Vicente Morelatto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Vicente Morelatto
Retrato de Vicente Morelatto
Nome completo Vicente Morelatto
Nascimento 19 de maio de 1928
Estrela, Brasil
Morte 9 de março de 1954 (25 anos)
Linha Bento Gonçalves, Cordilheira Alta, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Professor e Escritor

Vicente Morelatto (Estrela, 19 de maio de 1928 – Linha Bento Gonçalves, Cordilheira Alta, 09 de março de 1954) foi professor primário e poeta.[1] Nasceu na cidade de Estrela no Rio Grande do Sul e viveu em Santa Catarina, na linha Bento Gonçalves, comunidade rural de Chapecó, atualmente pertencente ao município de Cordilheira Alta[2].

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em 19 de maio de 1928 na cidade de Estrela, no Rio Grande do Sul, onde posteriormente se mudou para o oeste catarinense com seus pais, João Terlk Morelatto e Letícia Telrk Morelatto. Vicente Morelatto casou-se com Beatriz Morelatto no ano de 1950 e teve três filhos Getúlio Morelatto, Ademar Morelatto e Odete Morelatto.[1][2][3]

Foi um dos fundadores da Escola Mista Municipal Desdobrada de Linha Bento Gonçalves e atuou como professor primário.[1] Vicente Morelatto também escreveu um poema em sextilhas ao modo da poesia de cordel[4], intitulado “História do incêndio da igreja de Chapecó e o linchamento de quatro presos”[2][4][5] foi publicado no formato de um livreto em 1954 e conta a trágica história do linchamento de Chapecó, ocorrido em outubro de 1950, o seu objetivo era contar o que havia acontecido naquela pequena cidade e que era motivo de censura. O jovem professor e poeta faleceu de forma misteriosa aos 25 anos enquanto se deslocava para dar aulas na Linha Tigre, zona rural de Chapecó, atualmente pertencente a Xaxim, não pode ver o livreto História do incêndio da igreja de Chapecó e o linchamento de quatro presos” que ficou pronto logo após o seu falecimento.[1][2][4][3]

História do incêndio da igreja de Chapecó e o linchamento de quatro presos[editar | editar código-fonte]

Capa do livreto de Vicente Morelatto publicado em 1954 que conta a história do Linchamento de Chapecó.

O livro publicado por Vicente Morelatto em 1954 conta, como cita em seu nome, a história do linchamento de Chapecó ocorrida no mês de outubro de 1950.[5] O livro escrito em forma de poema conta com 120 estrofes que se estendem nas 32 páginas do pequeno livro, cerca de 11,5 cm por 15,5 cm conforme apresenta o historiador Fernando Vojniak[2], foi elaborado entre 15 de novembro de 1950 a 10 de janeiro de 1953 como consta nas suas páginas.[5] A impressão foi feita apenas em 1954, sendo finalizada a montagem de cerca de 400 exemplares apenas alguns dias após a sua morte. Os exemplares foram retirados por familiares em um tipografia local que logo iniciaram a venda e circulação do poema, porém, os livros foram apreendidos pelas autoridades locais e a maioria foram destruídos, restando poucos exemplares originais.[1][2][3]

O Poeta da Chacina[editar | editar código-fonte]

Na década de 1990, a obra de Vicente Morelatto ressurge com a publicação do livro "O Poeta da Chacina" de Jovani Santos publicado em 1999 pela Editora Grifos (Atual Editora Argos). Nesta publicação é reeditado o poema História do incêndio da igreja de Chapecó e o linchamento de quatro presos” [5] com um estudo crítico da obra.[1]

O Poeta de Cordel[editar | editar código-fonte]

Em 2019 a produtora Margot Filmes publicou um documentário sobre a vida de Vicente Morelatto, intitulado "O Poeta de Cordel", que através de entrevistas com familiares rememoram a vida do poeta e resgatam um dos poucos exemplares originais que sobreviveram do livro. A publicação também acompanha uma reprodução fac-símile do livro de Morelatto impressa em uma tipografia parecida com a utilização na década de 1950, também é por um áudio livro com leituras dos poemas e um livreto com textos dos produtores Ilka Goldschmidt e Cassemiro Vitorino; e dos pesquisadores Monica Hass, Fernando Vojniak e Thiago Cinti Bassoni Santana.[3]

Vicente Morelatto: a história do autor e seu livro[editar | editar código-fonte]

Em 2022 é publicado o livro "Vicente Morelatto: histórias de um autor e seu livro"[2], escrito pelo historiador e professor Fernando Vojniak através da Editora Humana, que aborda em forma de biografema a vida de Morelatto e o seu poema sobre o linchamento de Chapecó. O livro escrito por Vojniak investiga os caminhos que levaram o poeta a escrever o poema e publicar em 1954.[2][6]

Ver mais[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c d e f SANTOS, Jovani (1999). O Poeta da Chacina. Chapecó: Grifos. p. 49. ISBN 9788586311260 
  2. a b c d e f g h VOJNIAK, Fernando (2022). Vicente Morelatto: histórias de um autor e seu livro. Chapecó: Humana. 146 páginas. ISBN 978-65-992233-4-1 
  3. a b c d VITORINO, Casemiro; GOLDSCHMIDT, Ilka (2019). «O Poeta de Cordel». Margot Filmes 
  4. a b c SANTANA, Thiago Cinti Bassoni. (2018). Cultura escrita e história intelectual - O caso de Vicente Morelatto e o poema do Linchamento de 1950. Universidade Federal da Fronteira Sul, Chapecó.
  5. a b c d MORELATTO, Vicente. (1954). História do incêndio da igreja de Chapecó e o linchamento dos quatro presos. Chapecó: [s. n.].
  6. «Lançamento de Vicente Morelatto, de Fernando Vojniak, da Editora Humana - YouTube». www.youtube.com. Consultado em 13 de maio de 2022