São José Esporte Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
São José E.C.
São José EC.png
Nome São José Esporte Clube
Alcunhas Águia do Vale
Mascote Águia
Principal rival Taubaté
Fundação 13 de agosto de 1933 (85 anos)
Estádio Martins Pereira
Capacidade 18.000
Presidente Brasil Adilson José da Silva
Treinador Brasil Ricardo Costa
Patrocinador Brasil ETEP Faculdades
Brasil Ativia
Brasil Ensin
Brasil Milclean
Brasil Padaria Flor de Ypê
Brasil Chaparral Boteco
Material (d)esportivo Brasil RT Sports
Competição São Paulo Campeonato Paulista - Segunda Divisão
Website São José Esporte Clube
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

São José Esporte Clube (nascido como "Esporte Clube São José”) é um tradicional clube de futebol de São José dos Campos, da região do Vale do Paraíba, estado de São Paulo. Foi fundado em 13 de agosto de 1933 e suas cores são o azul, o amarelo e o branco.

É considerado uma das maiores e mais tradicionais equipes de futebol do interior de São Paulo. Seu melhor momento no futebol ocorreu em 1989, ano em que foi vice-campeão do Campeonato Paulista e da Série B do Campeonato Brasileiro e ainda conquistou diversos torneios regionais em uma vitoriosa excursão pela Europa.

História[editar | editar código-fonte]

No dia 13 de agosto de 1933, o esportista Galiano Alves fundou o Esporte Clube São José, nascendo de uma dissidência da Associação Esportiva São José (Clube da cidade que possui a equipe de basquete São José Basketball), que naquela época possuía alguns dos principais jogadores do futebol amador da cidade. A equipe se manteve participando de torneios amadores em São José dos Campos durante trinta e um anos até se profissionalizar no dia 8 de março de 1964, ano em que sagrou-se campeão da terceira divisão paulista (equivalente a atual Série B1-A), após passar pela Bancária de Fernandópolis, logo na primeira temporada como time profissional.

Naquela época o time também era chamado pelos torcedores apenas de "Esporte". Em 1965, o Esporte Clube São José conseguiu o segundo título e acesso consecutivo, ao derrotar o Orlândia por 2 a 1 e garantir o título da segunda divisão (equivalente a atual Série A-3 do Campeonato Paulista). Com isso, o "Formigão do Vale", como também era chamado naquela época, pôde participar pela primeira vez em sua história da divisão de acesso do Campeonato Paulista (equivalente a atual Série A-2), em 1966.

Em sua primeira fase, o clube utilizava um uniforme com camisas pretas, listas verticais brancas e calções pretos (semelhante ao segundo uniforme do Corinthians) e atuava no Estádio da Rua Antônio Saes, onde posteriormente foi construído o prédio do Supermercado Jumbo-Eletro e atualmente funciona um templo da Igreja Universal do Reino de Deus. O atual Estádio Martins Pereira só seria inaugurado em 1970. Em 1972, a equipe chegou a ser campeã da Primeira Divisão (divisão de acesso), empatando em 0 a 0 com o Garça, na cidade do adversário, mas naquele ano o campeonato não dava direito a acesso à Divisão Especial (divisão de elite e atual Série A1).

O time profissional da cidade continuou com esse nome até dezembro de 1976 quando, atolado em dívidas, e quase falido, foi obrigado a mudar de nome para fugir das cobranças e ameaças de penhora. Na oportunidade, Altamirando Negrão de Palma assumiu a presidência do clube e, junto de outros três diretores, Geraldo Marcolongo, Sérgio Ângelo e Pedro Yves Simão, procuraram ajuda na Federação Paulista de Futebol, que fez com que o Esporte Clube São José se transformasse em São José Esporte Clube, mudando inclusive as cores do uniforme e o distintivo. O alvinegro foi substituído pelo azul, amarelo e branco, que são as cores oficiais da cidade. O distintivo também se tornou semelhante ao brasão da cidade de São José dos Campos e a mascote passou a ser a "Águia do Vale".

Campeão da Série A2 de 1980, o time estreou no Paulistão em 1981, realizando uma ótima campanha, que lhe rendeu uma vaga para a Série A do Brasileiro de 1982. Rebaixado em 1983, o time voltou à Série A1 em 1988, chegando às semifinais do torneio. O maior feito de sua história foi o vice-campeonato paulista da divisão maior, obtido em 1989; o São Paulo foi campeão graças a uma vitória por 1 a 0 com um gol contra marcado pelo lateral esquerdo André Luís, no Morumbi, assim como a uma absurda inversão de campo no segundo jogo, o que levou a partida decisiva - que inicialmente deveria ser realizada no estádio Martins Pereira - para a casa do São Paulo, em uma das maiores injustiças já ocorridas no futebol paulista. No ano seguinte, em sua segunda participação na Série A do Campeonato Brasileiro, o clube conseguiu escapar da degola na penúltima rodada da primeira fase da competição; porém, após o término do campeonato, o Vitória conseguiu recuperar no STJD os 5 pontos que havia perdido por escalar um jogador irregular, após muita movimentação nos bastidores, o que acabou decretando o rebaixamento da Águia.[1]

  • Escudo: Inspirado no emblema da cidade de São José dos Campos, que é semelhante (a diferença está no número de dentes da engrenagem, 12 no escudo do clube contra 13 no emblema da cidade, e o nome do time na faixa branca que representa o rio Paraíba do Sul), o emblema do São José Esporte Clube surgiu com a mudança de nome em 1976, quando deixou de ser Esporte Clube São José. Em 2003, com a terceirização e a mudança de nome para Esporte São José, o escudo mudou também trazendo uma águia dentro do escudo antigo; todavia, em 2005, quando voltou a se chamar São José Esporte Clube, o tradicional escudo voltou.[2]
  • Mascote: Até 1976 a mascote do São José era a Formiga (mascote adotado por outra agremiação da cidade - o desativado Futebol Clube Primeira Camisa - em homenagem ao clube); a Águia é a mascote oficial do São José desde 1978, na gestão do presidente Laerte Pinto da Cunha. Quando mudou de nome e de cores, no final de 76, o São José havia sido apelidado de "Azulão do Vale". O mascote foi escolhido porque a Águia é um animal de muita garra e que luta até o fim mesmo contra todas as dificuldades.[3]

Estádio[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Estádio Martins Pereira
Martins Pereira em jogo noturno da Águia.

O Estádio Martins Pereira foi inaugurado no dia 15 de março de 1970, com o jogo amistoso entre Atlético/MG e Internacional/RS, vencido pelo time mineiro por 1 a 0. O gol foi marcado por Dadá Maravilha, aos 29 minutos do primeiro tempo.[4] Naquela época, o time da cidade ainda era o Esporte Clube São José, o "Formigão do Vale", de cores alvi-negras. A primeira partida do antigo Formigão em seu estádio foi contra o Nacional de São Paulo, perdendo por 1 a 0, no dia 22 de março de 70. A primeira vitória só aconteceria uma semana depois, contra o Saad de São Caetano, por 2 a 1.

O estádio começou a ser construído em 1968, sacrificando o futebol profissional da cidade, que ficou dois anos desativados. Antes, o "Formigão do Vale" mandava seus jogos no estádio da Rua Antônio Saes, com arquibancadas de madeira e capacidade para cerca de 5 mil torcedores, e que foi vendido para a construção do novo estádio.

O São José Esporte Clube, já com nova ata e novo estatuto, fez seu primeiro jogo oficial no Estádio Martins Pereira em janeiro de 1977, contra o São Paulo, empatando em 0 a 0.

O recorde oficial de público em um jogo aconteceu em 1987, numa partida entre São José e São Paulo, válida pelo Campeonato Paulista: 22 mil pessoas estavam presentes. Todavia, supõe-se que esse recorde foi batido no jogo São José 1 x 1 São Paulo pelo Paulistão-97, onde 19 mil pagantes e aproximadamente 6 mil pessoas entraram de graça, o que daria um público de aproximadamente 25 mil pessoas.

Desempenho por temporadas[editar | editar código-fonte]

2013 - A Águia iniciou a temporada de 2013 disputando pela sétima vez consecutiva uma edição do Campeonato Paulista Série A2. A edição desse ano marcou o reencontro do São José com o Guaratinguetá Futebol Ltda.; o campeonato também teve como atração a presença da Portuguesa de Desportos. A equipe, comandada pelo treinador Márcio Bittencourt, iniciou sua batalha rumo ao acesso em 23 de janeiro de 2013, enfrentando o Red Bull Brasil, no Martins Pereira. O time estreou com uma vitória e iniciou bem o campeonato, porém logo teve uma queda de rendimento e não conseguia se firmar entre os 8 primeiros colocados. A equipe mostrava ter uma defesa consistente, porém também evidenciava sérias deficiências no ataque. O time manteve essa toada até a penúltima rodada, quando empatou em casa com a Ferroviária de Araraquara: o presidente Robertinho da Padaria decidiu então dispensar Bittencourt e trouxe para a última rodada o técnico Moisés Egert. Todavia, o time não teve forças para buscar a necessária vitória contra o Audax, e acabou sofrendo uma humilhante goleada de 5x0 e sendo eliminado na primeira fase do certame.

Um dia depois da vexatória eliminação e da sétima temporada fracassada seguida no comando da Águia, o presidente Robertinho da Padaria anunciou que entregará o cargo em outubro, quando terminará o seu mandato, e também que a equipe provavelmente não disputará a Copa Paulista no segundo semestre.[5]

2014 - A Águia inicia a sua preparação para o Campeonato Paulista de Futebol de 2014 - Série A2, com a posse do Presidente "Geléia". O técnico para a disputa será Ruy Scarpino. Com a reforma do Estádio Martins Pereira para a Copa do Mundo FIFA de 2014, o São José Esporte Clube deverá mandar seus jogos em Caçapava, no Estádio Satiro de Oliveira. Parcerias estão sendo acordadas, como a parceria com a Ambev, com o programa "Movimento por um Futebol Melhor" que visa atrair mais sócios para o clube. Uma outra parceria é com o músico e empresário Gabriel, o Pensador e seu projeto "Pensador Futebol". Recentemente, o nome do lateral-esquerdo Gustavo Nery, campeão do Campeonato Brasileiro de Futebol de 2005 com o Corinthians, surgiu nos bastidores do clube. Entretanto, até o presente momento, é apenas uma especulação. Reuniões com empresários da cidade estão sendo realizadas em busca de novas parcerias, e um dos nomes acordados é do ex-atacante e ídolo do São José Esporte Clube, Renato Santiago, que será dirigente de futebol.

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Goleiros
Jogador
Brasil Agenor
Brasil Matheus
Brasil Neto Bonini
Defensores
Jogador Pos.
Brasil Léo Turbo Z
Brasil Raphael Z
Brasil Gutierrez Z
Brasil Arthur Gaúcho Z
Brasil Denis LD
Brasil Léo Felix LD
Brasil Luciano Pit LE
Brasil Lucas Praxedes LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
Brasil Tauã V
Brasil Yuri Ferraz V
Brasil Sydney V
Brasil Alan M
Brasil Pedrinho M
Brasil Vinicius Reis M
Brasil Vinicius Barcelos M
Brasil Bruno Nascimento M
Brasil Miqueias M
Atacantes
Jogador
Brasil Erik Bessa
Brasil Lucas Lima
Brasil Douglas Netto
Brasil Dieguinho
Brasil Gabriel Lagoa
Comissão técnica
Nome Pos.
Brasil Ricardo Costa T

Torcida[editar | editar código-fonte]

Torcida Mancha Azul[editar | editar código-fonte]

Disambig grey.svg Nota: Se procura pela torcida do Avaí Futebol Clube, veja Torcida Mancha Azul.

Foi fundada em 1987, tendo atualmente como presidente da torcida Hugo, e contando com 1300 torcedores sócios.[6][7]

Torcida Sangue Joseense[editar | editar código-fonte]

Fundada em 19/05/2007, tem sua sede no bairro Jardim Motorama, em São José dos Campos.[6]

Guerreiros da Águia[editar | editar código-fonte]

Foi criada em 11/06/2007, e tem como símbolo um personagem musculoso.[6]

Torcida Uniformizada do São José[editar | editar código-fonte]

Fundada em 12/04/2014[8] por um antigo membro da Torcida Mancha Azul, tem como símbolo o escudo do time por trás de uma águia em voo.[9]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Internacionais[editar | editar código-fonte]

Nacionais[editar | editar código-fonte]

Estaduais[editar | editar código-fonte]

Regionais[editar | editar código-fonte]

  • São Paulo Torneio do Vale do Paraíba: 1967.
  • São Paulo Torneio Rui Dória: 1966.
  • São Paulo Copa Vale do Paraíba: 1996.

Principais acessos[editar | editar código-fonte]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Participações[editar | editar código-fonte]

Aumento Promovido à divisão superior
Baixa Rebaixado à divisão inferior
Inativo Licenciamento no ano seguinte
Participações em 2019
Competição Temporadas Melhor campanha Anos A Aumento R Baixa
São Paulo Campeonato Paulista 12 Vice-campeão (1989) 1981-1983 Baixa Inativo, 1988-1993 Baixa e 1997-1999 Baixa 3
Série A2 31 Campeão (1972 e 1980) 1966-1967 Inativo, 1970-1980 Aumento, 1985-1987 Aumento, 1994 Inativo, 1996 Aumento, 2000-2004 Baixa e 2007-2014 Baixa 3 2
Série A3 6 Campeão (1965) 1957 Inativo, 1965 Aumento, 2005-2006 Aumento e 2015-2016 Baixa 2 1
Segunda Divisão 4 Campeão (1964) 1964 Aumento e 2017-2019 1
Brasil Campeonato Brasileiro 2 12º colocado (1982) 1982 e 1990 Baixa 1
Série B 3 Vice-campeão (1989) 1989 Aumento, 1991 e 1992 1
Série C 2 33º colocado (1997) 1997 e 2000
Copa do Brasil 1 1ª fase (1990) 1990

Últimas dez temporadas[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Temporadas do São José-SP
Últimas dez temporadas do São José Esporte Clube
Brasil Nacionais Flag of the United Nations.svg Internacionais São Paulo Estaduais
Campeonato Brasileiro Copa do Brasil Continental / Mundial Campeonato Paulista Copa Paulista
Ano Div. Pos. Pts J V E D GP GC Fase Máxima Competição Fase Máxima Div. Pos. Fase Máxima
2009 D Não classificado A2 1F
2010 D Não classificado A2 1F
2011 D Não classificado A2 1F
2012 D Não classificado A2 13º 1F
2013 D Não classificado A2
2014 D Não classificado A2 20º 2F
2015 D Não classificado A3 10º 1F
2016 D Não classificado A3 15º
2017 D Não classificado SD
2018 D Não classificado SD


Legenda:
     Campeão
     Vice-campeão
     Eliminado na semifinal.
     Classificado à Copa Libertadores da América
     Classificado à Copa Libertadores da América pelo título da Copa do Brasil.
     Classificado à Copa Libertadores da América pelo título da Copa Libertadores.
     Classificado à Copa Sul-Americana
     Classificado à Copa do Brasil
     Campeão do Campeonato do Interior
     Rebaixado à divisão inferior.
     Campeão e promovido à divisão superior
     Promovido à divisão superior.

Futebol feminino[editar | editar código-fonte]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Internacionais[editar | editar código-fonte]

Nacionais[editar | editar código-fonte]

Estaduais[editar | editar código-fonte]

Ranking da CBF de Futebol Feminino[editar | editar código-fonte]

  • Posição: 1º
  • Pontuação: 13.040 pontos[12]

Ranking criado pela Confederação Brasileira de Futebol para pontuar todos os clubes femininos do Brasil. (Atualizado em Janeiro de 2018)

Temporada atual[editar | editar código-fonte]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Goleiros
Jogador
Brasil Thaís Helena
Brasil Tatyane
Brasil Michelle
Defensores
Jogador Pos.
Brasil Bagé Z
Brasil Gislaine Z
Brasil Lulu Z
Brasil Vivi Martino Z
Brasil Naty LD
Brasil Bruna LD
Brasil Nathalia LE
Brasil Rafaella LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
Brasil Edna Baiana V
Brasil Pepê V
Brasil Letícia V
Brasil Isa Leone V
Brasil Samia M
Brasil Carlinha M
Brasil Rita Bove M
Brasil Keila M
Brasil Raquel M
Atacantes
Jogador
Brasil Chú Santos
Brasil Luize Nery
Brasil Karol Lins
Brasil Michele Carioca
Brasil Ludmila
Brasil Franciele
Comissão técnica
Nome Pos.
Brasil Márcio Oliveira T

Uniforme[editar | editar código-fonte]

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1º uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2º uniforme

Campeonatos[editar | editar código-fonte]

Técnicos[editar | editar código-fonte]

Seguem os nomes dos técnicos de passagem vitoriosa pela Águia:

  • Ademir Mello (in memoriam, vice-campeão Paulista A1)
  • Afrânio Riul (in memoriam, montou o elenco do acesso de 1996)
  • Diede Lameiro (acessos de 1964 e 65)
  • Émerson Leão (quarto lugar no Paulistão de 1988)
  • Gílson Nunes (acesso em 1996)
  • Henrique Passos (campeão da A2 de 1980)
  • Jorge Pinto de Souza (campeão da A2 de 1972)
  • Marião (in memorian, acesso em 2006)
  • Paulo Emílio (vice-campeão da Série B do Brasileiro)
  • Vail Motta (vice-campeão da A2 de 1987)

Presidentes[editar | editar código-fonte]

Segue a lista dos últimos presidentes do São José Esporte Clube:

  • 1975 - Fauze Metene
  • 1976/1978 - Altamirando Negrão Palma
  • 1979/1980 - Laerte Pinto da Cunha
  • 1981/1984 - Augustin Soliva
  • 1984/1986 - Wilson Renato de Lima
  • 1987/1990 - Pedro Yves Simão
  • 1991/1992 - Pedro Dominicalli
  • 1993/1996 - Henrique Ferro
  • 1997 - Lindonice de Brito
  • 1997/1998 - Carlos Lorusso
  • 1998 - Arnaldo Pardal
  • 1998/2000 - Cláudio Santiago
  • 2000 - Manoel Bueno
  • 2001 - José Luis de Almeida
  • 2001/2002 - Pedro Yves Simão
  • 2003 - José Maria de Oliveira
  • 2003/2004 - Benevides Ferneda
  • 2005/2006 - Wilson Renato de Lima
  • 2007/2010 - Hélio Fontes
  • 2010/2012 - Robertinho da Padaria
  • 2012 - Celso Monteiro (interino)
  • 2012/2013 - Robertinho da Padaria
  • 2013 - Benevides Ferneda "Geléia"

Rivais[editar | editar código-fonte]

Os tradicionais rivais da Águia do Vale são o Esporte Clube Taubaté e a Esportiva de Guaratinguetá. Com a extinção dessa última, houve alguns confrontos contra o Guaratinguetá Futebol que ficou 1 ano atuando em Americana com o nome da cidade. O equilibrado confronto contra o Taubaté é chamado pelos torcedores e pela imprensa de Clássico do Vale.[13]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]