Pneumonia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pneumonia
Radiografia de tórax de pneumonia causada por gripe e Haemophilus influenzae. A seta indica consolidação.
Sinónimos Pneumonite, broncopneumonia[1]
Especialidade Pneumologia, infectologia
Sintomas Tosse, dificuldade em respirar, respiração acelerada, febre[2]
Duração Algumas semanas[3]
Causas Bactérias, vírus, aspiração[4][5]
Fatores de risco Fibrose cística, DPOC, asma, diabetes, insuficiência cardíaca, antecedentes de tabagismo[6]
Método de diagnóstico Baseado nos sintomas, radiografia torácica[7]
Condições semelhantes DPOC, asma, edema pulmonar, embolia pulmonar[8]
Prevenção Vacinas, lavar as mãos, não fumar[9]
Medicação Antibióticos, antivirais, oxigenoterapia[10][11]
Frequência 450 milhões (7%) por ano[11][12]
Mortes 4 milhões por ano[11][12]
Classificação e recursos externos
CID-10 J12, J13, J14, J15, J16, J17, J18, P23
CID-9 480-486, 770.0
DiseasesDB 10166
MedlinePlus 000145
eMedicine lista de tópicos
MeSH D011014, D011014
A Wikipédia não é um consultório médico. Leia o aviso médico 

Pneumonia é uma inflamação dos pulmões que afeta sobretudo os pequenos sacos aéreos denominados alvéolos pulmonares.[4][13] Os sintomas mais comuns são tosse seca ou produtiva, dor no peito, febre e dificuldade em respirar, com dor aguda durante inspirações profundas.[2] A gravidade dos sintomas é variável.[2] A pneumonia pode ser classificada em hospitalar ou comunitária, em função do local onde foi adquirida.[14]

A pneumonia geralmente tem origem numa infeção do trato respiratório superior que se desloca para o trato inferior.[15] A causa é geralmente uma infeção com vírus ou bactérias. Entre outras possíveis causas, menos comuns, estão fungos e parasitas, e causas não infecciosas como alguns medicamentos e doenças autoimunes.[4][5] Entre os fatores de risco estão outras doenças pulmonares como a fibrose cística, doença pulmonar obstrutiva crónica e asma, diabetes, insuficiência cardíaca, antecedentes de tabagismo, sistema imunitário debilitado ou comprometimento da capacidade de tossir, como acontece na sequência de um acidente vascular cerebral.[6] O diagnóstico é suspeito com base nos sintomas e num exame físico,[7] podendo ser confirmado por radiografia torácica, análises ao sangue ou cultura microbiológica do muco.[7]

Estão disponíveis vacinas para prevenir alguns tipos de pneumonia, como a vacina contra pneumococo.[9] Entre outros métodos de prevenção estão lavar as mãos com frequência e não fumar.[9] O tratamento depende da causa subjacente.[16] A pneumonia bacteriana é tratada com antibióticos.[10] Na maior parte dos casos, antibióticos por via oral, repouso, analgésicos simples e ingestão de líquidos são geralmente suficientes para a resolução completa da doença.[17] No entanto, os casos graves de pneumonia geralmente requerem hospitalização.[16] Quando os níveis de oxigénio são baixos pode ser necessária oxigenoterapia.[10]

A pneumonia afeta todos os anos 450 milhões de pessoas em todo o mundo (7% da população) e é a causa de 4 milhões de mortes anuais.[11][12] No início do século XX a pneumonia era uma das principais causas de morte e invalidez, com taxas de mortalidade próximas dos 30%.[18] Com a introdução de antibióticos e vacinas, a mortalidade em países desenvolvidos diminuiu acentuadamente.[11] No entanto, em países em vias de desenvolvimento e entre pessoas de idade avançada, recém-nascidos e em doentes crónicos, a pneumonia continua a ser uma das principais causas de morte.[11][19]

Classificação[editar | editar código-fonte]

Pneumonite refere-se à inflamação pulmonar, geralmente devido à infecção que tem a característica adicional de consolidação pulmonar.[20] Pneumonia pode ser classificada de várias maneiras. É mais comumente classificada por onde ou como ela foi adquirida (adquirida na comunidade, aspiração, associada com cuidados de saúde, hospital e por ventilação),[21] mas também pode ser classificada pela área do pulmão afetada (pneumonia lobar, broncopneumonia e pneumonia intersticial aguda) ou pelo agente etiológico (organismo causador).[22] Pneumonia em crianças pode ainda ser classificada com base em sinais e sintomas como não-graves, graves ou muito graves. Pneumonias em adultos são classificadas em risco de mortalidade pela CURB-65.[23]

Sinais e Sintomas[editar | editar código-fonte]

Sintomas frequentes em pneumonias[24]
Sintoma Frequência
Tosse
79–91%
Astenia
90%
Febre
71–75%
Dispneia
67–75%
Expectoração
60–65%
Dor no tórax
39–49%
Principais sintomas da pneumonia

Os sintomas mais comuns da pneumonia são febre de 39°C a 40°C,[25] suor frio, calafrios, respiração rápida e curta, tosse seca ou produtiva (catarro amarelo ou esverdeado), dores no peito ou no tórax,[26] além de dispnéia (dificuldade para respirar),[27] diarreias, vômitos, náuseas e fadiga.[25] Febre, no entanto, não é muito específica, já que ocorre em muitas outras doenças comuns, e podem estar ausentes em pacientes com doença grave ou desnutrição, já que a febre é uma resposta do próprio sistema imunológico para combater o agente patológico, desde que o mesmo esteja em boas condições. Além disso, a tosse é frequentemente ausente em crianças com menos de 2 meses de idade.[28] Sintomas mais graves podem incluir: cianose central, diminuição de sede, convulsões, vômitos persistentes e diminuição do nível de consciência.[28]

Algumas causas de pneumonia estão associados com clássicas (ou por causa dos fungos)- mas não específicas - características clínicas. Pneumonia causada pela Legionella pode ocorrer com dor abdominal, diarreia ou confusão,[29] enquanto a pneumonia causada por Streptococcus pneumoniae está associada com expectoração com cor enferrujada,[30] e a pneumonia causada por Klebsiella pode ter expectoração com hemoptóicos (sangue), muitas vezes descrita como "geleia de groselha".[24]

Fatores de risco[editar | editar código-fonte]

As pessoas que têm mais tendência de contrair pneumonia são idosos com mais de 65 anos, bebês, crianças pequenas, pessoas que tem outros problemas de saúde, como diabetes, doença hepática crônica, estado mental alterado, desnutrição, alcoolismo,[31] pessoas que tem o sistema imunológico frágil por causa da AIDS, transplante de órgãos ou quimioterapia. Também correm risco de pegar pneumonia pessoas com doenças pulmonares, como asma, enfisema, fibrose cística e também pessoas que têm dificuldade de tossir, sofreram derrames, fizeram ou fazem uso de sedativos e pessoas com mobilidade limitada.[32]

Tratamento[editar | editar código-fonte]

A pneumonia bacteriana é tratada por antibióticos e necessita uma avaliação do estado do paciente para uma melhor abordagem. Utiliza-se a escala do CURB-65 em que cada quesito caracteriza um ponto.

C= confusão mental de início recente.

U= uréia > que 7 mmol/l (Blood Urea Nitrogen > 19)

R= frequência respiratória maior que 30 irpm

B= pressão sistólica <90 ou diastólica < 60 mmHg

65= igual ou maior que 65 anos de idade.

Total: Risco de morte, como esses abaixo

0—0.6% 1—3.2%

2—13.0% 3—17.0%

4—41.5% 5—57.0%  

No tratamento, o médico avaliará o antimicrobiano de escolha - de acordo com a gravidade do paciente -, possível agente etiológico e a via de administração (oral, parenteral, etc.). Além das medicações, como forma de auxiliar no tratamento também pode ser utilizada a fisioterapia respiratória. Os fisioterapeutas podem utilizar vibradores no tórax, exercícios respiratórios e tapotagem, que é a percussão do tórax com os punhos, para retirar as secreções que estão dentro dos pulmões e fazendo com que o paciente possa ser curado mais rapidamente.

Em caso de pneumonias virais, o tratamento é sintomático. O paciente deve ser hidratado e, caso necessário, receber oxigênio, AINEs e antipiréticos. Em casos de pneumonias causadas por fungos, antimicrobianos específicos são utilizados.[33]

Prevenção[editar | editar código-fonte]

A prevenção inclui vacinação, medidas ambientais, e o tratamento de outras doenças de forma adequada.[28]

Vacinação[editar | editar código-fonte]

Vacinação é eficaz para prevenir certos tipos de pneumonias bacterianas e virais em crianças e adultos.

Vacinas contra a gripe são modestamente eficazes contra influenza A e B.[11][34] O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) recomenda que todos que tem seis meses de idade ou mais se vacinarem anualmente.[35] Quando um surto de gripe está ocorrendo, medicamentos, tais como amantadina, rimantadina, zanamivir, e oseltamivir pode ajudar a prevenir a gripe.[36][37]

Vacinações contra a Haemophilus influenzae e Streptococcus pneumoniae têm boas evidências para apoio do seu uso. Vacinação de crianças contra a Streptococcus pneumoniae também leva a uma diminuição da incidência destas infecções em adultos, pois muitos adultos adquirem infecções das crianças. A vacina contra a Streptococcus pneumoniae também está disponível para adultos, e diminui o risco de doença invasiva pneumocócica.[38] Em 2015, foi colocada no PNV a vacina Pn13, conhecida como Prevnar, uma vacina conjugada contra infeções por Streptococcus pneumoniae de 13 serotipos.[39] Esta vacina conjugada é composta pelo poliósido dos serotipos 1,3,4,5,6A,6B,7F,9V,14,18C,19A,19F e 23F conjugados com a proteína CRM157, a toxina da difteria inativada[40]

Meio ambiente[editar | editar código-fonte]

Redução da poluição do ar em lugares fechados é recomendada[28] tal como parar de fumar.[17]

Outros[editar | editar código-fonte]

Adequadamente o tratamento de doenças subjacentes (como AIDS) pode diminuir o risco de ter pneumonia.

Existem várias maneiras de prevenir pneumonia em recém-nascidos. Testes para mulheres grávidas encontrarem Streptococcus do grupo B e Chlamydia trachomatis, e dando o tratamento com antibióticos, se necessário, reduz a pneumonia em crianças. Aspiração da boca e da garganta de recém-nascidos com líquido amniótico diminui a taxa de pneumonia por aspiração.

Epidemiologia[editar | editar código-fonte]

Número de mortes a cada 100.000 habitantes, em 2004.[41]
  sem dados
  <100
  100-700
  700-1400
  1400-2100
  2100-2800
  2800-3500
  3500-4200
  4200-4900
  4900-5600
  5600-6300
  6300-7000
  >7000

A pneumonia é uma doença comum que afeta aproximadamente 450 milhões de pessoas por ano e ocorre em todas as partes do mundo.[11] É uma das principais causas de morte entre todas as faixas etárias, resultando em 4 milhões de mortes (7% do total anual do mundo).[11][42] A faixa etária de maior incidência da doença é até os 5 anos, enquanto que a de menor incidência é entre os 15 e os 25 anos.[11] Ocorre cerca de cinco vezes mais frequentemente em países em desenvolvimento em relação aos países desenvolvidos, devido às condições de nutrição e higiene.[11] A pneumonia viral atinge cerca de 200 milhões de pessoas.[11]

Crianças[editar | editar código-fonte]

Em 2008, pneumonia ocorreu em, aproximadamente, 156 milhões de crianças (151 milhões nos países em desenvolvimento e 5 milhões nos países desenvolvidos).[11] Isso resultou em 1,6 milhões de mortes, ou 28-34% de todas as mortes em menores de cinco anos de idade, dos quais 95% ocorreram nos países em desenvolvimento.[28][11] Países com o maior fardo da doença incluem: Índia (43 milhões), China (21 milhões) e Paquistão (10 milhões).[43] É a principal causa de morte entre crianças em países de baixa renda.[11][42] Muitas dessas mortes ocorrem no período neonatal. A Organização Mundial da Saúde estima que uma em cada três mortes de bebês recém-nascidos são devidas à pneumonia.[44] Cerca de metade destas mortes são evitáveis​​, teoricamente, já que elas são causadas ​​pelas bactérias para as quais existe uma vacina eficaz disponível.[45]

Sociedade e cultura[editar | editar código-fonte]

Devido ao grande número de pessoas infectadas nos países em desenvolvimento, a comunidade global de saúde declarou que o 12 de novembro é o Dia Mundial da Pneumonia, um dia dedicado ao combate à doença.[46]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Other Names for Pneumonia». NHLBI. 1 de março de 2011. Consultado em 2 de março de 2016. Arquivado do original em 6 de fevereiro de 2016 
  2. a b c Ashby B, Turkington C (2007). The encyclopedia of infectious diseases 3rd ed. New York: Facts on File. p. 242. ISBN 978-0-8160-6397-0. Consultado em 21 de abril de 2011 
  3. Behera, D. (2010). Textbook of pulmonary medicine 2nd ed. New Delhi: Jaypee Brothers Medical Pub. pp. 296–297. ISBN 9788184487497 
  4. a b c McLuckie, A., ed. (2009). Respiratory disease and its management. New York: Springer. p. 51. ISBN 978-1-84882-094-4 
  5. a b Jeffrey C. Pommerville (2010). Alcamo's Fundamentals of Microbiology 9th ed. Sudbury MA: Jones & Bartlett. p. 323. ISBN 0-7637-6258-X 
  6. a b «Who Is at Risk for Pneumonia?». NHLBI. 1 de março de 2011. Consultado em 3 de março de 2016. Cópia arquivada em 7 de março de 2016 
  7. a b c «How Is Pneumonia Diagnosed?». NHLBI. 1 de março de 2011. Consultado em 3 de março de 2016. Cópia arquivada em 7 de março de 2016 
  8. Hoare Z, Lim WS (maio de 2006). «Pneumonia: update on diagnosis and management» (PDF). BMJ. 332 (7549): 1077–9. PMC 1458569Acessível livremente. PMID 16675815. doi:10.1136/bmj.332.7549.1077 
  9. a b c «How Can Pneumonia Be Prevented?». NHLBI. 1 de março de 2011. Consultado em 3 de março de 2016. Cópia arquivada em 7 de março de 2016 
  10. a b c «How Is Pneumonia Treated?». NHLBI. 1 de março de 2011. Consultado em 3 de março de 2016. Cópia arquivada em 6 de março de 2016 
  11. a b c d e f g h i j k l m n o Ruuskanen O, Lahti E, Jennings LC, Murdoch DR (abril de 2011). «Viral pneumonia». Lancet. 377 (9773): 1264–75. PMID 21435708. doi:10.1016/S0140-6736(10)61459-6 
  12. a b c Lodha R, Kabra SK, Pandey RM (junho de 2013). «Antibiotics for community-acquired pneumonia in children». The Cochrane Database of Systematic Reviews. 6 (6): CD004874. PMID 23733365. doi:10.1002/14651858.CD004874.pub4 
  13. Leach, Richard E. (2009). Acute and Critical Care Medicine at a Glance 2nd ed. [S.l.]: Wiley-Blackwell. ISBN 978-1-4051-6139-8 
  14. «Types of Pneumonia». NHLBI. 1 de março de 2011. Consultado em 2 de março de 2016. Arquivado do original em 5 de fevereiro de 2016 
  15. Ranganathan SC, Sonnappa S (fevereiro de 2009). «Pneumonia and other respiratory infections». Pediatric Clinics of North America. 56 (1): 135–56, xi. PMID 19135585. doi:10.1016/j.pcl.2008.10.005 
  16. a b «What Is Pneumonia?». NHLBI. 1 de março de 2011. Consultado em 2 de março de 2016. Cópia arquivada em 29 de fevereiro de 2016 
  17. a b Lim, WS; Baudouin, SV, George, RC, Hill, AT, Jamieson, C, Le Jeune, I, Macfarlane, JT, Read, RC, Roberts, HJ, Levy, ML, Wani, M, Woodhead, MA, Pneumonia Guidelines Committee of the BTS Standards of Care, Committee (2009 Oct). «BTS guidelines for the management of community acquired pneumonia in adults: update 2009». Thorax. 64 Suppl 3: iii1–55. PMID 19783532. doi:10.1136/thx.2009.121434  Verifique data em: |data= (ajuda)
  18. Osler, William (1901). Principles and Practice of Medicine, 4th Edition. New York: D. Appleton and Company. 108 páginas. Arquivado do original em 8 de julho de 2007 
  19. George, Ronald B. (2005). Chest medicine : essentials of pulmonary and critical care medicine 5th ed. Philadelphia, PA: Lippincott Williams & Wilkins. 353 páginas. ISBN 9780781752732 
  20. Stedman (2006). Medical dictionary [Dicionário médico] (em inglês) 28th ed. Philadelphia, PA: Lippincott Williams & Wilkins. ISBN 978-0-78176450-6 
  21. Sharma, S; Maycher, B; Eschun, G (2007 May). «Radiological imaging in pneumonia: recent innovations» [Imagem radiológica em pneumonia: inovações recentes]. Current opinion in pulmonary medicine (em inglês). 13 (3): 159–69. PMID 17414122. doi:10.1097/MCP.0b013e3280f3bff4  Verifique data em: |data= (ajuda)
  22. Dunn, L (1987). «Pneumonia: classification, diagnosis and nursing management» [Pneumonia: classificação, diagnóstico e gestão de cuidados]. Great Britain: Royal College of Nursing. Nursing standard (em inglês). 19 (42): 50–4. PMID 16013205  Verifique data em: |acessodata= (ajuda);
  23. Pocket book of hospital care for children : guidelines for the management of common illnesses with limited resources [Livro de bolso de cuidado hospitalar de crianças: guia para a gestão de doenças comuns com recursos limitados]. Geneva: World Health Organization. 2005. p. 72. ISBN 978-924154670-6 
  24. a b Tintinalli, Judith E. (2010). Emergency Medicine: A Comprehensive Study Guide [Medicina emergencial: um guia de estudos completo]. Col: Tintinalli (em inglês). New York: McGraw-Hill. p. 480. ISBN 0-07-148480-9 
  25. a b «Sintomas de pneumonia». Cria Saúde. Consultado em 8 de janeiro de 2012 
  26. «Sintomas da pneumonia». Banco de Saúde. Consultado em 8 de janeiro de 2012 
  27. «O que é pneumonia?». Boa Saúde. Consultado em 8 de janeiro de 2012 
  28. a b c d e Singh, V; Aneja, S (2011 Mar). «Pneumonia – management in the developing world» [Pneumonia – gestão no mundo em desenvolvimento]. Paediatric respiratory reviews (em inglês). 12 (1): 52–9. PMID 21172676. doi:10.1016/j.prrv.2010.09.011  Verifique data em: |data= (ajuda)
  29. Darby, J; Buising, K (2008 Oct). «Could it be Legionella?» [Poderia ser Legionella?]. Australian family physician (em inglês). 37 (10): 812–5. PMID 19002299  Verifique data em: |data= (ajuda)
  30. Ortqvist, A; Hedlund, J; Kalin, M (2005 Dec). «Streptococcus pneumoniae: epidemiology, risk factors, and clinical features» [Pneumonia por streptococo: epidemiologia, fatores de risco e características clínicas]. Seminars in respiratory and critical care medicine (em inglês). 26 (6): 563–74. PMID 16388428  Verifique data em: |data= (ajuda)
  31. «Pneumonia nos idosos – Fatores de risco». Medicina Geriátrica. Consultado em 9 de janeiro de 2012 
  32. «Grupos de risco de pneumonia». Cria Saúde. Consultado em 9 de janeiro de 2012 
  33. «Pneumonia». ABC da Saúde. Consultado em 9 de janeiro de 2012 
  34. Jefferson, T; Di Pietrantonj, C; Rivetti, A; Bawazeer, GA; Al-Ansary, LA; Ferroni, E (2010 Jul 7). Jefferson, Tom, ed. «Vaccines for preventing influenza in healthy adults» [Vacinas para prevenir gripe em adultos saudáveis] online ed. Cochrane database of systematic reviews (em inglês) (7): CD001269. PMID 20614424. doi:10.1002/14651858.CD001269.pub4  Verifique data em: |data= (ajuda)
  35. «Seasonal Influenza (Flu)» [Gripe sazonal] (em inglês). Center for Disease Control and Prevention. Consultado em 29 de junho de 2011 
  36. Jefferson, T; Deeks, JJ; Demicheli, V; Rivetti, D; Rudin, M (2004). Jefferson, Tom, ed. «Amantadine and rimantadine for preventing and treating influenza A in adults» [Amantadine e rimantadine para prevenir e tratar gripe A em adultos]. Cochrane Database Syst Rev (em inglês) (3): CD001169. PMID 15266442. doi:10.1002/14651858.CD001169.pub2 
  37. Hayden, FG; Atmar, RL; Schilling, M (1999). «Use of the selective oral neuraminidase inhibitor oseltamivir to prevent influenza» [Uso do inibidor seletivo oral neuraminidase oseltamivir para prevenir gripe] (PDF). N. Engl. J. Med. (em inglês). 341 (18): 1336–43. PMID 10536125. doi:10.1056/NEJM199910283411802 
  38. Moberley, SA; Holden, J; Tatham, DP; Andrews, RM (2008 Jan 23). Andrews, Ross M, ed. «Vaccines for preventing pneumococcal infection in adults» [Vacinas para preveninr infecções pneumocóccicas em adultos] online ed. Cochrane database of systematic reviews (em inglês) (1): CD000422. PMID 18253977. doi:10.1002/14651858.CD000422.pub2  Verifique data em: |data= (ajuda)
  39. «Programa Nacional de Vacinação». www.dgs.pt. Consultado em 17 de julho de 2017 
  40. «PREVENAR 13 - MesVaccins.net». www.mesvaccins.net. Consultado em 17 de julho de 2017 
  41. «Disease and injury country estimates» [Estimativas de doenças e ferimentos por país] (em inglês). World Health Organization (WHO). 2004. Consultado em 11 de novembro de 2009 
  42. a b Kabra, SK; Lodha, R; Pandey, RM (2010). Kabra, Sushil K, ed. «Antibiotics for community-acquired pneumonia in children» [Antibióticos para pneumonia infantil adquirida comunitariamente]. Cochrane Database Syst Rev (em inglês). 3 (3): CD004874. PMID 20238334. doi:10.1002/14651858.CD004874.pub3 
  43. Rudan, I; Boschi-Pinto, C; Biloglav, Z; Mulholland, K; Campbell, H (2008 May). «Epidemiology and etiology of childhood pneumonia» [Epidemiologia e etiologia de pneumonia infantil]. Bulletin of the World Health Organization (em inglês). 86 (5): 408–16. PMC 2647437Acessível livremente. PMID 18545744. doi:10.2471/BLT.07.048769  Verifique data em: |data= (ajuda)
  44. Garenne, M; Ronsmans, C; Campbell, H (1992). «The magnitude of mortality from acute respiratory infections in children under 5 years in developing countries» [A magnitude da mortalidade por infecções agudas respiratórias em crianças abaixo de cinco anos em países em desenvolvimento]. World Health Stat Q (em inglês). 45 (2–3): 180–91. PMID 1462653 
  45. «Pneumococcal vaccines» [Vacinas pneumocóccicas]. OMS. Wkly. Epidemiol. Rec. (position paper) (em inglês). 74 (23): 177–83. 1999. PMID 10437429 
  46. «World Pneumonia Day» [Dia mundial da pneumonia] (official Website) (em inglês). Fiinex. Consultado em 13 de agosto de 2011 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Pneumonia