Brusque Futebol Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Brusque
BrusqueFC2020.png
Nome Brusque Futebol Clube
Alcunhas Bruscão
Quadricolor
Torcedor/Adepto Brusquense
Mascote Marreco
Fundação 12 de outubro de 1987 (32 anos)
Localização Brusque, SC, Brasil
Mando de jogo em Estádio Augusto Bauer
Capacidade (mando) 5 000 pessoas[1]
Presidente Danilo Rezini
Treinador Jersinho Testoni
Patrocinador Havan
Material (d)esportivo Embratex
Competição Catarinense - Série A
Brasileirão - Série C
Copa Santa Catarina
Copa do Brasil
Ranking nacional Aumento 66º lugar, 1 178 pontos
Website [1]
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

O Brusque Futebol Clube é um clube de futebol brasileiro da cidade de Brusque, Santa Catarina. Foi fundado a 12 de outubro de 1987

O clube surgiu após uma fusão entre os tradicionais clubes catarinenses (e brusquenses), Clube Atlético Carlos Renaux e Clube Esportivo Paysandu. Manda seus jogos no Estádio Augusto Bauer, que pertence ao Clube Atlético Carlos Renaux.

Entre seus feitos, o Brusque faz parte da seleta lista de clubes brasileiros que nunca foram rebaixados por nenhuma das divisões nacionais do Brasileirão.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Em seu primeiro ano no profissionalismo, o time foi treinado por Lauro Búrigo. A primeira partida aconteceu no dia 24 de janeiro de 1988, no Estádio Augusto Bauer, vitória de 3 a 1 sobre o Hercílio Luz de Tubarão. Touchê, ponta-direita vindo do Rio de Janeiro, foi o autor do primeiro gol da história do Brusque Futebol Clube neste ano, o Brusque classificou-se para o hexagonal final do campeonato, terminando o campeonato na quarta colocação. No segundo semestre, o Brusque ainda participou do Brasileiro da Série C, onde foi eliminado na segunda fase, tendo este mesmo desempenho em 1989.

No ano de 1990, o Brusque ficou com o vice-campeonato da Copa Santa Catarina, competição disputada no segundo semestre, paralela ao campeonato brasileiro, que não possuía catarinenses na disputa. O Figueirense sagrou-se campeão, ao vencer os dois confrontos por 1 a 0 e 2 a 1.

Em 1992 foi o ano mais importante da história do Brusque. O empresário Amílcar Wehmuth, o Chico, era o presidente que trouxe duas importantes conquistas: no primeiro semestre, a conquista da Copa Santa Catarina, que dava ao campeão um ponto no Campeonato Catarinense daquele ano. Na fase de classificação, o Brusque ficou na segunda colocação. Na fase eliminatória, passou pela Chapecoense, empatando por 3 x 3 no oeste catarinense e vencendo por 2 a 0 no Estádio Augusto Bauer. Na fase semifinal, o time bateu o Marcílio Dias de Itajaí por 1 a 0 fora de casa no jogo de ida. Na partida de volta, a derrota pelo mesmo placar levou a decisão para a prorrogação, que terminou em 0 a 0 classificando o Brusque para a final contra o Avaí.

No dia 9 de dezembro de 1992, no jogo de ida em Florianópolis, o Avaí venceu por 1 a 0, com um gol marcado nos momentos finais da partida. O Brusque teria que vencer o jogo de volta e empatar na prorrogação para sagrar-se campeão.

O jogo mais importante da história do Brusque Futebol Clube aconteceu no dia 13 de dezembro de 1992. Cerca de seis mil pessoas lotaram o Estádio Augusto Bauer e viram o Brusque vencer o Avaí por 2 a 1 no tempo normal, gols de Jair Bala e Washington. Na prorrogação, Cláudio Freitas fez um lindo gol sobre o goleiro Carlão, iniciando a festa em todo o município.

O ano de 1993 marcou a ida do Brusque para a Copa do Brasil. O time foi eliminado na primeira fase pelo União Bandeirante, vice-campeão paranaense, com um empate em 2 a 2 no Paraná e derrota por 1 a 0 no Augusto Bauer. Neste ano, um fato insólito: Brusque e Avaí, campeão e vice de 1992, foram os times rebaixados para a segunda divisão de 1994, vindo o time retornar para a primeira divisão em 1995.

Em 1996, o Brusque foi novamente rebaixado para a Segunda Divisão, retornando em 1998 para a divisão de elite, após conquistar o troféu de campeão da segundona de 1997, vencendo o time do Biguaçu no dia 16 de novembro. Neste ano, a presidência do clube era do advogado e desportista Ricardo Vianna Hoffmann.

No ano de 1998, de volta à Primeira Divisão, o técnico era Gassém Salim Youssef, que conduziu o Brusque à terceira colocação no estadual, com uma campanha valorosa, destaque para a goleada em cima do Figueirense por 4 a 2 em pleno Estádio Orlando Scarpelli, no dia 15 de fevereiro.

Em 2000, o Brusque precisou disputar um torneio seletivo. A Rede Brasil Sul (RBS) havia comprado os direitos do estadual, e exigiu que apenas oito equipes integrassem a divisão de elite em 2001, sendo que Avaí, Figueirense, Criciúma e Joinville estavam previamente classificados sem a necessidade de seletiva. O Brusque ficou na sexta colocação, e voltou para a segundona.

Em 2001 a presidência do clube passou para o médico ortopedista André Karnikovsky, num ano que o Brusque teve uma atuação discreta, sem almejar o título. No ano de 2002, o empresário João Beuting tornou-se presidente, para a disputa da Segunda Divisão daquele ano.

O time teve um início muito turbulento, com a seqüência de resultados insatisfatórios do time, treinado por Luiz Freire. No segundo turno, José Antônio Martins foi contratado, e ele implantou uma nova filosofia no clube, que não poderia perder nenhum jogo correndo o risco de eliminação. O time acabou desclassificado no dia 17 de novembro, goleado pelo Kindermann de Caçador. O Brusque estava bastante desfalcado, pois a confusão no jogo de ida, resultou na expulsão de vários titulares.

No ano de 2003 o Clube Atlético Carlos Renaux e o Clube Esportivo Paysandu, através de ações jurídicas, recuperaram a posse dos Estádios Augusto Bauer e Cônsul Carlos Renaux. Como o "vovô" fez uma proposta fora da realidade à época, a diretoria resolveu não participar de campeonatos profissionais naquele ano, voltando em 2004.

No ano seguinte, o Brusque disputou o Campeonato Catarinense da Série B1, e estreou no dia 25 de abril, vencendo o rival Carlos Renaux por 1 a 0. No clássico seguinte, nova vitória, pelo placar de 2 a 1, em 25 de julho. O time sagrou-se campeão do segundo turno do campeonato, ao vencer o Juventus em Jaraguá do Sul na prorrogação, em 7 de novembro. O mesmo Juventus seria o adversário do Brusque na final do campeonato. O time de Jaraguá do Sul sagrou-se campeão, mas o Brusque havia alcançado o seu objetivo de subir para a Série A2 no ano de 2005, como vice-campeão.[3]

Em 2010, após conseguir o tri campeonato da Copa SC, batendo o Joinville na final, se classificou pela segunda vez na história para a Copa do Brasil. Na competição nacional, é eliminado na primeira fase para o Atlético Goianiense pelo critério do gol fora de casa (Venceu em casa por 3x2 e perdeu em Goiás por 1x0).

Após anos de estabilidade no futebol catarinense, vive a maior crise administrativa e política da sua história em 2012. Onde novamente é rebaixado para a segunda divisão estadual. Volta para a elite após o vice campeonato na Divisão Especial de 2013, mas em 2014 sofre novo descenso.

Em 2015, o Brusque voltou a conquistar a Divisão Especial, batendo o Camboriú na final e garantindo o retorno à primeira divisão. Na volta à elite, faz boa campanha, terminando na quinta posição.

Em 2017, disputou sua terceira Copa do Brasil, onde conseguiu grande relevância após enfrentar o clube do Corinthians. O clube passou pelo Remo na primeira fase, por 2 a 1, mas foi eliminado pelo time paulista, nos pênaltis, na segunda fase da competição. Após empatar no Estádio Augusto Bauer, em Santa Catarina, por 0 a 0, o jogo avançou para as penalidades máximas. O Brusque chegou a ficar a um pênalti convertido de passar de fase, ou de um erro em duas cobranças do clube paulista, mas levou a virada e foi eliminado por 5x4.

No dia 21 de julho de 2019, o clube venceu a Juazeirense por 4x0 (4x1 no agregado) durante partida pelas quartas de final do Brasileirão - Série D e conseguiu o acesso ao Brasileirão Série C pela primeira vez em sua história, além de conseguir o título de campeão do Brasileirão - Série D.

A final ocorreu em dois jogos. O primeiro disputado na casa do Brusque Futebol Clube, na cidade de Brusque-SC, no dia 10/08/2019 com o resultado final de 2x2. Os gols do Bruscão foram de Pirambu e Zé Mateus, enquanto Rossini, duas vezes, deixou tudo igual. Todos os gols foram no segundo tempo, assim como a expulsão de Romarinho.[4]. O segundo e decisivo jogo disputado na Arena da Amazônia na cidade de Manaus contra o time Manaus Futebol Clube. No tempo regulamentar o jogo ficou em 2x2, a equipe catarinense abriu o placar com Junior Pirambu aos 3min do primeiro tempo e levou a virada após gols de Sávio (7min do primeiro tempo) e Mateus Oliveira (13min da segunda etapa). O empate veio graças a Thiago Alagoano que balançou as redes a dez minutos do fim. Na disputa de pênaltis, Márcio Passos errou a última cobrança do Manaus, e o goleiro Zé Carlos anotou o gol do título inédito do Quadricolor. [5]

Dois fatos históricos aconteceram nesta final, além do time catarinense ser campeão invicto, um foi que com este jogo a Arena da Amazônia bateu recorde de público, deixando para trás jogos como Vasco e Flamengo e Copa do Mundo de 2014. Com ingressos vendidos no valor minimo de R$ 30,00 a renda da partida foi de aproximadamente R$ 1 milhão. (1.192.010,00) [6]. O outro foi que a CBF sorteou, pela primeira vez na história, uma árbitra para apitar uma decisão de Campeonato Brasileiro a paranaense da Federação Paulista Edina Alves Batista, de 39 anos entrou para história.

Brusque FC - SC.svg BrusqueFC2019.png

Hino oficial[editar | editar código-fonte]

Desde a sua fundação, o Brusque Futebol Clube adotava o hino do centenário municipal de Brusque como seu hino, porém em 30 de novembro de 2009 foi apresentado seu novo hino oficial, de autoria do compositor Gean Carlos Coelho. A música possui trechos inspirados no hino da cidade, enfatizando o orgulho brusquense.[7]

Sempre joga para vencer,

Nosso time faz tremer,

Meu Bruscão do coração.

Mais que um clube, uma paixão,

O meu time é campeão,

Meu Bruscão do coração.

Surge o Brusque entre os gigantes,

E dando alegria para uma nação,

É o vermelho, verde, branco e amarelo,

A cor do meu Bruscão!

Brusque, meu Bruscão!

Glorioso e Campeão,

Salve Brusque Imortal,

Minha paixão natural.

Brusque, meu Bruscão!

Glorioso e Campeão,

Tua torcida vibrante e guerreira,

Eu serei Brusque a vida inteira!

Títulos[editar | editar código-fonte]

NACIONAIS
Competição Títulos Temporadas
Campeonato Brasileiro Série D - Troféu.png Campeonato Brasileiro - Série D 1 2019Utmarkt Guld.svg
REGIONAIS
Competição Títulos Temporadas
Copa Sul-Brasileira de Futebol (1999).png Recopa Sul-Brasileira 1 2008Simple GA.png
ESTADUAIS
Competição Títulos Temporadas
Santa Catarina Campeonato Catarinense 1 1992Utmarkt Guld.svg
Santa Catarina  Campeonato Catarinense - Série B 3 1997, 2008 e 2015
Santa Catarina  Copa Santa Catarina 5 1992, 2008, 2010, 2018 e 2019

Utmarkt Guld.svg Torneio com chancela da CBD/CBF

Simple GA.png Campeão invicto

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Participações[editar | editar código-fonte]

Participações em 2020
Competição Temporadas Melhor campanha Estreia Última P Aumento R Baixa
Santa Catarina Campeonato Catarinense 24 Campeão (1992) 1988 2020 6
Série B 9 Campeão (1997, 2008 e 2015) 1994 2015 6 1
Série C 1 Vice-campeão (2004) 2004 1
Brasil Série B 1 33º colocado (1989) 1989
Série C 2 17º colocado (1988) 1988 2020
Série D 6 Campeão (2019) 2009 2019 1
Copa do Brasil 6 2ª fase (2017) 1993 2020

Temporadas[editar | editar código-fonte]

Brasil Nacional Santa Catarina Regional Santa Catarina Santa Catarina
Ano Campeonato Brasileiro Copa do Brasil Copa SC Ano Campeonato Catarinense
Div. Pos. Pts J V E D GP GC Fase Máxima Fase Máxima Div. Pos.
1988 C 17º 16 12 5 0 7 8 11 1992 A
1989 B 33º 12 10 5 2 3 16 14 1997 B
1992 C 2004 C
1993 1F 2008 B
2008 C 2013 B
2009 D 21º 10 6 3 1 2 10 9 2015 B
2010 C
2011 D 25º 10 8 3 1 4 6 11 1F
2016 D 29º 10 8 2 4 2 7 3
2017 D 20º 13 8 4 1 3 10 7 2F
2018 D 24º 12 8 4 0 4 11 7 1F C
2019 D 31 16 9 4 3 31 14 1F C
2020 C Em disputa Ad
Legenda:
     Campeão
     Vice-campeão
     Eliminado na semifinal.
     Rebaixado à divisão inferior.
     Campeão e promovido à divisão superior
     Promovido à divisão superior.

Retrospecto em competições oficiais[editar | editar código-fonte]

Última atualização: Série D de 2019.

Competição Temporadas Títulos Pts. J V E D GP GC
Brasil Série B 1 12 10 5 2 3 16 14
Série C 1 16 12 5 0 7 8 11
Série D 6 1 86 54 25 11 18 75 51

Pts Pontos obtidos, J Jogos, V Vitórias, E Empates, D Derrotas, GP Gols Pró e GC Gols Contra

Rivalidade[editar | editar código-fonte]

Seu maior rival é o Metropolitano de Blumenau, e o Marcilio Dias de Itajaí.

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Elenco atual
Goleiros
Jogador
Brasil Zé Carlos
Brasil Dida
Brasil Otávio Passos
Defensores
Jogador Pos.
Brasil Ianson Z
Brasil Magrão Z
Brasil Cleyton Capitão Z
Brasil Neguette Z
Brasil Edílson LD
Brasil Airton LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
Brasil Ruan V
Brasil Gama V
Brasil Rodney V
Brasil Romarinho M
Atacantes
Jogador
Brasil Thiago Alagoano
Brasil Fio
Brasil Junior Pirambu
Brasil Jefferson Renan
Brasil Leilson
Brasil Thiago Henrique
Brasil Vinícius
Brasil Vicente
Comissão técnica
Nome Pos.
Brasil Evandro Guimarães T

Notáveis jogadores[editar | editar código-fonte]

Presidentes[editar | editar código-fonte]

  • Dados indisponíveis (1987 – ...)
  • Brasil Danilo Rezini (... – atualmente)

Treinadores[editar | editar código-fonte]

[8]

Notas

  1. Se houve algum treinador no ano de fundação no clube, o mesmo não foi citado.
  2. Não disputou competições profissionais nesse ano.

Referências

  1. «Cadastro Nacional de Estádios de Futebol» (PDF). cdn.cbf.com.br 
  2. globoesporte.globo.com/ Com quedas inéditas, veja como ficou o ranking de rebaixamentos no futebol brasileiro
  3. «Brusque Futebol Clube - História». Consultado em 6 de junho de 2011 
  4. «Brasileirão série D». Globo. 11 de agosto de 2019. Consultado em 11 de agosto de 2019  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  5. «Brusque bate Manaus nos pênaltis e é campeão da Série D em jogo histórico com mulher no apito – Jovem Pan Online». Brusque bate Manaus nos pênaltis e é campeão da Série D em jogo histórico com mulher no apito – Jovem Pan Online. 18 de agosto de 2019. Consultado em 19 de agosto de 2019 
  6. tempo, Em (18 de agosto de 2019). «Partida entre Manaus e Brusque bate recorde de público». Em tempo. Consultado em 19 de agosto de 2019 
  7. «Radio Cidade - Bruscão agora tem hino oficial». Consultado em 5 de junho de 2011 
  8. VIEIRA, Cristóvão (12 de outubro de 2017). «Relembre todos os técnicos que já comandaram o Bruscão». OMunicípio.com. Consultado em 15 de agosto de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]