São Gabriel da Cachoeira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
""Cabeça do cachorro""
Bandeira de São Gabriel da Cachoeira
Brasão de São Gabriel da Cachoeira
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 3 de setembro
Fundação 3 de setembro de 1668 (351 anos)
Gentílico gabrielense
Lema União e Liberdade
Padroeiro(a) São Gabriel
Prefeito(a) Clóvis Moreira Saldanha (PT)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de São Gabriel da Cachoeira
Localização de São Gabriel da Cachoeira no Amazonas
São Gabriel da Cachoeira está localizado em: Brasil
São Gabriel da Cachoeira
Localização de São Gabriel da Cachoeira no Brasil
00° 7' 48" S 67° 5' 20" O00° 7' 48" S 67° 5' 20" O
Unidade federativa Amazonas
Mesorregião Norte Amazonense IBGE/2008[1]
Microrregião Rio Negro IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Santa Isabel do Rio Negro, Japurá, Venezuela e a Colômbia.
Distância até a capital 852 km
Características geográficas
Área 109 184,896 km² (BR: 3º)[2]
População 45 564 hab. (AM: 13º) –  estimativa populacional - IBGE/2019[3]
Densidade 0,42 hab./km²
Altitude 90 m
Clima equatorial Af
Fuso horário UTC-4
Indicadores
IDH-M 0,609 (AM: 14º) – médio PNUD/2010[4]
PIB R$ 216 672 mil IBGE/2013[5]
PIB per capita R$ 5 211,59 IBGE/2013[5]
Página oficial
Prefeitura saogabrieldacachoeira.am.gov.br
Câmara camarasgc.am.gov.br

São Gabriel da Cachoeira é um município brasileiro do interior do estado do Amazonas, Região Norte do país. Localizado na fronteira com a Colômbia e Venezuela, no extremo noroeste do Brasil, o município também é conhecido como "Cabeça do Cachorro", por seu território ter forma semelhante à da cabeça desse animal. De acordo com estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sua população era de 45 564 habitantes em 2018, fazendo deste o décimo-terceiro município mais populoso do estado. Em São Gabriel da Cachoeira, nove entre dez habitantes são indígenas, sendo o município com maior predominância de indígenas no Brasil.

A cidade também é conhecida por possuir cerca de 5,5 bilhões de toneladas de nióbio em sua região, sendo a maior reserva deste minério em todo o mundo de acordo com cabeça de tabira.

Em um caso inédito na federação brasileira, foram reconhecidas, como línguas oficiais no município, ao lado do português, três idiomas indígenas, após a aprovação da Lei Municipal 145, de 22 de novembro de 2002: o nheengatu, o tucano e o baníua, línguas tradicionais faladas pela maioria dos habitantes do município, dos quais 74% são indígenas. O município foi a primeira localidade brasileira a reconhecer outros idiomas como oficiais, além do português. Atualmente, São Gabriel da Cachoeira, Pomerode (em Santa Catarina) e Tacuru (em Mato Grosso do Sul)[6] são os três únicos municípios brasileiros a possuir mais de um idioma oficial (Pomerode reconheceu o idioma alemão como co-oficial em seu território, enquanto que Tacuru reconheceu a língua guarani como cooficial). Em São Gabriel da Cachoeira, também há um projeto para reconhecer a língua ianomâmi como a quarta língua cooficial do município.[7]

História[editar | editar código-fonte]

Porto de São Gabriel da Cachoeira, década de 1920. Arquivo Nacional.

• Desde 1858 considerada freguesia, São Gabriel da Cachoeira (na época: São Gabriel) recebeu status de vila em 10 de março de 1891. Extinto em 1931, o município foi recriado em 1935 e foi elevado à cidade pelo decreto-lei estadual nº 68 de 31 de março de 1938.[8]

• O Forte de São Gabriel da Cachoeira localizava-se no morro da Fortaleza, à margem esquerda do alto rio Negro, afluente da margem esquerda do rio Amazonas, e foi construído inicialmente para fins defensivos pela coroa portuguesa.


Geografia[editar | editar código-fonte]

Situado no extremo noroeste do Brasil, é um dos municípios fronteiriços do país, fazendo fronteira com dois países sul-americanos. Tem distância de 852 quilômetros de Manaus, capital do estado, e está às margens da Bacia do Rio Negro. Limita-se ao norte com a Colômbia e a Venezuela, ao sul e ao leste com o município de Santa Isabel do Rio Negro e ao sul com Japurá. O município é considerado um ponto estratégico pelo país.

A extensão territorial de São Gabriel da Cachoeira é uma das maiores do país: 109 185 km², representando 6,9512% do território estadual, 2,8335% do território da Região Norte do Brasil e 1,2851% do território brasileiro. Essa área é:

Boa parte do seu território é abrangido pelo Parque Nacional do Pico da Neblina, além das terras indígenas de Alto Rio Negro, Médio Rio Negro I, II e III e Rio Tea, que juntas abrangem cerca de 80% do território municipal. A Terra Indígena Balaio, cujo relatório antropológico foi publicado no Diário Oficial da União, sobrepõe-se ao Parque Nacional do Pico da Neblina sob responsabilidade do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Terras indígenas do município: Alto Rio Negro, Balaio, Cué Cué/ Marabitanas, Amiúm, Médio Rio Negro I, Médio Rio Negro II, Rio Xié, Yanomami.

Clima[editar | editar código-fonte]

Pôr-do-sol no município

De acordo com a classificação climática de Köppen-Geiger, o clima é equatorial isotérmico, apresentando a temperatura média do mês mais frio superior a 18 °C com precipitação do mês mais seco superior a 60 milímetros (mm) e amplitude térmica inferior aos 5 °C.

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), referentes ao período de 1961 a 1990 e a partir de 1993, a menor temperatura registrada em São Gabriel da Cachoeira (Uaupés) foi de 15 °C em 10 de julho de 1994,[9] e a maior chegou aos 39,4 °C em 24 de novembro de 2012.[10] O maior acumulado de precipitação em 24 horas atingiu 150 milímetros (mm) em 12 de fevereiro de 1993.[11] Abril de 1967, com 699,3 mm, foi o mês de maior precipitação.[12]

Em outra estação meteorológica do mesmo instituto no município, situada no povoado de Iauareté, a temperatura mínima absoluta registrada no local, considerando-se o mesmo período, foi de 15,8 °C em 19 de julho de 1975,[13] e a máxima absoluta de 39,4 °C em 13 de fevereiro de 2010.[14] O recorde de precipitação em 24 horas é de 189,9 mm em 24 de abril de 2002,[15] enquanto o mês de maior precipitação foi maio de 1976, com 952,2 mm.[16]

Dados climatológicos para São Gabriel da Cachoeira (Uaupés)
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 38,8 38,8 38,7 37,9 37,8 38,1 37 37,9 39 38,8 39,4 38 39,4
Temperatura máxima média (°C) 32,2 32,5 32,6 32,2 31,2 30,8 30,8 31,9 32,7 32,8 32,9 32,4 32,1
Temperatura média compensada (°C) 26,4 26,4 26,6 26,4 25,9 25,4 25,2 25,7 26,2 26,5 26,6 26,4 26,1
Temperatura mínima média (°C) 22,3 22,4 22,4 22,4 22,1 21,6 21,2 21,4 21,8 22,2 22,3 22,3 22
Temperatura mínima recorde (°C) 18,3 17,7 18,6 18,8 17,7 17 15 17,2 17,9 18,4 18,8 19,1 15
Precipitação (mm) 295,8 239 246,9 264,5 346,5 294,1 253,2 209,8 181,6 195,5 204,2 273 3 004
Dias com precipitação (≥ 1 mm) 19 15 17 17 21 20 18 17 14 14 14 17 203
Umidade relativa compensada (%) 87,3 87,1 87,3 87,6 89,3 89,3 88,6 87,1 85,8 85,6 86,4 87,6 87,4
Horas de sol 140,7 124,6 129 115,4 107,1 107,1 127,6 142,9 154,8 149,6 145 134,9 1 578,7
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (normal climatológica de 1981-2010;[17] recordes de temperatura: 01/01/1961 a 31/10/1990 e 01/01/1993-presente)[9][10]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Durante a década de 1990, a taxa geométrica de crescimento anual da população de São Gabriel da Cachoeira foi de aproximadamente quatro por cento. Em 2009, essa população era estimada em 41 885 habitantes, segundo o censo demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. A maior parte desses habitantes é constituída por várias etnias indígenas, como, por exemplo, os Arapaço, Baniwa, Barasana, Baré, Desana, Hupda, Karapanã, Kubeo, Kuripako, Makuna, Miriti-tapuya, Nadob, Pira-tapuya, Siriano, Tariano, Tukano, Tuyuka, Wanana, Werekena e Yanomami. São Gabriel da Cachoeira é o município com maior concentração de diferentes etnias indígenas do país.

As diversas comunidades indígenas distribuem-se nos bairros da sede municipal, no núcleo urbano de Iauaretê e ao longo dos rios que cortam o município, como o Uaupés, o Içana, o Xié, o Tiquié e o Negro. São mais de quatrocentas pequenas comunidades que vivem em terras indígenas.[18]

Cor/Raça Percentagem
Branca 5,5%
Negra 2,0%
Parda 14,5%
Amarela 0,5%
Indígena 74,0%

Fonte: Censo 2010

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia do município baseia-se na agricultura de subsistência, nomeadamente a mandioca, a banana, o abacaxi, o abacate, a batata-doce e o limão. No município, estão as seguintes organizações militares das Forças Armadas: 2ª Brigada de Infantaria de Selva; Comando de Fronteira Rio Negro e 5º Batalhão de Infantaria de Selva; 21ª Companhia de Engenharia de Construção; Destacamento do Controle do Espaço Aéreo de São Gabriel da Cachoeira; Destacamento de Aeronáutica de São Gabriel da Cachoeira; Destacamento da Comissão de Aeroportos da Região Amazônica; e Destacamento da Capitania dos Portos da Amazônia Ocidental. Aproximadamente, 82,7% das reservas de nióbio brasileiras estão situadas em São Gabriel da Cachoeira.[19]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Saúde[editar | editar código-fonte]

O município possuía, em 2009, 24 estabelecimentos de saúde, sendo 22 públicos e 2 privados, entre hospitais, pronto-socorros, postos de saúde e serviços odontológicos. Neles havia 41 leitos para internação.[20] Em 2014, 82,9% das crianças menores de 1 ano de idade estavam com a carteira de vacinação em dia.[21] Em 2015, foram registrados 1.120 nascidos vivos, ao mesmo tempo que o índice de mortalidade infantil foi de 51,8 óbitos de crianças menores de cinco anos de idade a cada mil nascidos vivos.[21] No mesmo ano, 23,2% das crianças que nasceram no município eram de mães adolescentes.[22] Cerca de 90,0% das crianças menores de 2 anos de idade foram pesadas pelo Programa Saúde da Família em 2014, sendo que 0,6% delas estavam desnutridas.[23]

Até 2009, São Gabriel da Cachoeira possuía 2 estabelecimentos de saúde especializados em clínica médica e traumato-ortopedia, e nenhum estabelecimento de saúde com especialização em pediatria, psiquiatria, cirurgia bucomaxilofacial, neurocirurgia ou outras especialidades cirúrgicas. Dos 24 estabelecimentos de saúde, apenas 3 deles era com internação.[20] Até 2016, havia 15 registros de casos de HIV/AIDS, sendo que todos os casos registrados foram em pessoas até os 24 anos de idade.[24] Entre 2001 e 2012 houve 1.920 casos de doenças transmitidas por mosquitos e insetos, sendo a principal delas a dengue, a leishmaniose e a malária.[25]

Cultura[editar | editar código-fonte]

Eventos[editar | editar código-fonte]

A cidade possui em sua maioria, festividades religiosas, que são promovidas ao longo do ano, como a Semana Santa, procissão, festa do padroeiro do município (em 29 de setembro) e, até mesmo, nas comunidades indígenas coordenada e dirigida pelos devotos.Existem, ainda, festividades folclóricas como: Carnaval e Festas Juninas.

Festival Cultural das Tribos Indígenas do Alto Rio Negro[editar | editar código-fonte]

Criada através do Decreto - Lei Número 24, de 13 de Maio de 1996. É realizado anualmente, com danças e disputas esportivas entre as Agremiações: Tribo Baré ( Vermelho e Amarelo ),Tribo Tukano ( Preto e Amarelo ) e Filhos do Rio Negro ( Preto e Verde ). O Festribal é uma demonstração ao vivo da rica cultura nativa e busca valorizar, desenvolver, difundir e homenagear os hábitos culturais indígenas da região. A partir do ano de 2018, visando a inclusão no calendário oficial dos festivais do Amazonas será realizado do dia 31 de Agosto até o dia 03 de Setembro, no aniversário do município.

O evento já recebeu diversas estrelas, dentre elas: David Assayag, Amado Batista, e que este ano receberá o cantor Wesley Safadão.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • O Município de São Gabriel da Cachoeira no ano do seu centenário de criação. Manaus: Instituto de Cooperação Técnica Intermunicipal (ICOTI), julho de 1991. 53 pp. Edição especial.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística de Número Cinco (R.PR-5/02). 10 de outubro de 2002. Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Estimativas da população residente no Brasil e Unidades da Federação com data de referência em 1º de julho de 2016» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 12 de setembro de 2016. Consultado em 12 de setembro de 2016 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 3 de agosto de 2013 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2010-2013». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 19 de dezembro de 2015 
  6. «Cidade do Mato Grosso do Sul adota o guarani como idioma oficial», R7, Notícias, consultado em 15 de janeiro de 2014, cópia arquivada em |arquivourl= requer |arquivodata= (ajuda) 🔗 .
  7. IFAM de São Gabriel da Cachoeira faz primeira seleção do Brasil com redação em língua indígena, no tópico "Mais uma língua cooficial"
  8. «São Gabriel da Cachoeira Amazonas - AM Histórico» (PDF). IBGE. 27 de dezembro de 2010. Consultado em 18 de maio de 2013 
  9. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura mínima (°C) - São Gabriel da Cachoeira (Uaupés)». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 20 de junho de 2018 
  10. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura máxima (°C) - São Gabriel da Cachoeira (Uaupés)». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 20 de junho de 2018 
  11. «BDMEP - série histórica - dados diários - precipitação (mm) - São Gabriel da Cachoeira (Uaupés)». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 20 de junho de 2018 
  12. «BDMEP - série histórica - dados mensais - precipitação total (mm) - São Gabriel da Cachoeira (Uaupés)». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 20 de junho de 2018 
  13. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura mínima (°C) - Iauaretê». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 11 de setembro de 2014 
  14. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura máxima (°C) - Iauaretê». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 20 de junho de 2018 
  15. «BDMEP - série histórica - dados diários - precipitação (mm) - Iauaretê». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 20 de junho de 2018 
  16. «BDMEP - série histórica - dados mensais - precipitação total (mm) - Iauaretê». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 20 de junho de 2018 
  17. a b «NORMAIS CLIMATOLÓGICAS DO BRASIL». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 20 de junho de 2018 
  18. «São Gabriel da Cachoeira». Prefeitura Municipal de São Gabriel da Cachoeira. Consultado em 1 de novembro de 2009. Arquivado do original em 6 de julho de 2009 
  19. Governo do Estados Unidos
  20. a b Cidades@ - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Serviços de saúde - 2009». Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  21. a b Portal ODM (2014). «4 - reduzir a mortalidade infantil». Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  22. Portal ODM (2015). «5 - melhorar a saúde das gestantes». Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  23. Portal ODM (2015). «1 - acabar com a fome e a miséria». Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  24. Portal ODS (2016). «ODS 03: AIDS e outras doenças transmissíveis». Relatórios Dinâmicos. Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  25. Portal ODM (2012). «6 - combater a Aids, a malária e outras doenças». Consultado em 13 de dezembro de 2018 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Amazonas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.