Argentinos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Argentinos
Argentines 02.png
José de San Martín, Manuel Belgrano, Juan Manuel de Rosas, Mariano Moreno, Bernardino Rivadavia, Bartolomé Mitre, Domingo Faustino Sarmiento, Adolfo Bioy Casares, Ernesto Sábato, Juan Manuel Fangio, Hipólito Yrigoyen, Che Guevara, Carlos Gardel, Eva Perón, Diego Armando Maradona, Mercedes Sosa, Isabel Sarli, Valeria Mazza.
População total

~ 42 milhões

Regiões com população significativa
 Argentina 40.134.425
 Espanha 229.009[1]
 Estados Unidos 144.023[1]
Paraguai 61.649[1]
 Chile 59.637[1]
 Israel 43.718[1]
 Bolívia 36.231[1]
 Brasil 25.826[1]
Uruguai 23.943[1]
 Canadá 14.877[1]
 México 13.696[1] [2]
 Itália 11.576[1]
 Austrália 10.826[1]
 França 10.795[1]
Línguas
Língua castelhana
Religiões
Igreja Católica
Grupos étnicos relacionados
Latinos americanos, especialmente Brasileiros e Colombianos

Argentinos são os cidadãos da Argentina ou os seus descendentes no exterior. A nação argentina é uma sociedade multiétnica, ou seja, é a nação de pessoas de diferentes origens étnicas. Como resultado, o povo argentino não considera a sua nacionalidade como uma etnia, mas como cidadania, composta por várias etnias. Além da população indígena, quase todos os argentinos ou os seus antepassados ​​emigraram nos últimos cinco séculos.

De acordo com o censo de 2010 realizado pelo Instituto Nacional de Estatística e Censos da Argentina (INDEC), a Argentina tinha uma população de 40.091.359 habitantes, dos quais 1.805.957, ou 4,6%, haviam nascido em outros países. A taxa de crescimento da população em 2008 foi estimada em 0,917% ao ano, com uma taxa de natalidade de 16,32 nascidos vivos por mil habitantes e uma taxa de mortalidade de 7,54 mortes por mil habitantes.[3]

A população argentina há muito tempo apresenta uma das mais baixas taxas de crescimento demográfico da América Latina (recentemente, cerca de um por cento ao ano) e também goza de uma taxa de mortalidade infantil relativamente baixa. Surpreendentemente, porém, sua taxa de natalidade ainda é quase duas vezes maior (2,3 filhos por mulher) do que a de países como Espanha ou Itália, apesar de serem sociedades comparáveis culturalmente e demograficamente.[4] [5] A idade média é de aproximadamente 30 anos e a expectativa de vida ao nascer é de de 77,14 anos. [6]

Composição étnica[editar | editar código-fonte]

Na Argentina, a herança européia é a predominante, mas com significativa herança indígena, e presença de contribuição africana também. Um estudo genético realizado em 2009, revelou que a composição da Argentina é 78,50% européia, 17,30% indígena e 4,20% africana.[7] De acordo com um estudo genético autossômico de 2012 a composição da Argentina é a seguinte: 65% europeia, 31% indígena e 4% africana. O estudo em questão observou variações regionais, com algumas partes sendo mais indígenas e outras europeias, não obstante elas todas sejam mescladas, variando apenas o grau de mistura.[8]

Em Buenos Aires, um estudo genético encontrou contribuição indígena de 15,80% e africana de 4,30%.[9] Na região de La Plata, as contribuições européia, indígena e africana foram, respectivamente, 67.55% (+/-2.7), 25.9% (+/-4.3), e 6.5% (+/-6.4).[10] Quanto à população de Mendoza, um estudo genético encontrou a seguinte composição autossômica (DNA herdado tanto por parte de mãe quanto por parte de pai e que permite inferir toda a ancestralidade de um indivíduo): 46,80% de ancestralidade européia, 31,60% indígena e 21,50% africana.[11]

Na linhagem materna (DNA mitocondrial), de acordo com um estudo genético de 2004, 56% da população da Argentina possui DNA mitocondrial ameríndio.[12]

Argentinos célebres[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m Perfil migratorio de Argentina
  2. INEGI
  3. Proyecciones provinciales de población por sexo y grupos de edad 2001-2015 (pdf) (em español). Gustavo Pérez. INDEC. Página visitada em 5 de dezembro de 2012.
  4. PRB
  5. UN Demographic Yearbook, 2007
  6. CIA World Factbook (5 de dezembro de 2012). South America :: Argentina (em inglês). Página visitada em 03 de janeiro de 2013.
  7. [1]
  8. http://www.plosone.org/article/info%3Adoi%2F10.1371%2Fjournal.pone.0034695
  9. [2]
  10. [3]
  11. [4]
  12. Corach