BR-287

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Rodovia da Integração
Identificador  BR-287 
Tipo Rodovia transversal
Legislação Lei nº 7.003
Extensão 536,9 km
Extremos
 • Leste:
 • Oeste:

Canoas, Rio Grande do Sul
São Borja, Rio Grande do Sul.
Interseções Rs-244 rs.png RS-244 em Venâncio Aires, RS
BR-471.png BR-471 em Santa Cruz do Sul, RS
Rs-410 shield.png RS-410 em Candelária, RS
BR-481.png BR-481 em Novo Cabrais, RS
BR-158-rs.png BR-158 em Santa Maria, RS
Rs-241 shield.png RS-241 em São Vicente do Sul, RS
BR-377.png BR-377 em Santiago, RS
Concessionária pública
Lista de rodovias do Brasil

OpenStreetMapLogo.png ver em mapa

A BR 287 é uma rodovia federal que corta transversalmente o estado brasileiro do Rio Grande do Sul. Seu nome oficial é Rodovia da Integração.

Inicia na Região de Porto Alegre, na cidade de Canoas. Passam pelo Centro Oriental,Centro Ocidental e terminando na região Sudoeste, na cidade de São Borja. Sua extensão é de 536,9 km.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Estauricossauro rincossauro

A rodovia BR-287 é o principal eixo de ligação das dezenas de municípios da região.

Economia[editar | editar código-fonte]

Atravessa a principal região fumageira do país, nas cidades de Santa Cruz do Sul e Venâncio Aires, onde estão instalados inúmeros fabricantes de cigarro e distribuidoras de fumo, como Universal Leaf Tabacos, Philip Morris, Souza Cruz, Associated Tobacco Company e Alliance One, entre outras.[1] Também se destaca a produção de Erva-mate. [2]

Turismo Internacional[editar | editar código-fonte]

No turismo internacional, o país que mais envia turistas para o Brasil é a Argentina, com mais de um milhão de pessoas por ano. Estes turistas geralmente entram de automóvel pelo Rio Grande do Sul em direção as praias de Santa Catarina, percorrendo a BR 287.

Duplicação[editar | editar código-fonte]

Em 2019, o Governo Federal anunciou que a BR 287 será concedida à inciativa privada por 30 anos. Uma duplicação da rodovia, de 204 km, entre Tabaí e Santa Maria, será realizada ao longo de 5 anos de obras no trecho urbano e 11 anos no total, a partir do início da concessão.[3][4] A rodovia tem um movimento de mais de 11 mil veículos por dia, e normalmente uma rodovia deve ser duplicada a partir do momento em que atinge o movimento de 10 mil veículos por dia.[5]

A rodovia possui dois pedágios, sendo um em Venâncio Aires com um fluxo de 4 milhões de veículos por ano e outro em Candelária com 2,5 milhões de veículos por ano. Com a duplicação, o plano é que haja futuramente 5 cabines de pedágio, com valor menor do que o atual por praça de pegádio.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]