Oriximiná

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Oriximiná
"Princesa de Trombetas"
Vista da cidade a partir do rio Trombetas

Vista da cidade a partir do rio Trombetas
Bandeira de Oriximiná
Brasão de Oriximiná
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 9 de junho de 1894[1]
Gentílico oriximinaense[1]
Prefeito(a) Luiz Gonzaga Viana Filho (PV)
Localização
Localização de Oriximiná
Localização de Oriximiná no Pará
Oriximiná está localizado em: Brasil
Oriximiná
Localização de Oriximiná no Brasil
01° 45' 57" S 55° 51' 57" O01° 45' 57" S 55° 51' 57" O
Unidade federativa Pará Pará
Mesorregião Baixo Amazonas IBGE/2008 [2]
Microrregião Óbidos IBGE/2008 [2]
Municípios limítrofes Óbidos, Caroebe (RR). Nhamundá (AM), Faro, Terra Santa e Juruti.
Distância até a capital 818,465 km
Características geográficas
Área 107 602,99 km² (BR: 4º)[3]
População 67 939 hab. IBGE/2014[4]
Densidade 0,63 hab./km²
Altitude 46 m
Clima Equatorial (Am)
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,623 médio PNUD/2010[5]
PIB R$ 1 570 917 mil (PA: 12º) – IBGE/2013[6]
PIB per capita R$ 23 509,33 IBGE/2013[6]
Página oficial

Oriximiná é um município brasileiro do estado do Pará, pertencente à Mesorregião do Baixo Amazonas. Localiza-se no norte brasileiro, a uma latitude 01º45'56" sul e longitude 55º51'58" oeste.[7][8]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localizado a uma latitude 01º45'56" sul e longitude 55º51'58" oeste, estando a uma altitude de 46 metros acima do nível do mar. Com 107.602,99 quilômetros quadrados de extensão territorial, o município é maior que países como Portugal, Dinamarca e Coreia do Sul. É o segundo maior município do estado do Pará, sendo superado apenas pelo município de Altamira (161.445,91 km2) em extensão territorial.[9][10]

História[editar | editar código-fonte]

Por volta de 1815, escravos fugidos das fazendas e cidades do Baixo Amazonas refugiaram-se entre as comunidades indígenas da região, formando quilombos.[11]

O desbravamento da região por parte dos europeus se deu a partir de 1877 por ação do padre José Nicolino de Sousa, nascido no município de Faro a partir de ascendência indígena. O padre fundou uma povoação na região, denominando-a Uruã-Tapera ou Mura-Tapera (embora registros indiquem que Uruá-Tapera já existia antes na re),[12] que, através da Lei nº 1 288, de 11 de dezembro de 1886, foi elevada à categoria de freguesia, com o nome de Santo Antônio do Uruá-Tapera, por Joaquim da Costa Barradas, presidente da então província do Grão-Pará e desembargador do Maranhão.

Atualmente, as comunidades indígenas e quilombolas da região buscam o reconhecimento oficial de seus territórios tradicionais.[13]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O nome Oriximiná é de origem indígena, de procedência tupi, significando "o macho da abelha", o zangão. No entanto, frei Protásio Frinckel, conhecedor da região e de seus diversos núcleos de habitantes primitivos, inclina-se pela derivação de Eruzu-M'Na que significa "muitas praias".

Patrimônio natural[editar | editar código-fonte]

  • Área Indígena Nhamundá-Mapuera, abrangendo os municípios de Oriximiná e Faro, com 8 454 quilômetros quadrados.
  • Área Indígena Trombetas-Mapuera, contígua à Área Nhamundá-Mapuera, com superfície de 39 704,18 quilômetros quadrados e um perímetro de 1 562 quilômetros, abrangendo os municípios de Urucará e Nhamundá, no Estado do Amazonas; Oriximiná e Faro, no Estado do Pará; Caroebe e São João da Baliza, no Estado de Roraima.
  • Parque Nacional Indígena de Tumucumaque, com 27 000 quilômetros quadrados, abrangendo os municípios de Oriximiná, Almerim, Monte Alegre e Óbidos.
  • Reserva Biológica do Trombetas, com 3 850 quilômetros quadrados.

Acidentes geográficos[editar | editar código-fonte]

Rios: Trombetas (que banha a sede do município pelo lado esquerdo), Erepecuru (importante afluente pela margem esquerda e que serve de limite natural com o município de Óbidos), Acapu, Cachorro, Mapuera, Nhamundá (que serve de limite natural para fronteira do Estado do Pará com Estado do Amazonas) e o Cachoeiri.

Lagos: Sapucuá, Paru, Iripixi, Caipuru, Abuí, Maria-Pixí, Salgado, Ururiá e Batata (sendo, estes, alguns dos mais importantes, tendo, por base, sua extensão, volume de água, acesso, navegabilidade e expressão econômica).

Cachoeiras: Porteira (com grande potencial hídrico), Chuvisco e Ventilado (com grande potencial turístico), Pancada, Vira-Mundo e São Pedro. Vale destacar as cachoeiras do Jatuarana, com relativa proximidade da sede do município, e as cachoeiras da região do Jamaracaru.

Transportes[editar | editar código-fonte]

Oriximiná é servida pelo Aeroporto de Oriximiná, localizado a 8 quilômetros do centro da cidade, e pelo Aeroporto de Porto Trombetas, localizado no distrito de Porto Trombetas, servindo a população que reside e trabalha para a Mineração Rio do Norte, ambos tendo somente voos particulares. Atualmente, o transporte fluvial é o mais usado pelos usuários, seguido do terrestre pela rodovia PA-254.

Educação[editar | editar código-fonte]

Em 1975 foi instalada no município de Oriximiná a Unidade Avançada José Veríssimo (UAJV), filial pertencente à Universidade Federal Fluminense (UFF), após se estabelecer primeiramente na cidade de Óbidos dois anos antes.[14]

A unidade tem, como objetivo principal, desenvolver atividades de extensão, ensino e pesquisa. Atualmente, são desenvolvidas as seguintes atividades: gerenciamento de um hospital público local, atuação preventiva na área de saúde, programas de educação esportiva, assessoramento às comunidades na área de meio ambiente e implantação de sistemas agroflorestais.

Referências

  1. a b «Oriximiná» (PDF). IBGE. Consultado em 26/04/2011. 
  2. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  3. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010. 
  4. «Estimativas de população» (PDF). Estimativas de população. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 01 de julho de 2014. Consultado em 23 de fevereiro de 2015. 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 21 de setembro de 2013. 
  6. a b «PIBMunicipal2010-2013». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 21 dez. 2015. 
  7. «Estado Pará, Município de Oriximiná». IBGE. 2015. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  8. «Oriximiná, Pará - PA.». IBGE. 2015. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  9. «Estado Pará, Município de Oriximiná». IBGE. 2015. Consultado em 22 de fevereiro de 2016.  Texto "oriximina " ignorado (Ajuda)
  10. «Oriximiná, Pará - PA.». IBGE. 2015. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  11. «Entre águas bravas e mansas. Índios & quilombolas em Oriximiná». L Monde Diplomatique Brasil. Consultado em 23 de fevereiro de 2016. 
  12. giãoEntre o Mito e a História: o Padre que Nasceu Índio e a História de Oriximiná. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/bgoeldi/v10n1/1981-8122-bgoeldi-10-1-047.pdf. Acesso em 25 de novembro de 2015.
  13. 'Le Monde Diplomatique Brasil. Disponível em http://www.diplomatique.org.br/acervo.php?id=3150. Acesso em 25 de novembro de 2015.
  14. espocabode.com.br/ UFF: 40 Anos de Oriximiná

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Oriximiná
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Pará é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.