BR-282

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
BR-282
Tipo Rodovia Transversal
Extensão 684 km
Extremos
 • leste:
 • oeste:

Florianópolis
Ponte Internacional Peperi Guaçu, em Paraíso
Concessionária DNIT
Lista de rodovias do Brasil

A BR-282 é uma rodovia transversal no Sul do Brasil. Seu projeto oficial contempla a ligação entre Florianópolis (SC) e Paraíso (SC) (fronteira com a Argentina). É uma rodovia de pista simples, sendo duplicada nos seus primeiros 16,6;km; os 14 km no trecho urbano de Xanxerê e o acesso a Chapecó estão em obras de duplicação. Também no perímetro urbano de Lages, estão sendo construídas vias marginais e viadutos, além disso um trecho está sendo duplicado, num total de 6 quilômetros de obras. Entre Florianópolis e São José, a BR recebe o nome de "Via Expressa". Coincide com a BR-101 no trecho entre São José e Palhoça onde torna a separar-se seguindo em sentido oeste inicialmente pelo Vale do Rio Cubatão, atravessa a região da Grande Florianópolis vencendo a Serra Geral, prossegue passando pelo planalto sul, meio-oeste, oeste, extremo-oeste atingindo a fronteira com a República argentina. Muitas vezes chamada de "corredor do Mercosul" faz a ligação leste-oeste cruzando todo o estado de Santa Catarina. A BR conta com apenas uma balança que fica na cidade de Maravilha e vários postos da Policia Rodoviaria Federal, também conta com vários hotéis e restaurantes ao longo da rodovia.

Cidades próximas à rodovia: Florianópolis, São José, Palhoça, Santo Amaro da Imperatriz, Alfredo Wagner, Lages, Campos Novos, Joaçaba, Xanxerê, Xaxim, Chapecó, Pinhalzinho, Maravilha, São Miguel do Oeste e Paraíso.

Algumas rodovias tem seu traçado sob a rodovia como a BR-480, a BR-101 e a BR-163, entre outras.

É uma das poucas rodovias federais integralmente catarinenses.

Trechos[editar | editar código-fonte]

Ponto de referência Extensão do trecho Extensão acumulada Situação
Florianópolis --- 0 km ---
Início do trecho coincidente com a BR-101 5,5 km 5,5 km Duplicado
Fim do trecho coincidente com a BR-101 11,1 km 16,6 km Duplicado
Entroncamento SC-302/SC-429 (Alfredo Wagner) 84,5 km 101,1 km Pavimentado
Lomba Alta (Rio São João) 10,3 km 111,4 km Pavimentado
Entroncamento SC-425 (Rio dos Índios) 92,0 km 203,4 km Pavimentado
Entroncamento BR-475 (B) (Lages) 10,8 km 214,2 km Pavimentado
Entroncamento BR-116 5,9 km 220,1 km Pavimentado
Início do trecho coincidente com a BR-470 102,6 km 322,7 km Pavimentado
Fim do trecho coincidente com a BR-470 / início com a BR-283 13,0 km 335,7 km Pavimentado
Fim do trecho coincidente com a BR-283 / Entroncamento SC-455 2,5 km 338,2 km Pavimentado
Entroncamento SC-303 (Joaçaba) 42,5 km 380,7 km Pavimentado
Entroncamento SC-463 (p/ Jaborá) 22,0 km 402,7 km Pavimentado
Catanduvas 3,6 km 406,3 km Pavimentado
Entroncamento BR-153 (p/ Irani) 27,6 km 433,9 km Pavimentado
Ponte Serrada 23,8 km 457,7 km Pavimentado
Início do trecho coincidente com a BR-480 / Entroncamento SC-466 41,0 km 498,7 km Pavimentado
Fim do perímetro urbano de (Xanxerê) 8,5 km 507,2 km Duplicado
Fim do trecho em duplicação 3,8 km 511,0 km Em duplicação[1]
Fim do trecho coincidente com a BR-480 / SC-468 (Chapecó) 34,2 km 532,9 km Pavimentado
Entroncamento SC-469 (A) / SC-466 (Pinhalzinho) 43,3 km 576,2 km Pavimentado
Início do trecho coincidente com a BR-163 (São Miguel do Oeste) 72,6 km 648,8 km Pavimentado
Fim do trecho coincidente com a BR-163 8,5 km 657,3 km Pavimentado
Fronteira Brasil/Argentina (Ponte sobre o Rio Peperiguaçu) 20,7 km 678,0 km Pavimentado

Extensão pavimentada: 678,0 km (100,00%)

Extensão duplicada: 25,1 km (3,70%)

Ligação do Litoral ao Planalto Serrano Catarinense[editar | editar código-fonte]

A ligação terrestre entre Desterro e Lages é descrita por Antônio Carlos Werner em seu livro "Caminhos da Integração Catarinense. Do Caminho das Tropas à Rodovia BR 282".[2]

A construção da rodovia, neste trecho, foi lenta e gradual. O primeiro trecho, entre a BR 116 e a localidade de Índios, foi entregue na década de 1950. Depois de décadas sem progressos e projetos que jamais saíram do papel, inaugurou-se um trecho entre o Rio Canoas e Bom Retiro nos idos de 1983, entre Bom Retiro e Rancho Queimado (o mais complexo, que transpõe a Serra da Boa Vista) em 1986, e o restante foi sendo entregue ainda, aos poucos, até sua total conclusão em fins da década de 1990. Ainda resta a retificação de um trecho urbano entre Palhoça e Santo Amaro, ainda sobre o traçado da antiga estrada, e numa área com grande fluxo de pedestres e ciclistas.

Empresários, lideranças políticas e sociedade civil do Planalto Serrano e da região atendida pela rodovia reivindicam sua total duplicação.

Tragédias[editar | editar código-fonte]

No dia 9 de outubro de 2007, a BR-282, na região do município de Descanso, foi local do mais grave acidente rodoviário de Santa Catarina nos últimos anos. Resultaram da tragédia 27 mortos e mais de 100 feridos [3][4].

Em 5 de março de 2011, um sábado de carnaval, outra tragédia foi registrada a 9 km de onde ocorreu a primeira. Agora foram 29 mortos, envolvendo um ônibus de turismo e um caminhão carregado com madeiras.[5]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]