Paulo César Gusmão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Paulo César Gusmão
Informações pessoais
Nome completo Paulo César Lopes de Gusmão
Data de nasc. 19 de maio de 1962 (55 anos)
Local de nasc. Rio de Janeiro (RJ), Brasil
Nacionalidade brasileira
Apelido PC, PC Gusmão
Informações profissionais
Equipa atual Predefinição:Sem Clube
Posição (ex-goleiro)
Função Treinador
Clubes de juventude
1977–1981 Vasco da Gama
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1982–1988
1989–1997
1998
1999
1999
2000
Vasco da Gama
Botafogo
Campo Grande
Cabofriense
Americano
Pouso Alegre
Times/Equipas que treinou
2001
2002
2004
2004
2005
2005
2005–2006
2006
2006–2007
2007
2008
2008
2009
2009
2009
2010
2010–2011
2011
2011
2012
2012
2013
2014
2014
2014
2015
2015–2016
2016
2017
2017–
Vasco da Gama
Palmeiras
Cruzeiro
Flamengo
Cabofriense
Botafogo
Cruzeiro
São Caetano
Fluminense
Náutico
Itumbiara
Figueirense
Juventude
Atlético-GO
Ceará
Ceará
Vasco da Gama
Atlético-GO
Sport
Ceará
Vitória
Atlético-GO
Al-Arabi
Bragantino
Ceará
Penapolense
Joinville
Marítimo
Madureira
Portuguesa














000035
000029
000039
000016
000015
000047
000004
000018
00000?
000018
000007
000011
000030
000005
000006
000006
Última atualização: 14 de agosto de 2017

Paulo César Lopes de Gusmão, mais conhecido apenas como Paulo César Gusmão ou PC Gusmão (Rio de Janeiro, 19 de maio de 1962) é um treinador e ex-futebolista brasileiro que jogava como goleiro. Atualmente está sem clube.

Futebolista[editar | editar código-fonte]

Paulo César Gusmão foi goleiro reserva do Vasco da Gama, na década de 80, tendo como principais títulos o bicampeonato carioca 1987/88.

Treinador[editar | editar código-fonte]

Iniciou sua carreira pós-jogador como preparador de goleiros do Vasco da Gama. Trabalhando nesta nova função, foi convidado a ser treinador interino. Trabalhando com Oswaldo de Oliveira, foi convidado por este treinador a ser auxiliar-técnico. Nesta função, venceu pelo Corinthians o Mundial de Clubes. Mais tarde, viria a ser treinador permanente do clube. Treinou depois o Palmeiras e o Cruzeiro, onde ganhou o Campeonato Mineiro de 2004.

Teve uma passagem meteórica pela Cabofriense no Campeonato Carioca. A boa campanha pelo time o fez ser convidado para treinar o Botafogo. No alvinegro carioca, levou o time a liderança do Campeonato Brasileiro de 2005, mas desentendeu-se com a diretoria e pediu demissão[1].

Meses depois, PC Gusmão assumiu o Cruzeiro, clube onde já havia sido auxiliar-técnico e treinador anteriormente. Venceu o Campeonato Mineiro de Futebol de 2006 pela segunda vez. No Campeonato Brasileiro, levou o time à liderança até o jogo contra o Corinthians depois da paralisação da Copa do Mundo. Porém, após ficar 5 jogos sem vitórias, foi demitido.

Assumiu o São Caetano e foi demitido com apenas 4 jogos no comando do clube paulista. Em 29 de setembro de 2006, Paulo César Gusmão foi contratado pelo Fluminense[2], para ser o sexto treinador do clube naquela temporada e salvar o clube do rebaixamento do Campeonato Brasileiro de 2006. O técnico conseguiu manter o tricolor na Primeira Divisão e manteve-se no cargo até a quarta rodada do Campeonato Carioca de Futebol de 2007. Após uma derrota frente ao América, PC foi demitido.[3]

Em 2007 treinou o Náutico. No campeonato pernambucano, assumiu a equipe na sexta colocação e levou o Náutico ao vice-campeonato. Na Copa do Brasil, após excelente campanha, viu seu time ser eliminado pelo Figueirense, em Florianópolis. No Campeonato Brasileiro da Série A 2007, após bom começo, saiu do clube na 8ª rodada.

Iniciou o ano de 2008 como técnico do Itumbiara, de Goiás e, após 38 anos, conseguiu levar a equipe do interior do Estado ao inédito título de Campeão Goiano. Bateu na final, com duas vitórias, o poderoso Goiás, do técnico Caio Junior, além de conquistar vitórias expressivas sobre todos os grandes clubes do Estado e depois treinou o Figueirense.

Em 2009 assumiu o Juventude e comandou o time em apenas 9 jogos. Transferiu-se para o Atlético Goianiense, Campeão Brasileiro da Série C em 2008[4].

Em maio de 2009, assumiu o comando do Ceará[5], levando o clube a Série A do Campeonato Brasileiro após 16 anos. Saiu ao final da temporada. Mas no dia 2 de fevereiro de 2010 acertou seu retorno ao comando do Vozão.

Em 13 de junho de 2010, após um bom início de temporada conseguindo deixar o Ceará na vice-liderança do Campeonato Brasileiro antes da paralisação para a Copa do Mundo, foi contratado pelo Vasco da Gama para o restante da temporada.[6]

Em 28 de janeiro de 2011, após um início de Taça Guanabara desastroso com três derrotas seguidas para times considerados "pequenos", o Vasco da Gama decide demitir PC Gusmão. [7]

Em 3 de abril de 2011 foi contratado para comandar o Atlético Goianiense. Essa foi a segunda vez que assumiu o time goiano. Onde acaba levando o Atlético GO a ser pela 1 vez na historia do clube bi- Campeão Goiano meses depois, deixou o comando do Atlético após resultados ruins no Brasileiro e problemas familiares[8].

Em 18 de agosto de 2011 foi contratado para comandar o Sport. Assumiu a missão de levar o time pernambucano de volta a elite do futebol nacional.[9]. No entanto, foi demitido em 29 de outubro de 2011, após derrota para o arquirrival Náutico, pelo placar de 2-0, restando 5 rodadas para o término da competição, onde o auxiliar técnico Mazola Júnior assume o clube até o final do Campeonato Brasileiro da Série B de 2011.[10]

Em 13 de março de 2012, PC Gusmão voltou ao Ceará para sua 3ª passagem pelo clube. E após exatos dois meses no comando do Ceará, PC conquista seu primeiro título pela equipe cearense. No dia 29 de outubro de 2012, PC Gusmão se demitiu abrindo mão da multa rescisória, após perder quatro jogos seguidos, fato que eliminou qualquer chance de retorno do Ceará à Série A em 2013.[11]

No dia 4 de novembro, pouco depois de sair o Ceará, acertou sua ida para o Vitória, que havia demitido Paulo César Carpegiani e buscava um técnico para concluir a campanha da Série B de 2012 com o acesso à primeira divisão.[12] Logo em sua estreia pelo rubro-negro baiano, Gusmão viu sua equipe vencer por 5–3 o América Mineiro. Ao fim da Série B, Paulo César Gusmão obteve êxito na tarefa que foi lhe dada e garantiu o retorno do Vitória à primeira divisão do futebol brasileiro, deixando o clube logo após o final do campeonato.

Após um tempo fora, PC Gusmão acertou seu retorno ao Atlético Goianiense, com a missão de levar o time goiano de volta a elite do futebol nacional.[13]

Dia 27 de outubro, foi demitido após uma campanha de 18 jogos, sendo 7 empates, 7 derrotas e 4 vitórias com um aproveitamento de 35%, faltando 7 jogos para o fim e com má campanha, a diretoria o demitiu.[14]

Em 2014, acertou com o Al-Arabi.[15]Levou o time à quinta posição classificando para copa

Em outubro de 2014 acertou com o Ceará Sporting Club, para tentar ajudar o alvinegro com o acesso à Série A.[16] Não conseguiu levar o Ceará para a Série A, PC Gusmão não renovou contrato

Em 27 de julho de 2015, foi anunciado como novo técnico do Joinville[17]. Em fevereiro após mau início de ano, PC Gusmão foi demitido.[1]

Em 1º de junho de 2016, PC Gusmão assinou contrato por um ano, com opção por mais um, com o Marítimo. Permaneceu até 19 de setembro quando foi demitido.[2]

No dia 3 de novembro de 2016, PC Gusmão assumiu o comando do Madureira, para comandar a equipe no Campeonato Carioca de 2017.[3] Após a boa campanha com o Madureira no Carioca, onde a equipe chegou a semi-final da Taça Guanabara e conquistou uma vaga na Série D do Brasileirão, PC Gusmão deixou o comando do clube.[4]

Em 14 de agosto de 2017, foi anunciado como novo treinador da Portuguesa.[5]


Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Ultima edição 29/10/2017

Clube Jogos Vitórias Empates Derrotas Aproveitamento
Fluminense 17 3 6 8 29,4%
Palmeiras 2 1 0 1 33,3%
Flamengo 5 2 0 3 40,0%
Cruzeiro 97 52 16 29 59,1%
Ceará 118 62 31 25 62,2%
Vasco da Gama 39 14 14 11 47,9%
Atlético-GO 34 8 11 15 34,3%
Sport 15 6 4 5 48,9%
Vitória 4 1 2 1 41,7%
AL-Arabi 15 10 3 2 74,8%
Joinville 30 9 6 15 40,0%
Marítimo 5 1 0 4 25,0%
Madureira 6 3 2 1 50%
Portuguesa 14 6 6 2 57,1%

Títulos[editar | editar código-fonte]

Cruzeiro
Itumbiara
Atlético Goianiense
Ceará

Outros Torneios[editar | editar código-fonte]

Vasco da Gama

Referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Vanderlei Luxemburgo
Levir Culpi
Treinador do Cruzeiro
2004
2005–2006
Sucedido por
Ney Franco (Interino)
Oswaldo de Oliveira
Precedido por
Andrade (interino)
Treinador do Flamengo
2004
Sucedido por
Andrade (interino)
Precedido por
Josué Teixeira (Interino)
Treinador do Fluminense
2006–2007
Sucedido por
Cuca
Precedido por
Paulo Bonamigo
Treinador do Botafogo
2005
Sucedido por
Péricles Chamusca
Precedido por
Mazola Júnior
Treinador do Sport
2011
Sucedido por
Mazola Júnior
Precedido por
Lula Pereira
Sérgio Soares
Treinador do Ceará
2012
2014
Sucedido por
Anderson Silva (Interino)
Dado Cavalcanti
Precedido por
Ricardo Silva
Treinador do Vitória
2012
Sucedido por
Caio Júnior
Precedido por
René Simões
Treinador do Atlético Goianiense
2013
Sucedido por
Gilberto Pereira
Precedido por
Uli Stielike
Treinador do Al-Arabi
2014
Sucedido por
Dan Petrescu
Precedido por
Adílson Batista
Treinador do Joinville
2015–2016
Sucedido por
Hemerson Maria
Precedido por
Mauro Fernandes
Treinador da Portuguesa
2017–
Sucedido por
  1. Com início ruim em 2016, PC Gusmão deixa o comando técnico do Joinville
  2. PC Gusmão é demitido do Marítimo três meses e meio depois de chegar
  3. «Ex-Vasco, Flu e Cruzeiro, PC Gusmão assume o Madureira para o estadual». globoesporte.com 
  4. «Após se destacar no Carioca, técnico PC Gusmão volta a ficar no mercado». globoesporte.com 
  5. «Portuguesa anuncia PC Gusmão como novo treinador». globoesporte.com