São Vicente do Sul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de São Vicente do Sul
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Fundação 29 de abril de 1876 (140 anos)
Gentílico vicentino, vicentense, são-vicentino-do-sul[1]
Prefeito(a) Fernando da Rosa Pahim (PP.)
Localização
Localização de São Vicente do Sul
Localização de São Vicente do Sul no Rio Grande do Sul
São Vicente do Sul está localizado em: Brasil
São Vicente do Sul
Localização de São Vicente do Sul no Brasil
29° 41' 31" S 54° 40' 44" O29° 41' 31" S 54° 40' 44" O
Unidade federativa  Rio Grande do Sul
Mesorregião Centro Ocidental Rio-grandense IBGE/2008[2]
Microrregião Santa Maria IBGE/2008[2]
Região metropolitana ao norte: Jaguari
ao sul: Cacequi
a oeste: São Francisco de Assis e Alegrete
a leste: São Pedro do Sul e Mata
Distância até a capital 407 km
Características geográficas
Área 1 174,939 km² [3]
População 8 440 hab. Censo IBGE/2010[4]
Densidade 7,18 hab./km²
Altitude 129 m
Clima temperado
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,685 médio PNUD/2013[5]
PIB R$ 122,201 mil IBGE/2010[6]
PIB per capita R$ 14,449 IBGE/2010[6]
Página oficial

São Vicente do Sul é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul.

História[editar | editar código-fonte]

A região do atual município de São Vicente do Sul era um antigo aldeamento de índios guaranis. Tem suas origens no ano de 1632, com a chegada dos jesuítas espanhóis, sob o comando do padre Cristóvão de Mendoza, responsáveis por erguer a Redução de São José, que chegou a abrigar mais de 5 800 habitantes, sendo a maior parte de índios convertidos ao cristianismo.

Tão logo chegou a São Paulo a notícia de que nas reduções jesuíticas havia numerosos índios civilizados, os paulistas organizaram expedições e penetraram no Rio Grande do Sul, atacando e dizimando as reduções. Os jesuítas, então, mudaram-se com o que restava para a outra margem do rio Uruguai, e na aldeia de São José permaneceu o gado, que se criou xucro.

Em 1682, os padres missioneiros reergueram novas missões, dando início aos Sete Povos da Banda Oriental do Uruguai, contando com numerosos rebanhos para o sustento da população. Assim, passaram a dividir o Rio Grande do Sul em grandes estâncias, sendo fundada a Estância de São Vicente, pertencente à Redução de São Miguel.

Os ataques às missões jesuíticas continuaram até por volta de 1801, com a total destruição das aldeias. Era o fim das Missões. Após a expulsão dos jesuítas, parte do vale de São Vicente passou a ser ocupada por estancieiros portugueses. Mais tarde, com a Revolução Farroupilha, os indígenas de outras reduções migraram para São Vicente, vindo juntar-se aos que ali existiam. Instalaram-se em pequenos ranchos em Cavajuretã, Loreto, São Pedro do Ibicuí e na região hoje conhecida como Timbaúva dos Mellos, e ao redor da atual cidade de São Vicente do Sul.

Primeiramente São Vicente fazia parte do território de Rio Pardo. Depois, com a criação do município de São Gabriel, passou a ser o 3° distrito deste. Através da lei n° 1032, de 29 de abril de 1876, São Vicente, então 2° distrito especial de São Gabriel, foi elevado à categoria de vila e, depois, em município, com terras de São Gabriel e Itaqui.

O povoado foi primeiramente denominado São Vicente, pelos jesuítas, devido à imagem de São Vicente Ferrer, padroeiro da estância jesuítica, trazida por eles, hoje na igreja matriz. Em 1944, por interesses políticos, passou a denominar-se General Vargas, em homenagem a Manoel do Nascimento Vargas, pai do presidente da república Getúlio Vargas. Em 1969 voltou a chamar-se São Vicente e, para distinguí-lo do seu nome onomástico de São Paulo, São Vicente do Sul.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município de São Vicente do Sul está localizado na Depressão Central. Limita-se ao norte com o município de Jaguari; ao sul, com Cacequi; a leste, com São Pedro do Sul e Mata; e a oeste, com São Francisco de Assis e Alegrete.

Possui clima temperado. Localiza-se a uma latitude 29º41'30" sul e a uma longitude 54º40'46" oeste, estando a uma altitude de 129 metros. Sua população estimada em 2010 era de 8 440 habitantes, com predominância das etnias alemã, italiana, indígena e portuguesa.

Economia[editar | editar código-fonte]

Sua economia baseia-se na agricultura e na pecuária. A principal cultura é a do arroz, em nível de expansão. Sendo que hoje é crescente o avanço do plantio de soja. Também esta se tornando um centro universitário regional no Vale do Jaguari devido ao crescimento do Instituto Federal Farroupilha - Campus de São Vicente do Sul, o qual conta com cursos de ensino médio agregado ao técnico, bem como cursos pós-médios, superiores e de pós-graduação.

Cultura[editar | editar código-fonte]

As tradições e costumes estão vinculadas à Revolução Farroupilha; ao trabalho do homem do campo, originário das grandes estâncias, como marcação do gado, carreiradas, jogo do osso, de bocha e fandangos; e o Movimento Tradicionalista Gaúcho, com a criação do CTG Cancela da Fronteira, em 1975.

Referências

  1. Editores do VOLP (2009). «Busca no vocabulário». Academia Brasileira de Letras. Consultado em 29/04/2013. 
  2. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  3. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010. 
  4. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2013. 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]