Clube Atlético Tubarão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tubarão
Atlético Tubarão-SC.png
Nome Clube Atlético Tubarão
Alcunhas Peixe
Tricolor
Torcedor/Adepto Tubaronense
Mascote Tubarão
Principal rival Hercílio Luz
Fundação 14 de abril de 2005 (15 anos)
Estádio Domingos Silveira Gonzales
Capacidade 1.706 pessoas[1]
Localização Tubarão, SC
Presidente Gilmar Negro Machado
Treinador Isaque Pereira
Patrocinador Vip Car
Unity
Material (d)esportivo Kappa
Competição Catarinense - Série B
Copa Santa Catarina
Campeonato Brasileiro - Série D
Ranking nacional Aumento 93º lugar, 682 pontos
Website Clube Atlético Tubarão
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

Clube Atlético Tubarão é um clube de futebol brasileiro com sede na cidade de Tubarão, em Santa Catarina. Atualmente o clube disputa o Campeonato Catarinense Série A, a Copa Santa Catarina, a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro - Série D.

História[editar | editar código-fonte]

Fundação[editar | editar código-fonte]

Fundado em 14 de abril de 2005 como Associação Cultural Recreativa e Esportiva Cidade Azul, o clube começou bem a sua história no cenário catarinense. Logo em sua primeira competição, a Série B1 do Campeonato Catarinense 2005, equivalente à terceira divisão, venceu bem o primeiro turno. Foram oito vitórias e apenas uma derrota em nove jogos. Na final, bateu o Operários Mafrenses e o título veio junto com uma vaga na semifinal geral do campeonato. No segundo turno, o time não repetiu a boa campanha do primeiro e terminou na sexta colocação. Mesmo assim se classificou para as quartas-de-final. O Cidade Azul parou na semifinal do returno. No entanto, isso não foi um problema, já que o time estava automaticamente classificado para a semifinal geral do campeonato contra o Figueirense B. O Figueira venceu os dois jogos e foi para a final. Mas como a Federação não permite o acesso de times reservas, ou os chamados “times B”, e a vaga para a Série A2 de 2006 caiu no colo do Cidade Azul.

Busca pelo acesso[editar | editar código-fonte]

A Série A2 de 2006, que depois passou a ser chamada de Divisão Especial, reunia os clubes que não estavam no Campeonato Brasileiro da Série A (Figueirense) e B (Avaí), mais os dois primeiros colocados da Série B1 de 2005 (Cidade Azul e Próspera), totalizando 12 equipes. Nesta competição ou o time subia para a elite ou caía para a Divisão de Acesso.

A pressão de encarar times de tradição como Criciúma e Joinville foi grande e o Cidade Azul não resistiu. Somou apenas nove pontos em 11 jogos e ficou no 11º lugar, o penúltimo da competição, caindo para a divisão de acesso de 2007 apenas por ter sofrido mais gols que o Brusque.

Em 2007 as coisas mudaram no Tubarão. Rotina para os times pequenos, devido ao calendário, o clube entrou em campo apenas no segundo semestre, em julho. A batalha na Divisão de Acesso começou no dia 8 de julho: vitória por 1 a 0 sobre o Ferroviário Capivariense. O restante da 1ª fase foi razoável, o bastante para se classificar e vencer o primeiro turno, que dava direito a uma vaga na final do campeonato.

No segundo turno, a história se repetiu e o time de Tubarão levantou a taça. Ao vencer os dois turnos sagrou-se campeão da Divisão de Acesso 2007 e conquistou a tão sonhada vaga na elite do futebol catarinense em 2008.

Associção-Cultural-Recreativa-Esportiva-Cidade-Azul-SC.png

Mudança do Nome[editar | editar código-fonte]

Antes do início do Campeonato Catarinense de 2008, a torcida decidiu protestar.[2] Não aceitava mais o nome Cidade Azul. Torcedores se identificavam mais com o nome ligado à cidade. Com isso, a diretoria se mexeu e deu início ao processo para a mudança do nome do clube para Clube Atlético Tubarão.

No entanto, para conseguir a certidão negativa junto à FCF e mudar o nome, o clube teve que quitar débitos com INSS e Receita Federal. Os débitos foram quitados e o nome foi alterado junto à FCF.

Rebaixamento e briga pelo acesso[editar | editar código-fonte]

O Atlético Tubarão foi rebaixado do Campeonato Catarinense em 2009, quando ficou na décima e última colocação, com apenas cinco pontos.

Nos anos seguintes o Peixe chegou a beliscar o acesso quatro vezes: em 2010 foi terceiro colocado com 37 pontos. Em 2011 novamente em terceiro, com 34 pontos. Em 2012 ficou em quarto lugar, com 28 pontos. Em 2013 ficou com o terceiro lugar, com 33 pontos. Em 2014 ficou em quinto, com 28 pontos, e em 2015, quando perdeu a vaga no saldo de gols, ficou em terceiro, com 36 pontos.[3]

Parceria com a empresa K2 Soccer[editar | editar código-fonte]

Em 2015 o Clube Atlético Tubarão se uniu a empresa K2 Soccer S/A[4] que também possui um time nos Estados Unidos chamado Elm City Express, iniciando um projeto inovador. Com objetivo de modernizar e estruturar todos os setores investindo na qualificação, tem por meta trazer time a Série B até 2025. Estruturada através de uma SPE (Sociedade de Propósito Específico), a união visa preservar receitas para o Clube e potencializar a capacidade de investimento no futebol, fomentando a profissionalização e a busca por novos negócios. Atendendo ao escopo inovador, o Clube foi transformado em empresa (CLUBE ATLÉTICO TUBARÃO SPE LTDA) e incubado na Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL), se tornando, assim, o primeiro Clube startup do Brasil. A SPE tem previsão de duração de 20 anos, prorrogáveis por mais 20, com o propósito de fazer o Atlético crescer e se tornar um exemplo nacional de governança e gestão esportiva. A K2 Soccer ficou com 99% das ações da nova empresa, enquanto o antigo clube Atlético Tubarão ficou o 1% restante.[5]

Finalmente em 2016, o Atlético conseguiu antecipadamente o acesso à elite do futebol catarinense no dia 30 de outubro de 2016 ao golear a equipe do Porto por 9 a 1 no estádio Heriberto Hulse, em Criciúma. Na disputa das finas da Série B, perdeu para o Almirante Barroso por 3 a 1 no estádio Camilo Mussi e ganhou em casa por 1 a 0, ficando o título com a equipe de Itajaí.

Campeonato Catarinense, Copa SC e Acesso a Série D[editar | editar código-fonte]

Em 2017, após um mau início de Campeonato Catarinense, o clube se firmou e terminou a competição em sexto lugar conquistando assim a vaga para a Série D. No mesmo ano o Atlético Tubarão conquistou a Copa Santa Catarina, título mais importante de sua história, dando o direito de disputar a Copa do Brasil no ano seguinte. No ano de 2018 o clube surpreendeu terminando o Catarinense em terceiro lugar e ao avançar de fase na Copa do Brasil eliminando o América-RN em casa, e na segunda fase ao fazer um jogo equilibrado com o Atlético Paranaense na Arena da Baixada, sendo eliminado com um gol nos acréscimos pelo placar de 5 a 4.

Sede[editar | editar código-fonte]

Desde sua parceria com a K2 Soccer e a Unisul, o Clube Atlético Tubarão tem sua sede no Uniparque Unisul.[6]

Estádio[editar | editar código-fonte]

O Clube Atlético Tubarão joga suas partidas no estádio Domingos Silveira Gonzales que pertencia à Rede Ferroviária Federal e hoje é patrimônio da União. Originalmente o estádio abriga 1.706 pessoas, mas com instalação de arquibancadas móveis o número foi elevado para 3.000 Pessoas.

Títulos[editar | editar código-fonte]

ESTADUAIS
Competição Títulos Temporadas
SCtrophy.png Campeonato Catarinense - Série C 1 2007
SCtrophy.png Copa Santa Catarina 1 2017

Campanhas de destaque

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Participações[editar | editar código-fonte]

Participações em 2020
Competição Temporadas Melhor campanha Estreia Última P Aumento R Baixa
Santa Catarina Campeonato Catarinense - Série A 6 3º colocado (2018) 2008 2020 2
Campeonato Catarinense - Série B 9 Vice-campeão (2016) 2006 2021 2 1
Campeonato Catarinense - Série C 2 Campeão (2007) 2005 2007 2
Copa Santa Catarina 4 Campeão (2017) 2013 2019
Brasil Campeonato Brasileiro - Série D 3 11º colocado (2018) 2018 2020
Copa do Brasil 2 2ª fase (2018) 2018 2019

Torcidas Organizadas[editar | editar código-fonte]

Atualmente o clube tem a Batalhão Garra Tricolor como única torcida organizada.[7]

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Atualizado em 05 de Abril de 2020

Goleiros
Jogador
Brasil David
Brasil Wanderson
Defensores
Jogador Pos.
Brasil Anderson Z
Brasil Gutierrez Z
Brasil Vinicius Kuerten Z
Brasil Vitor Gabriel Z
Brasil Wesllen Z
Brasil Bartell LD
Brasil Carlos Eduardo LD
Brasil Cássio LE
Brasil Edi LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
Brasil Matheus V
Brasil Paulinho V
Brasil Ramires V
Brasil Vico V
Brasil Zé Augusto V
Brasil Alex Nemetz Capitão M
Brasil Douglas M
Brasil Edinho M
Brasil Eduardo M
Brasil Kassio M
Brasil Quadros M
Atacantes
Jogador
Brasil Aslen
Brasil Gabriel Amorim
Brasil Gleydson
Brasil Kendy
Brasil Matheus Mazia
Brasil Pablo
Brasil Reginaldo
Comissão técnica
Nome Pos.
Brasil Isaque Pereira T

Rivalidade[editar | editar código-fonte]

O clube tem como rival o Hercílio Luz Futebol Clube, clube também de Tubarão, com qual já brigou diretamente pelo acesso em 10 ocasiões e o Criciúma Esporte Clube também da região sul de Santa Catarina.

Referências

  1. Cadastro Nacional de Estádios de Futebol
  2. «O dia em que a própria torcida mudou o nome do Cidade Azul-SC». Última Divisão. 30 de junho de 2016 
  3. «Acesso do Peixe pode vir neste domingo». diariodosul.com.br. Consultado em 28 de novembro de 2016 
  4. Catarinense, Diário. «Elenco do Tubarão se apresenta para a preparação para a Série B do Campeonato Catarinense». Diário Catarinense 
  5. «Clube startup e clube-empresa transformam futebol em negócio e se enfrentam no Brasileirão». epocanegocios.globo.com 
  6. «C.A. Tubarão | Site Oficial». C.A. Tubarão | Site Oficial (em inglês). Consultado em 16 de junho de 2018 
  7. Engeplus, Portal (7 de fevereiro de 2017). «PM vê problemas com faixas, bandeiras e radinho no estádio». Portal Engeplus