Péricles Chamusca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Péricles Chamusca
Pericles Chamusca 2012.jpg
Informações pessoais
Nome completo Péricles Raimundo Oliveira Chamusca
Data de nasc. 29 de setembro de 1965 (54 anos)
Local de nasc. Salvador, (BA), Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,80 m
destro
Informações profissionais
Período em atividade 1994–presente (26 anos)
Equipa atual Al-Faisaly
Posição Ex-meia
Função Técnico
Clubes de juventude
1979–1984 Bahia
Times/Equipas que treinou
1994–1995
1996
1997
1998
1998
1999
1999
2001
2001
2001
2002
2002
2003
2003–2004
2004
2004
2005
2005
2005–2009
2009
2010
2010–2011
2011–2012
2013
2013
2014
2015
2018
2019
2019–
Vitória
Santa Cruz
Mirassol
Rio Branco
América de Natal
Anápolis
CSA
Vitória
Corinthians-AL
Porto-PE
Confiança
Brasiliense
Caxias
Santa Cruz
Santo André
São Caetano
Goiás
Botafogo
Oita Trinita
Sport
Avaí
Al-Arabi
Al-Jaish
Portuguesa
Coritiba
Júbilo Iwata
Al-Gharafa
Al-Faisaly
Al-Hilal
Al-Faisaly
0000027





0000007



0000020
0000011
0000023
0000030
0000033
0000034
0000008
0000001
0000035
0000017
0000036
0000022

0000022
0000012
0000036
0000009
0000020
0000005
0000022
Última atualização: 13 de março de 2020

Péricles Raimundo Oliveira Chamusca (Salvador, 29 de setembro de 1965) é um técnico e ex-futebolista brasileiro que atuava como meio-campista. Atualmente comanda o Al-Faisaly, da Arábia Saudita.

Seu irmão, Marcelo Chamusca, também é técnico e foi bastante tempo auxiliar-técnico de Péricles.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Antes de ser treinador, Péricles Chamusca foi jogador das categorias de base do Bahia, como meia-atacante, mas nunca chegou a se profissionalizar como jogador de futebol. Quando chegou a época da faculdade, optou por deixar o futebol para cursar Educação Física. Foi aí que surgiu um convite para ser auxiliar de preparação física no tricolor baiano quando ele tinha apenas 23 anos. Pouco depois, foi efetivado e, em 1989, passou sete meses trabalhando com o então treinador da equipe principal, Evaristo de Macedo. Foi quando descobriu sua vocação para ser treinador e passou a trabalhar com os juniores do clube.

Primeiros clubes[editar | editar código-fonte]

Péricles Chamusca começou sua carreira como treinador em 1994, no Vitória. Depois treinou equipes como Rio Branco, América de Natal, Anápolis, CSA, Corinthians-AL, entre outros.

Brasiliense e Santo André[editar | editar código-fonte]

Destacou-se dirigindo o Brasiliense, com o qual foi vice-campeão da Copa do Brasil de 2002 e posteriormente levou o Santo André ao inédito título da mesma competição, em 2004. Na final, o time derrotou o Flamengo em pleno Estádio do Maracanã.

Nesta campanha, além da grande final, a partida das quartas de final mereceu destaque. Com grande mostra de superação, o Santo André eliminou o Palmeiras após um empate em 4 a 4 em pleno Palestra Itália. A situação do Santo André não era das mais cômodas. Precisava vencer – ou empatar por um placar superior a três gols. Com apenas nove minutos para o fim da partida, a equipe de Chamusca perdia por 4 a 2. Porém, com gols de Sandro Gaúcho e Tássio, o Santo André acabou eliminando um dos grandes times do futebol nacional.

Para a disputa desta competição, Chamusca, que na época tinha apenas 38 anos, usou como motivação para seus jogadores exemplos como do ex-piloto de Fórmula 1, Ayrton Senna. “Para esse jogo, mostrei alguns vídeos motivacionais para os meus jogadores. Coloquei para eles um documentário sobre o Senna, mostrando que ele procurava sempre passar dos seus limites, buscava o melhor, sempre, em todas as situações. São coisas que trabalho para mexer com os jogadores.”, disse, na época.

São Caetano[editar | editar código-fonte]

Em seguida, passou pelo São Caetano onde brigou pelo título do brasileiro 2004 e observou de perto um dos maiores dramas do futebol brasileiro. No dia 27 de outubro, em uma partida entre São Caetano e São Paulo, no Estádio do Morumbi, o zagueiro Serginho da equipe do ABC morreu após uma parada cardiorrespiratória durante o jogo. O defensor caiu sozinho em campo, aos 14 minutos do segundo tempo, quando a partida estava empatada por 0 a 0 --o jogo foi suspenso. Ele estava próximo à pequena área de seu time.

Os médicos do São Caetano, Paulo Forte, e do São Paulo, José Sanchez, tentaram reanimar o jogador ainda no gramado, com massagem cardíaca e respiração boca-a-boca. Durante cinco minutos ele foi atendido em campo, antes de ser levado de ambulância até o centro médico do próprio estádio. Em seguida, às 21h 55m, foi levado para o Hospital São Luiz, mas não resistiu.

Goiás e Botafogo[editar | editar código-fonte]

Após a tragédia, Chamusca deixou o São Caetano e passou por Goiás e Botafogo.

Oita Trinita[editar | editar código-fonte]

Em 2005, decidiu aceitar um novo desafio em sua carreira e foi para o então desconhecido Oita Trinita. Teve sucesso com o clube japonês e, em quatro anos à frente da equipe, Chamusca não só tirou o time da zona de rebaixamento como conduziu o Oita a uma posição de destaque. Provas disso são os resultados da sua última temporada: além da boa quarta colocação na classificação final da J-League, o time conquistou o título da Copa da Liga Japonesa, a primeira grande conquista da história do clube.

O título veio após a vitória contra o Shimizu S-Pulse por 2 a 0 na decisão. A conquista da Copa Nabisco deu ao Oita Trinita o direito de disputar a Copa Suruga Bank contra o vencedor da Copa Sul-Americana de 2008. O destaque no Japão fez com que Chamusca fosse cotado para comandar a Seleção Japonesa.

Sport[editar | editar código-fonte]

No dia 30 de julho de 2009, foi anunciado como novo comandante do Sport, que dias antes havia demitido Emerson Leão.[1] Meses depois, no dia 7 de novembro, se demitiu do comando do rubro-negro pernambucano após a derrota para o Cruzeiro, na Ilha do Retiro, por 3 a 2.

Avaí[editar | editar código-fonte]

Quase um mês depois de sua saída do Sport, foi contratado pelo Avaí[2] para comandar o clube na temporada de 2010, onde disputaria o Campeonato Catarinense, a Copa do Brasil, a Copa Sul-Americana e o Campeonato Brasileiro.[3]

Na metade do ano de 2010, quase na volta do Avaí para a continuação do Campeonato Brasileiro devido a parada para a Copa do Mundo, Chamusca anunciou que sairia do comando do time para atuar no futebol árabe. Ficou claro que tal decisão deu-se única e exclusivamente por questões financeiras. A proposta era de ganhar o triplo do que estava ganhando naquele momento, algo em torno de R$ 1,5 milhões em 6 meses.

Al-Arabi[editar | editar código-fonte]

Em julho de 2010, Chamusca transferiu-se para o Al-Arabi, do Catar.[4] Pelo clube, conquistou a Copa Sheik Jassem em sua primeira temporada e, em 2011, levou o time a realizar a melhor campanha da Liga Nacional dos últimos 13 anos. O quarto lugar na classificação geral garantiu o Al-Arabi na próxima Liga dos Campeões da Ásia, principal competição interclubes do continente.

Al-Jaish[editar | editar código-fonte]

Em 2011 continuou no Qatar, desta vez comandando o recém-promovido Al-Jaish.[5] Fez grande campanha e terminou a competição com o vice-campeonato, tendo conquistado uma inédita vaga para a Liga dos Campeões da Ásia.

Portuguesa[editar | editar código-fonte]

Em dezembro de 2012, foi confirmado como novo técnico da Portuguesa para a temporada de 2013.[6] Após boa campanha na fase de classificação, Chamusca foi demitido da Lusa após perder para o Comercial por 7 a 0, na segunda fase do Campeonato Paulista - Série A2.[7][8][9]

Coritiba[editar | editar código-fonte]

No dia 30 de setembro de 2013 assumiu o comando do Coritiba até o final da temporada.[10][11] Foi demitido no dia 17 de novembro, após campanha irregular.[12][13]

Júbilo Iwata[editar | editar código-fonte]

No ano seguinte voltou para o Japão, dessa vez para dirigir o Júbilo Iwata, uma das equipes mais tradicionais do país. Fazia boa campanha quando deixou o comando da equipe no final do ano.

Al-Gharafa[editar | editar código-fonte]

Em 2015 retornou ao futebol árabe para comandar o Al-Gharafa, do Catar.[14] Foi demitido após uma sequência de resultados ruins, sendo substituído pelo uruguaio Diego Aguirre.

Al-Faisaly[editar | editar código-fonte]

Em outubro de 2018, Péricles Chamusca foi anunciado como novo treinador do Al-Faisaly, da Arábia Saudita.[15] O treinador, que teve passagens vitoriosas por clubes do Catar e dos Emirados Árabes, juntou-se a Fábio Carille, então técnico do Al Wehda, e se tornou o segundo profissional brasileiro na Primeira Divisão da Liga Saudita.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Vitória
CSA
Santo André
Oita Trinita
Avaí
Al-Arabi
  • Copa Sheikh Jassem: 2011

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Clube Jogos Vitórias Empates Derrotas
Sport 17 4 5 8
Avaí 36 20 8 8
Portuguesa 22 14 4 4
Coritiba 12 3 1 8

Referências

  1. «Péricles Chamusca é o novo técnico do Sport Recife». Estadão. 31 de julho de 2009. Consultado em 16 de junho de 2020 
  2. «Péricles Chamusca é o novo técnico do Avaí». Tribuna PR. 10 de dezembro de 2009. Consultado em 16 de junho de 2020 
  3. «Péricles Chamusca quer Avaí polivalente em 2010». iG. 25 de janeiro de 2010. Consultado em 16 de junho de 2020 
  4. «Péricles Chamusca deixa o Avaí rumo ao futebol árabe». SUPERFC. 1 de julho de 2010. Consultado em 16 de junho de 2020 
  5. Globoesporte.com. «Péricles Chamusca assume equipe estreante na Primeira Divisão do Qatar». Consultado em 15 de junho de 2011 
  6. «Portuguesa anuncia contratação de Péricles Chamusca». GloboEsporte.com. 13 de dezembro de 2012. Consultado em 16 de junho de 2020 
  7. «Após goleada, Péricles Chamusca deixa o comando da Portuguesa». GloboEsporte.com. 15 de abril de 2013. Consultado em 16 de junho de 2020 
  8. «Após goleada de 7 a 0, Portuguesa anuncia saída de Péricles Chamusca». UOL Esporte. 15 de abril de 2013. Consultado em 16 de junho de 2020 
  9. «Após goleada, Portuguesa anuncia demissão de Péricles Chamusca». iG. 15 de abril de 2013. Consultado em 16 de junho de 2020 
  10. «Coritiba acerta com treinador campeão da Copa do Brasil». Futebol Interior. 29 de setembro de 2013. Consultado em 16 de junho de 2020 
  11. «Péricles Chamusca é confirmado como novo técnico do Coxa». Terra. 30 de setembro de 2013. Consultado em 16 de junho de 2020 
  12. «Péricles Chamusca não é mais o técnico do Coritiba, e Tcheco assume». GloboEsporte.com. 17 de novembro de 2013. Consultado em 16 de junho de 2020 
  13. «Em 25 minutos, Coritiba 'muda de ideia' e demite Chamusca; Tcheco assume». ESPN.com.br. 17 de novembro de 2013. Consultado em 16 de junho de 2020 
  14. «Conhecedor do futebol árabe, Péricles Chamusca acerta com Al Gharafa». Futebol Interior. 29 de maio de 2015. Consultado em 16 de junho de 2020 
  15. «Péricles Chamusca assume time da Arábia Saudita: 'Feliz com o convite'». LANCE!. 15 de outubro de 2018. Consultado em 16 de junho de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Fito Neves
Mário Sérgio
Treinador do Vitória
1995
2001
Sucedido por
Joãozinho
Arturzinho
Precedido por
Paulo César Gusmão
Treinador do Botafogo
2005
Sucedido por
Celso Roth
Precedido por
Emerson Leão
Treinador do Sport
2009
Sucedido por
Givanildo Oliveira
Precedido por
Silas
Treinador do Avaí
2010
Sucedido por
Antônio Lopes
Precedido por
Marquinhos Santos
Treinador do Coritiba
2013
Sucedido por
Tcheco (interino)