Estevam Soares

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Estevam Soares
Informações pessoais
Nome completo Estevam Eduardo Lemos Soares
Data de nasc. 10 de junho de 1956 (61 anos)
Local de nasc. Cafelândia (SP),  Brasil
Informações profissionais
Equipa atual SEM CLUBE
Posição ex-zagueiro
Função Treinador
Clubes de juventude
1972–1973 Brasil Guarani
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1974–1976
1976
1977–1981
1982
1985–1986
1987
1988
1989
1991
1992
1993
Brasil Guarani
Brasil XV de Jaú
Brasil São Paulo
Brasil Portuguesa
Brasil Bahia
Brasil Sport
Brasil Vitória
Brasil Ponte Preta
Brasil Sampaio Corrêa
Brasil Fluminense de Feira
Brasil Primavera
Times/Equipas que treinou
1993–1995
1995
1995
1995
1995–1996
1997
1998
1999
2000
2001
2002
2003
2003
2003
2004
2004–2005
2005
2006
2008
2008
2008
2009
2009
2009–2010
2010
2011
2011
2011
2012
2012
2012
2013
2014
2015
2015–2016
2016
2016–
2017–
Brasil Primavera
Brasil Inter de Limeira
Brasil ABC
Brasil URT
Brasil Guarani
Brasil América de Natal
Brasil Guarani
Brasil CSA
Brasil Ponte Preta
Brasil Náutico
Líbano Olympic Beirute
Brasil Guarani
Brasil CRB
Brasil Gama
Brasil Ponte Preta
Brasil Palmeiras
Brasil São Caetano
Brasil Coritiba
Arábia Saudita Al-Ittihad
Brasil Grêmio Barueri
Brasil Portuguesa
Brasil Guaratinguetá
Brasil Grêmio Barueri
Brasil Botafogo
Brasil Ceará
Brasil São Bernardo
Brasil Grêmio Barueri
Brasil Ceará
Brasil Oeste
Brasil XV de Piracicaba
Brasil Grêmio Barueri
Brasil Atlético Sorocaba
Brasil CSA
Brasil Rio Claro
Brasil Portuguesa
Brasil Tupi
Brasil Bragantino
Brasil Portuguesa







002 0000(0)


001 0000(0)

001 0000(1)
001 0000(1)


013 0000(5)


006 0000(3)






042 000(18)

005 0000(0)
005 0000(0)
009 0000(4)

007 0000(1)

006 0000(2)
015 0000(6)
019 0000(5)
006 0000(0)
011 0000(5)
Última atualização: 21 de maio de 2017

Estevam Eduardo Lemos Soares, mais conhecido como Estevam Soares (Cafelândia, 10 de junho de 1956), é um ex-futebolista que atuava como zagueiro e atual treinador de futebol brasileiro. Atualmente está sem clube.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

De estilo viril,[1] Estevam começou a carreira no Guarani, mas contundiu-se no fim de 1976 e foi dispensado, seguindo para o XV de Jaú.[2] Depois de um Campeonato Paulista em que se destacou, chegando à Seleção Paulista de novos,[2] foi contratado pelo São Paulo, onde conquistaria o Campeonato Brasileiro de 1977. Pelo time da capital paulista, disputou 105 jogos, marcando um gol.[1]

Defendeu o São Paulo até o fim de 1979. Entre 1985 e 1986 esteve no Bahia e foi em 1987 para o Sport, onde conquistou o Campeonato Brasileiro de 1987, sendo o capitão do time.[3] No ano seguinte, foi para o Vitória. Jogou ainda no Joinville e no Primavera de Indaiatuba. Encerrou a carreira em 1993.[4]

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Quando chegou ao Primavera como jogador, já tinha a proposta de treinar o time quando se aposentasse, algo em que já pensava por comentários de técnicos com que trabalhou, como Orlando Fantoni.[4] Assumiu o time em 1993. Em 1997, conquistou o único título de sua carreira, o Campeonato Potiguar, com o América de Natal. Em 2003 comandou o Gama na campanha que rebaixou o time da Série B para a Série C.[4]

No ano seguinte chegou pela segunda vez à Ponte Preta, time que o tinha dispensado em 2000 — Estevam diz que por influência da Penalty, patrocinadora do time, e até da Federação Paulista de Futebol[4]— e fazia boa campanha no Campeonato Brasileiro, quando foi convidado para dirigir o Palmeiras,[5] onde teve um início arrasador, chegando a liderar o torneio.[6] Acabou na quarta posição e conseguiu a vaga na Libertadores, mas foi demitido ainda no começo do ano seguinte. Em 2008 foi chamado para treinar o Al-Ittihad, da Arábia Saudita, e lá impressionou-se com o profissionalismo do time. "Sou profissional e, se precisar, volto a trabalhar no Brasil", disse ele ao jornal O Estado de S. Paulo em 13 de abril. "Mas aqui o respeito ao profissional é muito maior. Na assinatura do contrato, você recebe 50%, e não são dois ou três tropeços que te levam à demissão."[7] Na mesma entrevista, manifestou o desejo de trabalhar no Golfo Pérsico. No mesmo ano de 2008 Estevam foi contratado como treinador da Portuguesa, com a incumbência de salvar o time do rebaixamento. Em 2009 foi para o Guaratinguetá e depois foi contratado pelo Grêmio Barueri, que passou todo o primeiro turno do Campeonato Brasileiro na parte de cima da tabela de classificação. Deixou o clube para assumir o Botafogo após a queda de Ney Franco. Sua estreia foi em 15 de agosto, contra o Palmeiras, jogo que terminou empatado em 1 a 1.

No dia 25 de janeiro de 2010, Estevam foi demitido do Botafogo, depois de perder um clássico em pleno Engenhão para o Vasco da Gama por 6 a 0. No dia 13 de junho foi contratado pelo Ceará para substituir PC Gusmão.

Em 8 de agosto de 2010, após um empate sem gols com o Atlético-GO - completando seis jogos sem vitória -, foi demitido do Ceará. Em 8 de fevereiro de 2011 acertou contrato até o final do Paulistão, com o São Bernardo. Em 1 de agosto foi contratado pelo Grêmio Barueri, mas pouco menos de um mês depois foi recontratado pelo Ceará.[8] Sem resultados positivos, foi demitido em 23 de outubro, após apenas 41 dias no comando do clube.

Em dezembro Estevam acertou com o Oeste, para comandar o clube no Campeonato Paulista de 2012, mas foi demitido após não vencer nas cinco primeiras rodadas do campeonato. Já em 14 de fevereiro, menos de uma semana após sua saída do Oeste, foi anunciado como novo técnico do XV de Piracicaba. Em 13 de junho voltou ao Grêmio Barueri.[9]

Em 2013, Estevam Soares acertou com o Atlético Sorocaba, para comandar a equipe no Campeonato Paulista da Segunda Divisão. Em 23 de fevereiro, pediu para ser dispensado, depois da derrota por 3 a 1 diante do Paulista de Jundiaí. Estevam não conseguiu fazer a equipe de render como o esperado, e o Atlético conquistou apenas seis pontos em nove jogos do Paulistão.

Em março de 2014, acertou com o CSA, mas deixou a equipe alagoana em março, com apenas uma vitória em quatro jogos disputados.

No dia 11 de março de 2015, o Rio Claro Futebol Clube acertou a contratação de Estevam Soares para comandar a equipe paulista, no restante do campeonato paulista série A1, depois de quase um ano desempregado.[10] Meses depois, foi contratado novamente como treinador da Portuguesa.[11] Após dois jogos em 2016 (um empate com o Barretos e uma derrota para o Juventus, na Série A2), Estevam Soares deixou o comando da Portuguesa.[1]

Em 09.06.2016 foi contratado pelo Tupi de Juiz de Fora.[12]

Em março de 2017 foi contratado pela Portuguesa.[13] Foi demitido em 30 de maio de 2017 após derrota para o Bangu na Série D.[14]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Clube Jogos Vitórias Empates Derrotas Aproveitamento
Palmeiras 47 23 13 11 58,2%
Botafogo 30 11 8 11 45,6%
Ceará 14 1 6 7 21,4%
São Bernardo 12 4 1 7 36,1%
Grêmio Barueri 13 4 3 6 38,5%
Oeste 5 0 2 3 13,3%
XV de Piracicaba 11 4 0 7 36,4%
Atlético Sorocaba 9 1 3 5 22,2%
CSA 4 1 2 1 41,7%
Tupi 19 5 7 7 26,3%
Bragantino 0 0 0 0 0%
Precedido por
Cláudio Marques (Interino)
Paraná Técnico do Coritiba
2006
Sucedido por
Paulo Bonamigo
Precedido por
Ney Franco
Rio de Janeiro Técnico do Botafogo
2009–2010
Sucedido por
Joel Santana
Precedido por
Paulo César Gusmão
Vágner Mancini
Ceará Técnico do Ceará
2010
2011
Sucedido por
Mário Sérgio
Dimas Filgueiras
Precedido por
Sérgio Soares
São Paulo Técnico do Grêmio Barueri
2011
Sucedido por
René Simões
Precedido por
Vágner Mancini
Ceará Técnico do Ceará
2011
Sucedido por
Dimas Filgueiras
Precedido por
Argel Fucks
São Paulo Técnico do Oeste
2011
Sucedido por
Roberto Cavalo
Precedido por
Ricardo Drubscky
Minas Gerais Técnico do Tupi
2016
Sucedido por
Ricardinho

Referências

  1. a b Alexandre da Costa, Almanaque do São Paulo Placar, Editora Abril, 2005, pág. 390
  2. a b "Agora, a prática", João Areosa, Placar número 391, 21/10/1977, Editora Abril, pág. 86
  3. "Que campeão é esse?", Placar número 923, 12/2/1988, Editora Abril, pág. 10
  4. a b c d "Estevam: 'Eu mereço estar no Palmeiras'", Luís Augusto Monaco, Luiz Antônio Prosperi e Juliano Costa, Jornal da Tarde, 26/7/2004, Edição de Esportes, pág. 16
  5. Celso Dario Unzelte e Mário Sérgio Venditti, Almanaque do Palmeiras Placar, Editora Abril, 2004, pág. 525
  6. "No limite do esforço", Placar número 1273-A, "Guia do Segundo Turno do Brasileirão 2004", agosto de 2004, Editora Abril, pág. 72
  7. "Estevan (sic), na Arábia, de bem com a vida", Wilson Baldini Jr., O Estado de S. Paulo, 13/4/2008, pág. E4
  8. Estevam Soares é o novo técnico do Ceará para a disputa do Brasileirão
  9. Após seis rodadas, Grêmio Barueri anuncia acerto com terceiro treinador
  10. «Após demissão de Buião, Estevam Soares assume comando do Rio Claro». 11 de março de 2015. Consultado em 14 de março de 2015 
  11. Futebol Interior. «Estevam Soares assume Portuguesa». Consultado em 30 de junho de 2015 
  12. «Tupi age rápido e anuncia Estevam Soares como novo treinador». ESPN. Consultado em 9 de junho de 2016 
  13. «Estevam Soares é anunciado como novo técnico da Portuguesa». globoesporte.com 
  14. «Estevam Soares é anunciado como novo técnico da Portuguesa». globoesporte.com