Humaitá (Amazonas)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura pelo município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul, veja Humaitá (Rio Grande do Sul).
Município de Humaitá
"Princesa do Madeira
Berço intelectual do Amazonas"
Vista da cidade de Humaitá e do Rio Madeira ao fundo.

Vista da cidade de Humaitá e do Rio Madeira ao fundo.
Bandeira de Humaitá
Brasão de Humaitá
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 15 de maio
Fundação 15 de maio de 1869 (150 anos)
Emancipação 4 de fevereiro de 1890 (129 anos)
-de Manicoré
Gentílico humaitaense
Padroeiro(a) Nossa Senhora da Imaculada Conceição
CEP 69.800-000[1]
Prefeito(a) Herivaneo Vieira de Oliveira (PROS)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Humaitá
Localização de Humaitá no Amazonas
Humaitá está localizado em: Brasil
Humaitá
Localização de Humaitá no Brasil
07° 30' 22" S 63° 01' 15" O07° 30' 22" S 63° 01' 15" O
Unidade federativa Amazonas
Região intermediária

Lábrea [2]

Região imediata

Manicoré [2]

Municípios limítrofes Norte e leste: Manicoré; sul: Porto Velho (RO) e Machadinho d'Oeste (RO); oeste: Tapauá e Canutama.
Distância até a capital
Características geográficas
Área 33 071,667 km² (BR: 28º AM: 17º)[4]
Área urbana 8,63 km² (BR: 670º AM: 13º) – est. Embrapa[5]
Distritos 1
População 54 001 hab. (AM: 10º) –  estimativa populacional - IBGE/2018[6]
Densidade 1,63 hab./km²
Altitude 90 m
Clima tropical Am[7]
Fuso horário UTC-4
Indicadores
IDH-M 0,605 (BR: 4029° AM: 15º) – médio PNUD/2010 [8]
Gini 0,66 PNUD/2010[9]
PIB R$ 493.744,000 mil (BR: 1291º AM: 10º) – IBGE/2016[10]
PIB per capita R$ 9 430,87 IBGE/2016[10]
Página oficial
Prefeitura www.humaita.am.gov.br
Câmara humaita.am.leg.br

Humaitá é um município brasileiro localizado no interior do estado do Amazonas.

Situada no entrocamento entre as rodovias Transamazônica e Manaus-Porto Velho, Humaitá é banhada pelo Rio Madeira, sendo uma das principais cidades da hidrovia honônima. A cidade faz parte também do chamado "Arco Norte Amazônico", com grande potencial agropecuário.

Toponímia[editar | editar código-fonte]

Segundo autores, a palavra vem do Tupi-guarani, significando "A pedra agora é negra" (Hu = negro, ma = agora, itá = pedra). Outros autores apontam para uma possível tradução do Guarani, significando "Pedra Antiga" (yma = antiguidade, itá = pedra). Já por Machado, Etimológico da Língua Portuguesa, o significado seria derivado do tupi (“mbaitá” = Papagaio pequeno) (Machado, 2003, pág. 246). Há também a língua da etnia Parintintin (“mu`tá” = Pau atravessado), pois era comum os antigos ica atrás do primeiro mercado municipal onde existia um buraco, para fazer armadilhas e pegar caça, pescar e avistavam as toras de madeira descendo rio abaixo. (Mª. G. Parintintin, 1994). Mas seu fundador dera este nome devido a uma das batalhas que o Brasil travou contra o Paraguai no Forte Humaitá.

História[editar | editar código-fonte]

Os primeiros habitantes da região foram os indígenas, que praticavam a economia de subsistência, como a caça, a pesca, o extrativismo e a agricultura familiar. Os rios Maici e Marmelo - também chamados de rios Torá e Tenharim - abrigavam a maior parte das etnias indígenas que povoavam o lugar, sendo grandemente numerosos. As principais etnias que habitavam a região eram os Parintintins e os Pirarrãs e outros Muras.[11]

Humaitá remonta suas origens ao ano de 1693, com a fundação da Missão de São Francisco, fundada pelos jesuítas no rio Preto, afluente do rio Madeira.[11]

José Francisco Monteiro, um comerciante, foi um dos primeiros colonizadores da localidade, que chegou à região em busca de riquezas em 15 de maio de 1869. Nesta época, a Missão de São Francisco, fundada pelos jesuítas em 1693, estava instalada num lugar chamado Pasto Grande, no Rio Preto, próximo à atual cidade. Por conta dos constantes ataques dos índios, a sede da freguesia foi transferida em 1888, com o nome de Freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Belém de Humaitá. A transferência ocorreu por força da Lei nº 790 de 13 de novembro daquele ano, e a transição foi feita pelo comendador.[11]

O município foi criado pelo Decreto Nº 31 de 4 de fevereiro de 1890, tendo sua área territorial desmembrada do município vizinho de Manicoré, através do Decreto-Lei nº 95-A de 10 de abril de 1891, assinado pelo governador Eduardo Ribeiro. Neste ano também aconteceu a fundação do primeiro jornal da cidade, O Humaythaense (o segundo jornal, O Madeirense, foi fundado anos depois, em 1917), assim como a vinda do primeiro destacamento da Polícia Militar do Amazonas para o município. Em outubro de 1894, no auge do Ciclo da Borracha, Humaitá foi elevada à categoria de cidade.[11]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 07º30'22" sul e a uma longitude 63º01'15" oeste, estando a uma altitude de 90 metros. Possui uma área de 33.071,00 km² (670º lugar no país e 13º lugar no estado, pouco superior à área do estado de Alagoas e um dos maiores do estado em área territorial) e área urbana de 8.63 km².[4][5]

Até o ano de 2017, Humaitá se localizava oficialmente na Mesorregião do Sul Amazonense e Microrregião do Madeira.[12] Com a nova divisão regional do país criada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2017, passou a integrar a Região Geográfica Intermediária de Lábrea e Região Geográfica Imediata de Manicoré.[2]

Limita-se com os municípios de Manicoré ao norte e leste; Porto Velho e Machadinho d'Oeste, ambos no Estado de Rondônia, ao sul; e Tapauá e Canutama ao oeste.

Clima[editar | editar código-fonte]

Quente e úmido com duas estações do ano: uma chuvosa “inverno” que vai de outubro a abril e outra de estiagem “verão” que vai de maio a setembro. No meio do ano, às vezes acontece o fenômeno da “friagem” que é uma queda da temperatura provocada pelo deslocamento da Massa de Ar Polar Atlântica.

Vegetação[editar | editar código-fonte]

O município é coberto pela Floresta Amazônica com sua exuberante riqueza em espécies vegetais e animais. Com a chegada dos missionários no século XVII ainda possuía uma imensa floresta equatorial, porém com a exploração desordenada de madeira, animais e a formação de enormes campos para agricultura e a pecuária, muitas espécies vegetais desapareceram.

Relevo[editar | editar código-fonte]

Humaitá esta a 90m acima do nível do mar, possui algumas praias como: Praia de São Miguel e Praia do Paraíso, localizada no rio Madeira; Praia do Ipixuna, localizada a 40 km no rio Ipixuna. Humaitá localiza-se na Planície Amazônica e seu relevo contém:

Terra firme[editar | editar código-fonte]

Terrenos altos que não alagam, onde nascem grandes árvores tanto para venda como para utilização local, como: castanheiras, seringueiras (Havea Brasiliense), cedro, itaúba, louro, pau-rosa, curupira, acariquara, jatobá.

Várzea[editar | editar código-fonte]

O portal fica a cinco quilômetros da cidade.
Portal Rio Madeira em Humaitá-AM, localizada as margens da BR 230 (Transamazônica). Foto: Geovanni Batista

Terrenos baixos e alagadiços, localizados às margens dos rios, lagos e paranás. As espécies vegetais encontradas são: taxizeiro, marimari, samaúma e a muratinga. Após alagada, ela seca ficando com as terras férteis prontas para agricultura. Exemplos de várzea: Ilha das Pupunhas, Puruzinho, nestes terrenos aparecem extensões de areia (Praias). Existem as praias de São Miguel e Paraíso às margens do rio Madeira, e a Praia do Ipixuna às margens do rio Ipixuna a 40 km de Humaitá.

Igapós[editar | editar código-fonte]

Terrenos mais baixos das margens dos cursos d’água escura, vivem permanentemente alagados, existindo uma vegetação típica, como: apuizeiro, buriti, tarumanzeiro e marajazeiro. E é utilizado também para pesca.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Rio Madeira, um dos maiores da Bacia Amazônica e de fundamental importância para a vida dos ribeirinhos. Dele se tira a água, o peixe e em alguns lugares o ouro, além de ser um importante meio de transporte. Fazem também parte da hidrografia os rios: Marmelo, Maicí, Machado e Ipixuna, além dos Igarapés Caxiri, Behém, Banheiro, Pupunha, Puruzinho,.... e dos Lagos: Pupunha, Paraíso, Uruapiara, dos Reis, do Antonio, do Acará entre outros.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Orla de Humaitá
Orla de Humaitá é um dos principais ponto turístico do sul do Amazonas. Foto (José Rodrigues)

Sua população estimada em 2010 era de 44.227 habitantes (Censo de 2010 do IBGE), com 69% de sua população em área urbana:[13][14]

  • População urbana: 30.475
  • População rural: 13.641
Atualização

Em 2018, houve uma contagem que atualizou a população do município para 54.001 habitantes, um crescimento de quase mil habitantes com relação á 2010.[13][14]

Etnias[editar | editar código-fonte]

População residente por etnia (Censo 2000)[15]

Notáveis de Humaitá[editar | editar código-fonte]

Religião[editar | editar código-fonte]

Catedral Nossa Senhora da Imaculada Conceição em Humaitá-AM.
Catedral Nossa Senhora da Imaculada Conceição.

População residente por religiã (Censo 2018)[16]

Templos[editar | editar código-fonte]

  • Igreja Matriz de Humaitá
  • Igreja de São Cristóvão
  • Igreja de São Francisco de Assis
  • Igreja Batista Nacional Canaã da Paz
  • Igreja Pentecostal Monte de Sião
  • Igreja Evangélica Assembléia de Deus
  • Igreja Universal do Reino De Deus
  • Primeira Igreja Batista
  • Igreja Internacional Da Graça De Deus
  • Ministério Internacional Betel
  • Igreja Adventista do Sétimo Dia
  • Igreja Presbiteriana
  • Igreja do Evangelho Quadrangular
  • Igreja de Nossa Senhora da Rosa Mística
  • Igreja Mundial do Poder De Deus

Política[editar | editar código-fonte]

Símbolos[editar | editar código-fonte]

Os símbolos do município de Humaitá são a bandeira, o brasão e o hino.

Poder executivo[editar | editar código-fonte]

A cidade já foi governada por 30 prefeitos.

A prefeita atual é Herivaneo Vieira de Oliveira (o Pernambuco), do PROS, eleito em 2016 para a gestão 2017-2020

Poder legislativo[editar | editar código-fonte]

No legislativo possui 15 vereadores.

Poder judiciário[editar | editar código-fonte]

No judiciário Humaitá é uma comarca da Justiça Estadual e conta com o Fórum Doutor Tocandira Balbi Carreira.

Possui 2 varas cíveis.

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia do município está baseada na agropecuária, extrativismo vegetal e indústria, principalmente madeireira. A agropecuária também está em expansão, já a indústria é incipiente. O município dispõe ainda de um Produto Interno Bruto (PIB) de R$ 493.744.000 em 2016, o que o coloca como o décimo-terceiro município com maior PIB no Amazonas.[17]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Situada próximo a divisa com o estado de Rondônia e distante da capital do estado Manaus, Humaitá destaca-se por suas belezas naturais. A região também atrai muitos turistas ligados a atividade da pesca.

Pontos turísticos[editar | editar código-fonte]

  • Praia de São Miguel: localizada no Rio Madeira.
  • Praia do Paraíso: também localizada no Rio Madeira.
  • Praia do Ipixuna: localizada a 45km da cidade, no Rio Ipixuna.
  • Portal Rio Madeira: Na entrada da Cidade.
  • Orla de Humaitá: Localizada as margens do Rio Madeira em Frente a praça da Matriz e da Catedral

Eventos[editar | editar código-fonte]

Segue aqui o calendário de eventos do município:

Cultura[editar | editar código-fonte]

Conhecida como a Terra da Mangaba, Humaitá é um dos berços culturais e intelectuais do Estado do Amazonas. A cidade e riquíssima .

Festivais em Humaitá fortalece cultura regional no Amazonas
Apresentação das agremiações no festival folclórico de Humaitá-AM.

Festival Folclórico de Humaitá[editar | editar código-fonte]

O evento difunde uma das maiores manifestações populares da cultura brasileira, as quadrilhas juninas e os bois bumbas. As agremiações se preparam durante meses para se apresentar no festival, que acontece em agosto.

São esperados milhares de pessoas nas duas noite de festas entre população e turistas vinda dos diversos cantos do país. Apenas as agremiações convidadas se apresentam no evento.

Expohuma ( Exposição Agropecuária de Humaitá)[editar | editar código-fonte]

A Expohuma e uma das maiores festas do setor agropecuário no Amazonas, que vai e realizada anualmente pela Prefeitura de Humaitá, por intermédio das secretarias de Agricultura e Cultura, no período de setembro no Parque de exposições Dr Renato Pereira Gonçalves, localizado no quilômetro 6 da BR 319.

O vento e realizado com muita animação, com provas de tiro de laço e tambor, montaria profissional em touros, exposições de animais – bovinos, suínos e equinos –,e exposição de produtos da agricultura familiar.

“Rainha do Rodeio” Este concurso tem suas peculiaridades e não basta, apenas, ser bonita e simpática para vencer. Além de desfilar sua beleza na passarela a candidata também tem que mostrar habilidade com o berrante e no manejo com o chicote, o que não são tarefas fáceis

Urbanização[editar | editar código-fonte]

Humaitá possui um urbanismo misto com ruas que ora correm em formato retilíneo, ora são vias tortuosas.

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

A cidade se divide em 13 bairros distribuídos em treze zonas.

Bairros[editar | editar código-fonte]

O município possui treze bairros, são eles:

Bairro Região
São Domingos Sávio Zona Norte
Divino Pranto Zona Norte
Nossa Srª do Carmo Zona Sul
São José Zona Sul
São Francisco Zona Sul
Santo Antônio Zona Leste
Centro Zona Leste
Nova Humaitá Zona Noroeste
Nova Esperança Zona Noroeste
Nova Esperança II Zona Noroeste
São Pedro Zona Oeste
São Sebastião Zona Oeste
Novo Centenário Zona Nordeste
São Cristóvão Zona Sudoeste

Regiões[editar | editar código-fonte]

Humaitá está dividida em seis regionais (regiões) para fins administrativos e segurança. São eles: Zona Sudoeste, Zona Oeste, Zona Sul, Zona Leste, Zona Norte e Zona Noroeste.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Comunicações[editar | editar código-fonte]

Correios

O código de área (DDD) de Humaitá é 97 e o Código de Endereçamento Postal (CEP) da cidade é 69800-000.

  • Agências
    • Ac Humaitá
Internet

Em Humaitá há serviços de internet discada e banda larga (ADSL) sendo oferecidos por diversos provedores de acesso gratuitos e pagos. O serviço de telefonia móvel, é oferecido pelas operadoras Claro, Oi,TIM e Vivo.

Rádios
  • 104.9 - Rádio FM
  • 670 - Rádio AM
Televisão

Todas as emissoras de TV que atendem o município são transmitidas via satélite.

Saúde[editar | editar código-fonte]

O município possuía, em 2009, 13 estabelecimentos de saúde, sendo 10 públicos e 3 privados, entre hospitais, pronto-socorros, postos de saúde e serviços odontológicos. Neles havia 46 leitos para internação.[18] Em 2014, 98% das crianças menores de 1 ano de idade estavam com a carteira de vacinação em dia.[19] Em 2015, foram registrados 941 nascidos vivos, ao mesmo tempo que o índice de mortalidade infantil foi de 14,9 óbitos de crianças menores de cinco anos de idade a cada mil nascidos vivos.[19] No mesmo ano, 32,4% das crianças que nasceram no município eram de mães adolescentes.[20] Cerca de 99,2% das crianças menores de 2 anos de idade foram pesadas pelo Programa Saúde da Família em 2014, sendo que 0,7% delas estavam desnutridas.[21]

Até 2009, Humaitá possuía 4 estabelecimentos de saúde especializados em clínica médica, obstetrícia e pediatria, e nenhum estabelecimento de saúde com especialização em psiquiatria, cirurgia bucomaxilofacial ou traumato-ortopedia. Dos 13 estabelecimentos de saúde, apenas 2 deles era com internação.[18] Até 2016, havia 78 registros de casos de HIV/AIDS, sendo que 14,29% dos casos registrados foram em pessoas até os 24 anos de idade.[22] Entre 2001 e 2012 houveram 1.338 casos de doenças transmitidas por mosquitos e insetos, sendo a principal delas a dengue e a leishmaniose.[23]

Principais estabelecimentos
  • UBS Doutora Maria Do Socorro Rodrigues
  • Hospital Doutora Luiza da Conceição Fernandes

Transporte[editar | editar código-fonte]

Acesso e transporte[editar | editar código-fonte]

Rodovias BR-135 e Transamazônica, que cruzam com Humaitá.
Transporte fluvial de Humaitá, com algumas balsas atracadas.

A rodovias que atende Humaitá são a Transamazônica (que corta o Brasil de leste a oeste, sendo a rodovia transversal mais longa de todo norte-nordeste e que também serve como importante avenida da cidade), além da BR-319 (que liga a cidade a Manaus, Porto Velho, Ji-Paraná, Vilhena e Rio Branco). Outras vias que se destacam dentro da cidade são a Rua Monteiro, Avenida Gusmão, Avenida Cinco de Setembro, Rua Circular Municipal, Rua Padre Luís Venzon, Rua Edmundo Monteiro, Avenida Padre José, Rua Álvaro Botelho Maia e Rua São Três.[24]

Rodoviária de Humaitá

O município possui ainda linhas de transporte rodoviário de passageiros com o Terminal Rodoviário de Humaitá para vários destinos no estado e restante do Brasil. É atendida por algumas empresas, entre elas Amatur e Eucatur, além da empresa fantasma Trans Brasil.[25]

Aeroporto de Humaitá

Localiza-se na Transamazônica e suas coordenadas são as seguintes: 07°32'01"S de latitude e 63°03'02"W de longitude. Possuindo uma pista de 1200m de massa asfáltica. Apesar disso, desde o ano de 2016 a cidade de Humaitá não está operando voos comerciais, sendo a última a operar a cia MAP. Sendo constatado que no site da empresa MAP não aparece mais a opção de voos para Humaitá partindo de Manaus.[26]

Transporte fluvial

A hidrovia do Madeira é atualmente uma das mais importantes do país – por ela passam as balsas graneleiras que dão escoamento à produção de grãos do Centro Oeste brasileiro e de Rondônia para Itacoatiara e Belém e de lá, para o comércio exterior. De barco, em três dias chega-se a Manaus e em um dia chega-se em Porto Velho.

Bancos[editar | editar código-fonte]

Ensino[editar | editar código-fonte]

Educação básica

Existem no município escolas de ensino básico e médio:

  • Centro Educacional Evangélico Betel
  • Centro de Excelencia Irmã Maria Carmem Crinebolde
Educação superior

Também existem no município escolas de ensino superior:

Segurança[editar | editar código-fonte]

Biografia[editar | editar código-fonte]

  • AFFONSO, Almino Monteiro Álvares. Comendador Monteiro - Tronco e Ramagens, 1ª edição, Ed. Valer e Ed. UniNorte e Governo do Estado do Amazonas, Manaus, 2004.
  • ALMEIDA, Raimundo Neves de, Retalhos Históricos e Geográficos de Humaitá, O Autor, 1ª e 2ª edição, Porto Velho-RO, 1981 e 2005.
  • ALMEIDA, Raimundo Neves de, Na Beira do Barranco - Estórias, Crendices, Sentimentos e Humor de Caboclos do Madeira, O Autor, 1ª e 2ª edição, Porto Velho-RO, 2005.
  • BENTES, Dorinethe dos Santos / ROLIM, Amarildo Rodrigues – O Amazonas no Brasil e no Mundo, Manaus, ed. Mens’sana, 2005.
  • FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda, Mini Aurélio Século XXI Escolar, Rio de Janeiro-RJ, Ed. Nova Fronteira, 2001.
  • HUGO, Vitor, Os Desbravadores, Vol. I e II, Ed. Salesiana C. B. A. G., 1959 e 1991.
  • IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística/2007.
  • MACHADO, José Pedro, Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa, 8ª edição, Ed. Livros Horizontes, Lisboa-Portugal, 2003.
  • Prefeitura Municipal de Humaitá, Administração - Quadro Histórico de Prefeitos, 2006.
  • PINTO - Emanuel Pontes, Rondônia, Evolução Histórica, A Criação do T. F. G, Fator de Integração Nacional, Rio de Janeiro-RJ, ed. Expressão e Cultura, 1993.
  • ROCQUE, Carlos. Grande Enciclopédia da Amazônia, Vol. III, AMEL - Amazônia Editora Ltda, Manaus, 1968.
  • SEDUC - Secretaria de Estado da Educação, Série Descobrindo Nosso Município – Humaitá - Am, Estudos Sociais, Manaus, 1993.
  • TEIXEIRA - Marco Antônio Domingues & Fonseca, Dante Ribeiro, História Regional (Rondônia), Porto Velho-RO. Rondoniana. 1998.
  • THOMPSON, George, A Guerra do Paraguai, Enciclopédia dos Temas Brasileiros, 1978.

Referências

  1. «CEP de cidades brasileiras». Correios. Consultado em 31 de Julho de 2008 
  2. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 2 de fevereiro de 2018 
  3. «Mapas e rotas». Guia 4 Rodas. Consultado em 3 de novembro de 2011 
  4. a b IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  5. a b «Urbanização das cidades brasileiras». Embrapa Monitoramento por Satélite. Consultado em 29 de dezembro de 2018 
  6. «Estimativa populacional 2018» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 29 de agosto de 2018 
  7. «Climate Summary - Manaus». Weatherbase. Consultado em 9 de maio de 2014. Cópia arquivada em 9 de maio de 2014 
  8. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 9 de setembro de 2013 
  9. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome PNUD
  10. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2016». Consultado em 16 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 16 de fevereiro de 2019 
  11. a b c d Humaitá-AM - Informações
  12. «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  13. a b Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome IBGE_Pop
  14. a b [ https://cidades.ibge.gov.br/brasil/am/humaita/panorama CidadeSat]
  15. «Etnias no Brasil». IBGE 
  16. «Religião no Brasil». IBGE 
  17. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome IBGE PIB
  18. a b Cidades@ - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Serviços de saúde - 2009». Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  19. a b Portal ODM (2014). «4 - reduzir a mortalidade infantil». Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  20. Portal ODM (2015). «5 - melhorar a saúde das gestantes». Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  21. Portal ODM (2015). «1 - acabar com a fome e a miséria». Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  22. Portal ODS (2016). «ODS 03: AIDS e outras doenças transmissíveis». Relatórios Dinâmicos. Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  23. Portal ODM (2012). «6 - combater a Aids, a malária e outras doenças». Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  24. Google Maps
  25. Guichê Virtual
  26. [www.voemap.com.br «MAP Linhas Aéreas»] Verifique valor |URL= (ajuda) 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]