicas de Rondônia todos os anos. [32] [33]

Na literatura, é relevante a obra do poeta Augusto Branco, cujos livros são publicados no Brasil e na Europa, e cujos textos têm grande popularidade na internet em nível mundial; Já no teatro destacam-se obras como a peça Bizarrus, dirigida por Marcelo Felice, e encenada por presidiários e ex-presidiários do Estado, que constroem o enredo da peça a partir de suas próprias experiências pessoais, num trabalho que é referência nacional em reabilitação social, [34] e a encenação anual de ‘O Homem de Nazaré’, pelo grupo teatral Êxodo, durante o feriado de Corpus Cristhi, na Jerusalém da Amazônia – o maior teatro a céu aberto da região norte do Brasil. [35]

Abaixo, segue a relação dos principais atrativos culturais de Porto Velho:

Casa da Cultura Ivan Marrocos em Porto Velho.
  • Centros culturais: Casa de Cultura Ivan Marrocos, para exposições diversas.
  • Teatro: Teatro Municipal Banzeiros, Teatro do SESC e Teatro do SEST-SENAT.
  • Salas de Cinema: oito salas de cinema, sendo o Cine Rio, Cine Veneza e Cine Araújo (5 salas Multiplex no Porto Velho Shopping).
  • Museus: Museu da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré.
  • Shoppings: Porto Velho Shopping, com 150 lojas, 3 andares e cinco salas de cinema e Porto Madeira Shopping (EM CONSTRUÇÃO), com 180 lojas, 2 andares e 6 salas de cinema.
  • Leitura: Biblioteca municipal, bibliotecas em várias instituições de ensino, tanto superior quanto médio, livrarias como Exclusiva, Nobel e Dimensão e sebos como Carlos Gomes e Revistaria Central.
  • Calendário de eventos anuais: Expovel é a festa agropecuária de Porto Velho, que se inicia com uma grande cavalgada; a peça "O homem de Nazaré", encenada na cidade cenográfica Jerusalém da Amazônia; o festival de música independente chamado Festival Casarão; Micaretas (carnavais fora de época), sendo a principal o Bloco Maria Fumaça; o Arraial Flor do Maracujá, o maior da cidade e a Zombie Walk (Caminhada Zumbi).
  • Culturas populares e folclóricas são oriundas de todas as partes do Brasil e de outros países, trazidas com os imigrantes.

Nas manifestações musicais existem os blocos de carnaval, grupos de rock, MPB, forró, pagode, sertanejo e bailões, axé, músicas gaúchas (CTG), quadrilhas, reggae, Bumba-meu-boi/Boi Bumbá, dentre vários outros grupos diversos.

  • Diversos bares e casas de shows complementam as opções culturais dos porto-velhenses e seus visitantes.

Comunicação[editar | editar código-fonte]

Jornal Impresso

  • Correio de Notícias
  • Diário da Amazônia
  • Folha Rondoniense
  • Jornal O Guaporé
  • Imprensa Popular
  • O Estadão do Norte
  • Rondônia Agora

Televisão[editar | editar código-fonte]

Rádio[editar | editar código-fonte]

  • Rondônia FM - 93,3 FM
  • Transamérica Hits FM - 94,1 FM
  • Rádio Deus é Amor FM - 96,9 FM
  • Rádio Parecis FM - 98,1 FM (Rede Jovem Pan AM)
  • Rádio Senado FM - 103,7 FM (Rede Senado)
  • Rádio Aleluia FM - 104,5 FM (Rede Aleluia)
  • Rádio Cultura FM - 107,9 FM
  • Rádio Boas Novas AM - 660 AM
  • Rádio Nacional AM - 840 AM
  • Rádio Globo AM - 1310 AM (Rede Globo de Rádio)
  • Rádio Cariri AM - 1430 AM (Rede Bandeirante de Rádio)

Lazer[editar | editar código-fonte]

Além de se refugiarem nas várias chácaras, sítios e fazendas próximas à cidade, é comum os moradores da cidade buscarem os balneários nos finais de semana, o que inclui os balneários locais (o do Rio Bonito, do Souza, do 21 e outros) e alguns localizados nos municípios vizinhos, como o do Rio Preto, em Candeias do Jamari. Os igarapés mais conhecidos são Periquitos e Areia Branca. Estas verdadeiras praias de água doce são uma das principais fontes de lazer da família porto-velhense. Alguns desses "banhos" possuem uma grande infraestrutura para receber centenas de banhistas nos finais de semana, como restaurantes, pousadas, quadras e campos de futebol.

Esportes[editar | editar código-fonte]

A Capital tem quatro representantes na primeira divisão do Campeonato Rondoniense de Futebol: Sport Club Genus de Porto Velho, Moto Esporte Clube, Sport Clube Shallon e Cruzeiro Esporte Clube. O clube de maior torcida é o Moto Esporte Clube também sendo esse o mais antigo em atividade fundado ainda na década de 40. No ano de 2009 o programa Esporte Espetacular em um quadro denominado "Clássicos Perdidos", enfocou aquele que foi um dos maiores clássico regionais do Brasil, Moto Clube contra Ferroviário, que arrastava multidões para o Estádio Aluizio Ferreira. Era comum nesse clássico alguns jogadores de renome no Brasil como Garrincha e Rivelino virem a Porto Velho disputar o clássico jogando em um dos dois times. Hoje o esporte de Porto Velho não tem o seu devido valor ficando em segundo plano, entretanto ja saiu daqui vários ídolos do esporte como a jogadora de futebol Neném que foi formada pelo clube Ypiranga e jogou pela seleção brasileira, disputando diversos campeonatos entre 1995 e 2000.[carece de fontes?]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. Capitais dos estados. Atlas Geográfico do Brasil. Página visitada em 1 de janeiro de 2011.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  4. Urbanização das cidades brasileiras. Embrapa Monitoramento por Satélite. Página visitada em 30 de Julho de 2008.
  5. Estimativa Populacional 2013 (PDF). Censo Populacional 2013. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1º de julho de 2013). Página visitada em 29 de agosto de 2013.
  6. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 2 de agosto de 2013.
  7. Indice GINI. Cidade Sat. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2000). Página visitada em 06 de agosto de 2011.
  8. a b c Produto Interno Bruto dos Municípios 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 12 de dezembro de 2012.
  9. Prefeitura Municipal de Porto Velho. A Origem do nome. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  10. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Contas Regionais 2009. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  11. Prefeitura Municipal de Porto Velho. A Origem do nome. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  12. Prefeitura Municipal de Porto Velho. A queda do ciclo da borracha. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  13. Prefeitura Municipal de Porto Velho. Aspectos Geográficos. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  14. Meteorologia e Clima (29 de agosto de 2010). Recordes de menores temperaturas registradas nas capitais. Página visitada em 15 de julho de 2012.
  15. Sistema de Monitoramento Agrometeorológico (Agritempo). Dados Meteorológicos - Rondônia. Página visitada em 15 de julho de 2012.
  16. Meteorologia e Clima (1º de setembro de 2010). Maiores chuvas em 24 horas nas capitais entre 1961-1990. Página visitada em 15 de julho de 2012.
  17. Climatological Information for Porto Velho, Brazil (em inglês). Observatório de Hong Kong (1961-1990). Página visitada em 15 de fevereiro de 2014.
  18. Porto Velho, Rondônia (em inglês). Weatherbase. Página visitada em 15 de fevereiro de 2014.
  19. Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Weather Information for Porto Velho (em inglês). World Weather Information Service. Página visitada em 15 de fevereiro de 2014.
  20. Rondônia ao Vivo. Sistema FIERO articula geminação das cidades irmãs Jinan e Porto Velho. Página visitada em 12 de abril de 2011.
  21. Prefeitura Municipal de Porto Velho. Aspectos Geográficos. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  22. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. PIB dos Municípios. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  23. Atividades econômicas em Porto Velho (2012). Plataforma DataViva. Página visitada em 13 de janeiro de 2014.
  24. Rede Globo. Memória Globo: Mad Maria. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  25. Governo de Rondônia. Turismo e Pontos Turisticos. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  26. Ancar Ivanhoe. Porto Velho Shopping. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  27. Urban Systmns. Porto Madeira Shopping será 30% maior que Porto Velho Shopping, diz Baú. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  28. Revista Época. Ranking das cidades mais violentas. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  29. Frota do município de Porto Velho (2012). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2012).
  30. Rondônia ao Vivo. Banda do Vai Quem Quer reúne a imprensa pelo 31º ano. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  31. Rondônia ao Vivo. Agenda Cultural destaca abertura do Arraial Flor do Maracujá. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  32. Rondônia ao Vivo. Cavalgada da Expovel 2011 leva maior comitiva do país às ruas. Rondônia Ao Vivo. Página visitada em 17 de dezembro de 2011.
  33. Gente de Opnião. Festival da Costela Assada deve levar 15 mil ao parque de exposição neste domingo. Gente de Opnião. Página visitada em 17 de dezembro de 2011.
  34. Congresso das Nações Unidas sobre Prevenção ao Crime e Justiça Criminal. Projeto teatral "Bizarrus", de Rondônia, é modelo em processo de reabilitação de presos. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  35. Tudo Rondônia. Jerusalém da Amazônia: “O Homem de Nazaré”. Página visitada em 06 de julho de 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Porto Velho