Leonardo Augusto Caldeira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gnome globe current event.svg
Este artigo ou seção é sobre alguém que morreu recentemente. A informação apresentada pode mudar com frequência. Não adicione especulações, nem texto sem referência a fontes confiáveis. (editado pela última vez em 9 de outubro de 2019) Twemoji 1f464.svg
Caldeira
Informações pessoais
Nome completo Leonardo Augusto Caldeira
Data de nasc. 15 de novembro de 1946
Local de nasc. Uberaba (MG), Brasil
Nacionalidade brasileiro
Falecido em 24 de setembro de 2019 (72 anos)
Canhoto
Informações profissionais
Posição Atacante (Ponta-esquerda)
Clubes de juventude
Brasil Santos
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
?
1965–1967
1967
1968–1970
1970–1971
1971
1972
1973
1975
1976
1977
?
1979
1980
Brasil Santos
Brasil Portuguesa
Brasil América Mineiro
Brasil Atlético Mineiro
Brasil Flamengo
Brasil Bahia
Brasil Flamengo
Colômbia Junior Barranquilla
Brasil Bahia
Brasil Londrina
Brasil Coritiba
Brasil Democrata de Sete Lagoas
Brasil Inter de Limeira
Brasil Avaí




00060 000(7)

00013 000(0)






00030 000(2)
Seleção nacional
1968 Brasil Brasil 00001 000(0)

Leonardo Augusto Caldeira, mais conhecido como Caldeira (Uberaba, 15 de novembro de 1946São Paulo, 24 de setembro de 2019), foi um futebolista brasileiro que atuava como atacante.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Caldeira iniciou sua carreira nas categorias de base do Santos, mas foi na Portuguesa que alcançou maior destaque. No ano de 19 de dezembro de 1968, o Atlético Mineiro representou a Seleção Brasileira em um amistoso contra a Iugoslávia no Mineirão e venceu por 3–2. Naquela partida, vestiu a camisa amarelinha pela primeira e única vez.[1]

No Avaí chegou em 1980, já no fim da carreira, mas ainda com uma canhota potente que marcou sua carreira. Fez sua estreia no clube catarinense perdendo para o Carlos Renaux, no antigo Estádio Adolfo Konder quando entrou no decorrer da partida. Já em seu segundo jogo pelo time, marcou seu primeiro gol, na vitória por 2–0 contra o Mafra, no Estádio Alfredo Herbst.

Foi Mecânico de automóveis. Residia no Jardim Cidália, em São Paulo.[2]

Família[editar | editar código-fonte]

Teve quatro filhos sendo que dois deles são voleibolistas profissionais, como Kátia Lopes, medalha de bronze com a Seleção Brasileira de Voleibol Feminino nos Jogos Olímpicos de Sidney 2000.

Morte[editar | editar código-fonte]

Caldeira morreu em 24 de setembro de 2019 em São Paulo.[3][4]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Flamengo

Referências

  1. «Jogos de 1968». Campeões do Futebol. 21 de setembro de 2008. Consultado em 9 de outubro de 2019 
  2. «Caldeira - Que Fim Levou?». Terceiro Tempo. Consultado em 9 de outubro de 2019 
  3. «Morreu Caldeira, ex-Flamengo, Santos e Portuguesa». Terceiro Tempo. 25 de setembro de 2019. Consultado em 9 de outubro de 2019 
  4. «Luto! Morre ex-ponta que fez sucesso na Lusa, Flamengo, Bahia e Inter de Limeira». Futebol Interior. 25 de setembro de 2019. Consultado em 9 de outubro de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]