Seleção Costarriquenha de Futebol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Costa Rica
Costa Rica football association.png
Alcunhas?  Ticos
La Sele (A Seleção)
El Mata Gigantes
Associação Federação Costarriquenha de Futebol
Confederação CONCACAF
Patrocinadores Estados Unidos Herbalife
Material desportivo?  Estados Unidos New Balance
Capitão Bryan Ruiz
Mais participações Walter Centeno (137)
Melhor artilheiro Rolando Fonseca (47)
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

A Seleção Costarriquenha de Futebol, apelidada de La Sele, é a equipe nacional da Costa Rica e é controlada pela Federação Costarriquenha de Futebol. Costa Rica é a terceira equipe mais bem sucedida da CONCACAF depois do México e dos Estados Unidos. Eles são, claramente, a equipe mais bem sucedida da América Central, tendo se classificado para três Copas do Mundo, atingindo as oitavas de final em sua estreia na Copa na Itália em 1990 e impondo uma exibição sólida em 2002, onde foram colocados no mesmo grupo dos eventuais campeão Brasil e terceiro colocados Turquia. Em 2006, Los Ticos se classificaram por gols ganhando muito terminando em 8000 de 32 equipes. Na Copa do Mundo de 2014, a seleção conseguiu obter sua melhor participação na história dos mundiais, ficando entre as 8 melhores equipes do campeonato e classificando-se como primeiro colocado no grupo considerado da Morte, incluindo três campeões mundiais: Uruguai, Inglaterra e Itália. A Costa Rica já foi campeã da CONCACAF três vezes (1963, 1969, 1989) e levou a Copa das Nações UNCAF oito vezes.

Títulos e campanhas em destaque[editar | editar código-fonte]

Seleção Principal
Torneio Campeão Vice-campeão Terceiro Quarto
Copa Ouro da CONCACAF 0 1 (2002) 2 (1993 e 2009) 1 (1991)
Campeonato da CONCACAF 3 (1963 , 1969 e 1989) 0 3 (1965, 1971, 1981) 0
Copa das Nações UNCAF 8 (1991 , 1997 , 1999 , 2003 ,2005 , 2007 , 2013 e 2014) 4 (1993 , 2001 , 2009 e 2011) 0 1 (1995)
Seleção de Base
Torneio Campeão Vice-campeão Terceiro Quarto
Campeonato Mundial Sub-20 1 (2009)
Campeonato CONCACAF Sub-20 2 (1988 e 2009) 3 (1994, 1996 e 2011) 0 3 (1962, 1978, 1982)
Campeonato CONCACAF Sub-17 1 (1994) 1 (1985) 2 (1987, 1997)
Seleção Olímpica
Torneio Gold medal america.svg Ouro Silver medal america.svg Prata Bronze medal america.svg Bronze
Jogos Pan-Americanos 1 (1951)
Jogos Desportivos Centro-Americanos 1 (1993) 3 (1930 , 1935 e 1938) 4 (1990 , 1998 , 2002 e 2006)

História[editar | editar código-fonte]

A Costa Rica tem uma cultura no futebol de longa data e tradição.

A equipe nacional fez sua estreia nos Jogos do Centenário da Independência na Cidade da Guatemala em setembro de 1921, vencendo seu primeiro jogo por 7-0 contra El Salvador. No final, a Costa Rica derrotou a Guatemala por 6-0 para reclamar o troféu.

A equipe de futebol da Costa Rica tem sido caracterizada sobretudo pela sua regularidade ao longo dos anos. Bem lembrada é a seleção formada em 1940 que recebeu o apelido de The Gold Shorties (Os Baixinhos de Ouro, em inglês). Durante os anos 1950, 1960 e a maioria dos anos 1970, a equipe da Costa Rica passou despercebida, sem Copas do Mundo.

Ao longo dos anos 50 e 60, e era a segunda mais forte equipe na zona da CONCACAF atrás do México, terminando como vice-campeã nas eliminatórias para as Copas de 1958, 1962 e 1966. As estrelas deste período foram Ruben Jimenez, Errol Daniels, Leonel Hernandez e Edgar Marin. Atualmente o seu artilheiro é Rolando Fonseca com 47 gols.

No entanto, no final dos anos 60 a sua sorte cairia e outras equipes da região como Guatemala, Honduras, El Salvador, Haiti, Trinidad e Tobago e Canadá viriam à tona. Embora a maioria desses participantes tiveram curtas presenças em Copas do Mundo. A Costa Rica não conseguiu chegar à rodada final das eliminatórias da CONCACAF para Copas do Mundo até 1986.

Anos 1980 e começo dos anos 1990[editar | editar código-fonte]

Pode-se mencionar a participação da seleção da Costa Rica nos Jogos Olímpicos de Los Angeles em 1984. (Detalhes)

Classificando-se para a Copa da Itália em 1990[editar | editar código-fonte]

Artigo principal: Copa do Mundo FIFA de 1990

Depois de uma grande campanha no Campeonato CONCACAF em 1989, a Costa Rica recebe o seu primeiro passaporte para a fase final de uma Copa do Mundo, onde teve um papel enorme no ranking da segunda rodada após vencer a Escócia e a Suécia na primeira rodada.

Empataram com o Panamá, avançando para a fase de grupos, no primeiro jogo no Estádio Alejandro Morera Soto, em Alajuela, onde a Costa Rica sofreu contra os panamenhos e acabou com o empate em casa. No segundo jogo, no Estádio Revolution (agora Rommel Fernández), dois gols de José Cayasso deu a vitória para a Costa Rica por 2-0 e o avanço para a fase de grupos. A Costa Rica começou a fase de grupos com uma derrota para a Guatemala por 1-0, em seguida, bateu os EUA em San José por 1-0, sendo os dois gols de Gilberto Rodden, em seguida, derrotam Trinidad e Tobago pelo mesmo placar em San José, com um gol de Enrique Diaz. Em seguida, a Costa Rica perdeu para os EUA por 1-0 em St. Louis, Missouri, venceu a Guatemala em San Jose por 1-0, sendo o gol de Evaristo Coronado, empatou com Trinidad e Tobago em 1-1, venceu El Salvador em Cuzcatlán por 4-2, com gols de Carlos Mario Hidalgo, Enrique Diaz e José Flores Leony Jaikel. Finalmente, no último jogo das eliminatórias, a Costa Rica venceu El Salvador em San José por 1-0, com o gol de Pastor Fernández. A Costa Rica terminou em primeiro no pentagonal com os Estados Unidos com 11 pontos em 8 jogos. O México foi desclassificado desta eliminatória por adultério na idade dos jogadores jovens.

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Camisa Nome Posição Clube
Navas Goleiro Espanha Real Madrid
Carvajal Goleiro Costa Rica Saprissa
Pemberton Goleiro Costa Rica Alajuelense
Calvo Defesa Costa Rica Saprissa
González Defesa Itália Palermo
Waston Defesa Canadá Vancouver Whitecaps
Oviedo Defesa Inglaterra Everton
Myrie Defesa Costa Rica Herediano
Díaz Defesa Alemanha SV Darmstadt 98
Gamboa Defesa Inglaterra West Bromwich
Miller Defesa Estados Unidos New York Red Bulls
Borges Médio Espanha La Coruña
Aguilar Médio Costa Rica Herediano
Angulo Médio Costa Rica Saprissa
Vega Médio Costa Rica Saprissa
Venegas Médio Canadá Montreal Impact
Guzmán Médio Costa Rica Saprissa
Cubero Médio Inglaterra Blackpool
Sabório Avançado Estados Unidos D.C. United
Ruiz Avançado Portugal Sporting
McDonald Avançado Costa Rica Alajuelense
Campbell Avançado Inglaterra Arsenal
Ramírez Avançado Costa Rica Saprissa
Paulo Wanchope Treinador


Anos 1990 e começo dos anos 2000 - Os Anos Wanchope[editar | editar código-fonte]

Após a sua brilhante atuação no verão italiano, a equipe nacional fracassou nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 1994 nos EUA e para a Copa do Mundo de 1998 na França devido a falta de planejamento e resultados fracos. Foi um momento importante e histórico quando, em 1997, a Costa Rica foi convidada pela primeira vez para a Copa América realizada na Bolívia. A Costa Rica também jogou amistosos memoráveis​​, incluindo uma derrota por 5-4 contra o Uruguai no Estádio Centenário.

Artigo principal: Copa América de 1997
Classificação J V E D GF GC SG Pts
Brasil Brasil 3 3 0 0 10 2 +8 9
Flag of Mexico.svg México 3 1 1 1 5 5 0 4
Flag of Colombia.svg Colômbia 3 1 0 2 5 5 0 3
Flag of Costa Rica (state).svg Costa Rica 3 0 1 2 2 10 -8 1

Classificando-se para a Copa de 2002 na Coreia do Sul/Japão[editar | editar código-fonte]

Artigo principal: Copa do Mundo FIFA de 2002

Após os fracassos retumbantes nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 1994 e para a Copa do Mundo de 1998, a Costa Rica ganhou as eliminatórias para a Copa do Mundo de 2002 realizada na Coreia do Sul e Japão após uma campanha brilhante, em que ficou em primeiro lugar, batendo os favoritos México e os Estados Unidos. Durante a Copa do Mundo, ela teve um jeito discreto, perdendo para o Brasil (campeão do torneio) de 5-2 (único time a marcar 2 gols contra o Brasil na Copa), empatando com a Turquia (terceiro lugar na Copa) em 1-1 e vencendo a China por 2-0, então ficou em 3º lugar no grupo, atrás da Turquia no saldo de gols. A partida contra o Brasil é lembrada como um dos jogos mais emocionantes da Costa Rica e de todo o mundo. A Costa Rica começou esta eliminatória no comando do primeiro técnico brasileiro Gílson Nunes e depois com o brasileiro naturalizado costarriquenho Alexandre Guimarães na primeira fase de grupos, começando com uma derrota inesperada para os visitantes de Barbados por 2-1. Em seguida, derrotam os Estados Unidos no Ricardo Saprissa por 2-1, com gols de Rolando Fonseca e Hernán Medford. Derrotaram a Guatemala no Morera Soto, Alajuela por 2-1, com dois gols de Paulo Wanchope e golearam no Ricardo Saprissa a seleção de Barbados por 3-0, com gols de Jafet Soto, Rolando Fonseca e Hernán Medford. Empataram sem gols com os Estados Unidos, em seguida, perderam para a Guatemala em Mazatenango de 2-1. Este resultado os forçou a jogar um playoff contra a Guatemala, em Miami, Flórida. Nos playoffs, a Costa Rica levou com a esmagadora vantagem de 5-2, com dois gols de Rolando Fonseca, um de Paulo Wanchope, Reynaldo Soto Parks e Jafet. Já na rodada final começou com um empate contra Honduras no Ricardo Saprissa ´pr 2-2, com gols de Rolando Fonseca e Rodrigo Cordero, em seguida, goleou Trinidad e Tobago por 3-0 no no Morera Soto, perdeu para os EUA por 1-0, derrotou o México no famoso "aztecaso" por 2-1, com gols de Rolando Fonseca e Hernán Medford, ganhou da Jamaica por 2-1 em Alajuela, em seguida, derrotou Honduras em Tegucigalpa por 3-2, com gols de Paulo Wanchope, Rolando Fonseca e Mauricio Solís. Venceu em Porto Espanha a seleção de Trinidad e Tobago por 2-0 com dois gols de Rónald Gómez, venceu os EUA por 2-0 no Ricardo Saprissa, com dois gols de Rolando Fonseca, empatou com o México sem gols no Ricardo Saprissa e, finalmente, venceu a Jamaica em Kingston por 1-0, com gol de William Sunsing. A Costa Rica terminou em primeiro lugar no hexagonal com 23 pontos em 10 jogos, à frente dos Estados Unidos e do México.