Fronteira Brasil–Venezuela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fronteira Brasil–Venezuela
O monumento fronteiriço localizado no ponto de travessia entre Pacaraima, no Brasil, e Santa Elena de Uairén, na Venezuela.
Delimita:  Brasil
 Venezuela
Comprimento: 2199 km
Posição: 17

A fronteira entre Brasil e Venezuela é o limite que separa os territórios do Brasil e a Venezuela. Foi delimitada pelo Tratado de Limites e Navegação Fluvial de 5 de maio de 1859 e ratificada pelo Protocolo de 1929.[1] A fronteira geográfica começa no ponto triplo entre o Brasil-Colômbia-Venezuela na Rocha Cucuy e continua até o canal Maturacá, para a cachoeira do Huá; segue então uma linha reta até o topo de uma montanha chamada Cerro Cupi. Em seguida, segue a crista da divisa de drenagem entre as bacias do Rio Orinoco e Amazonas até a tríplice fronteira Brasil-Guiana-Venezuela no Monte Roraima, cobrindo assim um total de 2.199 quilômetros (dos quais 90 km são convencionais e os outros 2.109 km correspondem à bacia hidrográfica entre as bacias do Amazonas (Brasil) e Orinoco (Venezuela)) através dos rios Imeri, Tapirapecó, Curupira e Cadeias de montanhas de Urucuzeiro (estado do Amazonas) e as cadeias de Parima, Auari, Urutanim e Pacaraima (Estado de Roraima), no Escudo das Guianas.[2]

Como a Venezuela reivindica a porção ocidental da Guiana como Guayana Esequiba, do ponto de vista venezuelano, a fronteira só termina nas nas nascentes do Rio Essequibo, na área de Mapuera, cobrindo assim um comprimento total de 2.850 km. No entanto, as reivindicações venezuelanas na área não são oficialmente reconhecidas pelo Brasil, e a Guiana exerce controle efetivo sobre a região disputada. Roraima, estado mais setentrional do Brasil, experimentou um grande afluxo de venezuelanos imigrantes ao longo da sua fronteira em 2018. Em 7 de agosto, o governo regional solicitou que o Supremo Tribunal Federal do Brasil fechar a fronteira, e mais tarde naquele dia, o Supremo Tribunal Federal negou o pedido considerando inconstitucional.[3][4]

A fronteira reconhecida internacionalmente está localizada principalmente em áreas remotas e inacessíveis, e tem apenas uma travessia por estrada, entre as cidades de Pacaraima (Brasil) e Santa Elena de Uairén (Venezuela), onde a rodovia federal brasileira BR-174 de Boa Vista e Manaus se junta ao venezuelano Troncal 10 de Ciudad Guayana e Caracas.

Em 22 de fevereiro de 2019, em meio à Crise presidencial na Venezuela em 2019, o presidente venezuelano Nicolás Maduro fechou a fronteira para impedir que a ajuda humanitária internacional chegasse ao país por terra.[5]

Ponto Triplo entre o Brasil, a Venezuela e a Guiana, no Monte Roraima

Referências

  1. «Tratado de límites y navegación fluvial entre Venezuela y el Brasil». Consultado em 22 de fevereiro de 2019 
  2. «Frontera Brasil-Venezuela». Consultado em 22 de fevereiro de 2019 
  3. «Brazil Supreme Court reopens Venezuela border». www.jurist.org (em inglês). Consultado em 10 de agosto de 2018 
  4. Phillips, Dom (7 de agosto de 2018). «Brazil re-opens border to Venezuelan migrants hours after judge closed it». the Guardian (em inglês). Consultado em 10 de agosto de 2018 
  5. «Venezuela closing border with Brazil» (em inglês). 22 de fevereiro de 2019. Consultado em 22 de fevereiro de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre fronteiras é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.