Dialetos da língua portuguesa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde setembro de 2012). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde março de 2011). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo.

A língua portuguesa possui uma relevante variedade de dialetos, muitos deles com uma acentuada diferença lexical em relação ao português padrão - o que acontece especialmente no Brasil. Tais diferenças, entretanto, geralmente não prejudicam a inteligibilidade entre os locutores de diferentes dialetos.

O português europeu padrão é também conhecido como estremenho ou português de Portugal. Mesmo assim, todos os aspectos e sons de todos os dialectos de Portugal podem ser encontrados nalgum dialecto no Brasil. O português africano, em especial o português santomense tem muitas semelhanças com o português de algumas regiões do Brasil. Também os dialetos do sul de Portugal apresentam muitas semelhanças, especialmente o uso intensivo do gerúndio. No Norte, o alto-minhoto e o transmontano são muito semelhantes ao galego.

Mesmo com a independência das antigas colónias africanas, o português padrão de Portugal é o padrão preferido pelos países africanos de língua portuguesa. Logo, o português apenas tem dois dialectos de aprendizagem, o europeu e o brasileiro. Note que, no português europeu há três dialectos mais prestigiados: o do Porto, o de Coimbra e o de Lisboa. No Brasil, o dialeto do Rio de Janeiro e o de São Paulo são dominantes nos meios de comunicação; a língua escrita padrão é quase idêntica à de Portugal, com diferenças pontuais (como o abandono quase completo da mesóclise).

Maiores dialectos da língua portuguesa:

Portugal[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Português europeu
Dialectos de Portugal.
  1. Açoriano (ouvir) - Açores
  2. Alentejano (ouvir) - Alentejo
  3. Algarvio (ouvir) - Algarve (há um pequeno dialecto na parte ocidental)
  4. Alto-minhoto (ouvir) - Norte de Braga (interior)
  5. Baixo-beirão; alto-alentejano (ouvir) - Centro de Portugal (interior)
  6. Beirão (ouvir) - centro de Portugal
  7. Estremenho (ouvir) - Regiões de Coimbra e Lisboa (pode ser subdividido em lisboeta e coimbrão)
  8. Madeirense
  9. Dialecto Baixo Minhoto-Duriense (ouvir) - Regiões de Braga e Porto
  10. Transmontano (ouvir) Trás-os-Montes

Brasil[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Português brasileiro

Angola[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Português angolano
Dialectos de Angola.
  1. Benguelense - Província de Benguela
  2. Luandense (ouvir) - Província de Luanda
  3. Sulista - Sul de Angola
  4. Huambense - Província do Huambo e centro de Angola

Outras áreas[editar | editar código-fonte]


Referências

  1. «Sotaque branco». Meia Maratona Internacional CAIXA de Brasília. 
  2. G1. «G1: Linguajar cuiabano é tombado como patrimônio imaterial de Mato Grosso». Consultado em 2015-11-15. 
  3. «SEDTUR TURISMO | Conheça aqui o Linguajar Cuiabano». SEDTUR TURISMO | Conheça aqui o Linguajar Cuiabano. Consultado em 2015-11-15. 
  4. Almeida, Manoel Mourivaldo Santiago; Cox, Maria Inês Pagliarini (2005). Vozes cuiabanas: estudos lingüísticos em Mato Grosso [S.l.: s.n.] ISBN 9788588504127. 
  5. «Diferentes “dialetos”: as expressões regionais brasileiras». Portal Educar Brasil. 
  6. O português galego é considerado oficialmente pelos governos galego e espanhol uma língua autônoma, porém a nível científico a unidade do português galego com o resto de falares da Lusofonia é aceite de maneira maioritária e mesmo existe um movimento social que defende a integração da Galiza como membro de pleno direito na CPLP

Ligações externas[editar | editar código-fonte]