Xoclengues

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Xokleng)
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura pela língua da família linguística jê, falada pelos xoclengues, veja língua xoclengue.
Xokleng
População total

1 853

Regiões com população significativa
Santa Catarina Santa Catarina, no Brasil
Línguas
Língua xoclengue
Língua portuguesa
Religiões
Xamanismo e cristianismo pentecostal
Grupos étnicos relacionados
caingangues

Os xoclengues, xokleng, laklaño ou botocudos são um grupo indígena brasileiro que habita as áreas indígenas Ibirama-La Klãnõ, Postos Velhos, Rios dos Pardos e a comunidade do Quati (Porto União), no estado de Santa Catarina, no Brasil.[1]

Seus vestígios são fortes na cidade de Porto União, através de vestígios arqueológicos, como pedaços de cerâmicas e pedaços de flechas encontradas perto de rios no distrito de Santa Cruz do Timbó. Seus contatos com os primeiros moradores europeus da região estão registrados através de fotos e lendas.

Vários subgrupos xoclengues foram exterminados no processo de ocupação europeia do vale do rio Itajaí, mas os xoclengues lutaram pela sua sobrevivência. Segundo a Fundação Nacional de Saúde, em 2010 existiam cerca de 1 853 índios desse grupo.

Conflitos com os italianos[editar | editar código-fonte]

Na Região sul do Brasil, conflitos violentos envolveram imigrantes italianos e os povos indígenas. Embora o governo brasileiro afirmasse que estava trazendo imigrantes europeus para ocupar "vazios demográficos", na verdade essas terras eram ocupadas pelos índios. No sul de Santa Catarina, à medida em que os italianos foram ocupando a região e desmatando a vegetação, se depararam com os xoclengues, que, da floresta, retiravam seu sustento. Em represália à invasão de suas terras, os índios passaram a atacar as colônias italianas, fato que foi usado pelos imigrantes para criar a ideia de que os índios eram incapazes de conviver com a civilização, justificando seu aniquilamento. Em consequência, recorreram à figura do bugreiro, geralmente brasileiros ou mesmo imigrantes mais destemidos, que perseguiam os indígenas e promoviam verdadeiras chacinas, a fim de garantir a posse da terra por parte dos imigrantes.[2]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre povos indígenas é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.