Espanhóis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Espanhóis
IsabellaofCastile03.jpg
Michel Sittow 004.jpg
Retrato de Hernán Cortés.jpg
Ignatius Loyola.jpg
Titian - Portrait of Charles V Seated - WGA22964.jpg
Teresa de Jesús.jpg
Cervantes Jáuregui.jpg
Vicente López Portaña - el pintor Francisco de Goya.jpg
Rosalía Castro de Murguía por Luis Sellier.jpg
Perez galdos.jpg
LeopoldoAlasClarin.jpg
Antoni Gaudi 1878.jpg
Pablo picasso 1.jpg
Salvador Dalí 1939.jpg
Filipe VKinggeneralcaptainofthearmygalaunform.jpg
Rafael Nadal mordiendo la copa - 0027 Japan Open Tennis Tokio 2010.jpg
População total

~47 milhões

Regiões com população significativa
Línguas
Castelhano (ou espanhol), catalão, galego, basco,
Religiões
Predominantemente Católicos
Grupos étnicos relacionados
Italianos, Portugueses, Franceses, Hispano-americanos.

O povo espanhol é um grupo étnico de cerca de 40 milhões de indivíduos que habita o território da Espanha e que também é residual em grande parte da América latina (se considerar os hispano-americanos como povos culturalmente distintos pela distância ao território europeu). O povo tem várias origens étnicas, devido à longa história de invasões e migrações.

A língua mais falada pelos espanhóis é o espanhol ou castelhano, uma língua românica que evoluiu a partir de um dialeto medieval do latim falado na atual Região histórica de Castela. Na Espanha coexistem com a língua espanhola outros idiomas, como o catalão, basco e galego, que são reconhecidos e possuem status oficial nas suas comunidades.

Além disso, vivem na Espanha 4,982,183 estrangeiros (em 31 de Dezembro de 2015); que são provenientes principalmente da Romênia, Marrocos, Reino Unido, Itália e China. Juntas, essas cinco nacionalidades representam 50% da população imigrante na Espanha.[1]

Grupos Étnicos[editar | editar código-fonte]

Estudos genéticos, autónomos e de marcadores de haplogrupos, mostram claramente que os espanhóis estão intimamente relacionados com o resto da Europa, e em particular com as populações da costa atlântica: França, Grã-Bretanha, Irlanda, e seu vizinho ibérico, Portugal.[2] Por outro lado, de acordo com um estudo publicado no American Journal of Human Genetics 30% da população espanhola tem características genéticas comuns com as populações do Oriente Médio e Magreb.[3] Como nação ocidental, a Espanha possui fortes laços culturais com o resto do mundo Ocidental remontando a herança comum medieval e romana, mas tem particularmente fortes relações culturais com a América Latina e os países da Europa latina, especialmente a Itália, Portugal e França.

Fora da Europa, a América Latina tem a maior população de pessoas de ascendência espanhola. Estes incluem pessoas com total ou parcial ascendência espanhola.

Outras regiões do mundo, com pequenas populações de descendentes de espanhóis estão as Filipinas e as Ilhas Marianas.

Imigração[editar | editar código-fonte]

A população da Espanha está se tornando cada vez mais diversificada, devido à imigração recente. Espanha é agora um dos países com as mais altas taxas de imigração per capita no mundo e o segundo mais alto na migração absoluta no mundo (depois dos EUA)[4] e imigrantes representam agora cerca de 10% da população. Desde 2000, a Espanha absorveu mais de 3 milhões de imigrantes, e milhares a mais chegam a cada ano.[5] A população imigrante em 2006 ultrapassou quatro milhões e meio.[6] São provenientes principalmente da Europa, América Latina, China, Filipinas, Norte de África e África Ocidental.[7]

Ciganos[editar | editar código-fonte]

Espanha é o lar de um subconjunto de ciganos falantes de caló. Os ciganos são um grupo nômade antigo, que cruzou a Ásia Ocidental, Norte da África e a Europa para se instalar na Península Ibérica, no século XV.

Os ciganos espanhóis, por uma série de razões históricas e culturais não são considerados estrangeiros na Espanha, mas de etnia diferente. Ciganos desempenham um papel importante no folclore andaluz, em especial na música e cultura. Não existem estatísticas oficiais sobre a população cigana na Espanha. As estimativas variam de 600.000 a 700.000, de modo que a Espanha, juntamente com a Romênia e a Bulgária, é o lar de uma das maiores comunidades ciganas da Europa. Mais de 40% dos ciganos espanhóis vivem na região da Andaluzia. Muitos ciganos espanhóis também vivem no sul da França, especialmente na região de Perpignan.

Idiomas[editar | editar código-fonte]

Mapa cronológico mostrando o desenvolvimento das Línguas da Espanha.

O idioma proeminente na Espanha é o castelhano (também chamado e mais conhecido internacionalmente como espanhol), que é falado por quase toda a população do país. Outros idiomas têm importância maior em algumas regiões: basco (euskera ou euskara) no País Basco e em Navarra; catalão na Catalunha e nas Ilhas Baleares e em diassistema, como variante deste primeiro, o valenciano, na Comunidade Valenciana; e por fim o galego na Galiza (em diassistema com o português em ambas as margens do rio Minho).

O espanhol ou castelhano é oficial em todo o país; os outros adquiriram o status de idiomas co-oficiais nas suas respectivas regiões a partir de 1978, como consequência da Transição espanhola para a democracia e têm grande relevância local, tendo inclusive diversas publicações como jornais diários nestes idiomas e, especialmente para o catalão, o basco e o galego, há significante produção e publicação de livros e indústria midiática.

Referências

  1. Extranjeros residentes en España a 31 de diciembre de 2015, Gobierno de España, Ministerio de Empleo y Seguridad Social. Observatorio permanente de la Inmigración.
  2. McDonald, J. D. (2005). Y Haplogroups of the World (PDF). Consultado em 17 de octubre de 2009  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  3. Uno de cada tres españoles tiene marcadores genéticos de Oriente Medio o el Magreb
  4. Eurostat — Population in Europe in 2005
  5. Spain: Immigrants Welcome
  6. Instituto Nacional de Estadística: Avance del Padrón Municipal a 1 de enero de 2006. Datos provisionales
  7. Tremlett, Giles (26 de julio de 2006). «Spain attracts record levels of immigrants seeking jobs and sun». The Guardian. Consultado em 25 de abril de 2007  Verifique data em: |date= (ajuda)
Ícone de esboço Este artigo sobre Cultura é um esboço relacionado ao Projeto Cultura. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.