Angelina (Santa Catarina)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Angelina
Bandeira de Angelina
Brasão de Angelina
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 1860 (157 anos)[1]
Gentílico angelinense
Lema Angelina, Vale das Graças
Prefeito(a) Gilberto Orlando Dorigon (PMDB)
(2017–2020)
Localização
Localização de Angelina
Localização de Angelina em Santa Catarina
Angelina está localizado em: Brasil
Angelina
Localização de Angelina no Brasil
27° 34' 08" S 48° 59' 06" O27° 34' 08" S 48° 59' 06" O
Unidade federativa  Santa Catarina
Mesorregião Grande Florianópolis IBGE/2008 [2]
Microrregião Tijucas IBGE/2008 [2]
Região metropolitana Florianópolis
Municípios limítrofes Águas Mornas, Antônio Carlos, Leoberto Leal, Major Gercino, Rancho Queimado, São Pedro de Alcântara
Distância até a capital 70 km
Características geográficas
Área 499,947 km² [3]
População 5 250 hab. Censo IBGE/2010[4]
Densidade 10,5 hab./km²
Altitude 450 m
Clima Temperado quente, com temperatura média entre 10°C e 27°C
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,766 elevado PNUD/2000 [5]
PIB R$ 54 365,988 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 10 001,10 IBGE/2008[6]
Página oficial
Prefeitura www.angelina.sc.gov.br

Angelina é um município brasileiro do estado de Santa Catarina. Localiza-se a uma latitude 27º34'07" sul e a uma longitude 48º59'07" oeste, estando a uma altitude de 450 metros. Sua população estimada em 2006 era de 5 412 habitantes. Possui uma área de 499,947 km².

História[editar | editar código-fonte]

Origens e povoamento[editar | editar código-fonte]

A história de Angelina começa em 1845, com a família Garcia, que fixa residência naquelas terras. Mais tarde Garcia passa a se chamar um distrito do município.[7]

Inicialmente a colônia foi denominada Colônia Nacional, sendo reservada para nativos da região e descendentes de imigrantes açorianos da Villa de São José. Em 1858 chegaram os primeiros imigrantes alemães, vindos das colônias vizinhas de Sacramento, Santa Isabel e São Pedro de Alcântara, que batizaram o lugar com o nome de Villa Mundéus (armadilha rudimentar de caça usada na época). Além dos alemães, a Villa também abrigou imigrantes oriundos de Luxemburgo, França, Bélgica, Holanda, Itália e Polônia, que ali chegaram em torno de 1862. O encarregado de medir e demarcar os lotes da colônia e seu primeiro diretor foi o engenheiro agrimensor Carlos Othon Schlappal.[7]

Formação administrativa[editar | editar código-fonte]

Foto de Angelina

Em 1891 torna-se distrito de São José e recebe o nome de Angelina, em homenagem ao então presidente do Conselho de Ministros do Rio de Janeiro, Ângelo Moniz da Silva Ferraz (Barão de Uruguaiana). Depois de 70 anos, a cidade de Angelina tornou-se a capital do município no dia 7 de dezembro de 1961, por força da Lei Estadual nº 781 daquela data. A instalação do município ocorreu por volta do data de 30 de dezembro de 1961.[7] O primeiro prefeito escolhido sob nomeação do governo estadual foi o senhor Holvart Buck, sendo sucedido pelo senhor Antonio Francisco Machado. O primeiro prefeito que venceu as primeiras eleições municipais foi o senhor Osmar Celso Köerich.[8]

Atualmente seus distritos são Garcia, Barra Clara e Angelina. E suas principais localidades são Rio Fortuna, Betânia (ex Rio Perdidas), Rio Engano, Rancho de Táboa, Linha dos Chaves, Palhocinha, Centro e Quarta Linha.[7]

Diretores da colônia[9][editar | editar código-fonte]

Diretor Nomeação Exoneração
Carlos Othon Schlappal 1860 1869
Manuel Antônio de Faria 3 de novembro de 1868
Joaquim José de Sousa Corcoroca 19 de junho de 1869 novembro de 1873
Firmino José Correia, interino
Gaspar Xavier Neves 17 de dezembro de 1873 17 de novembro de 1876
José Cândido Duarte Silva 17 de novembro de 1876 1879
Alberto d'Aquino Fonseca 1879 3 de dezembro de 1881

Emancipada a colônia, em 3 de dezembro de 1881[10], extinguiu-se automaticamente o cargo de diretor da colônia.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Página da Prefeitura Minicipal de Angelina
  2. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  3. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  4. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  7. a b c d Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. «Histórico». Cidades@. Consultado em 7 de maio de 2015 
  8. El-Khatib 1970, p. 13
  9. Walter Piazza
  10. Relatório com que o exmo. sr. desembargador João Rodrigues Chaves passou a administração da província ao exmo. sr. dr. Joaquim Augusto do Livramento, 3º vice-presidente, em 9 de março do 1882, página 58

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Santa Catarina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.