Lisca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Lisca
Informações pessoais
Nome completo Luiz Carlos Cirne Lima de Lorenzi
Data de nasc. 11 de agosto de 1972 (48 anos)
Local de nasc. Porto Alegre (RS), Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,88 m
Apelido Lisca Doido[1]
Informações profissionais
Equipa atual América Mineiro
Função Treinador
Times/Equipas que treinou
1990–1994
1995
1996–2000
2001
2005
2005
2006–2007
2007
2008
2009–2010
2010
2010–2011
2011
2012
2012–2013
2014
2014
2015
2015–2016
2016
2016
2017
2017
2018
2018–2019
2020–
Internacional (cat. base)
São Paulo (cat. base)
Internacional (cat. base)
Ulbra
Grêmio (cat. base)
Fluminense (cat. base)
Internacional (cat. base)
Brasil de Pelotas
Juventude
Porto Alegre
Luverdense
Caxias
Luverdense
Novo Hamburgo
Juventude
Náutico
Sampaio Corrêa
Náutico
Ceará
Joinville
Internacional
Paraná
Guarani
Criciúma
Ceará
América Mineiro
Última atualização: 19 de novembro de 2020

Luiz Carlos Cirne Lima de Lorenzi, mais conhecido como Lisca ou Lisca Doido[2] (Porto Alegre, 11 de agosto de 1972), é um treinador brasileiro. Atualmente comanda o América Mineiro.

Lisca é bisneto de Carlos de Lorenzi, ex-goleiro do Internacional em 1919, e neto de Jorge de Lorenzi, que também foi goleiro do Inter na década de 1940.[3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Lisca nunca atuou como futebolista profissional, tendo seguido a carreira de treinador, onde iniciou nas categorias de base do Internacional em 1990.[4] Após isso, comandou a base do São Paulo e retornou para comandar a base do Inter. depois teve sua primeira experiência em comandar elenco principal, no Ulbra. Voltou a comandar as categorias de base, dessa vez do Grêmio e do Fluminense, e posteriormente retornou pela terceira vez ao comando das categorias de base do Inter. Depois comandou o Brasil de Pelotas, Juventude B, Porto Alegre e Caxias. Depois foi para o Mato Grosso, onde comandou o Luverdense.

Novo Hamburgo e Juventude[editar | editar código-fonte]

Em 2012, assumiu o Novo Hamburgo[5] e em julho do mesmo ano, retornou ao comando do Juventude, dessa vez para comandar o elenco principal.[6]

Náutico[editar | editar código-fonte]

Em dezembro de 2013 foi anunciado como treinador do Náutico para a temporada 2014. Deixou o comando do clube após a derrota na Copa do Brasil para o América de Natal. Em 26 jogos pelo Timbu, Lisca teve 10 vitórias, sete empates e nove derrotas.[7]

Sampaio Corrêa[editar | editar código-fonte]

Em julho de 2014, assinou com o Sampaio Corrêa, após o técnico Flávio Araújo pedir as contas do clube.[8] No entanto, acaba sendo criticado pela imprensa e pela torcida do time pela péssima administração, tendo o cargo ameaçado duas vezes, sendo que na segunda, acabou sendo demitido após um empate em 1 a 1 com o Náutico, em jogo válido pela 29ª rodada da Série B.[9]

Retorno ao Náutico[editar | editar código-fonte]

Retornou ao Náutico no dia 7 março de 2015, substituindo a Moacir Júnior.[10]

Ceará[editar | editar código-fonte]

No final de setembro de 2015, acertou com o Ceará, com missão de livrar o Vovô do rebaixamento, tendo sucesso na empreitada.[11]

No dia 28 de março de 2016, Lisca foi demitido do Alvinegro após o time ter ficado com condições ruins para classificação no estadual.[12]

Joinville[editar | editar código-fonte]

No dia 29 de junho de 2016, Lisca foi anunciado como novo treinador do Joinville.[13] No dia 16 de setembro de 2016, Lisca foi demitido do comando do Tricolor.[14]

Internacional[editar | editar código-fonte]

No dia 18 de outubro de 2016, faltando três rodadas para o término do Campeonato Brasileiro, foi anunciado como técnico do Internacional e chegou com a missão de tirar o time da zona de rebaixamento. O treinador não conseguiu, obtendo um aproveitamento de 44,44%, com uma vitória, um empate e uma derrota.[15]

Paraná[editar | editar código-fonte]

Em julho de 2017, o Paraná anunciou a contratação de Lisca com a promessa de quebrar a sequência de 10 anos do clube na Série B e conquistar o acesso a Série A.[16][17] No dia 2 de setembro, por divergências com a diretoria e comissão técnica, Lisca foi demitido antes da semifinal da Primeira Liga contra o Atlético Mineiro. Lisca assumiu o time em julho, com uma crise dentro da Série B e esteve à frente por sete jogos - quatro vitórias, dois empates e uma derrota - que levantaram o time na tabela de classificação. Também comandou o time no empate em 1 a 1 com o Flamengo, pela Primeira Liga.[18]

Guarani[editar | editar código-fonte]

Foi anunciado como novo técnico do Guarani em 8 de outubro de 2017.[19] Após garantir a permanência na Série B, não entrou em acordo para a renovação de contrato para 2018 e se desligou do clube.[20]

Criciúma[editar | editar código-fonte]

No dia 10 de dezembro de 2017, Lisca assumiu o Criciúma visando a formulação da equipe para a temporada 2018.[21] Em janeiro estreou no Campeonato Catarinense com uma derrota por 1 a 0 para o Figueirense no Estádio Orlando Scarpelli. Pouco mais de um mês a frente do Tigre de Santa Catarina, Lisca foi demitido no dia 20 de janeiro de 2018. Após quatro jogos, conseguiu uma vitória, um empate e duas derrotas, obtendo um aproveitamento de pouco mais de 33%.[22]

Retorno ao Ceará[editar | editar código-fonte]

Após a demissão de Jorginho, que estava em uma de suas piores campanhas na Série A, foi contratado pelo Ceará em junho de 2018.[23] Em poucos jogos ele retirou o Vozão da lanterna, fazendo uma verdadeira campanha de G7 no pós-copa. Após o Vovô empatar com o Athletico Paranaense, em 2 a 2, e a combinação de outros resultados (o último deles o empate em 0 a 0 entre São Paulo e Sport), o time comandado por Lisca garantiu a permanência do Ceará na Serie A com uma rodada de antecedência.[24]

Foi demitido no dia 21 de abril de 2019, após perder o título estadual para o rival Fortaleza.[25]

América Mineiro[editar | editar código-fonte]

Em 30 de janeiro de 2020, foi anunciado pelo América Mineiro até o fim da temporada.[26] No time, a expectativa era de que o treinador tivesse um bom desempenho no Campeonato Mineiro, chegando a primeira divisão do Brasileirão. Pelo América, Lisca conquistou pela primeira vez na história do clube uma vaga nas quartas de final da Copa do Brasil, derrotando o Corinthians.[27] Dias depois, foi além, ao vencer o Internacional nas quartas e se garantir para as semifinais.[28]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Atualizadas até 5 de março de 2020.

Clube Jogos Vitórias Empates Derrotas Aproveitamento
Náutico 61 25 15 21 49.18%
Juventude 57 29 15 13 59.65%
Sampaio Corrêa 18 5 10 3 46,2%
Luverdense 0 0 0 0 0%
Joinville 12 3 4 5 36,1%
Internacional 3 1 1 1 44,4%
Paraná 8 4 3 1 62.5%
Guarani 10 2 4 4 33,3%
Criciúma 4 1 1 2 33,3%
Ceará 83 38 27 18 56.63%
América Mineiro 58 31 18 9 53,45%

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Ceará
Juventude
Luverdense
Porto Alegre

Categorias de base[editar | editar código-fonte]

Internacional
  • Campeonato Gaúcho de Futebol de Juniores: 2002
  • Campeonato Gaúcho de Futebol Juvenil: 1997, 1998 e 1999
  • Campeonato Brasileiro Juvenil: 1998
São Paulo
  • Campeonato Paulista de Futebol Infantil: 1995

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

  • Melhor Técnico do ano no futebol cearense: 2018[29]

Referências

  1. «'Lisca Doido', técnico do Internacional de Porto Alegre é personagem e destaque». Consultado em 15 de julho de 2015 
  2. «'Lisca Doido', técnico do Náutico é personagem e destaque». Terra. 15 de julho de 2015. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  3. Laura Rezende e Rodrigo Fonseca (10 de novembro de 2020). «Origem e formação colorada: Lisca reencontra parte de sua história em duelo do América-MG». GloboEsporte.com. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  4. Guilherme Frossard (28 de janeiro de 2021). «Muito Lisca, pouco Doido». GloboEsporte.com 
  5. Futebol Interior (13 de março de 2012). «Gaúcho: Novo Hamburgo não perde tempo e fecha Lisca». Consultado em 30 de julho de 2012 
  6. Grande Área - Futebol Interior. «Série D: Juventude define ex-Caxias e Luverdense como novo treinador». Consultado em 30 de julho de 2012 [ligação inativa]
  7. «Lisca pede demissão, revela a taxista, e informação cai nas redes sociais». GloboEsporte.com. 7 de maio de 2014. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  8. Arruda, Gustavo (22 de julho de 2014). «Lisca é anunciado como novo técnico do Sampaio Corrêa». imirante.com. Consultado em 23 de julho de 2014. Arquivado do original em 8 de agosto de 2014 
  9. Bruno Alves (20 de outubro de 2014). «Lisca é demitido e Vinícius Saldanha assume o Sampaio até o fim de 2014». GloboEsporte.com. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  10. Alexandre Wolkoff (7 de março de 2015). «Ele está de volta». Site oficial do Náutico. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  11. Juscelino Filho e Thaís Jorge (1 de outubro de 2015). «Lisca vê sufoco do Ceará reversível: "Se não fosse, eu nem tinha vindo", diz». GloboEsporte.com. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  12. «Sequência ruim e empate em Clássico derrubam Lisca do comando do Ceará». GloboEsporte.com. 28 de março de 2016. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  13. «JEC acerta com Lisca, que comanda a equipe a partir da próxima semana». Consultado em 30 de junho de 2016 
  14. «Após derrota para o Vasco da Gama, Lisca deixa o comando do Joinville». GloboEsporte.com. 16 de setembro de 2016. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  15. «De saída, Lisca pede "análise interna" após primeiro rebaixamento do Inter». Consultado em 11 de dezembro de 2016 
  16. «Paraná confirma Lisca como técnico após goleada sobre o Brasil de Pelotas». Consultado em 18 de julho de 2017 
  17. «Lisca Doido é Paraná: técnico é apresentado, elogia antecessores e explica apelido». Consultado em 19 de julho de 2017 
  18. «Paraná demite técnico Lisca antes de jogo decisivo da Primeira Liga». GloboEsporte.com. 2 de setembro de 2017. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  19. «Lisca é anunciado como novo técnico do Guarani». Consultado em 8 de outubro de 2017 
  20. Murilo Borges (29 de novembro de 2017). «Guarani encerra negociação com Lisca e pretende anunciar técnico até quinta». GloboEsporte.com. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  21. «Lisca é o novo técnico do Criciúma». GloboEsporte.com. 10 de dezembro de 2017. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  22. «Quatro jogos depois... Início ruim pesa, e Lisca deixa o comando do Criciúma». GloboEsporte.com. 29 de janeiro de 2018. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  23. «Lanterna do Brasileirão, Ceará anuncia o retorno do técnico Lisca». UOL. 4 de junho de 2018. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  24. André Almeida (26 de novembro de 2018). «Ceará: novo 'milagre' faz Lisca entrar para a história do Alvinegro e alçar outro patamar como treinador». Futebol do Povo. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  25. Thaís Jorge (21 de abril de 2019). «Lisca é demitido do Ceará após perder título estadual para o Fortaleza». GloboEsporte.com. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  26. «América-MG anuncia a contratação de Lisca "Doido", que assina até o fim deste ano». GloboEsporte.com. 30 de janeiro de 2020. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  27. Rodolpho Bohrer (30 de janeiro de 2020). «América oficializa Lisca Doido como novo técnico para 2020». Mais Minas. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  28. Guilherme Macedo (19 de novembro de 2020). «Lisca comemora vaga do América-MG nos braços da torcida, e jogadores provocam Inter; assista». GloboEsporte.com. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  29. «Lisca ganha o Troféu Flávio Ponte 2018». O Estado CE. 7 de dezembro de 2018. Consultado em 22 de janeiro de 2021 

Precedido por
Marcelo Martelotte
Moacir Júnior
Treinador do Náutico
2014
2015
Sucedido por
Sidney Moraes
Gilmar Dal Pozzo
Precedido por
Marcelo Cabo
Jorginho
Treinador do Ceará
2015–2016
2018–2019
Sucedido por
Sérgio Soares
Enderson Moreira
Precedido por
Hemerson Maria
Treinador do Joinville
2016
Sucedido por
Ramon Menezes
Precedido por
Celso Roth
Treinador do Internacional
2016
Sucedido por
Antônio Carlos Zago
Precedido por
Cristian de Souza
Treinador do Paraná
2017
Sucedido por
Matheus Costa
Precedido por
Marcelo Cabo
Treinador do Guarani
2017
Sucedido por
Fernando Diniz
Precedido por
Grizzo (interino)
Treinador do Criciúma
2018
Sucedido por
Grizzo (interino)
Precedido por
Felipe Conceição
Treinador do América Mineiro
2020–
Sucedido por