Campeonato Brasileiro de Futebol de 2017 - Série D

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Campeonato Brasileiro de 2017 - Série D
Brasileirão 2017 - Série D
Dados
Participantes 68
Organização CBF
Período 21 de maio10 de setembro
Gol(o)s 630
Partidas 266
Média 2,37 gol(o)s por partida
Campeão Operário-PR (1º título)
Vice-campeão Globo
Promovido(s) Operário-PR
Globo
Atlético Acreano
Juazeirense
Melhor marcador 9 gols:
Melhor ataque (fase inicial) Atlético Acreano – 16 gols
Melhor defesa (fase inicial) Portuguesa-RJ – 2 gols
Maiores goleadas
(diferença)
Luziânia 5–0 Sete de Dourados
Estádio Serra do LagoLuziânia
3 de junho, 3ª rodada
 
Atlético Acreano 5–0 Real Ariquemes
Estádio FlorestãoRio Branco
4 de junho, 3ª rodada
 
Globo 0–5 Operário-PR
Estádio BarretãoCeará-Mirim
3 de setembro, Final
Público 295 494
Média 1 158,8 pessoas por partida
◄◄ 2016 Soccerball.svg 2018 ►►
atualizado em 10 de setembro

A Série D do Campeonato Brasileiro de Futebol de 2017 foi a nona edição da competição de futebol profissional equivalente à quarta divisão no Brasil. Esta edição foi disputada por 68 equipes, que se classificaram através dos campeonatos estaduais e por outros torneios realizados por cada uma das federações estaduais.[1]

Ao final da competição, o Operário-PR conquistou o primeiro título nacional de sua história após golear o Globo por 5–0 no jogo de ida da final, em Ceará-Mirim, e perder por 1–0 na partida de volta, em Ponta Grossa.[2] Além dos finalistas, Atlético Acreano e Juazeirense também foram promovidos para a Série C de 2018.[3] A edição de 2017 marcou a primeira vez que nenhum clube da região Sudeste conseguiu o acesso na Série D.[4]

Critérios de classificação[editar | editar código-fonte]

De acordo com o formato do ano anterior, com 68 equipes participantes, as vagas foram distribuídas da seguinte forma:[5]

  • Os quatro rebaixados da Série C do ano anterior;
  • O estado primeiro colocado no Ranking Nacional das Federações teve direito a 4 vagas;
  • Do segundo ao nono no Ranking Nacional das Federações tiveram direito a 3 vagas;
  • Os demais 18 estados no Ranking Nacional das Federações tiveram direito a dois representantes cada.

Os indicados das federações estaduais foram através do desempenho nos Campeonatos Estaduais ou outros torneios realizados por cada federação estadual;

Em caso de desistência, a vaga foi ocupada pelo clube da mesma federação melhor classificado, ou então, pelo clube apontado pela federação estadual. Se o estado não indicasse nenhum representante, a vaga seria repassada ao melhor estado seguinte posicionado no Ranking Nacional das Federações, que indicaria uma equipe a ocupar o mesmo grupo da equipe original. Caso a vaga ainda ficasse em aberto, seria transferida ao segundo estado seguinte e melhor colocado no ranking, e assim sucessivamente. O limite de usufruto de vaga repassada é de uma por federação.

São Paulo terá seis representantes. Goiás, Piaui, Pernambuco, Bahia, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul terão três representantes cada. E os outros estados, dois representantes cada.[5]

As equipes que disputam a Série D geralmente são definidas pelo seu posicionamento na tabela de classificação de seus respectivos campeonatos estaduais. Quando nos estaduais existe algum participante que já disputa alguma divisão superior do Campeonato Brasileiro (Séries A, B ou C), a classificação para a Série D se dá a seguinte equipe melhor posicionada na tabela de classificação. Em alguns estados, os campeonatos locais servem apenas como classificação para a Copa do Brasil da temporada subsequente. A federação destes estados prefere realizar algum torneio paralelo ao estadual propriamente dito, para definir seu(s) representante(s) na Série D do Campeonato Brasileiro. Por conta de ajustes no regulamento feitos pela CBF, determinando que os campeonatos e seletivas estaduais de um ano classifiquem seus times para as competições nacionais do ano seguinte, alguns estados terão os mesmos representantes nas edições de 2016 e 2017 da Quarta Divisão nacional.[6]

Formato de disputa[editar | editar código-fonte]

Na primeira fase os 68 clubes são divididos em dezessete grupos com quatro clubes cada, organizados regionalmente. Os times jogam contra os outros do grupo, em turno e returno, num total de seis rodadas. Os primeiros colocados de cada grupo, além dos 15 melhores segundo colocados, estarão classificados para segunda fase. Desta fase em diante, todas serão em mata-mata, com o clube de melhor campanha sempre realizando a partida decisiva em seus domínios. Os quatro semifinalistas conquistarão o direito de disputar a Série C de 2018. Os vencedores das semifinais jogam as finais também em ida e volta, e aquele com o melhor resultado agregado será o campeão da Série D de 2017.[5]

Participantes[editar | editar código-fonte]

Localização dos times já classificados por Estado.
Equipe Cidade Estado Como se classificou Estádio (mando) Capacidade[7] Títulos
Altos Altos Piauí PI Melhor colocado do Estadual 2016 Lindolfo Monteiro 12 760 0 (não possui)
América de Natal Natal Rio Grande do Norte RN 17º colocado da Série C de 2016 Arena das Dunas 32 050 0 (não possui)
América-PE Recife Pernambuco PE 1º colocado do Grupo B do Estadual 2016 Ademir Cunha 12 000 0 (não possui)
Anápolis Anápolis Goiás GO Melhor colocado do Estadual 2016[8] Jonas Duarte 10 707 0 (não possui)
Aparecidense Aparecida de Goiânia Goiás GO 3º melhor colocado do Estadual 2016[9] Annibal Batista 4 800 0 (não possui)
Atlético Acreano Rio Branco Acre AC Campeão do Estadual 2016 Florestão 10 000 0 (não possui)
Atlético Pernambucano[a] Carpina Pernambuco PE 4º melhor colocado do Estadual 2016 Paulo Petribú 3 500 0 (não possui)
Audax Osasco São Paulo SP Melhor colocado do Estadual 2016 José Liberatti 12 430 0 (não possui)
Bangu Rio de Janeiro Rio de Janeiro RJ 3º melhor colocado do Estadual 2016[10] Moça Bonita 9 024 0 (não possui)
Baré Boa Vista Roraima RR Vice-campeão do Estadual 2016 Vila Olímpica 500 0 (não possui)
Boavista Saquarema Rio de Janeiro RJ 2º melhor colocado do Estadual 2016 Eucy Resende 2 058 0 (não possui)
Brusque Brusque Santa Catarina SC Melhor colocado do Estadual 2016 Augusto Bauer 5 000 0 (não possui)
Caldense Poços de Caldas Minas Gerais MG 2º melhor colocado do Estadual 2016 Ronaldão 7 600 0 (não possui)
Campinense Campina Grande Paraíba PB Campeão do Estadual 2016 Amigão 19 000 0 (não possui)
Ceilândia Ceilândia Distrito Federal (Brasil) DF Vice-campeão do Metropolitano 2016 Abadião 3 000 0 (não possui)
Central Caruaru Pernambuco PE 1º colocado do Grupo A do Estadual 2016 Lacerdão 19 478 0 (não possui)
Comercial-MS Campo Grande Mato Grosso do Sul MS Vice-campeão do Estadual 2016 Morenão 44 200 0 (não possui)
Cordino Barra do Corda Maranhão MA 3º melhor colocado do Estadual 2016[11] Leandrão 600 0 (não possui)
Coruripe Coruripe Alagoas AL 3º melhor colocado do Estadual 2016[12] Gerson Amaral 5 560 0 (não possui)
Desportiva Ferroviária Cariacica Espírito Santo (estado) ES Campeão do Estadual 2016 Engenheiro Araripe 7 700 0 (não possui)
Espírito Santo Vitória Espírito Santo (estado) ES Campeão da Seletiva para a Série D 2017[13][14] Kleber Andrade 21 000 0 (não possui)
Fast Clube Manaus Amazonas AM Campeão do Estadual 2016 Arena da Amazônia 44 000 0 (não possui)
Fluminense de Feira Feira de Santana Bahia BA 2º melhor colocado do Estadual 2016[15] Joia da Princesa 16 274 0 (não possui)
Foz do Iguaçu[b] Foz do Iguaçu Paraná PR 3º melhor colocado do Estadual 2016 Estádio do ABC 6 968 0 (não possui)
Genus Porto Velho Rondônia RO Vice-campeão do Estadual 2016 Aluizão 5 000 0 (não possui)
Globo Ceará-Mirim Rio Grande do Norte RN Melhor colocado do Estadual 2016 Barretão 10 068 0 (não possui)
Guarani de Juazeiro Juazeiro do Norte Ceará CE 2º melhor colocado do Estadual 2016 Romeirão 15 000 0 (não possui)
Guarany de Sobral[c] Sobral Ceará CE 3º melhor colocado do Estadual 2016 Junco 10 000 1 (2010)
Gurupi Gurupi Tocantins TO Campeão do Estadual 2016[16] Resendão 3 000 0 (não possui)
Inter de Lages Lages Santa Catarina SC 2º melhor colocado do Estadual 2016 Vidal Ramos Júnior 6 000 0 (não possui)
Itabaiana Itabaiana Sergipe SE Vice-campeão do Estadual 2016 Etelvino Mendonça 10 000 0 (não possui)
Ituano[d] Itu São Paulo SP 5º melhor colocado do Estadual 2016 Novelli Júnior 18 560 0 (não possui)
Itumbiara Itumbiara Goiás GO 2º melhor colocado do Estadual 2016[17] JK 15 000 0 (não possui)
Jacobina Jacobina Bahia BA Vice-campeão da Copa Governador 2016[18][19] José Rocha 5 000 0 (não possui)
Juazeirense Juazeiro Bahia BA Melhor colocado do Estadual 2016[20] Adautão 8 000 0 (não possui)
Luziânia Luziânia Distrito Federal (Brasil) DF Campeão do Metropolitano 2016 Serra do Lago 21 564 0 (não possui)
Maranhão São Luís Maranhão MA 2º melhor colocado do Estadual 2016 Castelão 40 149 0 (não possui)
Metropolitano Blumenau Santa Catarina SC 3º melhor colocado do Estadual 2016 Monumental do Sesi 3 624 0 (não possui)
Murici Murici Alagoas AL 2º melhor colocado do Estadual 2016 José Gomes da Costa 3 500 0 (não possui)
Novo Hamburgo Novo Hamburgo Rio Grande do Sul RS 3º melhor colocado do Estadual 2016 Estádio do Vale 5 196 0 (não possui)
Operário-PR Ponta Grossa Paraná PR Campeão da Taça FPF 2016 Germano Krüger 8 832 0 (não possui)
Parnahyba Parnaíba Piauí PI 2º melhor colocado do Estadual 2016 Piscinão 4 146 0 (não possui)
Portuguesa São Paulo São Paulo SP 18º colocado da Série C de 2016 Canindé 22 375 0 (não possui)
Portuguesa-RJ Rio de Janeiro Rio de Janeiro RJ Campeão da Copa Rio 2016[21] Luso Brasileiro 17 250 0 (não possui)
Potiguar Mossoró Rio Grande do Norte RN 2º melhor colocado do Estadual 2016 Nogueirão 10 000 0 (não possui)
Princesa do Solimões Manacapuru Amazonas AM Vice-campeão do Estadual 2016 Gilbertão 15 000 0 (não possui)
PSTC Cornélio Procópio Paraná PR Melhor colocado do Estadual 2016 Ubirajara Medeiros 6 000 0 (não possui)
Real Ariquemes[e] Ariquemes Rondônia RO 3º colocado do Estadual 2016 Valerião 5 000 0 (não possui)
Red Bull Brasil Campinas São Paulo SP 4º melhor colocado do Estadual 2016[10] Moisés Lucarelli 19 728 0 (não possui)
Rio Branco-AC Rio Branco Acre AC Vice-campeão do Estadual 2016 Arena da Floresta 20 000 0 (não possui)
River-PI Teresina Piauí PI 19º colocado da Série C de 2016 Albertão 52 296 0 (não possui)
Santos-AP Macapá Amapá AP Campeão do Estadual 2016 Zerão 13 680 0 (não possui)
São Bernardo São Bernardo do Campo São Paulo SP 3º melhor colocado do Estadual 2016[22] Primeiro de Maio 15 759 0 (não possui)
São Francisco Santarém Pará PA Vice-campeão do Estadual 2016 Colosso do Tapajós 12 000 0 (não possui)
São José-RS Porto Alegre Rio Grande do Sul RS Melhor colocado do Estadual 2016 Passo d'Areia 14 000 0 (não possui)
São Paulo-RS Rio Grande Rio Grande do Sul RS 2º melhor colocado do Estadual 2016 Aldo Dapuzzo 3 500 0 (não possui)
São Raimundo-PA Santarém Pará PA 2º melhor colocado do Estadual 2016 Colosso do Tapajós 12 000 1 (2009)
São Raimundo-RR Boa Vista Roraima RR Campeão do Estadual 2016[16] Ribeirão 1 500 0 (não possui)
Sergipe Aracaju Sergipe SE Campeão do Estadual 2016 Batistão 15 586 0 (não possui)
Sete de Dourados Dourados Mato Grosso do Sul MS Campeão do Estadual 2016 Douradão 30 000 0 (não possui)
Sinop Sinop Mato Grosso MT Melhor colocado do Estadual 2016 Gigante do Norte 13 000 0 (não possui)
Sousa Sousa Paraíba PB 2º melhor colocado do Estadual 2016 Marizão 5 400 0 (não possui)
Tocantins de Miracema Miracema do Tocantins Tocantins TO Vice-campeão do Estadual 2016[16] Castanheirão 2 000 0 (não possui)
Trem Macapá Amapá AP Vice-campeão do Estadual 2016 Zerão 13 680 0 (não possui)
União Rondonópolis[f] Rondonópolis Mato Grosso MT 3º melhor colocado do Estadual 2016 Luthero Lopes 18 000 0 (não possui)
URT Patos de Minas Minas Gerais MG Melhor colocado do Estadual 2016 Zama Maciel 4 858 0 (não possui)
Villa Nova Nova Lima Minas Gerais MG 3º melhor colocado do Estadual 2016 Castor Cifuentes 5 160 0 (não possui)
XV de Piracicaba Piracicaba São Paulo SP Campeão da Copa Paulista 2016 Barão de Serra Negra 18 000 0 (não possui)

Estádios[editar | editar código-fonte]

Outros estádios[editar | editar código-fonte]

Além dos estádios de mando usual, outros estádios foram utilizados devido a punições de perda de mando de campo impostas pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva ou por conta de problemas de interdição dos estádios usuais ou simplesmente por opção dos clubes em mandar seus jogos em outros locais, geralmente buscando uma melhor renda.[30]

Ainda foram utilizados o Felipão (Altos), o Edgarzão (Assu) e o Morenão (Iguatu).[31][32][33]

Primeira fase[editar | editar código-fonte]

A CBF divulgou a tabela oficial no dia 9 de março e agrupou as equipes de forma regionalizada.[34]

Legenda
Classificação para a próxima fase
Classificação para a próxima fase (15 melhores)

Grupo A1[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados do grupo A1
Pos Equipes Pts J V E D GP GC SG
1 Acre Atlético Acreano 13 6 4 1 1 16 6 +10
2 Amazonas Princesa do Solimões 12 6 4 0 2 9 4 +5
3 Amapá Trem 9 6 3 0 3 7 11 –4
4 Rondônia Real Ariquemes 1 6 0 1 5 3 14 –11
 
AAC
PSO
RDA
TRE
Atlético Acreano 2–1 5–0 4–0
Princesa do Solimões 1–0 3–0 3–0
Real Ariquemes 2–2 0–1 0–1
Trem 2–3 2–0 2–1

Grupo A2[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados do grupo A2
Pos Equipes Pts J V E D GP GC SG
1 Tocantins Gurupi 11 6 3 2 1 9 6 +3
2 Pará São Raimundo-PA 71 6 3 1 2 11 7 +4
3 Amazonas Fast Clube 7 6 1 4 1 6 7 –1
4 Roraima Baré 3 6 0 3 3 3 9 –6
 
BAR
FAS
GUR
SRA
Baré 0–0 1–2 0–1
Fast Clube 1–1 1–1 3–2
Gurupi 1–1 2–0 3–1
São Raimundo-PA 4–0 1–1 2–0

1O São Raimundo-PA foi punido pelo STJD com a perda de três pontos por escalação de jogador irregular.[35]

Grupo A3[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados do grupo A3
Pos Equipes Pts J V E D GP GC SG
1 Acre Rio Branco-AC 13 6 4 1 1 10 6 +4
2 Pará São Francisco 9 6 2 3 1 7 6 +1
3 Roraima São Raimundo-RR 5 6 1 2 3 7 9 –2
4 Rondônia Genus 5 6 1 2 3 7 10 –3
 
GEN
RBA
SFR
SRR
Genus 1–2 1–1 1–0
Rio Branco-AC 3–1 0–0 4–3
São Francisco 3–2 0–1 1–0
São Raimundo-RR 1–1 1–0 2–2

Grupo A4[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados do grupo A4
Pos Equipes Pts J V E D GP GC SG
1 Amapá Santos-AP 13 6 4 1 1 11 6 +5
2 Piauí Altos 10 6 3 1 2 14 6 +8
3 Maranhão Cordino 7 6 2 1 3 5 9 –4
4 Tocantins Tocantins de Miracema 4 6 1 1 4 5 14 –9
 
ALT
CDN
SAN
TMI
Altos 4–0 1–2 4–0
Cordino 2–1 1–0 1–1
Santos-AP 1–1 2–1 5–2
Tocantins de Miracema 1–3 1–0 0–1

Grupo A5[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados do grupo A5
Pos Equipes Pts J V E D GP GC SG
1 Ceará Guarany de Sobral 13 6 4 1 1 10 7 +3
2 Maranhão Maranhão 10 6 3 1 2 9 4 +5
3 Piauí River-PI 9 6 3 0 3 8 9 –1
4 Rio Grande do Norte Potiguar 2 6 0 2 4 4 11 –7
 
GSO
MAR
POT
RIV
Guarany de Sobral 2–1 2–2 2–1
Maranhão 1–0 3–0 3–0
Potiguar 1–2 0–0 0–2
River-PI 1–2 2–1 2–1

Grupo A6[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados do grupo A6
Pos Equipes Pts J V E D GP GC SG
1 Rio Grande do Norte Globo 12 6 4 0 2 7 3 +4
2 Piauí Parnahyba 9 6 3 0 3 6 4 +2
3 Pernambuco América-PE 7 6 2 1 3 3 5 –2
4 Ceará Guarani de Juazeiro 7 6 2 1 3 3 7 –4
 
AME
GLO
GJU
PAR
América-PE 1–0 1–1 1–0
Globo 1–0 2–0 2–0
Guarani de Juazeiro 1–0 0–2 1–0
Parnahyba 2–0 2–0 2–0

Grupo A7[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados do grupo A7
Pos Equipes Pts J V E D GP GC SG
1 Bahia Juazeirense 9 6 2 3 1 9 6 +3
2 Paraíba Sousa 9 6 2 3 1 6 4 +2
3 Alagoas Coruripe 7 6 2 1 3 9 10 –1
4 Pernambuco Central 7 6 2 1 3 7 11 –4
 
CEN
CRP
JZE
SOU
Central 3–2 1–1 0–1
Coruripe 2–3 2–3 1–0
Juazeirense 3–0 0–1 0–0
Sousa 2–0 1–1 2–2

Grupo A8[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados do grupo A8
Pos Equipes Pts J V E D GP GC SG
1 Bahia Fluminense de Feira 9 6 2 3 1 9 5 +4
2 Paraíba Campinense 8 6 2 2 2 6 5 +1
3 Pernambuco Atlético Pernambucano 7 6 2 1 3 9 12 –3
4 Sergipe Itabaiana 52 6 2 2 2 8 10 –2
 
CAP
CMP
FLF
ITA
Atlético Pernambucano 4–3 1–0 2–2
Campinense 2–0 0–0 1–0
Fluminense de Feira 3–1 0–0 2–2
Itabaiana 2–1 1–0 1–4

2O Itabaiana foi punido pelo STJD com a perda de três pontos por escalação de jogador irregular.[36]

Grupo A9[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados do grupo A9
Pos Equipes Pts J V E D GP GC SG
1 Rio Grande do Norte América de Natal 15 6 5 0 1 13 4 +9
2 Bahia Jacobina 9 6 3 0 3 9 9 0
3 Sergipe Sergipe 6 6 2 0 4 7 11 –4
4 Alagoas Murici 6 6 2 0 4 7 12 –5
 
AMN
JBN
MUR
SER
América de Natal 3–1 3–0 3–2
Jacobina 1–0 3–0 2–1
Murici 0–2 3–2 3–0
Sergipe 0–2 2–0 2–1

Grupo A10[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados do grupo A10
Pos Equipes Pts J V E D GP GC SG
1 Distrito Federal (Brasil) Ceilândia 10 6 3 1 2 8 5 +3
2 Mato Grosso do Sul Comercial-MS 10 6 3 1 2 10 9 +1
3 Goiás Anápolis 9 6 2 3 1 8 6 +2
4 Mato Grosso Sinop 3 6 0 3 3 5 11 –6
 
ANA
CEI
COM
SIN
Anápolis 2–0 1–1 0–0
Ceilândia 1–0 0–1 3–0
Comercial-MS 2–3 1–3 2–0
Sinop 2–2 1–1 2–3

Grupo A11[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados do grupo A11
Pos Equipes Pts J V E D GP GC SG
1 Mato Grosso União Rondonópolis 11 6 3 2 1 8 6 +2
2 Goiás Aparecidense 10 6 3 1 2 10 8 +2
3 Distrito Federal (Brasil) Luziânia 10 6 2 4 0 11 5 +6
4 Mato Grosso do Sul Sete de Dourados 1 6 0 1 5 3 13 –10
 
APA
LUZ
SET
UNR
Aparecidense 0–1 2–1 3–0
Luziânia 3–3 5–0 1–1
Sete de Dourados 1–2 0–0 1–2
União Rondonópolis 2–0 1–1 2–0

Grupo A12[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados do grupo A12
Pos Equipes Pts J V E D GP GC SG
1 Rio de Janeiro Portuguesa-RJ 14 6 4 2 0 9 2 +7
2 Minas Gerais URT 10 6 3 1 2 4 5 –1
3 Goiás Itumbiara 8 6 2 2 2 5 6 –1
4 São Paulo Audax 1 6 0 1 5 4 9 –5
 
AUD
ITB
AAP
URT
Audax 2–2 0–1 0–1
Itumbiara 1–0 1–1 0–1
Portuguesa-RJ 2–1 2–0 3–0
URT 2–1 0–1 0–0

Grupo A13[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados do grupo A13
Pos Equipes Pts J V E D GP GC SG
1 Minas Gerais Villa Nova 9 6 2 3 1 6 6 0
2 Espírito Santo (estado) Desportiva Ferroviária 8 6 2 2 2 5 5 0
3 Rio de Janeiro Bangu 8 6 2 2 2 7 8 –1
4 São Paulo Portuguesa 7 6 2 1 3 5 4 +1
 
BAN
DES
POR
VIL
Bangu 0–1 1–0 1–1
Desportiva Ferroviária 2–2 1–0 0–0
Portuguesa 3–0 1–0 0–0
Villa Nova 1–3 2–1 2–1

Grupo A14[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados do grupo A14
Pos Equipes Pts J V E D GP GC SG
1 Rio de Janeiro Boavista 11 6 3 2 1 10 7 +3
2 Espírito Santo (estado) Espírito Santo 9 6 2 3 1 6 4 +2
3 São Paulo Red Bull Brasil 7 6 2 1 3 5 5 0
4 Minas Gerais Caldense 6 6 2 0 4 6 11 –5
 
BVT
CAL
ESA
RBB
Boavista 3–1 2–2 0–2
Caldense 1–3 0–2 2–0
Espírito Santo 1–1 0–1 0–0
Red Bull Brasil 0–1 3–1 0–1

Grupo A15[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados do grupo A15
Pos Equipes Pts J V E D GP GC SG
1 Paraná Operário-PR 12 6 4 0 2 6 3 +3
2 Santa Catarina Brusque 10 6 3 1 2 8 5 +3
3 São Paulo XV de Piracicaba 9 6 3 0 3 7 8 –1
4 Rio Grande do Sul São Paulo-RS 4 6 1 1 4 7 12 –5
 
BRU
OPF
SPO
XVP
Brusque 1–0 3–1 3–1
Operário-PR 1–0 3–1 1–0
São Paulo-RS 1–1 1–0 3–4
XV de Piracicaba 1–0 0–1 1–0

Grupo A16[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados do grupo A16
Pos Equipes Pts J V E D GP GC SG
1 São Paulo São Bernardo 13 6 4 1 1 7 3 +4
2 Santa Catarina Inter de Lages 8 6 2 2 2 4 4 0
3 Paraná Foz do Iguaçu 6 6 1 3 2 4 6 –2
4 Rio Grande do Sul Novo Hamburgo 5 6 1 2 3 4 6 –2
 
FOZ
ILG
NHA
SBE
Foz do Iguaçu 1–1 0–0 2–1
Inter de Lages 1–0 1–0 0–0
Novo Hamburgo 1–1 2–1 0–1
São Bernardo 2–0 1–0 2–1

Grupo A17[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados do grupo A17
Pos Equipes Pts J V E D GP GC SG
1 Rio Grande do Sul São José-RS 12 6 4 0 2 13 4 +9
2 Santa Catarina Metropolitano 10 6 3 1 2 3 5 –2
3 São Paulo Ituano 8 6 2 2 2 4 4 0
4 Paraná PSTC 4 6 1 1 4 3 10 –7
 
ITU
MET
PSTC
SJO
Ituano 0–0 0–0 2–1
Metropolitano 0–1 1–0 1–0
PSTC 2–1 0–1 1–3
São José-RS 1–0 4–0 4–0

Desempenho por rodada[editar | editar código-fonte]

Classificação para a segunda fase[editar | editar código-fonte]

Para os confrontos da segunda fase, os 32 clubes classificados serão divididos em dois blocos: no Bloco I ficarão as 16 equipes classificadas em primeiro lugar com melhores campanhas na primeira fase; no Bloco II, a equipe classificada em primeiro lugar com pior campanha entre os primeiros colocados na primeira fase se juntará às 15 equipes classificadas em segundo lugar com melhores campanhas entre elas.[5]

Classificação das equipes para a segunda fase
Pos. Primeiros dos grupos Pts J V E D GP GC SG
1 Rio Grande do Norte América de Natal 15 6 5 0 1 13 4 +9
2 Rio de Janeiro Portuguesa-RJ 14 6 4 2 0 9 2 +7
3 Acre Atlético Acreano 13 6 4 1 1 16 6 +10
4 Amapá Santos-AP 13 6 4 1 1 11 6 +5
5 Acre Rio Branco-AC 13 6 4 1 1 10 6 +4
6 São Paulo São Bernardo 13 6 4 1 1 7 3 +4
7 Ceará Guarany de Sobral 13 6 4 1 1 10 7 +3
8 Rio Grande do Sul São José-RS 12 6 4 0 2 13 4 +9
9 Rio Grande do Norte Globo 12 6 4 0 2 7 3 +4
10 Paraná Operário-PR 12 6 4 0 2 6 3 +3
11 Rio de Janeiro Boavista 11 6 3 2 1 10 7 +3
12 Tocantins Gurupi 11 6 3 2 1 9 6 +3
13 Mato Grosso União Rondonópolis 11 6 3 2 1 8 6 +2
14 Distrito Federal (Brasil) Ceilândia 10 6 3 1 2 8 5 +3
15 Bahia Fluminense de Feira 9 6 2 3 1 9 5 +4
16 Bahia Juazeirense 9 6 2 3 1 9 6 +3
17 Minas Gerais Villa Nova 9 6 2 3 1 6 6 0
Pos. Segundos dos grupos Pts J V E D GP GC SG
1 Amazonas Princesa do Solimões 12 6 4 0 2 9 4 +5
2 Piauí Altos 10 6 3 1 2 14 6 +8
3 Maranhão Maranhão 10 6 3 1 2 9 4 +5
4 Santa Catarina Brusque 10 6 3 1 2 8 5 +3
5 Goiás Aparecidense 10 6 3 1 2 10 8 +2
6 Mato Grosso do Sul Comercial-MS 10 6 3 1 2 10 9 +1
7 Minas Gerais URT 10 6 3 1 2 4 5 –1
8 Santa Catarina Metropolitano 10 6 3 1 2 3 5 –2
9 Piauí Parnahyba 9 6 3 0 3 6 4 +2
10 Bahia Jacobina 9 6 3 0 3 9 9 0
11 Espírito Santo (estado) Espírito Santo 9 6 2 3 1 6 4 +2
12 Paraíba Sousa 9 6 2 3 1 6 4 +2
13 Pará São Francisco 9 6 2 3 1 7 6 +1
14 Paraíba Campinense 8 6 2 2 2 6 5 +1
15 Espírito Santo (estado) Desportiva Ferroviária 8 6 2 2 2 5 5 0
16 Santa Catarina Inter de Lages 8 6 2 2 2 4 4 0
17 Pará São Raimundo-PA 7 6 3 1 2 11 7 +4
Classificados para o Bloco I (16 melhores primeiros colocados)
Classificados para o Bloco II (pior primeiro colocado e 15 melhores segundos)
Eliminados na primeira fase (dois piores segundos colocados)

As 16 equipes classificadas para o Bloco I receberão numeração de 1 a 16 de acordo com a ordem numérica de seus grupos de origem. Já as 16 equipes classificadas para o Bloco II receberão numeração de 17 a 32 de acordo com a ordem numérica de seus grupos de origem. Em caso de duas equipes oriundas de um mesmo grupo estarem no mesmo bloco, o que só é possível no Bloco II, a equipe que terminou em primeiro lugar receberá o menor número.[5]

Numeração das equipes nos blocos
Bloco I
Grupo Equipes
1 A1 Acre Atlético Acreano
2 A2 Tocantins Gurupi
3 A3 Acre Rio Branco-AC
4 A4 Amapá Santos-AP
5 A5 Ceará Guarany de Sobral
6 A6 Rio Grande do Norte Globo
7 A7 Bahia Juazeirense
8 A8 Bahia Fluminense de Feira
9 A9 Rio Grande do Norte América de Natal
10 A10 Distrito Federal (Brasil) Ceilândia
11 A11 Mato Grosso União Rondonópolis
12 A12 Rio de Janeiro Portuguesa-RJ
13 A14 Rio de Janeiro Boavista
14 A15 Paraná Operário-PR
15 A16 São Paulo São Bernardo
16 A17 Rio Grande do Sul São José-RS
Bloco II
Grupo Equipes
17 A1 Amazonas Princesa do Solimões
18 A3 Pará São Francisco
19 A4 Piauí Altos
20 A5 Maranhão Maranhão
21 A6 Piauí Parnahyba
22 A7 Paraíba Sousa
23 A8 Paraíba Campinense
24 A9 Bahia Jacobina
25 A10 Mato Grosso do Sul Comercial-MS
26 A11 Goiás Aparecidense
27 A12 Minas Gerais URT
28 A13 Minas Gerais Villa Nova
29 A13 Espírito Santo (estado) Desportiva Ferroviária
30 A14 Espírito Santo (estado) Espírito Santo
31 A15 Santa Catarina Brusque
32 A17 Santa Catarina Metropolitano

Segunda fase[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados da segunda fase

O cruzamento das equipes na segunda fase se dará de forma regionalizada, com os confrontos ocorrendo do seguinte modo: o primeiro de cada bloco enfrenta o segundo do outro (equipe 1 x equipe 18 e equipe 2 x equipe 17); o terceiro de cada bloco enfrenta o quarto do outro (equipe 3 x equipe 20 e equipe 4 x equipe 19) e assim por diante, até que o 15º de cada bloco enfrenta o 16º do outro (equipe 15 x equipe 32 e equipe 16 x equipe 31).[5]

Em itálico, os times que possuem o mando de campo no primeiro jogo do confronto e em negrito os times classificados.
Time 1   Total   Time 2   1º jogo   2º jogo
São Francisco Pará 3–6 Acre Atlético Acreano 3–3 0–3
Princesa do Solimões Amazonas 4–4 (gf) Tocantins Gurupi 3–3 1–1
Maranhão Maranhão 3–1 Acre Rio Branco-AC 2–0 1–1
Altos Piauí 3–3 (gf) Amapá Santos-AP 2–2 1–1
Sousa Paraíba 4–4 (3–4 p) Ceará Guarany de Sobral 3–1 1–3
Parnahyba Piauí 2–5 Rio Grande do Norte Globo 2–3 0–2
Jacobina Bahia 3–5 Bahia Juazeirense 2–2 1–3
Campinense Paraíba 1–1 (gf) Bahia Fluminense de Feira 1–1 0–0
Aparecidense Goiás 0–1 Rio Grande do Norte América de Natal 0–0 0–1
Comercial-MS Mato Grosso do Sul 1–2 Distrito Federal (Brasil) Ceilândia 0–1 1–1
Villa Nova Minas Gerais 4–1 Mato Grosso União Rondonópolis 2–0 2–1
URT Minas Gerais 2–1 Rio de Janeiro Portuguesa-RJ 1–0 1–1
Espírito Santo Espírito Santo (estado) 4–1 Rio de Janeiro Boavista 1–0 3–1
Desportiva Ferroviária Espírito Santo (estado) 1–4 Paraná Operário-PR 0–2 1–2
Metropolitano Santa Catarina 3–4 São Paulo São Bernardo 1–1 2–3
Brusque Santa Catarina 2–2 (gf) Rio Grande do Sul São José-RS 2–1 0–1

Terceira fase[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados da terceira fase

Os confrontos na terceira fase (oitavas de final) continuam regionalizados, de acordo com o diagrama das fases. O clube de melhor campanha na soma das duas primeiras fases fará a partida de volta como mandante.[5]

Em itálico, os times que possuem o mando de campo no primeiro jogo do confronto e em negrito os times classificados.
Time 1   Total   Time 2   1º jogo   2º jogo
Gurupi Tocantins 1–3 Acre Atlético Acreano 1–0 0–3
Maranhão Maranhão 4–4 (4–3 p) Amapá Santos-AP 2–2 2–2
Guarany de Sobral Ceará 1–4 Rio Grande do Norte Globo 0–1 1–3
Fluminense de Feira Bahia 3–3 (gf) Bahia Juazeirense 3–3 0–0
Ceilândia Distrito Federal (Brasil) 1–3 Rio Grande do Norte América de Natal 0–1 1–2
URT Minas Gerais 1–1 (gf) Minas Gerais Villa Nova 0–0 1–1
Espírito Santo Espírito Santo (estado) 1–1 (2–4 p) Paraná Operário-PR 1–0 0–1
São José-RS Rio Grande do Sul 0–0 (4–3 p) São Paulo São Bernardo 0–0 0–0

Fase final[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados da fase final

A partir da quarta fase (quartas de final), os confrontos deixam de ser regionalizados. Dessa fase em diante, a equipe de melhor campanha, somando-se todas as fases anteriores, enfrenta a de pior campanha; a equipe de segunda melhor campanha enfrenta a de segunda pior campanha, e assim sucessivamente até a final.[5]

Tabela de classificação após as oitavas de final
Bloco III
Pos. Equipes Pts J V E D GP GC SG
1 Rio Grande do Norte América de Natal 25 10 8 1 1 17 5 +12
2 Rio Grande do Norte Globo 24 10 8 0 2 16 6 +10
3 Paraná Operário-PR 21 10 7 0 3 11 5 +6
4 Acre Atlético Acreano 20 10 6 2 2 25 10 +15
5 Rio Grande do Sul São José-RS 17 10 5 2 3 15 6 +9
6 Maranhão Maranhão 16 10 4 4 2 16 9 +7
7 Minas Gerais URT 16 10 4 4 2 7 7 0
8 Bahia Juazeirense 15 10 3 6 1 17 12 +5
Tabela de classificação após as quartas de final
Bloco IV
Pos. Equipes Pts J V E D GP GC SG
1 Rio Grande do Norte Globo 27 12 9 0 3 17 7 +10
2 Paraná Operário-PR 27 12 9 0 3 16 7 +9
3 Acre Atlético Acreano 24 12 7 3 2 27 11 +16
4 Bahia Juazeirense 19 12 4 7 1 21 13 +8
Tabela de classificação após as semifinais
Bloco V
Pos. Equipes Pts J V E D GP GC SG
1 Paraná Operário-PR 31 14 10 1 3 18 7 +11
2 Rio Grande do Norte Globo 30 14 10 0 4 20 10 +10
Tabela até a final

Em itálico, os times que possuem o mando de campo no primeiro jogo do confronto e em negrito os times classificados.

Quartas de final Semifinais Final
 5 a 14 de agosto  19 a 28 de agosto  3 e 10 de setembro
                                     
 Bahia Juazeirense* 3 1 4  
 Rio Grande do Norte América de Natal 0 1 1  
   Bahia Juazeirense 3 0 3  
   Rio Grande do Norte Globo (gf) 1 2 3  
 Minas Gerais URT 1 0 1 (2)
 Rio Grande do Norte Globo* (pen) 0 1 1 (3)  
   Rio Grande do Norte Globo 0 1 1  
   Paraná Operário-PR 5 0 5  
 Rio Grande do Sul São José-RS 0 1 1  
 Acre Atlético Acreano* 1 1 2  
   Acre Atlético Acreano 0 0 0
   Paraná Operário-PR 0 2 2  
 Maranhão Maranhão 1 1 2
 Paraná Operário-PR* 3 2 5  

*Classificados à Série C de 2018.

Artilharia[editar | editar código-fonte]

Gols[37] Jogador Time
9 Brasil Eduardo Atlético Acreano
Brasil Weverton Princesa do Solimões
7 Brasil Bruno Morais Gurupi
6 Brasil Careca Atlético Acreano
Brasil Gláucio Globo

Hat-tricks[editar | editar código-fonte]

Jogador Clube Adversário Placar Data Ref.
Brasil Rafael Granja Fluminense de Feira Itabaiana 4–1 21 de maio [38]
Brasil Leandro Costa Central Coruripe 3–2 18 de junho [39]

Premiação[editar | editar código-fonte]

Campeonato Brasileiro 2017
Série D
Paraná
Operário Ferroviário Esporte Clube
Campeão
(1º título)

Maiores públicos[editar | editar código-fonte]

Estes são os dez maiores públicos do Campeonato:

Público[PP] Mandante Placar Visitante Estádio Data Rodada Ref.
1 12 799 América de Natal Rio Grande do Norte 1–1 Bahia Juazeirense Arena das Dunas 13 de agosto Quartas [40]
2 9 984 América de Natal Rio Grande do Norte 2–1 Distrito Federal (Brasil) Ceilândia Arena das Dunas 28 de julho 3ª fase [41]
3 9 205 América de Natal Rio Grande do Norte 1–0 Goiás Aparecidense Arena das Dunas 15 de julho 2ª fase [42]
4 8 701 Campinense Paraíba 1–0 Sergipe Itabaiana Amigão 28 de maio [43]
5 8 679 Operário-PR Paraná 0–1 Rio Grande do Norte Globo Germano Krüger 10 de setembro Final [44]
6 8 627 Operário-PR Paraná 2–1 Maranhão Maranhão Germano Krüger 14 de agosto Quartas [45]
7 6 952 América de Natal Rio Grande do Norte 3–2 Sergipe Sergipe Arena das Dunas 18 de junho [46]
8 6 386 Operário-PR Paraná 2–0 Acre Atlético Acreano Germano Krüger 28 de agosto Semifinal [47]
9 5 881 Atlético Acreano Acre 1–1 Rio Grande do Sul São José-RS Florestão 13 de agosto Quartas [48]
10 5 793 Fluminense de Feira Bahia 0–0 Paraíba Campinense Joia da Princesa 16 de julho 2ª fase [49]
  • PP. ^ Considera-se apenas o público pagante.

Menores públicos[editar | editar código-fonte]

Estes são os dez menores públicos do Campeonato:

Público[PP] Mandante Placar Visitante Estádio Data Rodada Ref.
1 16 Real Ariquemes Rondônia 0–1 Amazonas Princesa do Solimões Valerião 25 de junho [50]
2 29 São José-RS Rio Grande do Sul 1–0 São Paulo Ituano Passo d'Areia 25 de junho [51]
3 34 São Raimundo-RR Roraima 1–0 Acre Rio Branco-AC Ribeirão 25 de junho [52]
4 46 PSTC Paraná 0–1 Santa Catarina Metropolitano Ubirajara Medeiros 25 de junho [53]
5 48 Guarani de Juazeiro Ceará 1–0 Pernambuco América-PE Morenão 21 de maio [54]
São Paulo-RS Rio Grande do Sul 3–4 São Paulo XV de Piracicaba Aldo Dapuzzo 25 de junho [55]
7 54 Sete de Dourados Mato Grosso do Sul 1–2 Mato Grosso União Rondonópolis Douradão 25 de junho [56]
8 57 Sete de Dourados Mato Grosso do Sul 0–0 Distrito Federal (Brasil) Luziânia Douradão 11 de junho [57]
9 63 Itabaiana Sergipe 1–0 Paraíba Campinense Etelvino Mendonça 18 de junho [58]
10 69 Murici Alagoas 3–2 Bahia Jacobina José Gomes da Costa 28 de maio [59]
  • PP. ^ Considera-se apenas o público pagante.

Médias de público[editar | editar código-fonte]

Essas são as médias de público dos clubes no Campeonato. Considera-se apenas os jogos da equipe como mandante e o público pagante:[60]

  1. Rio Grande do Norte América de Natal – 8 094
  2. Goiás Itumbiara – 5 000
  3. Paraná Operário-PR – 4 518
  4. Paraíba Campinense – 4 307
  5. Goiás Anápolis – 3 025
  6. Bahia Fluminense de Feira – 2 760
  7. Paraíba Sousa – 2 506
  8. Espírito Santo (estado) Desportiva Ferroviária – 1 910
  9. Acre Atlético Acreano – 1 604
  10. São Paulo São Bernardo – 1 489
  11. São Paulo Ituano – 1 388
  12. Mato Grosso União Rondonópolis – 1 378
  13. São Paulo XV de Piracicaba – 1 254
  14. Piauí River-PI 1 225
  15. Ceará Guarany de Sobral – 1 171
  16. Rio de Janeiro Bangu – 1 149
  17. Piauí Parnahyba – 1 035
  1. Rio Grande do Norte Globo – 1 019
  2. Bahia Juazeirense – 999
  3. São Paulo Portuguesa – 985
  4. Maranhão Maranhão – 973
  5. Bahia Jacobina – 965
  6. Santa Catarina Brusque – 875
  7. Rio de Janeiro Boavista – 836
  8. Minas Gerais URT – 827
  9. Pará São Raimundo-PA – 826
  10. Piauí Altos – 816
  11. São Paulo Audax – 740
  12. Sergipe Sergipe – 660
  13. Goiás Aparecidense – 625
  14. Pernambuco Central – 607
  15. Pará São Francisco – 552
  16. Tocantins Gurupi – 545
  17. Santa Catarina Inter de Lages – 537
  1. Mato Grosso Sinop – 525
  2. Espírito Santo (estado) Espírito Santo – 486
  3. Minas Gerais Villa Nova – 481
  4. Distrito Federal (Brasil) Ceilândia – 473
  5. Santa Catarina Metropolitano – 464
  6. Acre Rio Branco-AC – 435
  7. Rio de Janeiro Portuguesa-RJ – 428
  8. Rondônia Genus – 415
  9. Ceará Guarani de Juazeiro – 367
  10. Sergipe Itabaiana – 343
  11. Rio Grande do Sul Novo Hamburgo – 340
  12. Rio Grande do Sul São Paulo-RS – 339
  13. Maranhão Cordino – 331
  14. Amazonas Princesa do Solimões – 313
  15. Minas Gerais Caldense – 302
  16. Mato Grosso do Sul Comercial-MS – 287
  17. Amazonas Fast Clube – 284
  1. Paraná Foz do Iguaçu – 278
  2. Distrito Federal (Brasil) Luziânia – 277
  3. Paraná PSTC – 267
  4. Amapá Santos-AP – 203
  5. São Paulo Red Bull Brasil – 196
  6. Tocantins Tocantins de Miracema – 189
  7. Alagoas Coruripe – 182
  8. Roraima Baré – 178
  9. Mato Grosso do Sul Sete de Dourados – 171
  10. Roraima São Raimundo-RR – 150
  11. Rondônia Real Ariquemes – 146
  12. Amapá Trem – 134
  13. Pernambuco América-PE – 117
  14. Rio Grande do Norte Potiguar – 115
  15. Alagoas Murici – 110
  16. Pernambuco Atlético Pernambucano – 104
  17. Rio Grande do Sul São José-RS – 85

Mudança de técnicos[editar | editar código-fonte]

Clube Antecessor Motivo Data Última partida Rod Pos Sucessor Ref.
Espírito Santo (estado) Espírito Santo Brasil Leandro Niehues Demitido 22 de maio Espírito Santo 0–0 Red Bull Brasil (Gr. A14) Brasil Cleiton Marcelino [61]
Mato Grosso do Sul Sete de Dourados Brasil Nei César Demitido 22 de maio União-MT 2–0 Sete de Dourados (Gr. A11) Brasil Bazílio Amaral [62]
Pernambuco América-PE Brasil Paulo Marcos Resignado 25 de maio Guarani-CE 1–0 América-PE (Gr. A6) Brasil Emilio Cugnier [63]
Alagoas Coruripe Brasil Carlinhos Marechal Remanejado 25 de maio Coruripe 2–3 Juazeirense (Gr. A7) Brasil Jaelson Marcelino [64]
São Paulo Portuguesa Brasil Estevam Soares Demitido 29 de maio Bangu 1–0 Portuguesa (Gr. A13) Brasil Mauro Fernandes [65][66]
Sergipe Sergipe Brasil Marcelo Vilar Demitido 29 de maio Sergipe 0–2 América-RN (Gr. A9) Brasil Ribeiro Neto [67][68]
Piauí River-PI Brasil Celso Teixeira Resignado 29 de maio Maranhão 3–0 River-PI (Gr. A5) Brasil Lucas Andrade [69][70]
Tocantins Gurupi Brasil Roberto Oliveira Demitido 29 de maio Gurupi 1–1 Baré (Gr. A2) Brasil Wladimir Araújo [71]
Mato Grosso do Sul Sete de Dourados Brasil Bazílio Amaral Demitido 4 de junho Luziânia 5–0 Sete de Dourados (Gr. A11) Brasil Márcio Santos [72][73]
Minas Gerais Caldense Brasil Thiago Oliveira Resignado 13 de junho Caldense 0–2 Espírito Santo (Gr. A14) Brasil Zezito [74]
Goiás Anápolis Brasil Ramon Menezes Demitido 13 de junho Anápolis 0–0 Sinop (Gr. A10) Brasil Alan George [75]
São Paulo Ituano Brasil Roque Júnior Demitido 19 de junho Ituano 0–0 PSTC (Gr. A17) Brasil Vinícius Bergantin (interino) [76]
Alagoas Murici Brasil Bilú Resignado 20 de junho Jacobina 3–0 Murici (Gr. A9) Brasil Eduardo Neto [77]
Roraima Baré Brasil Fábio Luiz de Andrade Demitido 20 de junho Baré 1–2 Gurupi (Gr. A2) Brasil Júnior Pinho [78]
Santa Catarina Brusque Brasil Pingo Contratado pelo Joinville 25 de junho Brusque 1–0 Operário-PR (Gr. A15) Brasil Jerson Testoni [79][80]

Classificação geral[editar | editar código-fonte]

A classificação geral dá prioridade ao clube que avançou mais fases, e ao campeão, mesmo que tenha menor pontuação.[81]

1O São Raimundo-PA foi punido pelo STJD com a perda de três pontos por escalação de jogador irregular.[35]
2O Itabaiana foi punido pelo STJD com a perda de três pontos por escalação de jogador irregular.[36]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «CBF divulga calendário para 2017, e Copa do Brasil vai de fevereiro a outubro». ESPN. 14 de novembro de 2016. Consultado em 14 de novembro de 2016 
  2. «É campeão! Operário-PR perde para o Globo-RN, mas garante título da Série D». GloboEsporte.com. 10 de setembro de 2017. Consultado em 11 de setembro de 2017 
  3. «Atlético Acreano, Globo, Juazeirense e Operário: As epopeias rumo à Série C 2018». Trivela. 15 de agosto de 2017. Consultado em 11 de setembro de 2017 
  4. «Pela primeira vez nenhum clube do Sudeste consegue o acesso na Série D». Futebol Interior. 15 de agosto de 2017. Consultado em 11 de setembro de 2017 
  5. a b c d e f g h i «Regulamento específico da competição – Campeonato Brasileiro da Série D 2017» (PDF). CBF. 23 de março de 2017. Consultado em 17 de abril de 2017 
  6. «CBF faz ajustes na Série D para 2016 e 2017 – Campeonato Brasileiro da Série D 2015». CBF. 9 de novembro de 2015. Consultado em 31 de dezembro de 2015 
  7. «CNEF Cadastro Nacional de Estádios de Futebol» (PDF). CBF. 18 de janeiro de 2016. Consultado em 17 de abril de 2016 
  8. «Anápolis volta a disputar uma competição nacional depois de oito anos». Futebol Goiano. 3 de abril de 2016. Consultado em 11 de abril de 2016 
  9. «Aparecidense empata com o Goianésia e garante vaga na Série D de 2017». Futebol Goiano. 10 de abril de 2016. Consultado em 6 de setembro de 2016 
  10. a b «Série D: Clubes conseguem o acesso, mas deixam vagas em 2017 para rivais do estado». Futebol Interior. 5 de setembro de 2016. Consultado em 6 de setembro de 2016 
  11. «Acesso do Moto Club garante Cordino na Série D em 2017». Imirante. 4 de setembro de 2016. Consultado em 6 de setembro de 2016 
  12. «Com acesso do CSA, Coruripe garante vaga na disputa da Série D em 2017». GloboEsporte.com. 5 de setembro de 2016. Consultado em 6 de setembro de 2016 
  13. «Vaga capixaba na Série D 2017 será disputada em seletiva com 4 times». Gazeta Online. 19 de novembro de 2015. Consultado em 6 de setembro de 2016 
  14. «Seletiva Capixaba para a Série D terá rodada dupla, no Kléber Andrade». GloboEsporte.com. 31 de outubro de 2016. Consultado em 12 de novembro de 2016 
  15. «FBF confirma Flu de Feira na Série D 2017». Acorda cidade. 2 de dezembro de 2016. Consultado em 8 de dezembro de 2016 
  16. a b c «A Série D 2017 começou! Para outras equipes, o marasmo». Revista Série Z. 18 de julho de 2016. Consultado em 6 de setembro de 2016 
  17. «Itumbiara vence o Crac e garante vaga na Série D de 2017». Futebol Goiano. 10 de abril de 2016. Consultado em 6 de setembro de 2016 
  18. «Vitória da Conquista é pentacampeão da Copa Governador do Estado». Blog do Rodrigo Ferraz. 20 de novembro de 2016. Consultado em 20 de novembro de 2016 
  19. «Sem dinheiro para brigar na Série D, Vitória da Conquista escolherá vaga na Copa do Brasil». Correio da Bahia. 21 de novembro de 2016. Consultado em 22 de novembro de 2016 
  20. «Juazeirense, Conquista e Galícia lutam por vaga na Série D». A Tarde. 21 de abril de 2016. Consultado em 25 de abril de 2016 
  21. «Friburguense é punido por escalação irregular e perde o título da Copa Rio». GloboEsporte.com. 28 de outubro de 2016. Consultado em 12 de novembro de 2016 
  22. «São Bernardo tem vaga garantida na Série D do Campeonato Brasileiro de 2017». Torcedores.com. 16 de abril de 2016. Consultado em 6 de setembro de 2016 
  23. «Série D: No grupo do Flu de Feira, Atlético-PE herda vaga após desistência do Serra Talhada». Bahia Notícias. 9 de maio de 2017. Consultado em 11 de maio de 2017 
  24. a b «Confira a tabela detalhada da Série D 2017». CBF. 20 de abril de 2017. Consultado em 20 de abril de 2017 
  25. «Foz FC herda vaga na série D do Brasileiro». Rádio Cultura Foz. 19 de abril de 2017. Consultado em 21 de abril de 2017 
  26. «Série D: Guarany-CE substitui Uniclinic-CE». CBF. 5 de abril de 2017. Consultado em 5 de abril de 2017 
  27. «Série D: participantes da edição 2017 e regiões». CBF. 10 de março de 2017. Consultado em 22 de abril de 2017 
  28. «Série D: CBF divulga Revisão do Regulamento». CBF. 1 de abril de 2017. Consultado em 1 de abril de 2017 
  29. «CBF oficializa e União fica com a vaga do Araguaia na Série D 2017». GloboEsporte.com. 20 de abril de 2017. Consultado em 21 de março de 2017 
  30. «Red Bull Brasil e Espírito Santo será em Bragança». CBF. 19 de junho de 2017. Consultado em 22 de junho de 2017 
  31. «Guarani de Juazeiro aponta estádio Morenão, em Iguatu, para estreia na Série D». Blog do Fabiano Rodrigues. 10 de maio de 2017. Consultado em 24 de maio de 2017 
  32. «CBF altera estreia do Potiguar na Série D para o estádio Edgarzão, em Assú». Site Oficial do Potiguar. 16 de maio de 2017. Consultado em 24 de maio de 2017 
  33. «CBF recebe laudos e transfere jogo do Altos na Série D para o estádio Felipão». GloboEsporte.com. 20 de junho de 2017. Consultado em 22 de junho de 2017 
  34. «Série D: tabela básica e os 68 participantes». CBF. 9 de março de 2017. Consultado em 10 de março de 2017 
  35. a b «São Raimundo-PA é punido por escalação irregular, e Desportiva assume vaga na D». GloboEsporte.com. 30 de junho de 2017. Consultado em 30 de junho de 2017 
  36. a b «Caso Thomas Anderson: Itabaiana perde 3 pontos e pagará multa de 300 reais». GloboEsporte.com. 13 de junho de 2017. Consultado em 17 de junho de 2017 
  37. «Brasileirão Série D – Artilharia». CBF. Consultado em 10 de setembro de 2017 
  38. «Rafael Granja desequilibra, faz três e comanda goleada do Flu-BA sobre o Itabaiana». GloboEsporte.com. 21 de maio de 2017. Consultado em 21 de maio de 2017 
  39. «Virada e hat-trick levam Central à briga na última rodada». Futebol Interior. 18 de junho de 2017. Consultado em 18 de junho de 2017 
  40. «Boletim Financeiro: América-RN 1x1 Juazeirense» (PDF). CBF. 13 de agosto de 2017. Consultado em 14 de agosto de 2017 
  41. «Boletim Financeiro: América-RN 2x1 Ceilândia» (PDF). CBF. 28 de julho de 2017. Consultado em 31 de julho de 2017 
  42. «Boletim Financeiro: América-RN 1x0 Aparecidense» (PDF). CBF. 15 de julho de 2017. Consultado em 18 de julho de 2017 
  43. «Boletim Financeiro: Campinense 1x0 Itabaiana» (PDF). CBF. 28 de maio de 2017. Consultado em 9 de junho de 2017 
  44. «Boletim Financeiro: Operário-PR 0x1 Globo» (PDF). CBF. 10 de setembro de 2017. Consultado em 13 de setembro de 2017 
  45. «Boletim Financeiro: Operário-PR 2x1 Maranhão» (PDF). CBF. 14 de agosto de 2017. Consultado em 23 de agosto de 2017 
  46. «Boletim Financeiro: América-RN 3x2 Sergipe» (PDF). CBF. 18 de junho de 2017. Consultado em 20 de junho de 2017 
  47. «Boletim Financeiro: Operário-PR 2x0 Atlético-AC» (PDF). CBF. 28 de agosto de 2017. Consultado em 31 de agosto de 2017 
  48. «Boletim Financeiro: Atlético-AC 1x1 São José-RS» (PDF). CBF. 13 de agosto de 2017. Consultado em 14 de agosto de 2017 
  49. «Boletim Financeiro: Fluminense-BA 0x0 Campinense» (PDF). CBF. 16 de julho de 2017. Consultado em 20 de junho de 2017 
  50. «Boletim Financeiro: Real Ariquemes 0x1 Princesa do Solimões» (PDF). CBF. 25 de junho de 2017. Consultado em 7 de julho de 2017 
  51. «Boletim Financeiro: São José-RJ 1x0 Ituano» (PDF). CBF. 25 de junho de 2017. Consultado em 28 de junho de 2017 
  52. «Boletim Financeiro: São Raimundo-RR 1x0 Rio Branco-AC» (PDF). CBF. 25 de junho de 2017. Consultado em 7 de julho de 2017 
  53. «Boletim Financeiro: PSTC 0x1 Metropolitano» (PDF). CBF. 25 de junho de 2017. Consultado em 28 de junho de 2017 
  54. «Boletim Financeiro: Guarani-CE 1x0 América-PE» (PDF). CBF. 21 de maio de 2017. Consultado em 28 de junho de 2017 
  55. «Boletim Financeiro: São Paulo 3x4 XV de Piracicaba» (PDF). CBF. 25 de junho de 2017. Consultado em 7 de julho de 2017 
  56. «Boletim Financeiro: Sete de Dourados 1x2 União-MT» (PDF). CBF. 25 de junho de 2017. Consultado em 28 de junho de 2017 
  57. «Boletim Financeiro: Sete de Dourados 0x0 Luziânia» (PDF). CBF. 11 de junho de 2017. Consultado em 28 de junho de 2017 
  58. «Boletim Financeiro: Itabaiana 1x0 Campinense» (PDF). CBF. 18 de junho de 2017. Consultado em 28 de junho de 2017 
  59. «Boletim Financeiro: Murici 3x2 Jacobina» (PDF). CBF. 28 de maio de 2017. Consultado em 28 de junho de 2017 
  60. «Ranking de Público». Sr. Goool. Consultado em 13 de setembro de 2017 
  61. «Leandro Niehues não é mais técnico do Espírito Santo; Cleiton Marcelino assume». GloboEsporte.com. 22 de maio de 2017. Consultado em 22 de maio de 2017 
  62. «Série D: Sete de Dourados acerta com Bazílio Amaral, técnico vice-campeão estadual». Futebol Interior. 22 de maio de 2017. Consultado em 22 de maio de 2017 
  63. «América-PE anuncia novo treinador para a Série D do Brasileirão». Futebol Interior. 25 de maio de 2017. Consultado em 25 de maio de 2017 
  64. «Coruripe muda treinador e anuncia retorno de Jaelson Marcelino para a Série D». GloboEsporte.com. 25 de maio de 2017. Consultado em 29 de maio de 2017 
  65. «Após 12 jogos, Estevam Soares é demitido do comando da Portuguesa». GloboEsporte.com. 29 de maio de 2017. Consultado em 29 de maio de 2017 
  66. «Na Série D, Portuguesa anuncia o novo técnico: Mauro Fernandes». GloboEsporte.com. 30 de maio de 2017. Consultado em 30 de maio de 2017 
  67. «Série D: Sergipe demite Marcelo Vilar após começo ruim». Futebol Interior. 29 de maio de 2017. Consultado em 29 de maio de 2017 
  68. «Diretoria do Sergipe confirma retorno de Ribeiro Neto ao time». GloboEsporte.com. 29 de maio de 2017. Consultado em 29 de maio de 2017 
  69. «Após segunda derrota na Série D, Celso Teixeira deixa o comando do River-PI». GloboEsporte.com. 29 de maio de 2017. Consultado em 29 de maio de 2017 
  70. «Lucas Andrade é efetivado, e contrato de treinador aparece no BID». GloboEsporte.com. 1 de junho de 2017. Consultado em 1 de junho de 2017 
  71. «Série D: Gurupi acerta com técnico Wladimir Araújo, rodado no futebol goiano». Futebol Interior. 29 de maio de 2017. Consultado em 30 de maio de 2017 
  72. «Diretoria do Sete de Dourados dispensa técnico Bazílio Amaral». GloboEsporte.com. 4 de junho de 2017. Consultado em 5 de junho de 2017 
  73. «Série D: Após dispensar treinador, Sete promove zagueiro para a função». Futebol Interior. 5 de junho de 2017. Consultado em 5 de junho de 2017 
  74. «Thiago Oliveira deixa a Caldense; Zezito é anunciado novo treinador». GloboEsporte.com. 13 de junho de 2017. Consultado em 13 de junho de 2017 
  75. «Série D: Ramon Menezes não é mais o treinador do Anápolis». Futebol Interior. 13 de junho de 2017. Consultado em 13 de junho de 2017 
  76. «Após três meses e um título, Roque Júnior não é mais técnico do Ituano». GloboEsporte.com. 19 de junho de 2017. Consultado em 19 de junho de 2017 
  77. «Série D: Murici muda de treinador para a última rodada da fase de grupos». Futebol Interior. 20 de junho de 2017. Consultado em 20 de junho de 2017 
  78. «Baré demite treinador Fábio Luiz de Andrade e contrata Júnior Pinho». GloboEsporte.com. 20 de junho de 2017. Consultado em 24 de junho de 2017 
  79. «Joinville confirma Pingo como novo técnico da equipe na Série C». GloboEsporte.com. 25 de junho de 2017. Consultado em 25 de junho de 2017 
  80. «Auxiliar-Técnico Jerson Testoni é oficializado como novo treinador do Brusque FC». Esporte Santa Catarina. 25 de junho de 2017. Consultado em 26 de junho de 2017 
  81. «Campeonato Brasileiro Série D 2017 – Classificação Geral». Sr. Goool. Consultado em 16 de julho de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]