BR-459

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
'
País
Identificador  BR-459 
Tipo Rodovia de ligação
Inauguração 1951
Extensão 247,6 km (153,9 mi)
Extremos
 • norte:
 • sul:

Entroncamento com a BR-267 em Poços de Caldas
Entroncamento com a BR-101 em Paraty
Interseções BR-146
MG-455
MG-179
MG-290
BR-381
MG-173
AMG-1925
MG-347
MG-295
BR-383
MG-350
AMG-1915
SP-183
BR-101
Administração DNIT
Rodovias Federais do Brasil
Trecho da rodovia BR-459 próximo ao entroncamento com a MG-295 em Piranguinho.

A BR-459 é uma rodovia federal brasileira que liga Poços de Caldas, em Minas Gerais, a Lorena, no estado de São Paulo.[1] Está planejada sua extensão até o município de Angra dos Reis, no estado do Rio de Janeiro.[2]

Minas Gerais[editar | editar código-fonte]

No estado de Minas Gerais, a BR-459 tem 215,4 km de extensão[2] e passa pelos municípios de Poços de Caldas, Caldas, Santa Rita de Caldas, Ipuiúna, Senador José Bento, Congonhal, Pouso Alegre, Santa Rita do Sapucaí, Cachoeira de Minas, Piranguinho, Itajubá, Wenceslau Braz e Delfim Moreira,[3] localizados na Mesorregião do Sul e Sudoeste de Minas. O km 0 do trecho mineiro está localizado em Poços de Caldas, enquanto que o km 215,4 localiza-se na divisa com o estado de São Paulo. Nesse estado a rodovia integra os circuitos turísticos Caminhos Gerais,[4] Serras Verdes do Sul de Minas[5] e Caminhos do Sul de Minas.[6]

Pouso Alegre[editar | editar código-fonte]

A estrada possui pista duplicada no trevo com a MG-179, passando pelo perímetro urbano de Pouso Alegre até o entroncamento com a Rodovia Fernão Dias, totalizando 9,2 km.

Entre as cidades de Pouso Alegre e Itajubá a rodovia segue em pista simples, com acesso à MG-347, importante ligação com as cidades da região do Circuito das Águas, e à MG-173, ligação com a região de São José dos Campos no Vale do Paraíba Paulista.

Cachoeira de Minas[editar | editar código-fonte]

Embora passe apenas por um pequeno trecho da zona rural de Cachoeira de Minas,[3] próximo à foz do ribeirão Vargem Grande na margem esquerda do rio Sapucaí, a BR-459 é uma das principais rodovias do município, cujos principais produtos agrícolas são o café, o milho e a mandioca.[7]

Piranguinho[editar | editar código-fonte]

No município de Piranguinho, a BR-459 tem 24 km de extensão e desempenha papel importante no escoamento da produção agropecuária do município, em que se destaca a indústria de laticínios e o cultivo de café, milho e arroz.[8] Ao longo da rodovia, próximo à sede do município, localizam-se diversas barracas que comercializam o pé-de-moleque, doce tradicional feito com rapadura e amendoim.[9]

Itajubá[editar | editar código-fonte]

No trecho de Itajubá a rodovia corta a área urbana da cidade,com grande fluxo de veículos e pessoas acaba formando longos congestionamentos,principalmente nos horários de pico.

São Paulo[editar | editar código-fonte]

No estado de São Paulo, a BR-459 tem 32,2 km de extensão e corta os municípios de Piquete e Lorena, localizados na Mesorregião do Vale do Paraíba Paulista. O km 0 do trecho paulista está localizado na divisa com Minas Gerais e o km 32,2 no entroncamento com a BR-116.[2]

Piquete[editar | editar código-fonte]

No município de Piquete, a rodovia tem 21 km de extensão, com traçado bastante sinuoso por estar nas encostas da Serra da Mantiqueira. Os 9 km iniciais atravessam um trecho bem preservado da Mata Atlântica.

Lorena[editar | editar código-fonte]

No município de Lorena, a rodovia tem 11 km de extensão, dos quais a maior parte se localiza na planície que acompanha o rio Paraíba do Sul. Por essa razão o traçado nessa região é pouco sinuoso e tem longas retas. Ao longo de seu trajeto localizam-se grandes empresas, como a Avibras e Orica, além da Escola de Engenharia da Universidade de São Paulo. Próximo ao entroncamento com a Rodovia Presidente Dutra, a BR-459 apresenta movimento intenso de veículos por atravessar uma região urbana.

Extensão[editar | editar código-fonte]

A extensão planejada para a BR-459 passa pelos estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Em São Paulo, o traçado dessa extensão inclui um trecho que coincide com a BR-116 nos municípios de Lorena e Guaratinguetá e toda a rodovia SP-171, passando por Cunha.[2] Já no estado do Rio de Janeiro, a extensão coincide com a RJ-165, em Paraty, e com um trecho da BR-101 até Angra dos Reis, incorporando assim, aproximadamente 212 quilômetros entre os municípios de Lorena e Angra dos Reis.[2]

Referências

  1. «Mapa Multimodal - Minas Gerais» (PDF). Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes. 2009. Consultado em 28 de abril de 2014 
  2. a b c d e DER-MG. «BR-459». Consultado em 23 de junho de 2012 
  3. a b IBGE (2009). «Mapa Político do Estado de Minas Gerais» (PDF). Consultado em 27 de novembro de 2009 
  4. SETUR-MG. «Circuito Turístico Caminhos Gerais». Consultado em 6 de março de 2010 
  5. SETUR-MG. «Circuito Turístico Serras Verdes do Sul de Minas». Consultado em 6 de março de 2010 
  6. SETUR-MG. «Circuito Turístico Caminhos do Sul de Minas». Consultado em 6 de março de 2010 
  7. Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais. «Municípios Mineiros: Cachoeira de Minas». Consultado em 23 de junho de 2012 
  8. Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais. «Municípios Mineiros: Piranguinho». Consultado em 23 de junho de 2012 
  9. Camargo, José Eduardo (2008). Guia Brasil 2008. São Paulo: Abril. p. 520. ISBN 978-85-364-0193-5 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma rodovia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.