Santo Amaro da Imperatriz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Santo Amaro da Imperatriz
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Santo Amaro da Imperatriz
[[|Bandeira]]
Brasão de armas de Santo Amaro da Imperatriz
Brasão de armas
Hino
Gentílico santoamarense [1][2]
Localização
Localização de Santo Amaro da Imperatriz em Santa Catarina
Localização de Santo Amaro da Imperatriz em Santa Catarina
Santo Amaro da Imperatriz está localizado em: Brasil
Santo Amaro da Imperatriz
Localização de Santo Amaro da Imperatriz no Brasil
Mapa de Santo Amaro da Imperatriz
Coordenadas 27° 41' 16" S 48° 46' 44" O
País Brasil
Unidade federativa Santa Catarina
Região metropolitana Florianópolis
Municípios limítrofes Paulo Lopes, Palhoça, Águas Mornas, São Pedro de Alcântara, São José, São Bonifácio
Distância até a capital 33 km
História
Fundação 10 de julho de 1958 (61 anos)
Aniversário 10 de julho
Administração
Prefeito(a) Edésio Justen (PSDB, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [3] 344,049 km²
População total (Censo IBGE/2010[4]) 21 910 hab.
Densidade 63,7 hab./km²
Clima subtropical
Altitude 18 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010[5]) 0,781 alto
PIB (IBGE/2008[6]) R$ 296.778.655,94
PIB per capita (IBGE/2013[6]) R$ 29 967,34

Santo Amaro da Imperatriz é um município brasileiro na região metropolitana de Florianópolis no estado de Santa Catarina. Sua população em 2010 era de 21 910 habitantes. Possui uma área de 344 049 km². Está a uma altitude média de 18 metros. Com uma economia basicamente da agricultura, o município vem se destacando também no turismo devido ao seu grande manancial natural de águas termais.

História[editar | editar código-fonte]

A colonização de Santo Amaro da Imperatriz está ligada à descoberta da fonte de águas termais, por caçadores, em 1813. O governo imperial destacou então um contingente policial para guarda do local, já que a região era habitada por nativos que defendiam a permanência na região. Em 18 de março de 1818, o rei Dom João VI determinou a construção de um hospital – foi a primeira lei de criação de uma estância termal no Brasil. Em outubro de 1845, Santo Amaro da Imperatriz recebeu a visita do casal imperial Dom Pedro II e Dona Teresa Cristina Maria de Bourbon, que mandou construir um prédio com quartos e banheiras para os visitantes em busca de alívio para suas dores. Em homenagem à Imperatriz, a localidade, nos arredores da cidade – que se chamava Caldas do Cubatão - foi rebatizada como Caldas da Imperatriz.

Santo Amaro da Imperatriz tem 344 km² de área territorial, dos quais 72% situados em área de preservação permanente. O município está situado em posição geográfica privilegiada. Está ligado ao planalto e ao litoral catarinense pela BR-282 e é cortado pelo rio Cubatão.

O município oferece muitas opções de lazer, com suas águas termais, atrativos naturais e variadas festividades religiosas e culturais. As belezas naturais oferecidas pela natureza exibem um maravilhoso cenário. As águas termais presentes em Caldas da Imperatriz que brotam a 39 graus Celsius, foram qualificadas com uma das melhores do Mundo.

As montanhas da mata Atlântica, um santuário ecológico e as belezas do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro contribuem para que o município se torne cada vez mais atraente aos que praticam o ecoturismo.

Os esportes radicais: voo livre, motocross, canoagem em corredeiras dos rios, estão presentes no calendário de eventos, proporcionando, em algumas modalidades, campeonatos a nível nacional.

A simplicidade, o espírito trabalhador e o companheirismo dos santoamarenses contribuem também para realçar outra característica, e talvez a principal do povo do município, a hospitalidade. A hospitalidade realmente é marca registrada do povo santoamarense, e muito encantam aos turistas que aqui chegam.[carece de fontes?]

Arraial do Cubatão foi denominado o arraial que começou a ser formado por famílias que emigraram do litoral e das freguesias de São José e Enseada de Brito, no princípio do século XVIII, com a finalidade de estabelecer um entreposto comercial com a região serrana. O embrião inicial foi crescendo, pois havia a necessidade de se produzir farinha, açúcar e outros gêneros alimentícios de natureza agrícola, procurados pelos comerciantes da região serrana. Mais tarde fixaram-se no arraial cerca de 30 famílias de alemães, que se retiraram da colônia de Teresópolis.

Pelos anos de 1832 a 1839 foi levantada uma capela em honra a Sant’Ana, no lugar denominado “Morro da Tapema”. Foi nesta capela que, em outubro de 1845, o imperador e a imperatriz do Brasil foram festivamente recebidos e onde foi cantado solene Te Deum, oficiado pelo Vigário de São José, Padre Macário de Alexandria e Souza.

Em 1850, encontrando-se a capela de Sant’Ana em precárias condições, foi iniciada a construção de uma outra, no mesmo local, que tornou-se a igreja matriz.

A povoação permaneceu na condição de Arraial, até 29 de maio de 1854, quando, pela Lei Provincial nº 371, foi elevada à categoria de freguesia, com a consequente criação de paróquia, sob a invocação de Santo Amaro. Serviu de igreja matriz a então Capela de Sant’Ana existente no Arraial. Por esta Lei foram também fixados os limites da nova paróquia, desmembrada da paróquia de São José.

Hino[editar | editar código-fonte]

O hino municipal de Santo Amaro da Imperatriz tem letra de Braz Campos Araújo e melodia por Narbal Anastácio de Càssio e Brasílio Machado.

  • Hino de Santo Amaro da Imperatriz - SC

Santo Amaro de brilho te reveste,

Nesta tua fecunda existência;

E no berço tão belo em que nasceste,

"Sempre Avante" será tua tendência,

Enfeitamos as cores da bandeira,

Tens no branco a paz com a certeza,

D'um futuro risonho e de grandeza;

Minha terra querida a alvissareira...

Santo Amaro por nós muito amado,

Marchas sempre de modo alado

Tão glorioso não tens um rival,

Diz mui bem este hino imortal.

Conseguimos lutando fortemente,

A conquista da paz. tão nobremente:

Pois que desta mansão é que aclamamos,

Com orgulho o chão em que adoramos.

É aqui que teu hino se levanta.

Tão brilhante, tão forte e altaneiro:

Tantas vozes assim, se agiganta.

Pra saudar teu progresso verdadeiro...

Economia[editar | editar código-fonte]

Igreja Matriz e, ao fundo, Morro Queimado

O setor primário é o grande destaque do município, ou seja, é através da agricultura que a economia de Santo Amaro da Imperatriz se desenvolve, principalmente do cultivo do milho, do tomate e da batata.[carece de fontes?]

O setor secundário é representado pelas pequenas indústrias de artefatos de cimento, envasadora de água mineral, moveleiras, madeireiras, serralherias, esquadrias de madeira e alumínio, além de uma indústria de fibras. [carece de fontes?]

O setor terciário ocupa a segunda colocação na economia com o turismo, comércio e prestação de serviço. [carece de fontes?]

Política[editar | editar código-fonte]

Cidades-irmãs[editar | editar código-fonte]

Saúde[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Hospital São Francisco de Assis

No município, está localizado o Hospital São Francisco de Assis, que atende parte da região da Grande Florianópolis, além de outros municípios do interior do estado, com pequenas cirurgias. Porém o hospital é uma instituição filantrópica que vive de doações de empresas e pequenos recursos doados pela prefeitura.

Educação[editar | editar código-fonte]

Segundo dados da Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esportes, o município possui em sua rede de ensino onze escolas municipais, quatro escolas estaduais, sete escolas particulares, seis escolas filantrópicas, uma de ensino técnico e uma de ensino superior, totalizando 46 estabelecimentos de ensino na cidade[carece de fontes?].

Turismo[editar | editar código-fonte]

Habitada por cerca de 22 mil pessoas, a cidade de Santo Amaro da Imperatriz é calma e hospitaleira. As águas termais jorram da terra a uma temperatura de 41,5  °C, e suas propriedades terapêuticas têm fama internacional, atraindo visitantes de todo o mundo para tratamentos de saúde, descanso e rejuvenescimento.

Religião[editar | editar código-fonte]

Igreja matriz de Santo Amaro da Imperatriz

Com uma população na sua grande maioria católica, o município obtém uma das maiores paróquias da Arquidiocese de Florianópolis.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O município é área da bacia hidrográfica do rio Cubatão do Sul, que tem como seus afluentes principais o rio Vargem do Braço e o rio Matias. Dentre os principais problemas sofridos pelos rios locais estão o desmatamento, a erosão, uso de agroquímicos e a tentativa de construção de três centrais hidrelétricas que vão acabar com o ecossistema do rio e a extinção do esporte relacionado ao rio(rafting e canoagem)

Comunicação[editar | editar código-fonte]

Jornais
  • Jornal VIP (Vitrine Popular) - Jornal mais antigo sediado na cidade. Publicado toda semana, sempre nas sextas-feiras. Tiragem de 8 mil exemplares por semana, atinge aproximadamente 20 mil leitores por mês com jornal impresso.
  • Termal FM (98,3 MHz)

Academia Santoamarense de Letras[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Academia Santoamarense de Letras

Fundada em 7 de setembro de 2002, Academia Santoamarense de Letras, com sigla ASAL, é a entidade literária máxima da cidade de Santo Amaro da Imperatriz, estado de Santa Catarina, Brasil. Congrega os representantes das Letras nesta cidade.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://www.pm.sc.gov.br/noticias/ex-comandante-da-gesa-recebe-titulo-de-cidadao-santo-amarenseh.html Título de Cidadão Santoamarense
  2. http://cnpj.info/ASAL-ACADEMIA-SANTOAMARENSE-DE-LETRAS/XxVK/ Academia Santoamarense de Letras
  3. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  4. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 15 de fevereiro de 2014 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2013». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 13 de julho de 2013 
  7. Silva, Juliano (23 de fevereiro de 2017). «PROJETO DE LEI Nº 10/2.017.» (PDF). Juliano Souza da Silva. Consultado em 31 de março de 2017 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • MARTINS, Celso - Tabuleiro das Águas - Resgate histórico e cultural de Santo Amaro da Imperatriz
  • JOCHEM, Toni Vidal - Uma Caminhada de Fé - História da Paróquia Santo Amaro: Santo Amaro da Imperatriz e Águas Mornas. Santo Amaro da Imperatriz: Ed. do Autor, 2005.
  • DE ABREU MICHELUTE, Maria Eliete - A Festa do Divino Espírito Santo em Santo Amaro da Imperatriz
  • BACK, Hugolino e GRISA, Pedro A. - A cura pela Imposição das Mãos

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikisource
O Wikisource contém fontes primárias relacionadas com Hino do município de Santo Amaro da Imperatriz