Oriximiná

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Oriximiná
"Princesa de Trombetas"
Vista da cidade a partir do rio Trombetas

Vista da cidade a partir do rio Trombetas
Bandeira de Oriximiná
Brasão de Oriximiná
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 09 de junho de 1894[1]
Gentílico oriximinaense[1]
Prefeito(a) Luiz Gonzaga Viana Filho (PV)
(2013–2016)
Localização
Localização de Oriximiná
Localização de Oriximiná no Pará
Oriximiná está localizado em: Brasil
Oriximiná
Localização de Oriximiná no Brasil
01° 45' 57" S 55° 51' 57" O01° 45' 57" S 55° 51' 57" O
Unidade federativa Pará Pará
Mesorregião Baixo Amazonas IBGE/2008 [2]
Microrregião Óbidos IBGE/2008 [2]
Municípios limítrofes Óbidos, Caroebe (RR). Nhamundá (AM), Faro, Terra Santa e Juruti.
Distância até a capital 818,465 km
Características geográficas
Área 107 602,99 km² (BR: 4º)[3]
População 67 939 hab. IBGE/2014[4]
Densidade 0,63 hab./km²
Altitude 46 m
Clima Equatorial (Am)
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,623 médio PNUD/2010[5]
PIB R$ 1 570 917 mil (PA: 12º) – IBGE/2013[6]
PIB per capita R$ 23 509,33 IBGE/2013[6]
Página oficial

Oriximiná é um município do estado do Pará, no Brasil. Se localiza a 01º45'56" de latitude sul e 55º51'58" de longitude oeste, estando a uma altitude de 46 metros acima do nível do mar. Com 107 602,99 quilômetros quadrados de extensão territorial, o município é maior que países como Portugal, Dinamarca e Coreia do Sul. É o segundo maior município do Estado do Pará, com uma área de 107 604,4 quilômetros quadrados, só sendo superado pelo município de Altamira (161 445,91 quilômetros quadrados) em extensão territorial.

Em 2010, detinha uma população estimada em 62 963 habitantes. Na cidade, situa-se a Unidade Avançada José Veríssimo – UAJV, pertencente à Universidade Federal Fluminense (UFF), que tem, como objetivo principal, desenvolver atividades de extensão, ensino e pesquisa.[7]

História[editar | editar código-fonte]

Por volta de 1815, escravos fugidos das fazendas e cidades do Baixo Amazonas se refugiaram entre as comunidades indígenas da região, formando quilombos.[8]

O desbravamento da região por parte da população de origem europeia se deu a partir de 1877 por ação do padre José Nicolino de Sousa, nascido em Faro a partir de ascendência indígena. O padre fundou uma povoação na região, denominando-a Uruã-Tapera ou Mura-Tapera (embora registros indiquem que Uruá-Tapera já existia há muito tempo antes),[9] que, através da Lei nº 1 288, de 11 de dezembro de 1886, foi elevada à categoria de freguesia, com o nome de Santo Antônio do Uruá-Tapera, por Joaquim da Costa Barradas, presidente da então província do Grão-Pará e desembargador do Maranhão.

Atualmente, as comunidades indígenas e quilombolas da região buscam o reconhecimento oficial de seus territórios tradicionais.[10]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O nome Oriximiná é de origem indígena, de procedência tupi, significando "o macho da abelha", o zangão. No entanto, frei Protásio Frinckel, conhecedor da região e de seus diversos núcleos de habitantes primitivos, inclina-se pela derivação de Eruzu-M'Na que significa "muitas praias".

Patrimônio natural[editar | editar código-fonte]

  • Área Indígena Nhamundá-Mapuera, abrangendo os municípios de Oriximiná e Faro, com 8 454 quilômetros quadrados.
  • Área Indígena Trombetas-Mapuera, contígua à Área Nhamundá-Mapuera, com superfície de 39 704,18 quilômetros quadrados e um perímetro de 1 562 quilômetros, abrangendo os municípios de Urucará e Nhamundá, no Estado do Amazonas; Oriximiná e Faro, no Estado do Pará; Caroebe e São João da Baliza, no Estado de Roraima.
  • Parque Nacional Indígena de Tumucumaque, com 27 000 quilômetros quadrados, abrangendo os municípios de Oriximiná, Almerim, Monte Alegre e Óbidos.
  • Reserva Biológica do Trombetas, com 3 850 quilômetros quadrados.

Acidentes geográficos[editar | editar código-fonte]

Rios: Trombetas (que banha a sede do município pelo lado esquerdo), Erepecuru (importante afluente pela margem esquerda e que serve de limite natural com o município de Óbidos), Acapu, Cachorro, Mapuera, Nhamundá (que serve de limite natural para fronteira do Estado do Pará com Estado do Amazonas) e o Cachoeiri.

Lagos: Sapucuá, Paru, Iripixi, Caipuru, Abuí, Maria-Pixí, Salgado, Ururiá e Batata (sendo, estes, alguns dos mais importantes, tendo, por base, sua extensão, volume de água, acesso, navegabilidade e expressão econômica).

Cachoeiras: Porteira (com grande potencial hídrico), Chuvisco e Ventilado (com grande potencial turístico), Pancada, Vira-Mundo e São Pedro. Vale destacar as cachoeiras do Jatuarana, com relativa proximidade da sede do município, e as cachoeiras da região do Jamaracaru.

Transportes[editar | editar código-fonte]

Oriximiná é servida pelo Aeroporto de Oriximiná, localizado a 8 quilômetros do centro da cidade, e pelo Aeroporto de Porto Trombetas, localizado no distrito de Porto Trombetas, servindo a população que reside e trabalha para a Mineração Rio do Norte, ambos tendo somente voos particulares. Atualmente, o transporte fluvial é o mais usado pelos usuários, seguido do terrestre pela rodovia PA-254.

Unidade Avançada José Veríssimo (UAJV)[editar | editar código-fonte]

A UAJV (Unidade Avançada José Veríssimo), que pertence à Universidade Federal Fluminense (UFF), está na cidade de Oriximiná desde o ano de 1975, após se estabelecer primeiramente na cidade de Óbidos dois anos antes.[11]

É uma das poucas unidades de uma universidade do sudeste brasileiro em funcionamento no norte do Brasil.[11]

A unidade tem, como objetivo principal, desenvolver atividades de extensão, ensino e pesquisa. Atualmente, são desenvolvidas as seguintes atividades: gerenciamento de um hospital público local, atuação preventiva na área de saúde, programas de educação esportiva, assessoramento às comunidades na área de meio ambiente e implantação de sistemas agroflorestais.

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Oriximiná

Referências

  1. a b "Oriximiná" (PDF). IBGE. Consult. 26/04/2011. 
  2. a b "Divisão Territorial do Brasil". Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consult. 11 de outubro de 2008. 
  3. IBGE (10 out. 2002). "Área territorial oficial". Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consult. 5 dez. 2010. 
  4. "Estimativas de população" (PDF). Estimativas de população. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 01 de julho de 2014. Consult. 23 de fevereiro de 2015. 
  5. "Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil". Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consult. 21 de setembro de 2013. 
  6. a b "PIBMunicipal2010-2013". Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consult. 21 dez. 2015. 
  7. proex.uff.br/ Oriximiná - Unidade Avançada José Veríssimo
  8. 'Le Monde Diplomatique Brasil. Disponível em http://www.diplomatique.org.br/acervo.php?id=3150. Acesso em 25 de novembro de 2015.
  9. Entre o Mito e a História: o Padre que Nasceu Índio e a História de Oriximiná. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/bgoeldi/v10n1/1981-8122-bgoeldi-10-1-047.pdf. Acesso em 25 de novembro de 2015.
  10. 'Le Monde Diplomatique Brasil. Disponível em http://www.diplomatique.org.br/acervo.php?id=3150. Acesso em 25 de novembro de 2015.
  11. a b espocabode.com.br/ UFF: 40 Anos de Oriximiná

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Pará é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.