Pneumonia intersticial idiopática

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pneumonia intersticial idiopática
Figura A alvéolos pulmonares saudáveis.
Figura B Bronquíolos cobertos por fibrose [1]
Especialidade pneumologia
Classificação e recursos externos
CID-10 J84.112
CID-9 516.31
OMIM 178500
DiseasesDB 4815
MedlinePlus 000069
eMedicine radio/873
MeSH D011658
A Wikipédia não é um consultório médico. Leia o aviso médico 

Pneumonia intersticial idiopática é uma doença pulmonar crônica caracterizada por um declínio progressivo na função pulmonar por causa desconhecida (idiopática). O dano causado aos alvéolos pulmonares resulta em fibrose (cicatrização) no espaço intersticial. As cicatrizes cada vez mais grandes dificultam a troca de gases causando dispneia (dificuldade em respirar) e apenas 30% sobrevivem mais de 5 anos após o diagnóstico.

Causas[editar | editar código-fonte]

Fatores de risco que podem induzir pneumonia intersticial incluem[2][3]:

  • Maiores de 50 anos;
  • Tabagismo (dobra o risco);
  • Respirar resíduos metálico no trabalho ou em casa;
  • Respirar pó orgânico (esporos de fungos ou plantas, mofo, pó de madeira, cinzas...);
  • Poluição do ar urbana;
  • Refluxo de ácido gástrico;
  • Pneumonia viral.

Sinais e sintomas[editar | editar código-fonte]

Ponta dos dedos inchados é sinal de má oxigenação prolongada.

Possíveis sinais e sintomas de diversas doenças pulmonares crônicas incluem[2][4]:

  • Tosse seca persistente;
  • Ruído ao respirar (similar a separar velcro);
  • Cansaço frequente;
  • Ponta dos dedos inchados;
  • Dor muscular ou nas articulações;
  • Perda de peso;
  • Febre leve.

Tratamento[editar | editar código-fonte]

O tratamento não-farmacológico pode incluir[5]:

Tratamento farmacológico

Dentre os medicamentos que podem reduzir o avanço da doença e diminuir os sintomas estão[5]:

Referências

  1. «Idiopathic Pulmonary Fibrosis». www.nhlbi.nih.gov/. Consultado em 5 August 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  2. a b http://www.webmd.com/lung/what-is-idiopathic-pulmonary-fibrosis
  3. Olson AL, Swigris JJ (Mar 2012). "Idiopathic pulmonary fibrosis: diagnosis and epidemiology". Clinics in chest medicine 33 (1): 41–50. doi:10.1016/j.ccm.2011.12.001. PMID 22365244.
  4. Raghu G, Collard HR, Egan JJ, et al. (2011). "An official ATS/ERS/JRS/ALAT statement: Idiopathic pulmonary fibrosis: Evidence-based guidelines for diagnosis and management". Am. J Respir. Crit. Care Med. 183 (6): 788–824. doi:10.1164/rccm.2009-040GL. PMID 21471066.
  5. a b http://emedicine.medscape.com/article/301226-overview
  6. Demedts M, Behr J, Buhl R, Costabel U, Dekhuijzen R, Jansen HM, MacNee W, Thomeer M; et al. (2005). "High-dose acetylcysteine in idiopathic pulmonary fibrosis". N Engl J Med. 353 (21): 2229–2242. doi:10.1056/NEJMoa042976. PMID 16306520.