Urbano Caldeira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Urbano Caldeira
Urbano Caldeira.PNG
Informações pessoais
Nome completo Urbano Vilella Caldeira Filho
Data de nasc. 6 de setembro de 1890
Local de nasc. Desterro (SC),  Brasil
Nacionalidade brasileiro
Falecido em 13 de março de 1933
Local da morte São Vicente (SP),  Brasil
Informações profissionais
Posição zagueiro e centroavante
Clubes profissionais
Anos Clubes
1913-1918 Santos

Urbano Vilella Caldeira Filho[1][2], conhecido apenas por Urbano Caldeira (Desterro (atual Florianópolis), 6 de setembro de 1890[2][3][4]São Vicente[5], 13 de março de 1933[2][6]) foi um futebolista e treinador brasileiro.

É considerado o primeiro patrono do Santos Futebol Clube e seu nome é dado ao estádio do clube praiano.[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era filho de Urbano Villela Caldeira e Celina Faria Caldeira.[2][4] Aos 21 anos, Urbano foi aprovado em um concurso público e se mudou para São Paulo[4], onde defendeu algumas equipes de futebol, como Vila Buarque e Germânia (atual Pinheiros).[2][4] Em janeiro de 1913, foi transferido de São Paulo para trabalhar como escriturário da Alfândega na Baixada Santista.[3][7] Logo associou-se ao Santos[3], em 27 de janeiro de 1913.[2][4][8]

Logo no ano de 1913 tornou-se jogador e assim foi até o ano de 1918, atuando na maioria das vezes como zagueiro, fazendo exatos 41 jogos e 2 gols[2][5] e tornando-se bicampeão santista em 1913 e 1915.[3] Sua última partida com a camisa Alvinegra foi na estreia de Friedenreich na equipe do Paulistano, no Jardim América, São Paulo, em 21 de abril de 1918.[8]

Posteriormente tornou-se técnico e decidiu se dedicar a administração do clube, primeiro com o cargo de primeiro secretário, em 1914[8], chegando ao cargo de Vice-presidente do Santos Futebol Clube[3], em 1917.[8] Caldeira chegou até a plantar árvores e cuidar dos jardins das dependências do Peixe. Cuidava da Vila Belmiro como se fosse a sua casa, tinha tanto amor que muitas vezes foi visto aparando o gramado do estádio. Tamanha dedicação não passou imune às mentes dos cartolas, que quatro dias após o falecimento de Urbano, concederam seu nome ao estádio, em 24 de março de 1933.[3][4][5] O busto em homenagem a Urbano Caldeira foi inaugurado em 9 de janeiro de 1938, no andar térreo da Vila Belmiro, hoje uma das áreas administrativas do Clube.[2] Atualmente ele está exposto acima do setor das sociais.[9]

Ele era um sujeito alto, forte, que pisava firme por onde passava. Altivo, fazia da bengala e do chapéu de palheta seus parceiros inseparáveis no dia a dia. Tinha preferência pela cor branca, usava ternos de linho e sapatos dessa cor. Solteiro[4] e boêmio convicto[5], era um amante da noite e, principalmente, das serestas ao luar no Largo do Rosário[8], local em que passava o tempo tocando violão com os amigos.[2]

Faleceu no dia 13 de março de 1933, vítima de pneumonia[3], um dia depois do primeiro jogo do Santos no profissionalismo do futebol no Brasil.[2][8][7] O carro fúnebre levando seu corpo foi acompanhado por mais de 200 automóveis até o Cemitério do Paquetá, em Santos.[2][6][8]

Em 1938, o Santos instituiu que o dia 9 de janeiro (quando nasceu Urbano) passaria a ser o "Dia de Urbano Caldeira".[2][7][10]

Na Baixada Santista, no bairro Tude Bastos de Praia Grande, há uma rua com seu nome.[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Há 100 anos, Urbano Caldeira chegava ao Santos FC
  2. a b c d e f g h i j k l m «Há 130 anos nascia o anjo da guarda Urbano Caldeira». Santos Futebol Clube. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  3. a b c d e f g «Urbano Caldeira, patrono da Vila Belmiro». Santos Futebol Clube. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  4. a b c d e f g h «Urbano Caldeira, o patrono da Vila». Santos Futebol Clube. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  5. a b c d «Memória: Nascia o lendário Urbano Caldeira». Santos Futebol Clube. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  6. a b «A morte de Urbano Caldeira». Santos Futebol Clube. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  7. a b c «Urbano Caldeira - Que fim levou?». Terceiro Tempo. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  8. a b c d e f g «O início do profissionalismo e a morte de Urbano Caldeira». Santos Futebol Clube. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  9. «Urbano Caldeira, o nosso patrono!». Santos Futebol Clube. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  10. «Dia Urbano Caldeira». Santos Futebol Clube. Consultado em 17 de fevereiro de 2022