BR-470

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
'
País
Identificador  BR-470 
Tipo Rodovia de ligação
Extensão 472,3 km
Extremos
 • Leste:
 • Oeste:

Navegantes, Santa Catarina
Camaquã, Rio Grande do Sul
Interseções BR-101, BR-116, BR-285 e BR-282
Lista de rodovias do Brasil

A BR-470 é uma rodovia de ligação no Sul do Brasil. Seu projeto oficial contempla 472,3 km entre Navegantes (SC) e Camaquã (RS). Parte do trecho que corta o estado do Rio Grande do Sul está sob administração do governo estadual, foi denominada RSC-470 até que no dia 02/08/2013 o Ministério dos Transportes publicou no DOU a portaria 109, que federalizou o trecho.

É uma rodovia de pista simples, importante historicamente para a ligação do Planalto e do Oeste catarinense ao litoral. É a principal "artéria" do Vale do Itajaí e também uma das principais vias de acesso ao Porto de Itajaí e ao Aeroporto de Navegantes. Apresenta trechos sinuosos e mal-sinalizados no estado de Santa Catarina além de áreas não-pavimentadas ou inexistentes no Rio Grande do Sul. É excessivamente movimentada num trecho de aproximadamente 40 km entre Gaspar (bairro do Belchior), Blumenau (bairro do Tribess) e Indaial (SC), registrando-se a ocorrência diária de acidentes. O processo de possível duplicação encontra vários desafios de ordem burocrática e financeira. Também há riscos na subida e descida da Serra Geral, entre Pouso Redondo e o acesso a Otacílio Costa (SC), trecho conhecido como Serra da Santinha no qual muitos veículos já colidiriam ou tombaram devido à imprudência dos motoristas aliadas ou não às condições climáticas locais. No trecho que compreende Veranópolis e Bento Gonçalves, conhecido como Serra das Antas, há trânsito intenso de veículos lentos (caminhões carregados na maioria das vezes) que aliados aos poucos pontos de ultrapassagem e condições precárias do asfalto acabam por deixar o trânsito lento. Verifica-se também nesse trecho a ausência de acostamento, já que as poucas áreas de escape que existiam acabaram sendo utilizadas para construção de terceiras pistas, no intuito de desafogar um pouco o trânsito do local. Houve diversos protestos às margens da rodovia na cidade de Veranópolis e em Nova Prata, dentre alguns pontos, os manifestantes protestavam contra o abandono da estrada por parte do governo estadual (há pelo menos 10 anos). No dia 02/08/2013, o Ministério dos Transportes publicou no DOU a portaria 109, que federalizou o trecho que ainda pertencia ao governo do RS; no dia 17/03/2015 foi assinada a portaria que federaliza definitivamente a rodovia no RS. No trecho que passa pela cidade gaúcha de Montenegro, a partir do km 288,7 ela está sobreposta a RSC 287 até o KM 291 no acesso ao Bairro 5 de Maio. Do Km 296 ao 321 ela não é pavimentada. Do Km 321 ao 339 ela e pavimentada até a travessia do Rio Jacuí. Após segue até Pantano Grande no entroncamento com a BR 290.

Cidades importantes próximas à rodovia: Itajaí, Blumenau, Timbó, Indaial, Ibirama, Rio do Sul, Curitibanos, Campos Novos (em Santa Catarina). Lagoa Vermelha, Bento Gonçalves, Montenegro, Camaquã (no Rio Grande do Sul) Em novembro de 2008, durante as enchentes que ocorreram no Vale do Itajaí, parte da rodovia desmoronou na cidade de Gaspar-SC.

Há projeto no PAC de duplicação da rodovia no trecho entre Indaial e Navegantes, além da concessão à iniciativa privada do trecho catarinense, a qual deveria ocorrer até 2011. As obras começaram em 2014, mas com somente duas máquinas retro-escavadeiras.[carece de fontes?]

Percurso[editar | editar código-fonte]

Serve, dentre outras, às seguintes cidades:

Santa Catarina[editar | editar código-fonte]

Rio Grande do Sul[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Páginas do Ministério dos Transportes