Tapaiúnas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tapayuna
População total

132[1]

Regiões com população significativa
 Brasil (MT) 132 2014 (Siasi/Sesai)
Línguas
Religiões

Os Tapaiúnas, também conhecidos como Beiço de Pau, Suyá Novos ou Suyá Ocidentais e autodenominados Kajkwakratxi são um grupo indígena que habita o estado brasileiro do Mato Grosso, mais precisamente o Parque Indígena do Xingu. Em 2010, o grupo era composto de 160 indivíduos (Ropkrãse Suiá e Teptanti Suiá).[2]

Falam um idioma pertencente à família linguística . Viviam originariamente na região do rio Arinos, perto do município de Diamantino, no Mato Grosso. Havia em seu território tradicional uma significativa diversidade de recursos naturais - seringueiras, minérios e madeiras - o que motivou a usurpação de suas terras por seringueiros, garimpeiros e madeireiros, entre outros invasores não indígenas.

Na década de 1970, o grupo foi vítima de envenenamento com a carne de uma anta, oferecida por invasores. Os 41 sobreviventes foram transferidos para o Parque Indígena do Xingu.

Nos anos 1980, após a morte de um importante líder e pajé, uma parte do grupo foi morar com os Mebengôkrê (Kayapó), na Terra Indígena Capoto-Jarina, o que provocou o enfraquecimento da sua língua e cultura.

Em 2010, os 160 Tapaiúnas estavam distribuídas em aldeias na Terra Indígena Wawi e na Terra Indígena Capoto-Jarina.[2]

Referências

  1. «Quadro Geral dos Povos». Instituto Socioambiental. Consultado em 2 de setembro de 2017 
  2. a b Instituto Socioambiental. Enciclopédia dos Povos Indígenas no Brasil. "Tapayuna".
Ícone de esboço Este artigo sobre povos indígenas é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.