Espanhóis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Espanhóis
IsabellaofCastile03.jpg
Michel Sittow 004.jpg
Retrato de Hernán Cortés.jpg
Ignatius Loyola.jpg
Titian - Portrait of Charles V Seated - WGA22964.jpg
Teresa de Jesús.jpg
Cervantes Jáuregui.jpg
Vicente López Portaña - el pintor Francisco de Goya.jpg
Rosalía Castro de Murguía por Luis Sellier.jpg
Perez galdos.jpg
LeopoldoAlasClarin.jpg
Antoni Gaudi 1878.jpg
Pablo picasso 1.jpg
Salvador Dalí 1939.jpg
Filipe VKinggeneralcaptainofthearmygalaunform.jpg
Rafael Nadal mordiendo la copa - 0027 Japan Open Tennis Tokio 2010.jpg
População total

~47 milhões

Regiões com população significativa
Línguas
Castelhano (ou espanhol), catalão, galego, basco,
Religiões
Predominantemente Católicos
Grupos étnicos relacionados
Italianos, Portugueses, Franceses, Hispano-americanos.

O povo espanhol é um grupo étnico de cerca de 40 milhões de indivíduos que habita o território da Espanha e que também é residual em grande parte da América latina (se considerar os hispano-americanos como povos culturalmente distintos pela distância ao território europeu). O povo tem várias origens étnicas, devido à longa história de invasões e migrações.

A língua mais falada pelos espanhóis é o espanhol ou castelhano, uma língua românica que evoluiu a partir de um dialeto medieval do latim falado na atual Região histórica de Castela. Na Espanha coexistem com a língua espanhola outros idiomas, como o catalão, basco e galego, que são reconhecidos e possuem status oficial nas suas comunidades.

Além disso, vivem na Espanha 4,982,183 estrangeiros (em 31 de Dezembro de 2015); que são provenientes principalmente da Romênia, Marrocos, Reino Unido, Itália e China. Juntas, essas cinco nacionalidades representam 50% da população imigrante na Espanha.[1]

Grupos Étnicos[editar | editar código-fonte]

Estudos genéticos, autónomos e de marcadores de haplogrupos, mostram claramente que os espanhóis estão intimamente relacionados com o resto da Europa, e em particular com as populações da costa atlântica: França, Grã-Bretanha, Irlanda, e seu vizinho ibérico, Portugal.[2] Por outro lado, de acordo com um estudo publicado no American Journal of Human Genetics 30% da população espanhola tem características genéticas comuns com as populações do Oriente Médio e Magreb.[3] Como nação ocidental, a Espanha possui fortes laços culturais com o resto do mundo Ocidental remontando a herança comum medieval e romana, mas tem particularmente fortes relações culturais com a América Latina e os países da Europa latina, especialmente a Itália, Portugal e França.

Fora da Europa, a América Latina tem a maior população de pessoas de ascendência espanhola. Estes incluem pessoas com total ou parcial ascendência espanhola.

Outras regiões do mundo, com pequenas populações de descendentes de espanhóis estão as Filipinas e as Ilhas Marianas.

Imigração[editar | editar código-fonte]

A população da Espanha está se tornando cada vez mais diversificada, devido à imigração recente. Espanha é agora um dos países com as mais altas taxas de imigração per capita no mundo e o segundo mais alto na migração absoluta no mundo (depois dos EUA)[4] e imigrantes representam agora cerca de 10% da população. Desde 2000, a Espanha absorveu mais de 3 milhões de imigrantes, e milhares a mais chegam a cada ano.[5] A população imigrante em 2006 ultrapassou quatro milhões e meio.[6] São provenientes principalmente da Europa, América Latina, China, Filipinas, Norte de África e África Ocidental.[7]

Ciganos[editar | editar código-fonte]

Espanha é o lar de um subconjunto de ciganos falantes de caló. Os ciganos são um grupo nômade antigo, que cruzou a Ásia Ocidental, Norte da África e a Europa para se instalar na Península Ibérica, no século XV.

Os ciganos espanhóis, por uma série de razões históricas e culturais não são considerados estrangeiros na Espanha, mas de etnia diferente. Ciganos desempenham um papel importante no folclore andaluz, em especial na música e cultura. Não existem estatísticas oficiais sobre a população cigana na Espanha. As estimativas variam de 600.000 a 700.000, de modo que a Espanha, juntamente com a Romênia e a Bulgária, é o lar de uma das maiores comunidades ciganas da Europa. Mais de 40% dos ciganos espanhóis vivem na região da Andaluzia. Muitos ciganos espanhóis também vivem no sul da França, especialmente na região de Perpignan.

Idiomas[editar | editar código-fonte]

Mapa cronológico mostrando o desenvolvimento das Línguas da Espanha.

O idioma proeminente na Espanha é o castelhano (também chamado e mais conhecido internacionalmente como espanhol), que é falado por quase toda a população do país. Outros idiomas têm importância maior em algumas regiões: basco (euskera ou euskara) no País Basco e em Navarra; catalão na Catalunha e nas Ilhas Baleares e em diassistema, como variante deste primeiro, o valenciano, na Comunidade Valenciana; e por fim o galego na Galiza (em diassistema com o português em ambas as margens do rio Minho).

O espanhol ou castelhano é oficial em todo o país; os outros adquiriram o status de idiomas co-oficiais nas suas respectivas regiões a partir de 1978, como consequência da Transição espanhola para a democracia e têm grande relevância local, tendo inclusive diversas publicações como jornais diários nestes idiomas e, especialmente para o catalão, o basco e o galego, há significante produção e publicação de livros e indústria midiática.

Referências

  1. Extranjeros residentes en España a 31 de diciembre de 2015, Gobierno de España, Ministerio de Empleo y Seguridad Social. Observatorio permanente de la Inmigración.
  2. McDonald, J. D. (2005). «Y Haplogroups of the World» (PDF) [S.l.: s.n.] Consultado em 17 de octubre de 2009. 
  3. Uno de cada tres españoles tiene marcadores genéticos de Oriente Medio o el Magreb
  4. Eurostat — Population in Europe in 2005
  5. Spain: Immigrants Welcome
  6. Instituto Nacional de Estadística: Avance del Padrón Municipal a 1 de enero de 2006. Datos provisionales
  7. Tremlett, Giles (26 de julio de 2006). «Spain attracts record levels of immigrants seeking jobs and sun». The Guardian [S.l.: s.n.] Consultado em 25 de abril de 2007. 
Ícone de esboço Este artigo sobre Cultura é um esboço relacionado ao Projeto Cultura. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.