Antônio Carlos (Santa Catarina)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Antônio Carlos
A Igreja Matriz de Antônio Carlos é um dos maiores templos católicos de Santa Catarina, sendo inaugurada em 1967.

A Igreja Matriz de Antônio Carlos é um dos maiores templos católicos de Santa Catarina, sendo inaugurada em 1967.
Bandeira de Antônio Carlos
Brasão de Antônio Carlos
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 6 de novembro de 1963 (55 anos)
Gentílico antônio-carlense
Prefeito(a) Geraldo Pauli (MDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Antônio Carlos
Localização de Antônio Carlos em Santa Catarina
Antônio Carlos está localizado em: Brasil
Antônio Carlos
Localização de Antônio Carlos no Brasil
27° 31' 01" S 48° 46' 04" O27° 31' 01" S 48° 46' 04" O
Unidade federativa Santa Catarina
Mesorregião Grande Florianópolis IBGE/2008 [1]
Microrregião Florianópolis IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Florianópolis
Municípios limítrofes 4 Angelina, Biguaçu, Major Gercino, São João Batista, São José e São Pedro de Alcântara
Distância até a capital 32 km
Características geográficas
Área 228,650 km² [2]
População 8 411 hab. Estimativa Populacional

IBGE/2018[3]

Densidade 36,79 hab./km²
Altitude 30 m
Clima subtropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,749 alto PNUD/2010 [4]
PIB R$ 284.734.000,00 IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 37,778 19 IBGE/2008[5]
Página oficial
Prefeitura www.antoniocarlos.sc.gov.br
Câmara www.cmac.sc.gov.br

Antônio Carlos é um município do estado de Santa Catarina. O topônimo deve-se ao político brasileiro Antônio Carlos Ribeiro de Andrada.

O atual prefeito é Geraldo Pauli (PMDB), eleito nas eleições de 2016.

História[editar | editar código-fonte]

Origens e povoamento[editar | editar código-fonte]

Em 1828 o governo imperial brasileiro deu uma ordem para ser fundada a Colônia São Pedro de Alcântara, no talvegue do rio Maruim, no município de São José, perto de Florianópolis, capital de Santa Catarina.[6]

Logo depois da ordem imperial, durante a chegada de uma grande quantidade de colonizadores foi penetrado o talvegue do rio Biguaçu, (nas proximidades do primeiro), dando início ao povoamento das terras atualmente pertencentes ao município de Antônio Carlos. Eram naturais da Alemanha (ou seja, eram os primeiros colonizadores alemães de Santa Catarina), e vieram de Bremen. Os colonizadores alemães por uma grande variedade de fatores, não tiveram sucesso de se estabelecerem no lugar onde ocorreu a fundação da colônia.[6]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Demografia[editar | editar código-fonte]

No censo demográfico de 2010, a população do município era de Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 7 458 habitantes, apresentando uma densidade populacional de 32,62 hab./km². Conforme o mesmo censo, 3 757 eram do sexo masculino (50,37%) e 3 701 do sexo feminino (49,63%). Ainda segundo o mesmo censo, 5 117 habitantes viviam na zona rural (68,61%) e 2 341 na zona rural (31,39%). Para 2018, a estimativa populacional é de 8 411 habitantes.

Religiões[editar | editar código-fonte]

Governo[editar | editar código-fonte]

Formação administrativa[editar | editar código-fonte]

Por meio da Lei nº 928, de 6 de novembro de 1963, criou-se o município de Antônio Carlos, com território que se desmembrou de Biguaçu. O novo município foi instalado no dia 21 de dezembro do mesmo ano em que foi criado.[6] O senhor Sebastião João Pauli foi o prefeito que venceu as primeiras eleições municipais.[6]

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Antônio Carlos possui apenas o distrito sede, formalmente constituído em 21 de Dezembro de 1963 (Fonte:IBGE). Destacam-se as seguintes localidades:

  • Centro
  • Canudos
  • Egito
  • Guiomar de Baixo
  • Guiomar de Dentro
  • Guiomar de Fora
  • Louro
  • Rachadel
  • Rio Farias
  • Santa Barbara
  • Santa Maria
  • Vila Doze de Outubro

Economia[editar | editar código-fonte]

Conforme se lê na página da Prefeitura Municipal de Antônio Carlos, a economia do município baseia-se na agricultura, o maior produtor de hortaliças de Santa Catarina com produção média anual de 150 mil toneladas. A agricultura é a força da economia do município. Pelo menos 80% das famílias antoniocarlenses vivem da produção e comercialização dos hortifrutigranjeiros, abastecendo 60% dos CEASA de Santa Catarina. Outros dois pontos que estão se fortalecendo na economia local são o turismo e a fábrica de refrigerantes, produzindo coca-cola. Fonte: https://www.antoniocarlos.sc.gov.br/cms/pagina/ver/codMapaItem/43356

Turismo[editar | editar código-fonte]

Cultura[editar | editar código-fonte]

Língua nacional e língua local[editar | editar código-fonte]

Ao lado da língua portuguesa, o idioma nacional e oficial do Brasil, o alemão Hunsrückisch também faz parte do histórico do município desde seus tempos pioneiros, gozando oficialmente do status de língua co-oficial.[7]

Esporte[editar | editar código-fonte]

Campeonato de Futebol Amador de Antônio Carlos[editar | editar código-fonte]

O Campeonato de Futebol Amador de Antônio Carlos é a competição de futebol amador disputada pelas equipes do município. Tem como participantes as equipes Grêmio E.C. Louro, Internacional F.C., Rio Farias F.C., Vila Doze F.C., Rachadel F.C., Bonsucesso F.C., Cruzeiro F.C., Santa Maria F.C., Olímpico F.C., S.E.R. Antonio Carlos, S.E. Estrela Azul, S.E. Canudense e S.E. Antonio Carlense.

Organizado atualmente pela Secretaria Municipal de Esportes, o campeonato é disputado desde 2002.

A atual edição do campeonato é formada por apenas oito equipes.

Desde a sua criação, apenas quatro equipes levaram o título:

Ano Campeão Vice
2002 Grêmio Louro Rachadel
2003 Bonsucesso Grêmio Louro
2004 Bonsucesso Rachadel
2005 Vila Doze Cruzeiro
2006 Vila Doze Grêmio Louro
2007 Vila Doze Cruzeiro
2008 Santa Maria Vila Doze
2009 Rachadel Santa Maria
2010 Vila Doze Cruzeiro
2011 Santa Maria Grêmio Louro
2012 Estrela Azul Santa Maria
2013 Estrela Azul Rachadel
2014 Vila Doze Santa Maria
2015 Estrela Azul Rachadel
2016 Estrela Azul Vila Doze
2017 Vila Doze Internacional
2018 Internacional Rachadel

A equipe com mais títulos é a Vila Doze.

<div class="thumb tnone" style="margin-left: auto; margin-right:auto; width:100%; max-width:Erro de expressão: caractere "[" não reconhecidopx;">

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Raulino Reitz: Alto Biguaçu: narrativa cultural tetrarracial. Florianópolis : Lunardelli, 1988.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Esimativa Populacional 2018». eSTIMATIVA Populacional. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 01 de julho de 2018. Consultado em 06 de novembro de 2018  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 25 de agosto de 2013 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. a b c d El-Khatib, Faissal (1970). História de Santa Catarina. 4. Curitiba: Grafipar. p. 14 
  7. Lista de municípios em Santa Catarina tendo línguas co-oficiais, incluindo alemão padrão e seus dialetos pomerânio e hunsrückisch

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Santa Catarina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.