Arena Condá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Arena Condá
Sisbrace: Star full.svg Star full.svg Star full.svg Star empty.svg Star empty.svg[1]
Chapecoense 1 ano.jpg
Vista aérea da Arena Condá e do centro de Chapecó em 2017.
Nomes
Nome Arena Condá
Antigos nomes Estadio Regional Índio Condá
Características
Local Centro, Chapecó, Santa Catarina, Brasil
Gramado Grama natural (105 x 68 m)
Capacidade 22.600 espectadores
Construção
Data 1980
Custo Aproximadamente R$ 25 milhões
Inauguração
Data 6 de fevereiro de 1980 (38 anos)
Partida inaugural Chapecoense 0–1 Internacional
Primeiro gol Bira (Internacional)
Recordes
Público recorde 19 175 pessoas[2]
Data recorde 11 de maio de 2014
Partida com mais público Chapecoense 1–2 Grêmio
Outras informações
Remodelado 2008
Expandido 2008
Proprietário Prefeitura de Chapecó
Administrador Chapecoense
Mandante Chapecoense


A Arena Condá, é um estádio de futebol localizado no Centro do município de Chapecó, Santa Catarina, Brasil. De propriedade do município de Chapecó, é administrado pela Associação Chapecoense de Futebol que também exerce o papel de mandante do estádio. Foi inaugurado em 6 de fevereiro de 1980, quando ainda denominava-se Estádio Regional índio Condá. O estádio tinha capacidade para 15 000 pessoas e teve seu maior público registrado na final do Campeonato Catarinense de 2007 onde 15 621 torcedores assistiram o jogo. A partida inaugural foi entre a Chapecoense e o Internacional, sendo que o primeiro jogador a marcar um gol foi Bira, que defendia as cores do Internacional.

Com a grande ascensão da Chapecoense nas competições estaduais e nacionais, e com as instalações um tanto quanto precárias, houve a necessidade da remodelação e expansão do estádio. Em 2008, o Estádio Regional Índio Condá foi remodelado, com a demolição de suas alas e a construção de novas alas. Esse processo se deu por etapas. A primeira etapa foi finalizada em 2009 e a última em 2014. Em maio de 2009, o Estádio Regional Índio Condá passou a ser denominado Arena Condá com a criação da Lei Municipal nº 5.560, de 28 de maio de 2009.

A princípio não será mexido na ala oeste (cadeiras), ficando inalterada em relação ao estado anterior do inicio da reforma. A capacidade anterior do estádio era de cerca de 15 000 pessoas, após a expansão passou a comportar mais de 22 000 pessoas.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

O nome do estádio é uma homenagem ao índio que atendia pelo nome de Vitorino Condá, um dos principais líderes dos caingangues, povo indígena da Região Oeste de Santa Catarina. Foi ele quem lutou pelos interesses de seu povo, que estava ameaçado de perder suas terras para os colonizadores e governo brasileiro.

História[editar | editar código-fonte]

O primeiro estádio[editar | editar código-fonte]

O Estádio Regional Índio Condá foi inaugurado no dia 6 de fevereiro de 1980 para ser a casa da Associação Chapecoense de Futebol. A história do estádio pode ser contado em três fases. Primeiro, foi construído um campo de futebol; depois, foi construído as estruturas de um estádio, como arquibancadas e cabines de imprensa e, por último, a Arena Condá. Nesse estádio, a Chapecoense teve momentos importantes de sua história. Foram conquistados três títulos estaduais (1977, 1996 e 2007), uma Taça Santa Catarina (1979), uma Taça Plínio Arlindo de Nez (1995) e uma Copa Santa Catarina (2006). Ao longo da história, também houveram jogos importantes como o Clássico de Chapecó entre Associação Chapecoense de Futebol e Atlético Clube Chapecó. A partida ocorreu no Torneio seletivo de 2002, competição que valia vaga no Campeonato Catarinense de 2002, a Chapecoense campeão do turno e o Atlético Chapecó campeão do returno, fizeram a final em dois jogos de ida e volta, o campeão subia para a Série A do campeonato Catarinense naquele mesmo ano. O resultado do primeiro jogo foi Atlético Chapecó 2–3 Chapecoense, no segundo jogo, Chapecoense 1–1 Atlético Chapecó. Aproximadamente 10 000 torcedores estiveram presente no Estádio Regional Índio Condá para assistir o clássico.

Em 2005, após graves crises financeiras, estava-se planejando construir um novo estádio fora da cidade. Havia um grupo de empresários interessados em comprar o estádio para, em seu local, construir um shopping. Houve proposta até mesmo dos empresários construir, em troca, outro estádio fora da cidade, mas a ideia não vingou.

O surgimento da Arena Condá[editar | editar código-fonte]

Reforma no gramado e Ala sul ao fundo.
Reforma no gramado e Ala sul ao fundo.

No dia 9 de outubro de 2007, foi lançado o projeto para a construção da Arena Condá pelo prefeito em exercício João Rodrigues.

A Ala Sul foi a primeira etapa a ser construída. Inaugurada em fevereiro de 2009, foram investidos R$ 3,5 milhões. Embaixo das arquibancadas foram edificadas 18 salas comerciais. A ampliação, que triplicou o espaço demolido, beneficia os torcedores com mais espaço e comodidade, e a população em geral através da instalação de departamentos da prefeitura como Procon, Secretaria de Habitação, Fundação Municipal do Meio Ambiente e Centro de Educação de Jovens e Adultos. Em maio de 2009 o Estádio Regional Índio Condá passou a ser denominado Arena Condá com a criação da Lei Municipal nº 5.560, de 28 de maio de 2009.

Já em março de 2010 no jogo entre Chapecoense e Atlético Mineiro pela Copa do Brasil de 2010, foi inaugurada a segunda etapa, a Ala Norte na qual foram investidos R$ 5,6 milhões e onde hoje existe a secretária de saúde, com todas as suas funções para atendimento á população. Com primeira etapa, construída em parceria com o Procon Municipal e já inaugurada, a capacidade de público passou de 10 mil para 13 mil lugares. Nessa fase foram investidos R$ 3,9 milhões (R$ 1,7 milhão do Procon) e o restante, contrapartida do município. A capacidade é de 3,2 mil pessoas sentadas.

A 3º etapa da Arena Condá, foi inaugurada no mês de abril de 2014. Foram construídas as novas alas Leste e Nordeste do estádio, o investimento foi de R$ 6,7 milhões do poder do estado. A capacidade da arena, que era de 12,8 mil torcedores, passa a ser de 22 mil pessoas. O ato de inauguração foi realizado antes da partida contra Corinthians. Foram cinco meses de trabalho até a obra estar pronta e liberada para receber os torcedores nos novos setores. Ao todo, foram utilizadas 1.580 peças na montagem das arquibancadas. Além dos R$ 6,7 milhões, o governo do Estado investiu R$ 3 milhões, em parceria com a prefeitura, na edificação da ala Norte da Arena Condá. Foram R$ 2 milhões para a construção do setor de arquibancadas e mais R$ 1 milhão destinado para a nova Secretaria Municipal de Saúde, que ocupa os espaços do prédio construído em anexo ao setor.[3]

A prefeitura de Chapecó pretende construir uma nova ala, onde hoje ficam as cabines de imprensa e camarotes, além disso, o objetivo é cobrir as demais alas do estádio e também colocar cadeiras em todo o estádio, além de aumentar a capacidade do estádio para 40 mil lugares, afim de abrigar uma final de competição da CONMEBOL. Outro projeto que deve ser feito no estádio é um memorial das vítimas da tragédia. A Prefeitura de Chapecó irá receber R$21 milhões de repasse de verba do Governo Federal para ampliação e reforma da Arena Condá.[4]

Vista panorâmica da Arena Condá.

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

O novo estádio, inicialmente, teria quatro pavimentos compostos de salas comerciais e estacionamento abaixo das arquibancadas. Entretanto, como as obras foram feitas em etapas, alguns itens do projeto inicial não foram contempladas no momento da construção, além das alas construídas não serem uniformizadas. Exemplos disso é que o projeto inicial contemplava cobertura duas áreas do estádio (tem somente nas cadeiras), ser todo fechado (ficará com aberturas em duas laterais), além de problemas na execução da obra na ala sul, o que dificulta a visão das traves daquele local do gramado. Também, não comportará salas comerciais e estacionamento. As salas são ocupadas por setores da Prefeitura Municipal, como Procon, secretária de habitação, entre outras. Dessa forma, a obra foi efetivamente construída com mudanças em relação ao projeto inicial.

Inauguração[editar | editar código-fonte]

Foi inaugurada em 1º de fevereiro de 2009. A partida inaugural ocorreu no Campeonato Catarinense de 2009, contra o Brusque e com uma vitória de 4–1. Nenén, aos dez minutos do primeiro tempo foi responsável pelo primeiro gol da Arena.

O maior público até o momento foi de 19.175 pessoas na partida contra o Grêmio, pelo Campeonato Brasileiro de 2014. O estádio tem fama por suas características acústicas tornando-se um verdadeiro caldeirão quando lotado. No Brasileirão do mesmo ano, a Chape teve uma das melhores médias de ocupação do campeonato.

  • Inauguração: 1 de fevereiro de 2009
  • Capacidade atual: 20.089 pessoas sentadas [5]
  • Endereço: Rua Clevelândia, 656 E - Centro, Chapecó, Santa Catarina
  • Recorde de público: 19.175 torcedores

Jogos importantes[editar | editar código-fonte]

A Arena Condá já recebeu vários jogos de diversas competições importantes.

Flags of the Union of South American Nations.gif Copa Sul-Americana de 2016

28 de setembro Chapecoense Brasil 0 – 0 Argentina Independiente
19:15 (UTC−3)
Relatório Público: 10 530
Árbitro: EquadorECU Roddy Zambrano
    Penalidades  
Thiego Erro (trave)
Cléber Santana Erro (defesa)
Filipe Machado Convertido
Dener Assunção Convertido
Bruno Rangel Convertido
Gil Erro (defesa)
Matheus Biteco Convertido
Tiaguinho Convertido
5 – 4 Erro (defesa) Benítez
Convertido Vera
Erro (defesa) Rigoni
Convertido Figal
Convertido Cuesta
Erro (defesa) Sánchez Miño
Convertido Toledo
Erro (defesa) Tagliafico
 
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Chapecoense
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Independiente

26 de outubro Chapecoense Brasil 3 – 0 Colômbia Junior Barranquilla
21:45 (UTC−2)
Ananias Gol marcado aos 35 minutos de jogo 35'
Gil Gol marcado aos 43 minutos de jogo 43'
Thiego Gol marcado aos 76 minutos de jogo 76'
Relatório Público: 13 033
Árbitro: ParaguaiPAR Enrique Cáceres
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Chapecoense
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Junior

23 de novembro Chapecoense Brasil 0 – 0 Argentina San Lorenzo
21:45 (UTC−2)
Relatório Público: 17 569
Árbitro: UruguaiURU Daniel Fedorczuk
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Chapecoense
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
San Lorenzo

Flag of the United Nations.svg Amistoso internacional (Partida homenagem aos mortos do Voo LaMia 2933)

21 de janeiro de 2017 Chapecoense Santa Catarina 2 – 2 São Paulo Palmeiras

Douglas Grolli Gol marcado aos 14 minutos de jogo 14'
Amaral Gol marcado aos 46 minutos de jogo 46'
Gol marcado aos 11 minutos de jogo 11' Raphael Veiga
Gol marcado aos 78 minutos de jogo 78' Vitinho
Árbitro: BrasilBRA Héber Roberto Lopes
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Chapecoense
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Palmeiras

Flags of the Union of South American Nations.gif Recopa Sul-Americana de 2017

4 de abril Chapecoense Brasil 2 – 1 Colômbia Atlético Nacional Arena Condá, Chapecó
19:15 (UTC−3)
Reinaldo Gol marcado aos 23 minutos de jogo 23' (pen)
Luiz Otávio Gol marcado aos 73 minutos de jogo 73'
Relatório Gol marcado aos 58 minutos de jogo 58' Torres Público: 19 005[6]
Árbitro: ParaguaiPAR Mario Vivar
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Chapecoense
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Atl. Nacional

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Classificação de estádios de futebol (Sisbrace)». Ministério dos Esportes. 25 de fevereiro de 2017 
  2. http://globoesporte.globo.com/jogo/brasileirao2014/11-05-2014/chapecoense-gremio.html
  3. «Mudanças esperadas para a nova Arena da Chapecoense». clicrbs.com. 11 de outubro de 2013. Consultado em 13 de março de 2016 
  4. «Chapecó deve receber R$21 mi para reforma e ampliação da Arena Condá». GloboEsporte.com. 14 de janeiro de 2017. Consultado em 6 de fevereiro de 2016 
  5. «A ARENA CONDÁ». Site Oficial da Chapecoense. Consultado em 22 de dezembro de 2017 
  6. «Chapecoense vence al Atlético Nacional en emocinante primera final de la CONMEBOL Recopa» (em espanhol). CONMEBOL. 4 de abril de 2017. Consultado em 4 de abril de 2017