Estádio Urbano Caldeira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vila Belmiro
Estádio Urbano Caldeira
Sisbrace: Star full.svg Star full.svg Star full.svg Star empty.svg Star empty.svg[1]
Estádio Urbano Caldeira (Vila Belmiro) - vista interna.jpg
Vista interna do estádio.
Nomes
Nome Estádio Urbano Caldeira
Apelido Vila Belmiro
Vila Mais Famosa do Mundo
Alçapão
Caldeirão
Características
Local Rua Princesa Isabel, s/nº - Santos, SP, Brasil[2]
Gramado Grama natural (105 x 68 m)
Capacidade 16.068 [3]
Construção
Data 1916
Inauguração
Data 12 de outubro de 1916 (100 anos)
Partida inaugural Santos 2 x 1 Ypiranga
Primeiro gol Adolpho Millon Júnior (Santos)
Recordes
Público recorde 32.986
Data recorde 20 de setembro de 1964
Partida com mais público Santos 0 x 0 Corinthians
Outras informações
Remodelado 1997
Expandido 1997
Proprietário Santos FC
Administrador Santos FC
Mandante Santos FC

O Estádio Urbano Caldeira, mais conhecido como Vila Belmiro, é um estádio de futebol localizado no bairro da Vila Belmiro, em Santos. É o estádio particular do Santos Futebol Clube, tendo como capacidade atual de 16 068 pessoas, sendo considerado o maior estádio da Baixada Santista.

É um dos estádios de futebol mais antigos do Brasil, foi inaugurado em 12 de outubro de 1916, mas sua primeira partida oficial só foi realizada 10 dias depois, quando o Santos venceu o Ypiranga por 2 a 1 pelo Campeonato Paulista de 1916.

História[editar | editar código-fonte]

Inauguração do estádio em 22 de outubro de 1916.

Antes de ter seu campo, o Santos FC chegou a mandar seus jogos em três estádios diferentes: Campo da Avenida Ana Costa, Campo da Avenida Conselheiro Nébias e o Campo do Clubes dos Ingleses, como eles também eram usados por outros clubes da cidade, passou então a necessidade do Alvinegro ter seu próprio estádio.[4]

Foi então no dia 14 de julho de 1915, em mais uma das expressivas reuniões da diretoria do Santos, na época situada na sede do Largo do Rosário, que foi mencionada pela primeira vez a necessidade do clube em ter sua própria “Praça de Esportes”. O presidente Agnello Cicero de Oliveira expôs a grande necessidade do time santista ter um campo de futebol, com todas acomodações e instalações necessárias para uso dos atletas e apreciadores. E para tratar do assunto da construção de um campo de futebol, foi instituída uma comissão de diretores: Luiz Suplicy Filho, Harold Cross, Sebastião Arantes e Francisco Viriato Correa.[4]

Urbano Caldeira, o então primeiro secretário, foi o primeiro a apresentar um terreno a diretoria. Meses depois, foi a vez de Luiz Suplicy Filho apresentar a planta dos terrenos pertencentes a Companhia Santista de Habitações Econômicas, no bairro Campo Grande. Nenhum dos terrenos foi aprovado, e Urbano mais uma vez, mencionou outro bom terreno, no Campo Grande. Na época, próximo ao Campo Grande, existia a Vila Operária que anos mais tarde passaria a se chamar Vila Belmiro e teria seu “território” expandido. Devido ao tamanho entusiasmo de Urbano, a diretoria o nomeou para fazer parte da comissão, afim de auxiliar os trabalhos.[4]

No dia 31 de maio de 1916, em reunião extraordinária, enfim foi selado a compra do esperado terreno. Devido ao preço razoável e pela localização do terreno ter duas linhas de bonde próximas, foi aprovado o último terreno apresentado por Urbano Caldeira, pertencente a Companhia Santista de Habitações Econômicas, com as dimensões de cento e sessenta metros de comprimento por cento e quinze de largura, próximo ao Canal 2, pelo preço de dois mil reis o metro quadrado. Após quase um ano escolhendo um terreno adequado para a construção do tão esperado estádio, a Vila Belmiro ficou pronta por completa em apenas 4 meses, e gerou grande expectativa na cidade.[4]

Conhecida até então como “Campo do Santos” ou “Praça de Esportes”, a Vila foi inaugurada no dia 12 de outubro de 1916. No dia tão aguardado, uma forte chuva caiu sobre a cidade, fato que não abalou a expectativa dos moradores locais, porém preocupou para as condições de jogo. Estava programado para o grande dia, a realização da partida válida pelo Campeonato Paulista, diante do Ypiranga. Por precauções, o jogo foi cancelado, e realizado após 10 dias, no dia 22 de outubro. Mesmo sem a realização da partida, a festa santista não foi diminuída, foram realizados jogos diversos entre os sócios, inclusive programação para as crianças. Quando inaugurada, ainda não era conhecida ou chamada por Vila Belmiro, e ao passar dos anos, o nome do bairro que sempre a abrigou, virou também o apelido.[5]

No dia 22 de outubro de 1916, então foi realizada a primeira partida do estádio, contra o Ypiranga, válido pelo Campeonato Paulista. O Santos venceu o Ypiranga por 2 a 1, com gols de Adolpho Millon Júnior (autor do primeiro gol da história do estádio) e Jarbas. Formiga descontou para os visitantes.[6]

O estádio na noite inaugural de seus refletores em 1931.

O estádio teve sua iluminação inaugurada em 1931. No dia 21 de março, às 20 horas, eram acesos os refletores do campo. Para marcar a ocasião, o Santos enfrentou uma seleção da cidade, o jogo terminou empatado em 1 a 1, com gols de Manoel Cruz para a Seleção Santista e Camarão para o Santos FC.[7]

No dia 24 de março de 1933, dias após o falecimento de Urbano Caldeira, um dos diretores do Santos na época, Ricardo Pinto de Oliveira, sugeriu que o estádio passasse a ser chamado oficialmente de Urbano Caldeira, para homenagear o ex-jogador, treinador e dirigente do clube praiano. A sugestão então foi aceita por toda diretoria santista, e o estádio foi batizado oficialmente de Urbano Caldeira.[8][9]

No dia 6 de maio de 1950, o gramado recebeu um confronto de boxe cuja renda serviu para a conclusão das obras do estádio santista. A luta foi entre os pesos pesados Joe Louis, um dos maiores pugilistas da história, e Tommy Giorgio.[10]

Em 18 de setembro de 1955, aniversário de 5 anos da televisão brasileira, a Vila Belmiro se tornou o primeiro estádio do Brasil a contar com uma partida televisionada ao vivo. A partida transmitida foi um clássico entre Santos e Palmeiras (jogo válido pelo Campeonato Paulista de 1955) no qual o Peixe venceu por 3 a 1. O jogo foi transmitido pela TV Record diretamente de Santos.[11]

Arquibancada de concreto construída em 1955.

Durante o período conhecido como a Era Pelé (1956-1974), em virtude dos adversários saírem derrotados com frequência pelo Santos, o estádio ficou conhecido pelo apelido de "Alçapão da Vila". Por muitos anos, a Vila Belmiro foi o local onde Pelé demonstrou suas habilidades como jogador, se firmando como um dos maiores futebolistas de todos os tempos. Em 21 de novembro de 1964, na Vila Belmiro, Pelé marcou oito gols contra Botafogo-SP, partida essa que o Santos venceu por 11 a 0.[12] Em 2 de outubro de 1974, Pelé jogou sua partida de despedida no estádio, numa vitória do Santos por 2 a 0 contra a Ponte Preta.[13]

Jogo entre Santos e Mogi Mirim na Vila Belmiro em 2006.

Logo após o término do Campeonato Paulista de 1996, a diretoria do clube decidiu que o gramado da Vila Belmiro, amplamente criticado, passasse por uma ampla reforma. Um moderno sistema de drenagem e irrigação controlado por computador foi instalado, o que proporcionou perfeitas condições de jogo com qualquer tempo.[14] A inauguração do novo gramado aconteceu no dia 27 de março de 1997, quando o Santos venceu o Internacional, em jogo válido pela Copa do Brasil. Simultaneamente à reforma do gramado, foi construído o complemento do anel da arquibancada atrás do gol de fundo do estádio, que aumentou a capacidade em cerca de 4 000 lugares.[15]

No dia 27 de janeiro de 1999, o Santos deu mais um passo para oferecer um estádio mais moderno aos seus torcedores. Neste dia, momentos antes de um clássico contra o Palmeiras, foi inaugurado o novo sistema de iluminação, tornando o estádio uma das praças de esportes mais bem iluminadas do Brasil.[16]

Em 2010, o estádio foi o primeiro do Brasil a receber partida de futebol americano. No dia 11 de dezembro de 2010, o estádio foi palco de duas partidas do Torneio Touchdown, sendo a primeira do Santos Tsunami (o time do clube nesta modalidade) e a outra, a final do torneio entre Vila Velha Tritões e Vasco da Gama Patriotas.[17]

O estádio recebeu a Costa Rica durante a Copa do Mundo de 2014.[18] Os costarriquenhos que fizeram a melhor campanha da história do país em Copas do Mundo, enquanto estiveram hospedados no estádio, chamaram a Vila Belmiro de "Templo Futebolístico".[19]

O Santos realizou reformas na Vila Belmiro entre 2015 e 2016, a novidade foi a padronização nas medidas do campo, mudando de 106m x 70m para 105m x 68m, as mesmas medidas usadas em estádios da Copa do Mundo.[20] Paralelamente, há o desejo de ter um novo estádio, mais moderno, para que a Vila Belmiro receba apenas a alguns jogos.[21]

No dia 8 de outubro de 2016, para comemorar o centenário do estádio, o Santos disputou um amistoso contra o Benfica. Os ídolos Giovanni e Léo foram homenageados e entraram durante o amistoso, o lateral Léo alem de atuar com a camisa do Santos, também jogou com a camisa do Benfica, o amistoso terminou empatado em 1 a 1, com gols de Fabián Noguera para o alvinegro e Salvio para os benfiquistas. Após o apito final, os atletas receberam uma medalha em comemoração à partida e a Vila Belmiro foi coberta por fogos de artifício.[22]

Estrutura[editar | editar código-fonte]

Memorial das Conquistas[editar | editar código-fonte]

Troféus expostos no Memorial das Conquistas.

Em 17 de novembro de 2003, 1 dia após completar 40 anos da conquista intercontinental de 1963, foi inaugurado no estádio o Memorial das Conquistas. Este espaço contem os troféus conquistados pelo Santos em toda sua história, que dentre os mais destacados no memorial, estão as 9 taças conquistadas em competições internacionais de caráter oficial pelo clube, além de contar com fotos, vídeos, ingressos, revistas, livros, flâmulas de times adversários que o Santos enfrentou e também algumas recordações enviadas por clubes do exterior ou de astros do esporte, como a camisa do maior pontuador da NBA, Kareem Abdul-Jabbar, que conheceu a estrutura do clube em 2012.[23] A visita ao museu, inclui também os vestiários dos jogadores, sala de imprensa e a entrada no campo.

No Memorial existem alguns espaços únicos, como de Pelé e Neymar, onde há um acervo pessoal dos dois ídolos santistas. O museu também dispõe de vários equipamentos multimídia, como aparelhos de TV, que permitem a visualização de jogos históricos.[24]

Centro de Memória e Estatística[editar | editar código-fonte]

O Centro de Memória e Estatística funciona em área adjunta ao Memorial das Conquistas. No local, estão assegurados a conservação, restauração, organização e divulgação de coleções, documentos e publicações do clube desde a sua fundação, tais como jornais, revistas e livros que são relíquias encontradas no espaço. O responsável pelo local é o pesquisador e historiador Guilherme Guarche, a iniciativa constitui uma maneira de valorizar a trajetória de conquistas do Santos.[25]

Vestiário[editar | editar código-fonte]

Em uma parceria feita com a Brahma, o vestiário da Vila Belmiro foi reformado e reinaugurando no dia 10 de julho de 2013.

Na reforma, o vestiário ficou ainda mais moderno e ganhou mais espaço de circulação: a área de aquecimento foi ampliada e as banheiras individuais de hidromassagem deram lugar a um spa. Além disso, uma TV foi instalada para a transmissão de vídeos e uma câmera transmite ao aparelho imagens ao vivo da arquibancada, para os atletas verem como está a torcida no estádio.

Os armários também foram modificados. Além de contar com um especial, que fica trancado e com a foto de Pelé, os antigos, feitos de alumínio e com portas, deram espaço para abertos e de madeira, e ídolos do clube foram escolhidos pela torcida para batizarem os novos armários dos atletas.[26]

As obras custaram em torno de R$1,3 milhão.[27]

Camarotes[editar | editar código-fonte]

Os camarotes da Vila Belmiro ficam no mesmo nível do gramado, deixando aqueles que acompanham o jogo dali muito próximo aos jogadores. Todos os camarotes têm de 10 a 24 lugares, e conta com um espaço para crianças e área de convivência, o setor ainda possui ar-condicionado e espaço gourmet. A decoração fica por conta das homenagens a ídolos do passado e do presente do Santos.[28]

Loja Oficial[editar | editar código-fonte]

Ocupando um espaço de 430 m² em dois andares, o Santos tem dentro da Vila Belmiro uma loja oficial para os seus torcedores adquirirem todos os produtos oficiais do clube. A loja Santos Store foi inaugurada em junho de 2010, em parceria com a Netshoes. O Santos possui outras cinco lojas físicas, localizadas no bairro de Gonzaga (Santos), nas cidades de São Paulo, Praia Grande, São Vicente e Osasco, está última inaugurada em 2016.[29][30]

A Vila Belmiro ainda abriga o Salão de Mármore "Vasco José Faé", um espaço utilizado pelo clube para eventos como comemoração de títulos, eleição para eleger um novo presidente, entre outros.

Maiores públicos[editar | editar código-fonte]

Torcida santista durante jogo contra o Goiás pelo Brasileiro de 2007.

Em 20 de setembro de 1964, o estádio recebeu 32.986 pessoas para assistir o clássico Santos e Corinthians. Entretanto, com a superlotação, a estrutura de uma parte das arquibancadas do estádio ficou comprometida e desabou aos seis minutos do primeiro tempo, fazendo com que a partida fosse suspensa.[31] O jogo em questão foi remarcado para 10 dias depois no Pacaembu, onde terminou empatado em 1 a 1.[32]

O maior público oficial que a Vila Belmiro recebeu foi no dia 15 de fevereiro de 1976, quando o Santos FC enfrentou o Palmeiras sob os olhares de 31.662 torcedores.[33] Contudo, o time visitante venceu a partida por 5 a 0, pelo Torneio Governador do Estado.

O recorde de público em uma vitória do Santos ocorreu em 14 de abril de 1979 (aniversário de 67 anos do clube praiano), quando 29.801 pessoas estavam no estádio para ver o Santos vencer o Francana por 2 a 1. Apesar dessa partida ter sido realizada em 1979, o jogo foi válido pelo Campeonato Paulista de 1978.[34]

Atualmente, devido a obras de elitização para maior conforto, como a construção de novos camarotes térreos e colocação de cadeiras, a Vila Belmiro teve sua capacidade reduzida para 16.798 pessoas.[35]

Abaixo segue a lista dos 15 maiores públicos já registrados na Vila Belmiro:[36]

Público Mandante Placar Visitante Data Competição
1 32.986 São Paulo Santos 0–0 São Paulo Corinthians 20 de setembro de 1964 Campeonato Paulista de 1964
2 31.662 São Paulo Santos 0–5 São Paulo Palmeiras 15 de fevereiro de 1976 Taça Governador do Estado de São Paulo de 1976
3 31.172 São Paulo Santos 0–2 São Paulo Guarani 18 de outubro de 1978 Campeonato Paulista de 1978
4 31.146 São Paulo Santos 0–0 Espírito Santo (estado) Desportiva 15 de maio de 1980 Campeonato Brasileiro de 1980
5 30.779 São Paulo Santos 0–1 São Paulo Ponte Preta 2 de abril de 1979 Campeonato Paulista de 1978
6 29.801 São Paulo Santos 2–1 São Paulo Francana 14 de abril de 1979 Campeonato Paulista de 1978
7 29.746 São Paulo Santos 0–0 São Paulo Paulista 7 de setembro de 1978 Campeonato Paulista de 1978
8 28.800 São Paulo Santos 2–1 São Paulo Palmeiras 30 de julho de 1961 Campeonato Paulista de 1961
9 28.529 São Paulo Santos 1–1 São Paulo Guarani 16 de março de 1983 Campeonato Brasileiro de 1983
10 28.457 São Paulo Santos 0–0 São Paulo São Bento 8 de outubro de 1978 Campeonato Paulista de 1978
11 28.254 São Paulo Santos 0–2 São Paulo Botafogo-SP 7 de setembro de 1977 Campeonato Brasileiro de 1977
12 27.600 São Paulo Santos 3–0 São Paulo Palmeiras 14 de novembro de 1962 Campeonato Paulista de 1962
13 27.400 São Paulo Santos 2–1 São Paulo Corinthians 16 de dezembro de 1960 Campeonato Paulista de 1960
14 27.385 São Paulo Santos 3–1 São Paulo Ferroviária 4 de outubro de 1978 Campeonato Paulista de 1978
15 26.796 São Paulo Santos 2–2 Pernambuco Náutico 9 de abril de 1983 Campeonato Brasileiro de 1983

Artilheiros da Vila Belmiro[editar | editar código-fonte]

A lista dos 10 maiores artilheiros do Santos na Vila Belmiro.[37]

Jogador Gols
1 Brasil Pelé 288
2 Brasil Feitiço 162
3 Brasil Pepe 152
4 Brasil Araken Patusca 131
5 Brasil Coutinho 106
6 Brasil Camarão 105
7 Brasil Antoninho Fernandes 91
8 Brasil Raul Cabral Guedes 85
9 Brasil Tite 79
10 Brasil Toninho Guerreiro 73

Clássicos[editar | editar código-fonte]

Retrospecto do Santos em clássicos disputados na Vila Belmiro. Atualizado até 19 de março de 2017.[38][39][40]

Adversário J V E D
Palmeiras 107 45 19 43
Corinthians 105 48 22 35
São Paulo¹ 104 45 25 34
J - jogos; V - vitórias; E - empates; D - derrotas;

¹ Estão incluídos os jogos do Santos contra o São Paulo da Floresta (1930-1935).

Jogos importantes[editar | editar código-fonte]

A Vila Belmiro já recebeu vários jogos de diversas competições importantes.

São Paulo Campeonato Paulista de 1916

  • O primeiro jogo no estádio foi realizado no dia 22 de outubro de 1916 (10 dias depois de sua inauguração), quando o Santos venceu o Ypiranga por 2 a 1. Adolpho Millon Júnior do Santos fez o primeiro gol da história do estádio. A partida foi válida pelo Campeonato Paulista de 1916:
22 de outubro de 1916 Santos Bandeira Santos SaoPaulo Brasil.svg 2 – 1 Bandeira da cidade de São Paulo.svg Ypiranga Público: 2.000 aproximadamente
Árbitro: Alemanha Hermann Friese

Adolpho Millon Júnior Gol marcado
Jarbas Gol marcado
Gol marcado Formiga
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Santos
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Ypiranga

Flag of the United Nations.svg Amistoso internacional em 1930

30 de julho de 1930 Santos Brasil 6 – 1 França França Público: Sem dados
Árbitro: Brasil Enéas Sgarzi

Feitiço Gol marcado aos 30 minutos de jogo 30' Gol marcado aos 33 minutos de jogo 33' Gol marcado aos 62 minutos de jogo 62' Gol marcado aos 80 minutos de jogo 80'
Mário Seixas Gol marcado aos 59 minutos de jogo 59' Gol marcado aos 64 minutos de jogo 64'
Report Gol marcado aos 57 minutos de jogo 57' Edmond Delfour
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Santos
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
França

Flags of the Union of South American Nations.gif Campeonato Sul-Americano de 1949

  • Pela primeira vez na história, o Estádio Urbano Caldeira recebeu um jogo envolvendo duas Seleções Nacionais de Futebol: Peru e Bolívia. A Vila foi uma das sedes do Campeonato Sul-Americano de 1949 (atual Copa América). Na ocasião, os peruanos venceram por 3 a 0:
27 de abril de 1949 Peru Peru 3 – 0 Bolívia Bolívia Público: 12.000
Árbitro: Brasil Alberto da Gama Malcher

R. Drago Gol marcado aos 31 minutos de jogo 31', Gol marcado aos 74 minutos de jogo 74'
Heredia Gol marcado aos 77 minutos de jogo 77' (pen.)
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Peru
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Bolívia

Brasil Campeonato Brasileiro de 1959

  • O Estádio Urbano Caldeira foi palco da primeira partida da final da Taça Brasil de 1959. O Santos recebeu o Bahia e perdeu por 3 a 2 do time baiano. O segundo jogo, realizado em Salvador, foi vencido pelo alvinegro por 3 a 0, forçando a realização de uma partida de desempate no Estádio do Maracanã; entretanto, o time praiano acabou derrotado novamente, desta vez por 3 a 1, confirmando ao Bahia, o título de primeiro campeão brasileiro:
10 de dezembro de 1959 Santos São Paulo 2 – 3 Bahia Bahia

Pelé Gol marcado aos 15 minutos de jogo 15'
Pepe (pen) Gol marcado aos 77 minutos de jogo 77'
Gol marcado aos 26 minutos de jogo 26' Biriba
Gol marcado aos 57 minutos de jogo 57', Gol marcado aos 89 minutos de jogo 89' Alencar
Público: 23.000
Árbitro: Rio de Janeiro Alberto da Gama Malcher
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Santos
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Bahia

Flags of the Union of South American Nations.gif Copa Libertadores da América de 1962

  • A Vila também já recebeu uma final de Libertadores. Em 1962, o Santos recebeu o Peñarol do Uruguai no estádio, com a vantagem de apenas um empate para se sagrar campeão da América pela primeira vez. Entretanto, o clube perdeu a partida por 3 a 2, forçando a realização de um jogo de desempate na Argentina, onde o Peixe se sagrou campeão da competição. Essa partida ficou conhecida como "A noite das garrafadas":[42]
2 de agosto de 1962 Santos Brasil 2 – 3 Uruguai Peñarol Público: 25.000
Árbitro: Chile Carlos Robles

Dorval Gol marcado aos 27 minutos de jogo 27'
Mengálvio Gol marcado aos 50 minutos de jogo 50'
Gol marcado aos 18 minutos de jogo 18' Sasía
Gol marcado aos 49 minutos de jogo 49' Gol marcado aos 73 minutos de jogo 73' Spencer
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Santos
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Peñarol

Flags of the Union of South American Nations.gif Copa Conmebol de 1998

  • Primeiro jogo da final da Copa Conmebol de 1998. O Santos recebeu o Rosario Central da Argentina e venceu por 1 a 0 (gol de Claudiomiro aos 28 minutos do 1º tempo). Com essa vitória, o Peixe foi para a segunda partida na Argentina com a vantagem de um empate para se sagrar campeão do torneio, feito esse realizado:
7 de outubro de 1998 Santos Brasil 1 – 0 Argentina Rosario Central
20:30 (UTC-3)
Claudiomiro Gol marcado aos 28 minutos de jogo 28' Report Público: 19.000
Árbitro: Uruguai José Luis da Rosa
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Santos
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Rosario Central

Brasil Copa do Brasil de 2010

  • No dia 28 de julho de 2010, a Vila recebeu o primeiro jogo da final da Copa do Brasil, entre Santos e Vitória. O Peixe venceu o jogo por 2 a 0 e poderia perder com até 1 gol de diferença em Salvador, para ficar com o título. O segundo jogo na capital baiana terminou em 2 a 1 para o Vitória (placar agregado de 3 a 2 pro Santos) e assim, o Alvinegro Praiano conquistou o seu primeiro título na competição:
28 de julho de 2010 Santos São Paulo 2 – 0 Bahia Vitória
21h50 (UTC-3)
Neymar Gol marcado aos 14 minutos de jogo 14'
Marquinhos Gol marcado aos 85 minutos de jogo 85'
Report Público: 14.060
Árbitro: Rio Grande do Sul Leonardo Gaciba da Silva
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Santos
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Vitória

São Paulo Campeonato Paulista de 2011

  • A Vila Belmiro sediou o segundo jogo da final do Paulista de 2011. O duelo decisivo foi entre Santos e Corinthians. Os dois times vinham de um empate sem gols na primeira partida da final no Estádio do Pacaembu. Nesse jogo, o Santos se sagrou campeão paulista com gols de Arouca e Neymar, enquanto Morais descontou para o Corinthians perto do fim da partida:
15 de maio Santos Bandeira Santos SaoPaulo Brasil.svg 2 – 1 Bandeira da cidade de São Paulo.svg Corinthians
16:00
Arouca Gol marcado aos 16 minutos de jogo 16'
Neymar Gol marcado aos 83 minutos de jogo 83'
Report Gol marcado aos 86 minutos de jogo 86' Morais Público: 14.322
Árbitro: São PauloSP Luiz Flávio de Oliveira
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Santos
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Corinthians

São Paulo Campeonato Paulista de 2013

  • Assim como em 2011, a Vila também recebeu a decisão do Paulista em 2013, e, assim como dois anos antes, o confronto foi entre Santos e Corinthians. Desta vez, a equipe da capital paulista se sagrou campeã (visto que no primeiro duelo no Pacaembu o Corinthians havia vencido o Santos por 2 a 1, bastando apenas de um empate na Vila para se sagrar campeão); o jogo terminou empatado em 1 a 1 e o Corinthians foi campeão paulista em plena Vila Belmiro:
19 de maio Santos Bandeira Santos SaoPaulo Brasil.svg 1 – 1 Bandeira da cidade de São Paulo.svg Corinthians
16:00
Cícero Gol marcado aos 26 minutos de jogo 26' Report Gol marcado aos 28 minutos de jogo 28' Danilo Público: 14.740
Árbitro: São PauloSP Guilherme Ceretta de Lima
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Santos
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Corinthians

São Paulo Campeonato Paulista de 2015

  • Em 2015, a Vila recebeu o segundo jogo da final do Paulista de 2015. O Santos enfrentou o Palmeiras, em uma final que não acontecia desde 1959.[43] Após ser derrotado no Allianz Parque por 1 a 0, o Santos precisava de uma vitória por mais de dois gols de diferença, ou vencer por um gol, para levar a decisão por pênaltis e ser campeão, fato que ocorreu. Durante o tempo normal, o jogo terminou 2 a 1 para o Santos, gols de David Braz e Ricardo Oliveira para o alvinegro, e Lucas para o alviverde. Nas penalidades, o Santos venceu por 4 a 2 e conquistou o seu 21º título paulista:
3 de maio Santos Bandeira Santos SaoPaulo Brasil.svg 2 – 1 Bandeira da cidade de São Paulo.svg Palmeiras
16:00
David Braz Gol marcado aos 29 minutos de jogo 29'
Ricardo Oliveira Gol marcado aos 43 minutos de jogo 43'
Report Gol marcado aos 64 minutos de jogo 64' Lucas Público: 14.662
Árbitro: São PauloSP Guilherme Ceretta de Lima
    Penalidades  
David Braz Convertido
Gustavo Henrique Convertido
Victor Ferraz Convertido
Lucas Lima Convertido
4 – 2 Convertido Cleiton Xavier
Erro Rafael Marques
Erro Jackson
Convertido Leandro Pereira
 
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Santos
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Palmeiras

São Paulo Campeonato Paulista de 2016

  • Em 2016, a Vila recebeu o segundo jogo da final do Paulista de 2016. O Santos enfrentou a surpresa Grêmio Audax. O primeiro jogo da final aconteceu no Estádio José Liberatti em Osasco, com empate em 1 a 1, no segundo jogo na Vila, o Santos venceu por 1 a 0 com o gol de Ricardo Oliveira. Com o título, o Santos superou o São Paulo e se igualou ao Palmeiras com 22 conquistas estaduais:
8 de maio Santos Bandeira Santos SaoPaulo Brasil.svg 1 – 0 Bandeira Osasco.png Audax
16:00
Ricardo Oliveira Gol marcado aos 44 minutos de jogo 44' Report Público: 16.018
Árbitro: São PauloSP Raphael Claus
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Santos
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Audax

Flag of the United Nations.svg Amistoso internacional (Comemoração de 100 anos da Vila Belmiro)

8 de outubro Santos Brasil 1 – 1 Portugal Benfica
16:00
Fabián Noguera Gol marcado aos 87 minutos de jogo 87' Report Gol marcado aos 46 minutos de jogo 46' (pen) Salvio Público: 10.149
Árbitro: Brasil Raphael Claus
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Santos
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Benfica

O Efeito "Alçapão"[editar | editar código-fonte]

Diversos futebolistas de vários clubes já se mostraram impressionados com a pressão que o estádio impõe aos adversários do Santos quando lotado. Durante a década de 60, o estádio ganhou o apelido de "Alçapão da Vila", pelo fato dos adversários saírem derrotados pelo Santos na Vila Belmiro. Abaixo estão algumas citações famosas de adversários sobre o estádio:[44]

[45]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Classificação de estádios de futebol (Sisbrace)». Ministério dos Esportes. 25 de fevereiro de 2017 
  2. http://www.worldofstadiums.com/south-america/brazil/estadio-urbano-caldeira/
  3. «CNEF da CBF» (PDF). Site Oficial da CBF. Consultado em 27 de março de 2016 
  4. a b c d Gabriel Santana (11 de outubro de 2016). «A compra do terreno». Acervo Santos FC. Consultado em 6 de fevereiro de 2017 
  5. «Inauguração da Vila Belmiro». Acervo Santos FC. 21 de maio de 2014. Consultado em 13 de abril de 2015 
  6. Gabriel Santana (6 de outubro de 2016). «A primeira partida». Acervo Santos FC. Consultado em 6 de fevereiro de 2017 
  7. «Memória: Vila Belmiro inaugurava os refletores». Site oficial do Santos. 21 de março de 2015. Consultado em 13 de abril de 2015 
  8. Marcelo Rozenberg. «Que fim levou? > Urbano Caldeira». Terceiro Tempo. Consultado em 13 de abril de 2015 
  9. «Há 80 anos, estádio do Santos recebia o nome de Urbano Caldeira». Globo Esporte.com. 24 de março de 2013. Consultado em 13 de abril de 2015 
  10. Gustavo Serbonchini (13 de abril de 2012). «Histórias e locais escondidos na Vila: o alçapão que poucos conhecem». Globo Esporte.com. Consultado em 18 de maio de 2015 
  11. História - Rede Record
  12. Francisco De Laurentiis (1 de fevereiro de 2014). «Há 50 anos, Santos fez 11 x 0 no Botafogo-SP, adversário deste sábado; 'endiabrado', Pelé marcou oito». ESPN. Consultado em 13 de abril de 2015 
  13. «Santos FC lembra os 40 anos da despedida de Pelé da Vila Belmiro». Site oficial do Santos. 2 de outubro de 2014. Consultado em 13 de abril de 2015 
  14. Adriano Bruno (26 de março de 1997). «Vila Belmiro tem "gramado inteligente"». Folha. Consultado em 13 de abril de 2015 
  15. Fausto Siqueira (19 de julho de 1997). «Vila Belmiro inaugura arquibancadas no domingo». Folha Online. Consultado em 13 de abril de 2015 
  16. «Vila Belmiro ganha nova iluminaçao». Diário do Grande ABC. 27 de janeiro de 1999. Consultado em 13 de abril de 2015 
  17. Leo Velasco (10 de dezembro de 2010). «Vila Belmiro recebe final entre Vasco e Vila Velha. Santos Tsunami também joga». Blog Overtime, Globo Esporte 
  18. Vinicios Oliveira (10 de junho de 2014). «Costa Rica realiza primeiro treino na Vila Belmiro com participação de atletas do Sub-20». Site oficial do Santos. Consultado em 13 de abril de 2014 
  19. Rafael Valente (21 de junho de 2014). «Costa Rica chama Vila Belmiro de templo e diz que esta honrando Pelé». Folha. Consultado em 13 de abril de 2014 
  20. Fúlvio Feola (4 de janeiro de 2016). «Em manutenção, gramado da Vila Belmiro terá novas dimensões». Site oficial do Santos 
  21. Lucas Musetti (30 de setembro de 2015). «Mirando casa nova, Santos se reúne com empresa por estádio perto da Vila». Globo Esporte.com. Consultado em 2 de outubro de 2015 
  22. Vinicios Oliveira (8 de outubro de 2016). «Na festa de 100 anos da Vila Belmiro, Santos FC e Benfica empatam por 1 a 1». Site oficial do Santos. Consultado em 9 de outubro de 2016 
  23. «Kareem Abdul-Jabbar bate bola com Neymar em Santos». iG Esporte. 28 de janeiro de 2012 
  24. «Memorial das Conquistas do Santos FC». Acervo Santos FC. 24 de abril de 2015 
  25. «Centro de Memória e Estatística do Santos FC». DNA Santástico. 29 de novembro de 2012. Consultado em 29 de junho de 2015 
  26. «Santos FC e Brahma reinauguram vestiário da Vila Belmiro com homenagem a ídolos». Site oficial do Santos. 10 de julho de 2013. Consultado em 13 de abril de 2014 
  27. Bruno Gutierrez (10 de julho de 2013). «Santos inaugura novo vestiário com homenagens a ídolos do passado». Globo Esporte.com. Consultado em 13 de abril de 2014 
  28. Camarotes Site oficial do Santos
  29. Lojas Oficiais Site oficial do Santos
  30. «Com David Braz, Santos inaugura loja em shopping de Osasco». Portal Futebol Clube. 25 de fevereiro de 2016. Consultado em 28 de maio de 2016 
  31. «Especial Tragédias: o dia que caiu a Vila Belmiro». Terceiro Tempo. 31 de dezembro de 2012. Consultado em 13 de abril de 2015 
  32. «Futpédia, Santos x Corinthians». Futpédia. Consultado em 11 de maio de 2015 
  33. http://www.santosfc.com.br/vila-belmiro/ Vila Belmiro - Santos Futebol Clube
  34. «Futpédia, Santos x Francana». Futpédia. Consultado em 11 de maio de 2015 
  35. «Elitizada, Vila Belmiro encolhe». Globoesporte. Consultado em 09 de maio de 2015  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  36. Gilberto Maluf (14 de julho de 2008). «Jogos do Santos FC – Os 15 maiores públicos da Vila Belmiro». Cacellain. Consultado em 13 de abril de 2015 
  37. Artilheiros da Vila Belmiro Acervo Santos FC
  38. Confrontos - Santos x Corinthians Acervo Santos FC
  39. Confrontos - Santos x Palmeiras Acervo Santos FC
  40. Confrontos - Santos x São Paulo Acervo Santos FC
  41. Gabriel Santana (30 de julho de 2016). «A vitória fulminante sobre a seleção francesa!». Acervo Santos FC. Consultado em 6 de fevereiro de 2017 
  42. «Nesta sexta (02) faz 51 anos da "noite das garrafadas"». Site oficial do Santos. 1 de agosto de 2013. Consultado em 13 de abril de 2014 
  43. Klaus Richmond (20 de abril de 2015). «Pelé, Academia e apelidos: a última final Palmeiras x Santos». Terra. Consultado em 3 de maio de 2015 
  44. Centenário: Frases sobre a Vila Belmiro (O Medo dos Adversários).
  45. Ex-corintiano Elias prevê dificuldade e muita pressão na Vila 11 jun 2012, Veja.com

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Estádio Urbano Caldeira