Língua valenciana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Catalão / Valenciano (Català / Valencià)
Falado em: Andorra

Espanha (Catalunha, Comunidade Autônoma de Valência, Aragão (Faixa de Aragão), Múrcia (região de El Carxe) e Ilhas Baleares),

França (Catalunha do Norte),

Itália (cidade de Algueiro)
Região: Europa
Total de falantes: mais de 9,5 milhões
Posição: 889.118.882[1]
Família: Indo-Europeu
 Itálico
  Românico
   Italo-Ocidental
    Galo-Ibérico
     Catalão / Valenciano
Estatuto oficial
Língua oficial de: Andorra.
Co-oficial em Catalunha, Comunidade Autônoma de Valência e Ilhas Baleares
Regulado por: Instituto de Estudos Catalães
Academia Valenciana da Língua
Códigos de língua
ISO 639-1: ca
ISO 639-2: cat
ISO 639-3: cat
Domínio geolinguístico do catalão/valenciano

O valenciano ou [2] língua valenciana [3] (valencià ou llengua valenciana em valenciano) é o glossónimo usado na Comunidade Valenciana para se referir à língua catalã.[2][4][5][6][7] É considerada como língua própria segundo o seu estatuto de autonomia, no qual é estabelecida, como instituição normativa, a Academia Valenciana da Língua.[8]

O valenciano, que constitui uma das principais variantes dialetais do catalão[9] com o catalão central e o balear, não pode ser considerado um dialeto enquadrado dentro das fronteiras da Comunidade Valenciana, mas parte do bloco ou dialeto ocidental da língua catalã.[9][10] O fato de os dialetos da língua catalã formarem um continuum dialetal —pelo menos na sua zona não insular— faz que muitas das características que marcam o valenciano se encontrem nas terras do Ebro catalãs e aragonesas (de fala catalã), até mesmo chegar às comarcas do Baix Camp e ao Baix Cinca, assim como muitas características do catalão norte-ocidental começam a aparecer já na comarca da Plana Alta, configurando assim uma zona de transição entre o valenciano e o catalão norte-ocidental que alguns expertos denominam dialeto tortosi.[11]

Polêmica sobre a sua catalogação como língua ou dialeto[editar | editar código-fonte]

Linguistic map Southwestern Europe.gif

Historicamente ocorreram conflitos tanto sobre a denominação de "valenciano" como sobre a catalogação deste como língua ou dialeto dentro da língua catalã;[12] estas discussões são consideradas encerradas em parte por diferentes sentenças do Tribunal Superior de Justiça da Comunidade Valenciana[13][14] assim como da Acadèmia Valenciana de la Llengua, que reconhecem a unidade da língua.[15]

É um facto que na Espanha há duas denominações igualmente legais para designar esta língua: a de valenciano, estabelecida no Estatuto de Autonomia da Comunidade Valenciana, e a de catalão, reconhecida nos Estatutos de Autonomia da Catalunha e das ilhas Baleares.

Distribuição geográfica[editar | editar código-fonte]

Extensió del valencià al País Valencià.svg

Muitas vezes considerada um sinónimo da língua catalã, a língua valenciana é compartilhada pelos habitantes da Comunidade Valenciana, Catalunha, Ilhas Baleares, Andorra, Rossilhão, Faixa de Aragão, El Carche (Múrcia) e da cidade de Algueiro, na ilha da Sardenha.

Na Comunidade Valenciana é reconhecida uma divisão territorial oficial entre duas línguas, a valenciana e o castelhano. Essa divisão é definida pela Lei de Utilização e Ensino de Valenciano. A zona valenciana são os municípios situados geograficamente no norte, no litoral da Comunidade e na área montanhosa da província de Alicante, abrangendo aproximadamente 75% do território e 87% da população.

Portanto, o seu domínio linguístico abrange as regiões litorais, a planície central e as áreas montanhosas do sul. Atualmente, nas grandes capitais historicamente com falantes de valenciano (e em qualquer parte do território espanhol, mas de forma não tão visível) a presença da língua está em decadência, devido ao crescimento da importância do castelhano. Contudo, em termos gerais, ocorreu uma notável recuperação passando de 4% de valencianos alfabetizados em 1982 para 85% em 2001.

Variações do valenciano[editar | editar código-fonte]

  • Valenciano de transição ou tortosí
  • Castellonenc
  • Valenciano central ou apitxat
  • Valenciano do Sul
  • Alacantí

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • COLOMINA CASTANYER, Jordi, (1995). Els valencians i la llengua normativa. Textos universitaris. Alacant: Institut de Cultura "Juan Gil-Albert". ISBN 978-84-7784-178-4.
  • Fuster, Joan (1979). Nosaltres, els valencians (em catalão). [S.l.]: edicions 62  Parâmetro desconhecido |situação= ignorado (ajuda)
  • CULLA HERNANDEZ, Joan Ignaci e PUERTO FERRE, Teresa (2007). Cronología Histórica de la Lengua Valenciana. [S.l.]: Valencia. ISBN 978-84-7795-470-5  Parâmetro desconhecido |Reprodução= ignorado (ajuda)
  • SANCHIS GUARNER, Manuel (1934, 1967). La llengua dels valencians. Ed. 3i4, Valência 2005. ISBN 978-84-7502-082-2.
  • SANCHIS GUARNER, Manuel (1963). Els valencians i la llengua autóctona durant els segles XVI, XVII i XVIII. Institució Alfons el Magnànim. Valência. ISBN 978-84-370-5334-9.
  • SALVADOR GIMENO, Carles (1951). Gramàtica valenciana. Associació Cultural El Rat Penat. Valência. 1995. ISBN 978-84-85211-71-5.
  • VALOR VIVES, Enric (1973). Curso medio de gramática catalana, referida especialmente al País Valenciano. Edições Grog, Valência, 1999. ISBN 978-84-85050-10-9.

Referências

  1. Generalitat de Catalunya, 2009. Mapa i dades generals. Acesso em 2 de agosto de 2010.
  2. a b Acadèmia Valenciana de la Llengua, ed. (2005). «Acord de l'Acadèmia Valenciana de la Llengua (AVL), adoptat en la reunió plenària del 9 de febrer del 2005, pel qual s'aprova el dictamen sobre els principis i criteris per a la defensa de la denominació i l'entitat del valencià» (PDF) (em valenciano)  Parâmetro desconhecido |situação= ignorado (ajuda)
  3. Ambos os termos estão documentados desde o século XIV, constatando-se o seu uso habitual em múltiplas obras e documentos (Fuster, Joan (1962): Nosotros, los valencianos.
  4. Consell Permanent de l’Institut d’Estudis Catalans (l 23 de fevereiro). ec.cat, ed. «Declaració sobre la denominació de la llengua catalana» (documento de msword). Consultado em 2009  Verifique data em: |acessodata=, |data=, |ano= / |data= mismatch (ajuda)
  5. María Pilar Perea Sabater, María Pilar. «Los verbos regulares de las variedades barcelonesa, mallorquina y valenciana. Una descripción comparativa interdialectal». Universitat de Barcelona. p. 1. Consultado em 2009  |sobrenome= e |autor= redundantes (ajuda); Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  6. R. Cerdá Massó, R. (1991). www.canalsocial.ne, ed. «Mallorquín». Consultado em 2009  |sobrenome= e |autor= redundantes (ajuda); Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  7. Comissão Europeia (13 de junho). ec.europa.eu, ed. «El catalán en la UE». Consultado em 2009  Verifique data em: |acessodata=, |data=, |ano= / |data= mismatch (ajuda)
  8. LEI ORGÁNICA 5/1982, DE 1 DE JULHO, DE ESTATUTO DE AUTONOMÍA DA COMUNIDADE VALENCIANA [DOGV núm. 74, de 15 de julho]
  9. a b Institut d'Estudis Catalãos (ed.). «Valencià». Diccionari de la llengua catalana (em catalão) 
  10. As falas catalãs
  11. Mapas linguísticos do tortosi
  12. Manifesto da entidade El Rat Penat sobre denominação e filiação do Valenciano.
  13. Sentença da AVL sobre a unidade da língua.
  14. Sentença do TSJCV em favor da titulação de Filologia Catalana na Comunidade Valenciana
  15. Sentença da AVL sobre a unidade da língua.
  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em espanhol, cujo título é «Valenciano».

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o portal: