Santa Helena (Paraná)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Santa Helena, veja Santa Helena.
Município de Santa Helena
"Terra das Águas"
Pôr-do-Sol visto do Condomínio Marinas

Pôr-do-Sol visto do Condomínio Marinas
Bandeira de Santa Helena
Brasão de Santa Helena
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 26 de maio
Fundação 26 de maio de 1967 (50 anos)
Gentílico santa-helenense
Prefeito(a) Aírton Antonio Copatti (PMDB)
(2017–2020)
Localização
Localização de Santa Helena
Localização de Santa Helena no Paraná
Santa Helena está localizado em: Brasil
Santa Helena
Localização de Santa Helena no Brasil
24° 51' 36" S 54° 19' 58" O24° 51' 36" S 54° 19' 58" O
Unidade federativa  Paraná
Mesorregião Oeste Paranaense IBGE/2008[1]
Microrregião Toledo IBGE/2008[1]
Região metropolitana Região Metropolitana de Toledo
Municípios limítrofes Entre Rios do Oeste, Missal e Diamante d'Oeste
Distância até a capital 619 km
Características geográficas
Área 758,229 km² [2]
População 23 425 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 30,89 hab./km²
Altitude 258 m
Clima Subtropical Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,799 elevado PNUD/2000[4]
PIB R$ 312 869,702 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 13 106,14 IBGE/2008[5]
Página oficial

Santa Helena é um município brasileiro do estado do Paraná. Sua população estimada em 2010 é de 23.425 habitantes.

Santa Helena esta a uma altitude de 258 metros e fica no centro da Costa Oeste do Paraná, às margens do lago de Itaipu. Na formação deste lago, a cidade teve tomado um terço de seu território. Foi nesta ocasião que passou a ser conhecida como Terra das Águas. Hoje, tem apenas um acesso por terra, ficando praticamente ilhada do restante do estado.

História[editar | editar código-fonte]

O município de Santa Helena teve origem em um projeto de apropriação pela Madalozzo de Erechim e outros, às margens do Rio Paraná. As primeiras famílias desembarcaram no Porto de Santa Helena por volta de 1920 e encontraram, nesta região, um contingente razoável de ingleses que exploravam madeira e erva-mate. Em 1924, o município foi palco de algumas ações da legendária Coluna Prestes, que, em sua passagem pela região, expulsou os ingleses deste território. Só então, através da Lei Estadual nº 5.497, de 3 de fevereiro de 1967, e instalado em 29 de dezembro de 1968, o município de Santa Helena, sendo nesta mesma data desmembrado de Medianeira e Marechal Cândido Rondon. O primeiro prefeito foi Arnaldo Weisseimer e Paulo Sinval Prates o primeiro presidente da câmara de vereadores.

Colonização[editar | editar código-fonte]

A região do Oeste do Paraná que compreende o município de Santa Helena atualmente teve sua colonização baseada na exploração da madeira e da erva-mate a partir de meados do século XIX. Esse trabalho era realizado principalmente por estrangeiros argentinos e paraguaios que eram denominados de peão ou mensus, termo que remete a forma como era realizado o pagamento por seu trabalho, mensalmente. Essa forma de exploração era chamada de obrages.[6][7]

Em 1858 Domingos Barthe, devoto de Santa Helena, fundou o porto de Santa Helena e deu início as atividades da Companhia Domingos Barthe, que também realizava a exploração da madeira na região, dentro do sistema de obrages. Esta se manteve em funcionamento até a década de 1930.[6][7]

Em meados de 1920 inicia-se a colonização da região por imigrantes colonos do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, que chegavam principalmente através da Colonizadora Alegretti e da Colonizadora Meyer, Annes & Cia. Essas empresas colonizadoras recebiam incentivos do governo para trazer famílias que viessem morar na região. Os principais atrativos para esses colonos eram as terras férteis e de baixo preço existentes e a oportunidade de aumentar seus rendimentos.[6][7]

Esses migrantes se fixaram onde atualmente é chamado de Santa Helena Velha. Em sua maioria eram descendentes de italianos, alemães e poloneses, e, de início, se estabeleceram no local em pequenas propriedades produzindo apenas para a subsistência. Em Santa Helena Velha há um memorial a esses pioneiros que eram principalmente as seguintes famílias: Ferri, Prati, Gallo, Furlanetto, Tafarell, Thomé, Bertoncini, Fantinel, Bortolini, Noro, Cristófoli, Basso, Federizzi, Galeano, Paredes, Nadai, Nichetti, Fochezatto, Martinez, Agostini, Cattani, Chielli, Zanetti, Coppini, Colombelli, Pedretti e Castelli.[6][7]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Por se localizar às margens do Lago de Itaipu, Santa Helena conta com um grande potencial turístico, que juntamente com a agricultura e a atividade industrial compõe o PIB da cidade. Durante a temporada de verão a cidade recebe aproximadamente 10 mil pessoas, grande parte proveniente dos países vizinhos Argentina e Paraguai. Os principais pontos turísticos de Santa Helena são:

Lago de Itaipu[editar | editar código-fonte]

Lago artificial que surgiu pelo represamento das águas do Rio Paraná quando da construção da Itaipu Binacional, em 1982. É um dos maiores lagos do mundo[carece de fontes?], com 29 milhões de metros cúbicos e 20 km de extensão em linha reta. Abriga diversas espécies em extinção e, na água, peixes nativos criados para compensar o desequilíbrio causado pela formação do lago. Possui diversas praias em suas margens e é palco de diversas competições e esportes náuticos.

Base Náutica[editar | editar código-fonte]

Com 1987mª de área construída, possui marina, deque, garagens de barcos, área para realização de eventos. A estrutura foi construída em 1997 para os Jogos Mundiais da Natureza, em um espaço de 116 hectares de área verde às margens do lago de Itaipu. No farol de 25 metros de altura, se tem uma visão de toda a cidade e parte do lago de Itaipu.

Morro dos Sete Pecados[editar | editar código-fonte]

É o segundo ponto mais alto do município, de onde se pode observar a paisagem do Lago Itaipu e de seu entorno. Um ponto natural de observação.

Refúgio Biológico de Santa Helena[editar | editar código-fonte]

Um istmo, com área total de 142,1 km , é uma unidade de conservação ambiental, que existia exemplares representativos da flora. A reserva foi oficialmente criada pela Itaipu Binacional no ano de 1984, com o objetivo principal de resgatar a fauna, por ocasião da formação do reservatório do lago de Itaipu e proteger. Propicia os estudos e pesquisas dos componentes naturais da região. O refúgio foi reflorestado pela Itaipu em 1981 tendo sido cultivadas 46 espécies, sendo 27 nativas. Ainda possui plantas distintas das matas nativas da região. A reserva abriga uma abundância de espécies da flora e fauna, inclusive espécies em risco de extinção. As estruturas existentes no espaço são as trilhas interpretativas com identificação de algumas plantas utilizadas para educação ambiental e recreação, e uma torre com 42 metros de altura, para observação do parque, de acesso restrito.

Balneário de Santa Helena[editar | editar código-fonte]

Área de lazer localizado às margens do Lago Itaipu, com 86 hectares , arborizada e bem cuidada. O espaço tem uma excelente infraestrutura de quiosques, churrasqueiras, tobogã, quadras poli esportivas, local para acampamento com barracas e trailer, lanchonetes, sanitários, galpões para realização de eventos (festas, exposições, festivais, entre outros) e área para estacionamento. É possível também praticar esportes náuticos, pesca esportiva e caminhadas no calçadão a beira da praia fluvial com 950 metros de orla. Todo o espaço interno encontra-se identificado com sinalização de uso turístico.

Praia Nova

Pesca Esportiva[editar | editar código-fonte]

Em Santa Helena, existem Curvinas e o Tucunaré, além de outras espécies típicas para pescaria esportiva.

Memorial Coluna Prestes[editar | editar código-fonte]

Na passagem da Coluna Prestes pela cidade, em 1925, uma ponte foi queimada para impedir a passagem das tropas legalistas. A ponte foi construída em 1900 e suas ruínas continuam lá, como patrimônio histórico do município, conhecido como “Ruínas da Ponte Queimada”. Próximo à ponte um monumento homenageia as tropas de Luís Carlos Prestes, considerado o “cavaleiro da esperança”. A escultura foi projetada em 1996 por Oscar Niemeyer.

Cristo Esplendor[editar | editar código-fonte]

Um monumento religioso contempla a grande religiosidade da comunidade de Santa Helena. A estátua de Jesus Cristo foi iniciada em 1999, no mandato do prefeito Silom Schimt, com previsão para ser inaugurada no ano de 2000 pois Santa Helena completaria 33 anos, a idade de Cristo; mas devido a inúmeros atrasos de ordem de planejamento, sua inauguração foi em 31 de dezembro de 2004, no ultimo dia de mandato do então prefeito. O local possui capela para as orações e uma réplica de 1 metro de altura no seu interior. A estátua tem 12 metros de altura. É a maior estátua de bronze da América Latina[carece de fontes?]. Conta com rampa, para auxiliar a subida dos visitantes e fiéis.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 
  6. a b c d Colodel, Jose Augusto. Obrages e Companhias Colonizadoras: Santa Helena na História do Oeste Paranaense até 1960.Santa Helena/PR: Prefeitura Municipal,1988.inserir
  7. a b c d Sterchile, Adriela. Aspectos da história das instituições escolares de Santa Helena. Cascavel/PR: 2006

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Paraná é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.