Clube Atlético Tubarão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Atlético Tubarão
Atlético Tubarão-SC.png
Nome Clube Atlético Tubarão
Alcunhas Peixe
Torcedor/Adepto Tubaronense
Mascote Peixe
Fundação 14 de abril de 2005 (12 anos)
Estádio Estádio Domingos Silveira Gonzáles (Propriedade do Tubarão Futebol Clube)
Capacidade 5.000 pessoas[1]
Localização Brasão de Tubarão seal.jpg Tubarão, Santa Catarina SC, Brasil Brasil
Presidente Brasil Gilmar Negro Machado
Treinador Brasil Waguinho Dias
Patrocinador Brasil Arlete Transportes
Brasil Unisul Virtual
Brasil Agemed
Brasil Chicken Way
Material (d)esportivo Itália Erreà
Competição Santa Catarina Campeonato Catarinense
Santa Catarina A 2017 6º colocado
Santa Catarina B 2016 2º Colocado
Santa Catarina B 2015 3º Colocado
Website http://www.catubarao.com.br/
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

Clube Atlético Tubarão é um clube de futebol brasileiro com sede na cidade de Tubarão, em Santa Catarina. O clube está disputando atualmente no Campeonato Catarinense Série A. Iniciou suas atividades em 14 de Abril de 2005 com o nome Atlético Cidade Azul e hoje se denomina Clube Atlético Tubarão.

História[editar | editar código-fonte]

Fundação[editar | editar código-fonte]

Fundado em 14 de abril de 2005 como Associação Cultural Recreativa e Esportiva Cidade Azul, o clube começou bem a sua história no cenário catarinense. Logo em sua primeira competição, a Série B1 do Campeonato Catarinense 2005 – uma espécie de terceira divisão –, venceu bem o primeiro turno. Foram oito vitórias e apenas uma derrota em nove jogos. Na final, bateu o Operários Mafrenses e o título veio junto com uma vaga na semifinal geral do campeonato. No segundo turno, o time não repetiu a boa campanha do primeiro e terminou na sexta colocação. Mesmo assim se classificou para as quartas-de-final. O Cidade Azul parou na semifinal do returno. No entanto, isso não foi um problema, já que o time estava automaticamente classificado para a semifinal geral do campeonato contra o Figueirense B. O Figueira venceu os dois jogos e foi para a final. Mas como a Federação não permite o acesso de times reservas, ou os chamados “times B”, e a vaga para a Série A2 caiu no colo do Cidade Azul.

Busca pelo acesso[editar | editar código-fonte]

A Série A2 de 2006, que depois passou a ser chamada de Divisão Especial, reunia os clubes que não estavam no Campeonato Brasileiro da Série A (Figueirense) e B (Avaí), mais os dois primeiros colocados da Série B1 de 2005 (Cidade Azul e Próspera), totalizando 12 equipes. Nesta competição ou o time subia para a elite ou caía para a Segundona – a chamada Divisão de Acesso.

A pressão de encarar times de tradição como Criciúma e Joinville foi grande e o Cidade Azul não resistiu. Somou apenas nove pontos em 11 jogos e ficou no 11º lugar, o penúltimo da competição, caindo para a segunda divisão de 2007 apenas por ter sofrido mais gols que o Brusque.

Em 2007 as coisas mudaram no Furacão. Rotina para os times pequenos, devido ao calendário, o clube entrou em campo apenas no segundo semestre, em julho. A batalha na Divisão de Acesso começou no dia 8 de julho: vitória por 1 a 0 sobre o Ferroviário Capivariense. O restante da 1ª fase foi razoável, o bastante para se classificar e vencer o primeiro turno, que dava direito a uma vaga na final do campeonato.

No segundo turno, a história se repetiu e o time de Tubarão levantou a taça. Ao vencer os dois turnos sagrou-se campeão da Divisão de Acesso 2007 e conquistou a tão sonhada vaga na elite do futebol catarinense em 2008.

O Atlético Tubarão foi rebaixado do Campeonato Catarinense em 2009, quando ficou na décima e última colocação, com apenas cinco pontos.

Nos anos seguintes o Peixe chegou a beliscar o acesso quatro vezes: em 2010 foi terceiro colocado com 37 pontos. Em 2011 novamente em terceiro, com 34 pontos. Em 2012 ficou em quarto lugar, com 28 pontos. Em 2013 ficou com o terceiro lugar, com 33 pontos. Em 2014 ficou em quinto, com 28 pontos, e ano passado, quando perdeu a vaga no saldo de gols, ficou em terceiro, com 36 pontos.[2]

Finalmente em 2016, com grandes mudanças na estrutura do clube, o Atlético conseguiu antecipadamente o acesso à elite do futebol catarinense no dia 30 de outubro de 2016 ao golear a equipe do Porto por 9 a 1 no estádio Heriberto Hulse, em Criciúma. Na disputa das finas da Série B, perdeu para o Almirante Barroso por 3 a 1 no estádio Camilo Mussi e ganhou em casa por 1 a 0, ficando o título com a equipe de Itajaí.[3]

Mudança do Nome[editar | editar código-fonte]

Antes do início do Campeonato Catarinense de 2008, a torcida decidiu protestar. Não aceitava mais o nome Cidade Azul. Torcedores se identificavam mais com o nome ligado à cidade. Com isso, a diretoria se mexeu e deu início ao processo para a mudança do nome do clube para Clube Atlético Tubarão.

No entanto, para conseguir a certidão negativa junto à FCF e mudar o nome, o clube teve que quitar débitos com INSS e Receita Federal. O pessoal quitou os débitos e mudou o nome junto à FCF.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Estaduais[editar | editar código-fonte]


Amistosos[editar | editar código-fonte]

Copa Viamão 2017

Atlético e K2 Soccer[editar | editar código-fonte]

Em 2015 o Clube Atlético Tubarão e a empresa K2 Soccer S/A iniciaram um projeto inovador. O objetivo é modernizar e estruturar todos os setores investindo na qualificação. Estruturada através de uma SPE (Sociedade de Propósito Específico), a união visa preservar receitas para o Clube e potencializar a capacidade de investimento no futebol, fomentando a profissionalização e a busca por novos negócios.

Atendendo ao escopo inovador, o Clube foi transformado em empresa (CLUBE ATLÉTICO TUBARÃO SPE LTDA) e incubado na Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL), se tornando, assim, o primeiro Clube startup do Brasil. A SPE tem previsão de duração de 20 anos, prorrogáveis por mais 20, com o propósito de fazer o Atlético crescer e se tornar um exemplo nacional de governança e gestão esportiva.

Até 2025, a meta é estar entre os 40 maiores clubes do Brasil.


 

Estádio[editar | editar código-fonte]

O Clube Atlético Tubarão faz suas partidas no estádio o Domingos Silveira Gonzales que é patrimônio do Tubarão Futebol Clube mas por questões judiciais por enquanto está de posse da prefeitura de Tubarão, tem capacidade para 3.500 pessoas.

Rivais[editar | editar código-fonte]

  • Hercílio Luz Futebol Clube

Torcidas Organizadas[editar | editar código-fonte]

Batalhão Garra Tricolor

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Goleiros
Jogador
24 Brasil Wesley
34 Brasil Luiz Carlos
35 Brasil Matheus Brandão
41 Brasil Guilherme
Defensores
Jogador Pos.
3 Brasil Gustavo Bastos Z
4 Brasil Gérson Capitão Z
13 Brasil Lucas Costa Z
23 Brasil Giordano Z
36 Brasil Hismael Z
2 Brasil Alex Santos L
6 Brasil Arthur Henrique L
12 Brasil Ramon L
16 Brasil Vitão L
22 Brasil Marcos Vinícius L
32 Brasil Arílton L
Meio-campistas
Jogador Pos.
5 Brasil Matheus Barbosa V
8 Brasil Ricardo Conceição V
15 Brasil Paulo Vinícius V
25 Brasil Liel V
28 Brasil Guilherme Amorim V
18 Brasil Alex Nemetz M
20 Brasil Daniel Costa M
27 Brasil Lucas Crispim M
30 Brasil Lucas Gabriel M
38 Uruguai Ferrón M
Atacantes
Jogador
7 Brasil Valdo Bacabal
9 Brasil Marcos Paulo
11 Brasil Paulinho
17 Brasil Everton Jr.
19 Colômbia Rentería
21 Brasil Rafael Ratão
31 Brasil Israel
Comissão técnica
Nome Pos.
Brasil Waguinho Dias T

=Transferências 2017[editar | editar código-fonte]

Entradas ⬆

Uruguai Ferrón ➡ River Plate

Saídas ⬇

Brasil Jandrei ➡ Chapecoense

Referências

Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre clubes brasileiros de futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.