Tríplice Coroa Internacional de Futebol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Tríplice Coroa Internacional de Futebol é um caso particular de Tríplice coroa, título não oficial dado a clubes de futebol, para o qual consideram-se apenas as competições oficializadas pela FIFA e pelas confederações continentais - UEFA da Europa; CONMEBOL da América do Sul; CONCACAF da América Central, América do Norte e Caribe; CAF da África; AFC da Ásia; e OFC da Oceania [1].

Competições oficiais[editar | editar código-fonte]

Para clubes sul-americanos[editar | editar código-fonte]

Os clubes sul-americanos têm a possibilidade de Tríplice Coroa apenas desde 1968, quando os vencedores da Copa Libertadores da América [2] passaram a disputar, além da Copa Intercontinental contra o campeão europeu [3], também a Copa Interamericana contra o campeão da Concacaf (apesar de essa última não ter acontecido todos os anos), onde os sul-americanos tinham perceptível vantagem técnica [4]. Grandes times dos anos 1960, como o Santos de Pelé ou o Peñarol de Cubilla não tiveram oportunidade de conquistar esse título.

A partir dos anos 1980, as possibilidades de Tríplice e até mesmo de Quádrupla coroa se ampliaram, com a criação da Recopa (1988) [5] e de algumas competições já extintas, como a a Supercopa (1988-97) [6], a Copa Conmebol (1992-99) [7], a Copa Master da Supercopa (teve duas edições: 1992 e 1995), a Copa Ouro (teve três edições: 1993, 1995 e 1996), a Copa Master da Conmebol (1996) [8] e as Copas Mercosul [9] e Merconorte (1998-2001) [10].

Desde 2002, os times da América do Sul têm a possibilidade de disputar até 4 competições internacionais: Libertadores, Sul-americana [11], Recopa e Intercontinental, que em 2005 foi substituída pelo Mundial de Clubes da Fifa [12]. De acordo com as recomendações da Fifa, os critérios para ingresso nessas competições passaram a ser exclusivamente de performance na temporada, excluindo-se os convites e os critérios de antiguidade muito utilizados pela Conmebol nos anos 1980-1990.

Em 2009, a CBF determinou que clubes brasileiros não podem disputar as Copas Libertadores e Sul-Americana na mesma temporada, com exceção do caso de um time ser campeão da Sul-Americana (até 2008 apenas o campeão brasileiro participava das duas competições), pois este ganhará vaga para a Libertadores e as oitavas da Sul-Americana do ano seguinte, critério que deve ser seguido por outras confederações do continente, sendo assim partir de 2008 o campeão da Sul-Americana do ano anterior poderá ganhar até 5 competições internacionais no ano seguinte, pois foi criada a Copa Suruga Bank.

Para clubes da Europa[editar | editar código-fonte]

Na Europa, a Tríplice Coroa já era possível desde 1961, com a coexistência de 3 competições continentais - a Copa dos Campeões (desde 1956) [13], a Recopa Européia (1961-99) [14] e a Copa das Feiras (1958-71) [15], mais tarde transformada na Copa da UEFA (desde 1972) [16]. Mas era uma possibilidade muito remota, pela acirrada disputa das vagas a essas competições.

Em 1972, a criação da Supercopa Européia [17], a ser disputada entre os vencedores da Copa dos Campeões e da Copa da UEFA, facilitou a possibilidade de Tríplice Coroa Internacional para os clubes europeus.

Para clubes da Concacaf[editar | editar código-fonte]

Clubes da América Central, América do Norte e Caribe disputam a Copa da Concacaf desde 1962 [18], e disputaram a Copa Interamericana entre 1968 e 1998, com exceção de alguns anos. Clubes mexicanos passaram a participar da Libertadores em 1998, e da Copa Sul-Americana em 2005, com possibilidade de chegar à Recopa e a Copa Suruga, mas não à Copa Intercontinental. Caribenhos desde 1997 disputam o Campeonato de Clubes da CFU .

A confederação tem quatro competições extintas, são elas: Copa Gigantes da CONCACAF(2001), Recopa da CONCACAF(1991-1995), Copa Interclubes da UNCAF(1971-2007) e a SuperLiga Norte-Americana(2007-2010).

Em 2005, o campeão da Concacaf passou a disputar o Mundial da FIFA, criando apenas para mexicanos e caribenhos a chance de ganhar mais de 2 títulos internacionais.

Para clubes africanos[editar | editar código-fonte]

Os clubes africanos têm a possibilidade de disputar a Copa Africana dos Campeões (desde 1964, mas chamada Liga dos Campeões da CAF a partir de 1997) [19], a Copa dos Vencedores de Copas (1975-2003) [20], a Copa da CAF ou Copa da Confederação Africana (desde 1992) [21] e a Supercopa Africana (também desde 1992) [22]. De 1986 a 1998, o vencedor da Copa Africana dos Campeões disputava ainda a Copa Afro-asiática contra o campeão da Ásia [23]. E, desde 2005, passou a disputar o Mundial de Clubes da Fifa. Os clubes Afro-Árabes ainda disputavam os torneios da UAFA, junto com os asiáticos, sendo a Copa do Golfo o único torneio dessa Associação ainda vivo.

Ou seja: a possibilidade existe apenas desde 1992. Mas, até 2007, nenhum clube africano conseguiu conquistar uma Tríplice Coroa Internacional.

Para clubes asiáticos[editar | editar código-fonte]

A Copa Asiática dos Campeões surgiu apenas em 1986 [24], embora competições semelhantes tenham sido disputadas, sem continuidade, entre 1967 e 1971. A Copa dos Vencedores de Copas passou a ser disputada em 1991 [25].

A Supercopa Asiática foi criada em 1995, mas extinta em 2002 [26]. A Copa Afro-asiática só ocorreu entre 1986 e 1998. E o Mundial de Clubes da Fifa, com a inclusão de clubes asiáticos, foi criado em 2005. Os clubes de países Árabes também disputavam os torneios da UAFA, apenas a Copa do Golfo continua a existir entre essas disputas. Times do Leste disputaram a Copa dos Campeões do Leste Asiático em 1998 e de 2003 até 2007.

Portanto, um clube asiático só poderia ter conquistado uma Tríplice Coroa Internacional a partir de 1991 - o que não chegou a acontecer.

Para clubes da Oceania[editar | editar código-fonte]

A Copa de Clubes da Oceania foi disputada experimentalmente em 1987 e depois em 1999 e 2001, mas só passou a ser uma competição regular anual a partir de 2004 [27]. No ano seguinte, 2005, o campeão da Oceania passou a disputar o Mundial da Fifa. Mas não há uma terceira competição que eles possam disputar.

Casos registrados[editar | editar código-fonte]

Até a temporada de 2015-16, há 24 casos registrados de Tríplice Coroa Internacional, sendo 12 europeus e 12 de sul-americanos:

  • O primeiro caso foi do argentino Estudiantes, que em 1968 conquistou a Copa Libertadores da América, a Copa Intercontinental e a Copa Interamericana.
  • O Club Atlético Independiente de 73, o Olimpia de 79, e o River Plate de 86, conquistaram os mesmos títulos internacionais que o Estudiantes havia conquistado em 68.
  • Apenas em 1987 aconteceu o primeiro tríplice campeonato europeu, quando o Porto venceu a Copa dos Campeões da Europa, a Supercopa Européia e Copa Intercontinental.
  • No ano seguinte, o Nacional do Uruguai conquistou a primeira Quádrupla coroa Internacional, ao se tornar campeão da Libertadores, da Recopa, da Interamericana e da Intercontinental.
  • Em 1989-90, o Milan tornou-se o primeiro clube do mundo a vencer duas Tríplices Coroas Internacionais seguidas, sagrando-se bi-campeão da Liga dos Campeões, da Supercopa Européia e da Copa Intercontinental.
  • Na temporada de 1992, o Colo-Colo conquistou a Libertadores, a Recopa e a Copa Interamericana.
  • Em 1992-93, o São Paulo, comandado por Telê Santana, repetiu o feito do Milan, vencendo a Tríplice Coroa (Libertadores, Recopa Sul-Americana e Intercontinental) dois anos seguidos, tornando-se o primeiro time sul-americano a vencer duas Tríplices Coroas Internacionais. Para completar, o São Paulo ainda venceu a Supercopa Libertadores em 1993, conquistando então uma Quádrupla coroa Internacional.
  • Em 1994, o Vélez Sársfield foi Tríplice Coroado ao vencer as copas Libertadores, Interamericana e Intercontinental.
  • Nos anos seguintes, o Ajax (1995) e a Juventus (1996) conquistaram os mesmos três títulos internacionais que o Milan tinha ganhado em 89/90.
  • Em 2002, o Real Madrid diminui a contagem para os europeus, ao vencer a Copa dos Campeões, Supercopa Europeia e a Intercontinental: com essa conquista, passaram a ser 6 Tríplices Coras para clubes europeus e 9 para sul-americanos.
  • Na temporada 2007, ao vencer a Recopa, o Internacional aumentou a contagem para os clubes sul-americanos, ao conquistar a sua Tríplice Coroa Internacional, a primeira registrada após a criação do Campeonato Mundial de Clubes (em substituição à Copa Intercontinental) [28][29].
  • Em 2007, o Milan conquistou sua terceira Tríplice Coroa Internacional (Liga Européia, Mundial de Clubes e Supercopa Européia).
  • Em 2009 e em 2011 o Barcelona conquistou a Copa do Mundo de Clubes, a Copa dos Campeões e a Supercopa Européia.
  • Em 2013, o Corinthians se sagrou campeão da Recopa Sul-Americana após ter sido campeão de sua primeira Copa Libertadores e do Mundial de Clubes de 2012, formando assim uma Tríplice Coroa Internacional de maneira invicta [30].
  • Em 2013, o Bayern de Munique foi Tríplice Coroado ao vencer a Champions League, a Supercopa Europeia e o Mundial de Clubes.
  • Em 2014, o Real Madrid foi Tríplice Coroado ao vencer a UEFA Champions League 2013/14, a Supercopa Européia e o Mundial de Clubes da FIFA.
  • Em 2015, o Barcelona foi Tríplice Coroado ao vencer a Champions League, a Supercopa Européia e o Mundial de Clubes.
  • Em 2015, o River Plate conquistou a Copa Suruga Bank, a Copa Libertadores e a Recopa Sul-Americana.
  • Por países, a divisão de Tríplices Coroas é a seguinte: 5 para a Espanha, 5 para a Argentina, 4 para a Itália, 4 para o Brasil e 1 para Portugal, Uruguai, Holanda, Paraguai, Alemanha e Chile.

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Confederações filiadas à Fifa». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  2. «Página da Conmebol sobre a Copa Libertadores da América». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  3. «Página da RSSSF sobre a Copa Intercontinental (1960-2004)». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  4. «Página da RSSSF sobre a Copa Interamericana (1968-1998)». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  5. «Página da Conmebol sobre a Recopa Sulamericana». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  6. «Página da RSSSF sobre a Supercopa Libertadores». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  7. «Página da RSSSF sobre a Copa Conmebol». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  8. «Página da RSSSF sobre a Copa Master da Conmebol». Consultado em 14 de janeiro de 2011. 
  9. «Página da RSSSF sobre a Copa Mercosul». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  10. «Página da RSSSF sobre a Copa Merconorte». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  11. «Página da Conmebol sobre a Copa Sul-Americana». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  12. «Página da FIFA sobre o Mundial de Clubes». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  13. «Página da UEFA sobre a Copa dos Campeões». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  14. «Página da RSSSF sobre a Recopa Européia». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  15. «Página da RSSSF sobre a Copa das Feiras». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  16. «Página da UEFA sobre a Copa da UEFA». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  17. «Página da UEFA sobre a Supercopa Europeia». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  18. «Página da Concacaf sobre a Copa dos Campeões». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  19. «Página da CAF sobre a Copa Africana dos Campeões». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  20. «Página da CAF sobre a Copa dos Vencedores de Copas Africanas». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  21. «Página da RSSSF sobre a Copa da CAF». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  22. «Página da CAF sobre a Supercopa Africana». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  23. «Página da RSSSF sobre a Copa Afro-asiática». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  24. «Página da AFC sobre a Copa Asiática dos Campeões». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  25. «Página da AFC sobre a Copa dos Vencedores de Copas Asiáticas». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  26. «Página da RSSSF sobre a Supercopa Asiática». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  27. «Página da OFC sobre a Copa de Clubes da Oceania». Consultado em 26 de agosto de 2010. 
  28. «Matéria do Globo Esportes sobre a Tríplice Coroa 2007». Consultado em 5 de setembro de 2010. 
  29. «Matéria do CLicRBS sobre a Tríplice Coroa 2007». Consultado em 24 de soutubro de 2014. 
  30. http://%20http://www.lancenet.com.br/minuto/campeao-Corinthians-Paulo-fatura-Recopa_0_957504473.html