Chapecó

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Chapecó
"Capital do Oeste"
"Capital da Agroindústria"
"Capital do Turismo de Negócios"
Bandeira de Chapecó
Brasão de Chapecó
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 25 de agosto
Fundação 25 de agosto de 1917 (101 anos)
Gentílico chapecoense
Padroeiro(a) Santo Antônio de Pádua
CEP 89800-000 até 89816-999
Prefeito(a) Luciano Buligon (DEM)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Chapecó
Localização de Chapecó em Santa Catarina
Chapecó está localizado em: Brasil
Chapecó
Localização de Chapecó no Brasil
27° 06' 17" S 52° 36' 51" O27° 06' 17" S 52° 36' 51" O
Unidade federativa Santa Catarina
Mesorregião Oeste Catarinense IBGE/2008 [1]
Microrregião Chapecó IBGE/2008 [1]
Região intermediária

Chapecó

Região imediata

Chapecó

Região metropolitana Região Metropolitana de Chapecó
Municípios limítrofes Norte:Cordilheira Alta, Xaxim, Coronel Freitas. Oeste: Guatambu, Planalto Alegre, Nova Itaberaba. Leste: Arvoredo, Seara, Paial. Sul: Nonoai e Erval Grande (RS)
Distância até a capital 550 km
Características geográficas
Área 626,060 km² (BR: 2090º)[2]
Área urbana 36,1 km² (BR: 86º) – est. Embrapa[3]
População 216 654 hab. (SC: 5º; BR: 134º) –  IBGE/2018[4]
Densidade 346,06 hab./km²
Altitude 670 m
Clima Subtropical Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,790 alto PNUD/2010[5]
PIB R$ 8 317 903 mil IBGE/2016[6]
PIB per capita R$ 39 693,55 IBGE/2016[6]
Página oficial
Prefeitura https://www.chapeco.sc.gov.br/
Câmara http://www.cmc.sc.gov.br/cmc/portal/

Chapecó é um município do estado de Santa Catarina, na Região Sul do Brasil. Sendo um importante centro industrial, financeiro e educacional, é uma grande produtora de produtos alimentícios industrializados. Considerada uma cidade média, com uma população estimada em 216 654 habitantes, figura entre as quatro principais cidades do estado. Sedia a Região Geográfica Intermediária de Chapecó e a Região Geográfica Imediata de Chapecó.

Distante aproximadamente 550 km da capital estadual, Florianópolis, é sede da Região Metropolitana de Chapecó[7][8], e exerce significativa influência não só no Oeste Catarinense mas também no Noroeste Gaúcho e Sudoeste do Paraná, seja do ponto de vista econômico, cultural, ou político.[9]

Chapecó ficou mundialmente conhecida após o acidente aéreo envolvendo a Associação Chapecoense de Futebol[10], clube local.

Ostenta os títulos de "Capital da Agroindústria", "Capital do Oeste" e "Capital do Turismo de Negócios". Foi totalmente planejada, e seu traçado é em forma de xadrez.

Também é um polo universitário, atraindo estudantes de todo o Brasil. É a cidade sede da Universidade Federal da Fronteira Sul. Outras instituições de ensino importantes são a Universidade do Estado de Santa Catarina, UNOCHAPECÓ e UNOESC.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A raiz etimológica do município é controversa. Segundo Lucas Boiteux, o topônimo vem da língua caingangue e é composto dos radicais echa, "vista, avistamento", apé "caminhar" e , "roça", isto é, "pequeno local onde é avistado o caminho da roça".[11] Uma outra versão similar, é uma afirmação de que eçá, cujo significado é "olhos, vista" e pecó, cujo significado é frequente, isto é, o que é frequentemente avistado.[11] Por sua vez, Telêmaco Borba foi defensor da ideia de uma outra seguinte raiz etimológica: cha, cachoeira, embetcó, modo de caça noturna aos ratos com fachos, isto é, cachoeira onde são noturnamente caçados ratos com fachos, isto é, cachoeira onde são noturnamente caçados ratos, com fachos luminosos.[11]

História[editar | editar código-fonte]

Origens, disputas territoriais e tratados internacionais[editar | editar código-fonte]

Datam da metade do século XVII, as primeiras viagens pela região. Os mamelucos paulistas dirigindo-se para as povoações indígenas (construídas sob organização dos jesuítas espanhóis), caçavam indígenas para transformá-los em escravos.[12]

Com o Tratado de Madri, assinado entre Portugal e Espanha, comissões mistas daqueles dois países estiveram pela área entre os anos de 1775 e 1777, quando foi localizado o rio Peperi-Guaçu (atual fronteira Brasil-Argentina).[13] O Rio Chapecó e as nascentes destes, foram exploradas pelo espanhol Gondim, geógrafo que integrava a comissão, veio ao Jangada (tributário da margem esquerda do rio Iguaçu) e entendeu que essa era a fronteira da Espanha com Portugal.[13] Surgiu daí a longa pendência de limites (Questão de Limites),[13] somente solucionada em 1895,[12] em favor do Brasil, tendo como árbitro o presidente americano Grover Cleveland.[12]

Antes, para que a posse brasileira fosse garantida, foi criada na região oeste de Santa Catarina, a Colônia Militar de Chapecó, com sede em Xanxerê, fato que ocorreu em 1859 mas somente em 1882 instalou-se a colônia, dirigida pelo então capitão (mais tarde marechal), Bernardino Bormann.[12] Entre 1943 e 1946, Chapecó, que então abrangia inteiramente o oeste do estado, pertencia ao Território do Iguaçu.[13] Logo depois do Acordo de Limites entre o Paraná e Santa Catarina a 20 de outubro de 1916, Chapecó entregou-se a Santa Catarina.[13][12]

Antes o nome da cidade "Chapecó", como é de origem indígena seu nome era escrito: Xapecó, mas como tempo o governo da cidade preferiu mudar o X para CH e assim ficou até os dias de hoje.

Formação administrativa e história recente[editar | editar código-fonte]

Foi elevado à categoria de município, por meio da Lei nº 1147, de 25 de agosto de 1917. O município foi instalado em 14 de novembro do mesmo ano, porém, a sede municipal andou em garupas de tropas, sendo estabelecida ora em Passo dos Índios (Chapecó), demais vezes em Xanxerê e Passo Bormann. Somente em 1931 fixou-se definitivamente, onde atualmente está assentada a cidade.[13] Dessa data em diante, a chegada de gaúchos (acima de tudo descendentes de italianos e alemães), incrementou o povoamento de Chapecó,[13] então com uma área de grande extensão territorial e que atualmente se reduziu a quase 1 000 km².[13] As principais atividades econômicas do município são a agricultura, a indústria, a madeira e a pecuária, fazendo de Chapecó, um dos municípios com maior população, PIB e IDH de Santa Catarina.[13]

Até os últimos dias de 1953, Chapecó era um grande município, com área passando além dos 14 000 km².[13] Sua história é a verdadeira história do oeste de Santa Catarina, do qual é "capital regional", também por conter, de alguns anos, uma espécie de sub-governo, a Secretaria de Estado dos Negócios do Oeste.[13]

Um dos fatos históricos de maior relevância da cidade foi o Linchamento de Chapecó, ocorrido em 1950, em que quatro homens, acusados de terem incendiado a igreja matriz, foram arrebatados na cadeia pública, linchados e queimados vivos na praça da cidade.[14] A íntegra do processo do Linchamento foi disponibilizada pelo Ministério Público em 2017.[15] O Memorial do Ministério Público contém livro com entrevista com o promotor do caso à época.[16] O livro "O linchamento que muitos querem esquecer", da Professora Mônica Hass, de 2013, realizou ampla pesquisa história sobre o fato. Em 2018 o escritor Jean Vilbert lançou "A dança dos incêndios", romance histórico que se passa no período e retrata com fidelidade os acontecimentos.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Chapecó está localizada no sul do Brasil, e no oeste do estado brasileiro de Santa Catarina. Situa-se a aproximadamente 550 km a oeste da capital estadual Florianópolis e a 203 quilômetros a leste de Bernardo de Irigoyen na fronteira Brasil - Argentina. Sedia a Região Geográfica Imediata de Chapecó e a Região Geográfica Intermediária de Chapecó.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o município tem uma área de 626,060 km² sendo que a área urbana possui 36,1 km². Em função da extensão de sua área total, Chapecó atualmente é uma das maiores cidades catarinenses tanto em área quanto em população, embora no início do século XX tenha sido ainda maior compreendendo quase toda a região hoje conhecida como Oeste catarinense. Os limites de Chapecó cresceram com a gradual anexação de cidades vizinhas, como Xaxim, Cordilheira Alta, Guatambu e Nova Itaberaba, antigos distritos da cidade de Chapecó.

Chapecó é a sede da Região Geográfica Intermediária de Chapecó, uma das sete regiões intermediárias do estado brasileiro de Santa Catarina. São 109 cidades, incluindo as que fazem parte da região metropolitana de Chapecó, que juntas somam uma população aproximada de 1 264 554 habitantes. Xanxerê, Concórdia, Joaçaba e São Miguel do Oeste são as cidades mais populosas e importantes da região.[17] O município faz parte do planalto Meridional do Brasil sendo suas características: 40% plano e Suave Ondulado; 20% ondulado; 30% forte ondulado; 10% montanha e escarpado.

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia, a menor temperatura registrada em Chapecó foi de -4,5 °C em 14 de julho de 2000,[18] e a maior atingiu 37,7 °C em 12 de março de 2005.[19] O maior acumulado de precipitação em 24 horas atingiu 146,7 mm em 20 de maio de 1983.[20] O mês de maior precipitação foi julho de 1983, com 684,8 mm.[21] O índice mais baixo de umidade relativa do ar foi registrado nas tardes dos dias 24 de abril de 1978, 29 de junho de 1994 e 21 de julho de 2000, de 15%.[22]

Dados climatológicos para Chapecó
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 35,4 35,6 37,7 32,4 30 28 28,8 33 34 35,4 37,2 37 37,7
Temperatura máxima média (°C) 29,3 28,7 28,1 25,2 21,7 20,2 20,1 22,3 23 25,7 27,5 28,9 25,1
Temperatura média compensada (°C) 23,5 22,9 22 19,3 15,9 14,8 14,4 16,1 17,1 19,8 21,4 23 19,2
Temperatura mínima média (°C) 18,9 18,7 17,7 15,1 12,1 11,2 10,3 11,7 12,6 15,2 16,3 18 14,8
Temperatura mínima recorde (°C) 11 11,4 6,3 1 -0,6 -1,6 -4,5 -4 -1 3,2 6 8 -4,5
Precipitação (mm) 177,6 210,1 131,9 172,1 174,1 159,1 191,4 141,9 194,2 246,9 157,2 168,1 2 124,6
Dias com precipitação (≥ 1 mm) 11 11 9 9 9 9 9 8 10 11 9 9 114
Umidade relativa compensada (%) 72 75,5 74,7 76 77,9 77,6 74,2 68,2 70,9 72 68 68,3 72,9
Horas de sol 220,6 189,1 212,5 188,5 174,8 146,8 166,9 179,9 163,4 188,1 227,2 226 2 283,8
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (normal climatológica de 1981-2010;[23] recordes de temperatura: 01/07/1973 a 31/12/1985, 01/01/1988 a 31/12/1989 e 01/01/1992 a 31/01/2017)[18][19]

Bairros[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Bairros de Chapecó

O município é composto pelo distrito Sede e pelos distritos de Alto da Serra, Marechal Bormann, Goio-ên e Sede Figueira. O distrito Sede de Chapecó possui atualmente 50 bairros espalhados pelas zonas Norte, Sul, Leste, Oeste e Central de acordo com o Novo Plano Diretor de 2014. [24][25]

527.986x527.986px
  • Água Santa
  • Alvorada
  • Araras
  • Autódromo
  • Bela Vista
  • Belvedere
  • Boa Vista
  • Bom Pastor
  • Bom Retiro
  • Campestre
  • Centro
  • Cristo Rei
  • Desbravador
  • Dom Gerônimo
  • Dom Pascoal
  • Efapi
  • Eldorado
  • Engenho Braun
  • Esplanada
  • Fronteira Sul
  • Industrial
  • Jardim América
  • Jardim Europa
  • Jardim Itália
  • Jardins
  • Lajeado
  • Líder
  • Maria Goretti
  • Monte Belo
  • Palmital
  • Paraíso
  • Parque das Palmeiras
  • Passo dos Fortes
  • Pinheirinho
  • Presidente Médici
  • Progresso
  • Quedas do Palmital
  • Saic
  • Santa Maria
  • Santa Paulina
  • Santo Antônio
  • Santos Dummond
  • São Cristóvão
  • São Lucas
  • São Pedro
  • Seminário
  • Trevo
  • Universitário
  • Vila Real
  • Vila Rica

Municípios vizinhos[editar | editar código-fonte]

Está localizada no Oeste Catarinense, na inserção da bacia hidrográfica do rio Uruguai, cujo curso define a divisa com o estado do Rio Grande do Sul. Os municípios vizinhos são, basicamente, antigos distritos desmembrados.

Demografia[editar | editar código-fonte]

As estimativas populacionais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística de 2018 relatou que Chapecó tinha uma população de 216 654 habitantes.

A região sempre foi alvo de disputas, devido à sua importância estratégica como região de fronteira. Durante a Guerra do Contestado, foram usados, pela primeira vez na história da América, aviões para fins de reconhecimento e apoio a operações de guerra. Colonizada por imigrantes italianos e alemães, principalmente, provenientes do Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo e litoral de Santa Catarina, a cidade hoje atrai vários habitantes graças ao seu desenvolvimento.

Evolução Populacional de Chapecó desde 1970
Fonte: IBGE Censo 1970 - 2010 (2016 - Estimativa da População) (Em 1991 - 1992 houve o desmembramentos dos municípios de Cordilheira Alta, Guatambú e Nova Itaberaba) - IBGE Censo [26] IBGE Estimativa Populacional [27]


É uma das cidades com maior número (em porcentagem) de prédios de Santa Catarina. Segundo o IBGE, Chapecó tem quase 16% da sua população morando em apartamentos, ganhando em porcentagem de cidades como Joinville, Itajaí e Blumenau. Além disso, a cidade ganha de sua capital em edifícios de maior tamanho, e para complementar, está em construção o edifício Urban, com 41 Pavimentos, que será o maior do Oeste do Estado.

Prédios na região central da cidade
Vista da av. Nereu Ramos
Centro de Chapecó, altamente verticalizado
Edifícios em Construção em Chapecó
Edifício Andares Subsolos Pavimentos Totais
Urban 38 03 41
Zenith Tower 37 01 38
Vila Zenaide 36 01 37
The One Residence 35 01 36
ICON Residence 33 02 35
Avant Garde 33 01 34
Felicitá 32 02 34
Condá Tower 32 01 33
Onno-Studio Home 31 01 32
Evidence Residential 30 - 30
London 28 02 30
Nereu Ramos 28 02 30
Bocaiúva\139 28 02 30
Centenaro Residence 27 - 27
Pio XII 26 - 26
Venturo Multiempresarial 25 - 25
Il Centenário 24 00 24
Boulevard Business Center 24 - 24
Luxury Home Club 23 02 25
Minas Gerais 23 - 23
Pienza 22 00 22
Central Offices Chapecó 21 00 21
Lumierè 21 - 21
Kennedy 20 - 20
Savoia 20 00 20
Em construção
Proposto/pré-lançamento
Em fase de conclusão

Andares - Pavimentos contados desde o nível do solo.

Subsolo - Pavimentos abaixo do nível do solo.

Pavimentos totais - Todos os pavimentos somados entre andares e subsolos.

" - " - Quantidade não estabelecida pela construtora, ou não presente no projeto.


Religião[editar | editar código-fonte]

Tal qual a variedade cultural verificável em Chapecó, são diversas as manifestações religiosas presentes na cidade. Embora tenha se desenvolvido sobre uma matriz social eminentemente católica, tanto devido à colonização quanto à imigração - e ainda hoje a maioria dos chapecoenses declara-se católica, é possível encontrar atualmente na cidade dezenas de denominações protestantes diferentes, assim como a prática do judaísmo, espiritismo entre outras.[28]

A Catedral Santo Antônio está localizada no centro da cidade. A construção foi inaugurada em 8 de dezembro de 1956, possuindo duas torres com quarenta metros de altura.

Composição étnica[editar | editar código-fonte]

Etnias Percentagem[29]
Branca 83,75%
Parda 12,83%
Negra 2,20%
Indígena 0,62%
Amarelo 0,08%
Sem definição 0,87%

Economia[editar | editar código-fonte]

O município de Chapecó possui 216 654 habitantes e aproximadamente 400 000 habitantes na Região Metropolitana de Chapecó,[30] sendo a cidade polo desta região do estado, onde existem cerca de duzentos municípios, que juntos somam mais de 2 milhões de habitantes. Nessa região do estado foram construídas e ainda estão instaladas algumas unidades industriais processadoras e exportadoras de carnes de suínos, aves e derivados. Chapecó é conhecida como a capital brasileira agroindustrial, a cidade é sede da Cooperativa Aurora Alimentos e possui uma unidade da Brasil Foods S.A., que em sua unidade produz um dos seus maiores produtos desde 1973 (40 anos) o peru, campeão em exportação e venda, por isso capital do Peru, ganhando vários certificados ISO, sendo o primeiro da marca Sadia, na década de 90.

Seu parque industrial é diversificado, sendo que os setores que mais se destacam o metalmecânico (que vem se especializando na produção de equipamentos para frigoríficos), o de plásticos e embalagens, transportes, móveis, bebidas, software e biotecnologia. A construção civil e o comércio são também importantes fonte de renda.

A região tem grandes perspectivas derivadas da posição central no Mercado Comum do Sul, do alto potencial e da disponibilidade de energia elétrica, das condições favoráveis para a produção agropecuária, dentre outros fatores.

Em 10 anos, o Produto Interno Bruto (PIB) de Chapecó passou de 1 727 412 em 2001 para 4 505 579 em 2011 (em mil reais). Seu PIB per capita mais que dobrou. São 8500 empresas atuantes e contando com filiais em outras cidades com sede em Chapecó vai para 9000 empresas, ou seja mais de 500 filiais.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Avenidas, rodovias e projeto de ferrovia[editar | editar código-fonte]

Avenida Getúlio Vargas

Chega-se a Chapecó pelas rodovias BR-282, BR-480 e BR-283. Para a entrada no centro e nos bairros próximos, o principal acesso é o Plínio Arlindo de Nês, na Zona Norte. Entre as principais avenidas estão a Getúlio Vargas, principal zona comercial da cidade; General Osorio, que liga o centro ao acesso para o Rio Grande do Sul; Atílio Fontana e São Pedro, que ligam o centro e o contorno viário oeste à zona oeste e municípios vizinhos.

O Anel Viário de Chapecó irá contornar a cidade no sentido leste-oeste, e desviar do centro principalmente o tráfego de cargas pesadas, que hoje exige manutenção e reparos constantes nas pistas. É uma rodovia com pista simples. A parte oeste do contorno foi concluída no dia 24 de maio de 2013 (excluindo o viaduto). O projeto da parte leste está pronto, mas a falta de recursos impede a execução da obra. Esta parte contará com 22 km de pista simples que interligará a SC-480 (saída para o Rio Grande do Sul) á BR-480, além de uma outra parte que ligará à BR-282 (saída para Cordilheira Alta) e terá cerca de dois trevos, três viadutos, seis interseções, trinta e seis paradas de ônibus e dezenove acessos projetados para ligar comunidades e propriedades rurais[31].

Viaduto de acesso à BR-282, em construção

Outro projeto é a Ferrovia da Integração, também conhecida como Ferrovia do Frango, que interligará Dionísio Cerqueira ao porto de Itajaí passando por Chapecó, e algumas outras cidades como Xanxerê, Joaçaba, Rio do Sul e Blumenau. A previsão é que em dois anos o traçado seja defino e as obras comecem.

Aeroporto[editar | editar código-fonte]

Sendo o maior aeroporto regional do país, em fase de ampliação e modernização, a cidade contará com um dos maiores e mais importantes aeroportos da Região Sul do Brasil. O Aeroporto Municipal Serafin Enoss Bertaso está em vias de internacionalização, recebendo cerca de 450 000 passageiros por mês, transportando cerca de 90 toneladas de mercadorias e movimenta cerca de 750 aeronaves mensalmente. Opera com as companhias aéreas: Avianca Brasil, Azul Linhas Aéreas e Gol Linhas Aéreas. Possui vôos diários para cidades como Florianópolis, São Paulo, Campinas e Porto Alegre.

Aeroporto municipal

Terminal rodoviário[editar | editar código-fonte]

A cidade conta com uma confortável rodoviária, com linhas para todas as cidades catarinenses e para as principais cidades brasileiras. Dispõe de atendimento 24h e tem como principais empresas operantes: Unesul, Reunidas, Planalto e Ouro e Prata.

Terminal rodoviário

Transporte público[editar | editar código-fonte]

Atualmente o transporte público conta com 24 linhas, sendo realizado por duas empresas (Auto Viação, responsável pela maioria do serviço e Tiquin). Mensalmente, o transporte abrange, aproximadamente, 1 milhão de passageiros.

No dia 23 de julho de 2018 foi lançado o novo edital do transporte coletivo Urbano[32] que prevê a construção de novos abrigos e parada de ônibus, 02 novos terminais rodoviários urbanos (Av. São Pedro e Efapi). Sistema de Bilhetagem Eletrônica, aplicativo para que a população possa ver simultaneamente a localização do ônibus e horários, dentre outros. A empresa que vencer essa licitação deverá fornecer todas essas exigências, além de ter o desafio de equilibrar a qualidade da prestação de serviço e o preço

Hotéis[editar | editar código-fonte]

A infraestrutura de Chapecó inclui um setor hoteleiro bem desenvolvido com 33 empreendimentos com mais de 2 500 leitos. Os principais hotéis da cidade incluem: Hotel Lang Palace, Hotel Bertaso, Holiday & Business Hotel, Ibis Chapecó, Mogano Business Hotel e Mogano Premium Hotel. E em contrução três grandes redes: Hotel Hi! (Intercity), Rio by Bourbon (Grupo Bourbon) e Hotel Slaviero (Grupo Slaviero).

Shopping[editar | editar código-fonte]

Localizado na zona norte, o Shopping Pátio Chapecó é um empreendimento construído pela AD Shopping, inaugurado em 04 de Outubro de 2011[33]visando o entretenimento e o alto poder de consumo da população do oeste catarinense. O Shopping é considerado um dos principais pontos de Chapecó, atraindo mais de um milhão de consumidores potenciais por mês. Com aproximadamente 137 lojas satélites, 05 lojas âncoras e 08 megalojas, conta com arquitetura moderna e praça de alimentação de alto nível com franquias conhecidas mundialmente. O shopping conta também com modernas salas de cinema, duas delas com tecnologia 3D, operadas pela Arcoplex. As quatro salas permitem a exibição de até sete filmes simultaneamente. O shopping é uma ótima opção de lazer a todos os chapecoenses e também, claro, a todos os turistas do sul do Brasil.

Comércio[editar | editar código-fonte]

Chapecó possui muitas lojas sendo a maioria espalhada ao longo da Avenida Getúlio Vargas, principal avenida do município. Entre as principais lojas estão a Havan, Magazine Luiza, Schumann, Casas Bahia, entre várias outras. O comércio é uma importante fonte de renda para a cidade. Ainda no primeiro semestre de 2019, as duas maiores redes de fast food do mundo irão inaugurar a segunda unidade de cada restaurante na cidade, (ambas já atuam na cidade com restaurantes no Shopping Pátio), em formato Drive-Thru, sendo o Burger King construído na Av. Getúlio Vargas (Antigo Barylan) e com previsão de inauguração para maio de 2019 e o McDonald's, que ainda não divulgou a localização da unidade, mas especula-se que, o mesmo, seja construído no terreno onde fica o antigo Posto Guri, na principal avenida chapecoense.

Na área de supermercados e hipermercados, Chapecó conta com o Hipermercado Big e o Maxxi Atacado, ambos da Rede Walmart; Atacadão, pertencente ao Grupo Carrefour e o Fort Atacadista do Grupo Pereira; e duas principais e importantes redes: Celeiro Supermercados (3) e Brasão Supermercados (3). Esta última rede, construirá sua 4ª unidade na cidade em 2019 (Brasão Deodoro), assim como o novo Hipermercado Celeiro Centro Sul.

Educação[editar | editar código-fonte]

Na área do ensino fundamental e ensino médio, o município conta com mais de 180 estabelecimentos e cerca de 2 200 profissionais. Do total de jovens e adultos que estudam em Santa Catarina, 20% estuda em Chapecó. Entre as principais instituições de ensino técnico estão presentes o Instituto Federal de Santa Catarina, Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial e Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial.

São mais de 10 000 estudantes universitários, distribuídos em mais de 50 cursos de graduação e de pós-graduação latu e strictu sensu. As áreas mais procuradas são medicina, agronomia, jornalismo, design de moda, direito, economia, administração de empresas, ciências da computação, contabilidade, biologia, enfermagem, engenharias civil, de alimentos e química, farmácia, fisioterapia, e zootecnia. Entre as principais universidades e instituições de ensino superior situadas no município, está a Universidade Federal de Santa Catarina, Universidade Federal da Fronteira Sul, Universidade do Estado de Santa Catarina , Universidade Comunitária Regional de Chapecó e Universidade do Oeste de Santa Catarina.[34][35]

Saúde[editar | editar código-fonte]

Chapecó possui um bom sistema de saúde. Contém dois hospitais públicos (Hospital Regional do Oeste e Hospital da Criança) e um particular da Unimed, além de duas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e inúmeros postos de saúde e clínicas espalhados pelo município. Assim, se torna uma referência da saúde na região.

Esportes[editar | editar código-fonte]

Chapecó conta com boas áreas para práticas desportivas. A cidade já se destacou no cenário nacional com grandes atletas e equipes de ciclismo, vôlei, atletismo, handebol, xadrez, natação, judô, etc. A equipe de futsal da cidade disputa a liga nacional. A cidade conta ainda com um dos melhores autódromos de terra do estado de Santa Catarina e sedia duas etapas do estadual de automobilismo e eventos automobilísticos regionais.

Vista Panorâmica do estádio da Chapecoense

Futebol[editar | editar código-fonte]

O futebol é a grande paixão dos chapecoenses. A Associação Chapecoense de Futebol, conhecida entre seus torcedores como furacão do oeste, Chape e verdão, equipe hexacampeã catarinense, tem como último título o Campeonato Catarinense de Futebol de 2017 - Série A. Tem, como sede, a Arena Condá, maior estádio do estado de Santa Catarina, com capacidade para mais de 22 000 pessoas, localizada na Zona Leste da cidade. A equipe, em uma ascensão significativa,[36] depois de três anos consecutivos na Série C do Campeonato Brasileiro (2010, 2011 e 2012), alcançou a segunda divisão em 2013, tendo sido classificada para disputar o Brasileirão da Série A em 2014, se mantendo na elite até os dias atuais.

Atualmente a equipe está entre os melhores times da América do Sul, tendo alcançado às quartas-de-final da Copa Sul-Americana de 2015 e conquistado vaga para a final da Copa Sul-Americana de 2016, duas excelentes campanhas em dois anos consecutivos.

No dia 29 de novembro de 2016, a equipe da Associação Chapecoense de Futebol sofreu um acidente aéreo na Colômbia, a caminho do jogo mais importante de sua história, em que 71 membros da equipe, incluindo jogadores e comissão técnica, faleceram, além de profissionais de imprensa e tripulantes.[37] Uma onda de comoção se abateu no futebol mundial, rendendo homenagens ao clube, inclusive do Atlético Nacional, clube com o qual disputaria a final, que cedeu o título à equipe catarinense.[38]

No futebol de salão feminino, a equipe de Chapecó é bicampeã mundial, conquistando seus títulos em 2009 e 2010.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Av. Getúlio Vargas: um dos principais endereços de bares e restaurantes.

O município é polo turístico com dezenas de opções para diversão, com destaque para o tradicionalismo, monumentos, eventos, natureza e agroturismo. Conta com uma moderna infraestrutura hoteleira e gastronômica.

Vida noturna e eventos[editar | editar código-fonte]

Por ser uma das principais cidades da região da fronteira sul, e conter um número significativo de jovens devido às universidades, Chapecó hoje conta com diversas opções de clubes, bares, pubs, restaurantes e eventos.

A cidade realiza, periodicamente, importantes eventos, destacando-se as feiras especializadas ou multissetoriais. O Parque de Exposições Tancredo de Almeida Neves é reconhecido como um dos melhores parques de exposições do Sul do País e o maior de Santa Catarina. Possui uma área de 210 mil m², que, aliado à boa estrutura de hotéis e restaurantes da cidade, viabiliza eventos durante todo o ano.

Pouco a pouco, também, é crescente o número de apresentações, não governamentais, no Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nês, como exibições de dança, música, artes, etc. Destacam-se óperas realizadas pela Camerata Florianópolis, Encontro Brasileiro de Orquestras, Dança Chapecó e Arte Conexão, promovido pela Escola de Artes de Chapecó, dentre outros.

Dentre os principais eventos de Chapecó, podemos citar a Exposição Feira Agropecuária, Industrial e Comercial (Efapi), o Acampamento Farroupilha (o mair fora do Rio Grande do Sul, a Mercomóveis (Feira Mercosul de Indústria de Móveis), o Salão Brasileiro da Suinocultura, e a Feira Internacional de Processamento e Industrialização da Carne (Mercoagro). Na área de decoração, acontece a Mostra de Arquitetura, Decoração, Design e Paisagismo (Mostra Casa Chapecó). Entre os eventos da área cultural e artística acontecem a Festa das Nações, o Rodeio Artístico Internacional Cidade de Chapecó, a Festa do Leitão Light, a Kerbfest, a Wurstfest - Festa da Linguiça, a Festa do Frango e Peru, a Festa da Colonização Italiana, o Dança Chapecó, Festival Sulbrasileiro de Dança, Parada LGBTQ, a Novemberfest, o Rodeio Artístico e Crioulo Nacional, e a Feira Internacional de Cultura e Artesanato Mãos da Terra.

Como exemplos de feiras e eventos profissionais e de negócios, pode-se mencionar a EXPEN - Feira de Multissoluções em Gestão, a AMBIENTALIS - Conferência e mostra de sustentabilidade, o Congresso Sulbrasileiro Multiprofissional em Saúde, serviços e tecnologia, a Interleite, a Logistique - Feira internacional de logística, serviços, transporte e comércio exterior, a Mercoláctea, a Metalplast, a Projetec - Feira de projetos e tecnologias da construção civil e habitação, o Simpósio Brasil Sul de Suinocultura, e o Supermarket.[39][40]

Pontos turísticos[editar | editar código-fonte]

Catedral Santo Antônio[editar | editar código-fonte]

Catedral Santo Antônio

É um dos principais pontos de referência de Chapecó. Ao redor dela se desenvolveu a cidade. Sua história é muito interessante, entregando, bastante conturbada. Em menos de 90 anos ela já foi saqueada, queimada e reduzida a cinzas, reconstruída, reforma e recentemente passou por uma reforma interna. Apesar de não ser uma igreja centenária, como em outras cidades, ela possui lindos vitrais e pinturas, tornando-se uma ótima opção para turistas que visitam a cidade.


Monumento: O Desbravador[editar | editar código-fonte]

O Desbravador

Situado no perímetro urbano, foi inaugurado em 25 de agosto de 1981 com o objetivo de homenagear os primeiros desbravadores que colonizaram e construíram o município. Criado pelo artista plástico Paulo de Siqueira, mostra a figura de um gaúcho empunhando um machado, simbolizando o trabalho. Na mão esquerda, está um louro simbolizando os papagaios da região. O monumento possui catorze metros de altura, 5,70 metros de largura e pesa nove toneladas. A obra é um cartão de visitas e ponto de identificação da cidade. Na base do monumento, está o Memorial Paulo de Siqueira.

Arena Condá[editar | editar código-fonte]

Em 2008, o Estádio Regional Índio Condá foi remodelado, com a demolição de suas alas e a construção de novas alas. Esse processo se deu por etapas. A última etapa foi finalizada em 2014. A capacidade anterior do estádio era de cerca de 12 500 pessoas. Com a reforma, a capacidade passou para 22 600 torcedores. O estádio é utilizado pela Associação Chapecoense de Futebol, e tem uma grande fama por suas características acústicas tornando-se um verdadeiro caldeirão.

Ecoparque[editar | editar código-fonte]

Ecoparque é um dos seis parques públicos do município. Localizado na Avenida Getúlio Vargas, em frente ao 2º Batalhão da Polícia Militar, trata-se de um parque para caminhadas, outros exercíciosfísicos e recreação. No parque há diversos bancos, academia aberta, parque infantil, palco de apresentações, anfiteatro, corretos e banheiros públicos. Entre as atrações ambientais encontram-se grandes eucaliptos, um riacho, uma lagoa formada por um antigo banhado, além de algumas espécimes de ratão-do-banhado. Após reforma em 2014, o Ecoparque ganhou sinalização e iluminação adequados para utilização noturna pela comunidade. Mantem-se atualmente a proibição de andar de bicicleta, patins, patinete ou skate dentro do parque, bem como a entrada de animais, bolas e bebidas alcoólicas. Horário de funcionamento: 06 h às 21 h.

Praça Coronel Bertaso[editar | editar código-fonte]

Localizada no Centro da cidade, a Praça Coronel Bertaso é um espaço agradável que reúne história, cultura, lazer e descanso. Ao mesmo tempo em que conta a história do Ciclo da Madeira, primeiro ciclo econômico e cultural de Chapecó entre as décadas de 1920 e 1950, através de um mural feito em argamassa de concreto, utilizando técnica mista esgrafiado-mosaico com cerca de 200 m², oferece área de lazer com parque infantil, jogos de mesa e uma bela fonte luminosa com jato d'água. Na fonte luminosa, há uma escultura abstrata em metal criada pelo artista plástico Xyko Bracht. Dispõe, ainda, de galeria de arte onde, regularmente, artistas locais expõem suas obras.

Mirante da Ferradura[editar | editar código-fonte]

A estrada de acesso às comunidades de Alto Capinzal e São José do Capinzal caracteriza-se pela paisagem rústica, exuberante, que nos leva por caminhos que serpenteiam as curvas do rio Uruguai, onde tem-se a impressão de estar em um local mágico que vivenciou parte da história dos primeiros moradores de Chapecó, dos balseiros, do ciclo da madeira. Descendo a serra encontra-se um refúgio onde o turista pode aventurar-se a observar e apreciar a beleza do Vale do Uruguai. Dependendo do clima e horário, poderá ver os primeiros raios de sol nascendo em meio a névoa que paira sobre as águas e que mais parece um algodão envolvendo todo o Vale.

Gruta de Sede Figueira[editar | editar código-fonte]

Localizada no Distrito de Sede Figueira, a mil metros da BR-282, o local é composto por três grutas que se formaram na rocha e uma cachoeira com aproximadamente oito metros de queda d’água. A Capela de Nossa Senhora de Lurdes fica em frente a uma das grutas, onde, anualmente, no mês de Dezembro, é realizada Romaria Penitencial para a Santa com a participação de cerca de 5 000 pessoas. Em meio à mata nativa, há a Trilha dos Mistérios do Rosário, com quinze esculturas em pedra de arenito de um metro de altura por oitenta centímetros de largura, simbolizando cada um dos mistérios. As obras foram criadas pelo artista chapecoense Ciro Sosnoski(20 km-W).

Rota do Vale do Rio Uruguai[editar | editar código-fonte]

Localizada no interior do município, a rota permite a turistas de todas as idades vistas deslumbrantes e incríveis experiências. A rota se dá às margens da SC-480, a partir do km 12, nas proximidades da Linha Serrinha. Até o Rio Uruguai são aproximadamente oito quilômetros de descida de serra, cuja rodovia é cercada de quiosques, tirolesas e locais para entretenimento. Nas proximidades da ponte do rio Uruguai estão disponíveis áreas para banho e esportes náuticos.

Outros pontos de interesse turístico[editar | editar código-fonte]

Cidades-Irmãs[editar | editar código-fonte]

Imagens[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  3. «Urbanização das cidades brasileiras». Embrapa Monitoramento por Satélite. Consultado em 30 de Julho de 2008 
  4. «Estimativa populacional 2018 IBGE». Estimativa populacional 2018. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2018. Consultado em 29 de agosto de 2018 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 31 de agosto de 2013 
  6. a b «Chapecó: Produto Interno Bruto dos Municípios» 
  7. User, Super. «Geografia». www.cmc.sc.gov.br. Consultado em 1 de maio de 2017 
  8. Área territorial de Chapecó 2010 Acessado em 17/03/2013
  9. «A influência do capital agroindustrial na distribuição sócio-espacial urbana do município de Chapecó no sul do Brasil». www.ub.edu. Consultado em 24 de abril de 2017 
  10. «O que a mídia internacional falou do acidente com a Chapecoense | EXAME.com - Negócios, economia, tecnologia e carreira». exame.abril.com.br. Consultado em 24 de abril de 2017 
  11. a b c Carneiro, Márcio Matos (2006). Origem dos nomes dos municípios de Santa Catarina. Blumenau: Nova Letra. p. 62 
  12. a b c d e Glauco Paludo Gazoni, "História de Chapecó: Dos primeiros povoadores à delimitação do território" Disponível em http://www.recantodasletras.com.br/artigos/3752988
  13. a b c d e f g h i j k El-Khatib 1970, pp. 28-29.
  14. HASS, Monica (2013). O linchamento que muitos querem esquecer. Chapecó: Argos. 182 páginas 
  15. «Linchamento: na nuvem e para todos». DI Online. Consultado em 16 de maio de 2017 
  16. AXT, Gunter (2011). Histórias de Vida: Os Procuradores-Gerais. Florianópolis: PGJ, Ceaf. pp. 49–63 
  17. «IBGE :: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística». ww2.ibge.gov.br. Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  18. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura mínima (°C) - Chapecó». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 25 de agosto de 2014 
  19. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura máxima (°C) - Chapecó». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 25 de agosto de 2014 
  20. «BDMEP - série histórica - dados diários - precipitação (mm) - Chapecó». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 25 de agosto de 2014 
  21. «BDMEP - série histórica - dados mensais - precipitação total (mm) - Chapecó». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 25 de agosto de 2014 
  22. «BDMEP - série histórica - dados horários - umidade relativa (%) - Chapecó». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 25 de agosto de 2014 
  23. «NORMAIS CLIMATOLÓGICAS DO BRASIL». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 14 de maio de 2018 
  24. Prefeitura Municipal de Chapecó (5 de maio de 2014). «Mapa de Bairros». Loteamentos. Prefeitura Municipal de Chapecó. Consultado em 2 de julho de 2014 
  25. «Decreto delimita novos bairros de Chapecó - AMOSC - Associação dos Municípios do Oeste de Santa Catarina». www.amosc.org.br. Consultado em 1 de maio de 2017 
  26. «População 1970 - 1991». IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 
  27. «População nos anos em que houve estatísticas 1992 - 2016» 
  28. «IBGE | Cidades | Santa Catarina | Chapecó | Censo Demográfico 2010: Resultados da Amostra - Religião». www.cidades.ibge.gov.br. Consultado em 24 de abril de 2017 
  29. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/tabela/listabl.asp?c=2093&n=0&u=0&z=cd&o=13&i=P. Consultado em 25 de janeiro de 2012  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  30. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, estatística populacional 2013
  31. «Chapecó espera Contorno Viário Leste há 40 anos» 
  32. «População conhece o novo Edital do Transporte Coletivo Urbano». Prefeitura de chapecó 
  33. Inauguração do Shopping Pátio Chapecó
  34. User, Super. «Educação». www.cmc.sc.gov.br. Consultado em 1 de maio de 2017 
  35. «IBGE | Cidades | Santa Catarina | Chapecó | Ensino - Matrículas, Docentes e Rede Escolar - 2012». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 1 de maio de 2017 
  36. [1]
  37. [2]
  38. [3]
  39. CHAPECÓ CVB, "Principais Eventos de Chapecó" Disponível em http://www.chapecoeregiaocvb.com.br/index.php?link=eventos_principais
  40. CÂMARA MUNICIPAL DE CHAPECÓ, "Eventos de Chapecó" Disponível em http://www.cmc.sc.gov.br/2012/index.php/o-municipio/eventos

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Chapecó