BR-364

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
BR-364.svg
BR-364
Presidente Juscelino Kubitschek
(nome oficial, Wikisource-logo.svg Lei Federal do Brasil 8733 de 1993 no Wikisource.)
"Rodovia Marechal Rondon[1]"
BR-364.jpg
Extensão 4 324,6 km (2 687,8 mi)
Inauguração 1960
Tipo Rodovia diagonal
Anel em torno da Região Metropolitana de Cuiabá
Limite leste SP-330 em Limeira, SP
Interseções
Limite oeste Fronteira entre o Brasil e o Peru, AC
Rodovias Federais do Brasil

A BR-364 é uma rodovia diagonal do Brasil que se inicia em Limeira-SP, no km 153 da SP-330 adentrando pela SP-310 até o km 292, onde entra na SP-326 indo até a divisa com Minas Gerais, depois passa por Goiás, Mato Grosso, Rondônia e Acre, acabando em Rodrigues Alves, no extremo oeste deste último estado, sendo assim uma rodovia de fundamental importância para o escoamento da produção das regiões Norte e Centro-Oeste do país.

História[editar | editar código-fonte]

Há uma balsa para atravessar o Rio Madeira na BR-364, em Rondônia.

Antes da construção da BR-364, só se chegava a Porto Velho de ferrovia pela Estrada de Ferro Madeira-Mamoré a partir de Guajará-Mirim, de balsa a partir de Manaus ou de avião. O transporte rodoviário era inexistente.

Em 2 de fevereiro de 1960, em meio a uma reunião com os governadores dos estados do norte, o Presidente Juscelino Kubitschek decidiu construir a então BR-364 ligando Cuiabá a Porto Velho e Rio Branco, abrindo o oeste brasileiro, trecho que só foi asfaltada em 1983.

O trecho da BR-364 dentro de São Paulo, é uma autoestrada que é a Rodovia Washington Luís (SP-310), indo até o km 293 km, onde adentra pela Rodovia Brigadeiro Faria Lima (SP-326) até a divisa com Minas Gerais, sendo que os últimos 63 km dessa rodovia, ainda não foram duplicados.

Atualmente a BR-364 está asfaltada no Estado do Acre até o município de Manoel Urbano, distante 244 quilômetros de Rio Branco. A maior e mais complicada parte está asfaltada em parte, que é o trecho entre Manoel Urbano e Feijó(aproximadamente 100 quilómetros), já liberado para tráfego permanente. Em contrapartida, de Feijó até Cruzeiro do Sul, já existe pavimentação asfáltica. Os esforços do Governo Federal e Estadual para a conclusão desta BR e a consequente interligação dos municípios dos confins do extremo oeste do Estado do Acre com o restante do país encontra várias dificuldades, que vão desde aos problemas climáticos, haja vista que as obras só podem iniciar com a chegada do verão amazônico (que compreende os meses de julho ao fim de outubro) além de embargos ambientais, tendo em vista que a referida BR corta parques ambientais e terras indígenas. Mas as obras continuam e a cada ano a esperança de se ter esta rodovia federal concluída fica mais próximo. Verificamos que no Estado do Acre, essa Rodovia corta os município de Rio Branco, Bujari, Sena Madureira, Manoel Urbano, Feijó, Tarauacá, Rodrigues Alves, Mancio Lima e por fim, Cruzeiro do Sul.

Descrição de trechos[editar | editar código-fonte]

A BR-364 atravessa importantes municípios paulistas, entrando em São Paulo na divisa com o Triângulo Mineiro, na cidade de Colômbia, Barretos, Colina, Bebedouro, Jaboticabal, Guariba, Santa Ernestina, Dobrada, Matão (até aqui na SP-326 e entra na SP-310), em Matão, Araraquara, Ibaté, São Carlos, Itirapina, Corumbataí, Rio Claro (continuando na SP-310 e terminando na SP-330 em Cordeirópolis na região de Limeira) em São Paulo.[2]

Os trechos da BR/MT-364 KM1.258,6 até a divisa de Mato Grosso com Rondônia, e o trecho da divisa até o KM13,2 da BR/RO-364 coincidem com a BR-174.[3]

Os trechos da BR 364 GO/MT inicia-se em solo goiano no município de São Simão, passando por Jataí e Mineiros já no estado de Mato Grosso, inicia-se no município de Alto Araguaia, Rondonópolis e a capital Cuiabá. Estende-se ainda pelo estado até adentrar no território de Rondônia.

O trecho da BR/RO do KM13,2 até o KM27,6 coincide com a BR-435, do KM305,3 até o KM346,3 coincide com a BR-429 e do KM910,8 até o KM929,3 coincide com a BR-425.[3]

O trecho da rodovia BR-364 entre a cidade de Candeias do Jamari e o campus da Universidade Federal de Rondônia, no Município de Porto Velho passa a ser denominado Rodovia Chiquilito Erse, de acordo com lei federal nº 12.454 de 26 de julho de 2011 (Wikisource-logo.svg Vide a Lei no Wikisource.).

O trecho compreendido entre as cidades de Porto Velho e Rio Branco também e chamado de Rodovia Governador Edmundo Pinto conforme a lei federal n°11.676 de 19 de maio de 2008 (Wikisource-logo.svg Vide a Lei no Wikisource.).

Duplicação da rodovia[editar | editar código-fonte]

Trecho duplicado da BR-364, próximo a Porto Velho

O Ministério dos Transportes investiu, em 2004, na duplicação da BR-364, entre Candeias do Jamari a Campus da Universidade Federal de Rondônia, aproximadamente 30 quilômetros. Também incluem, no projeto, a nova ponte sobre o Rio Candeias, quem sai da capital de Rondônia para interior, as passarelas e a rotatória da BR com a rua Jatuarana.

A Prefeitura de Ji-Paraná, junto ao governo federal, investiu nas obras da duplicação da ponte sobre o Rio Machado, e agora também em toda a travessia urbana do município.

Buracos[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Rodovia Washington Luís (trecho da BR-364) na entrada da cidade de São Carlos, km 236 sentido sul, onde é uma autoestrada

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]