Campeonato Paulista de Futebol de 1959

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Campeonato Paulista de Futebol de 1959
Campeonato Paulista de Futebol da Primeira Divisão de 1959
Dados
Participantes 20
Organização FPF
Período
Gol(o)s Não disponível
Campeão Palmeiras (13º título)
Vice-campeão Santos
Melhor marcador Pelé
◄◄ São Paulo 1958 Soccerball.svg 1960 São Paulo ►►

O Campeonato Paulista de Futebol de 1959 teve o Palmeiras como campeão. Esse campeonato é mais conhecido como o "Supercampeonato de 1959", pois sua decisão se deu em partidas extras uma vez que Santos e Palmeiras empataram em primeiro lugar ao final do campeonato. A decisão se deu em melhor de 4 (quatro) pontos, e o Palmeiras se sagrou campeão depois de dois empates e uma vitória de 2 x 1 sobre o Santos no último jogo, com o gol decisivo marcado pelo ponta-esquerda Romeiro cobrando falta[1]. Os três rebaixados foram o XV de Jaú, o Nacional e o Comercial de São Paulo. Os dois últimos nunca mais retornaram à divisão principal.

Desde 1951, a Sociedade Esportiva Palmeiras não vencia nenhum certame de futebol profissional. Mas, em 1959, a equipe dos periquitos não fez por menos. Começou vencendo os campeonatos, infantil, juvenil, amador e aspirante[2]. O time principal, um verdadeiro esquadrão milionário, conseguiu destronar o Santos.

Jogos extras[editar | editar código-fonte]

Primeiro Jogo - Palmeiras 1 x 1 Santos[editar | editar código-fonte]

O primeiro jogo foi realizado em 5 de janeiro de 1960. O Santos tinha dois problemas: Jair Rosa Pinto e Pagão, contundidos. O treinador Lula deslocou Urubatão para lugar de Jair, fazendo entrar Feijó na zaga. Para substituir Pagão, entrou um jovem de dezesseis anos de idade chamado Coutinho. O time santista jogou com Laércio, Feijó, Getúlio e Dalmo; Formiga e Zito; Dorval, Urubatão, Coutinho, Pelé e Pepe. O Palmeiras, que não tinha problemas, jogou com Valdir, Djalma Santos, Valdemar Carabina, Aldemar e Geraldo Scotto; Zequinha e Chinesinho; Julinho Botelho, Romeiro, Américo Murolo e Géo. Aos 22 minutos do primeiro tempo Pelé abriu a contagem no Pacaembu. O Palmeiras empatou aos 32 minutos através de Zequinha. O público, que bateu o recorde de renda no campeonato, saiu reclamando de marmelada. Com o empate, ficou decidido que haveria mais dois jogos, independente do resultado da segunda partida.

Palmeiras: Valdir de Moraes; Djalma Santos, Valdemar Carabina, Aldemar e Geraldo Scotto; Zequinha e Chinesinho; Julinho Botelho, Américo Murolo, Romeiro e Géo. Técnico: Osvaldo Brandão

Santos: Laércio; Feijó, Getúlio e Dalmo; Formiga e Zito; Dorval, Urubatão, Coutinho, Pelé e Pepe. Técnico: Lula

Local: Pacaembu

Árbitro: Stefan Walter Glanz (AUT)

Gols: 1º tempo: Pelé (Santos aos 22'), Zequinha (Palmeiras aos 34')

Segundo Jogo - Palmeiras 2 x 2 Santos[editar | editar código-fonte]

No dia 07/01/1960 aconteceu mais um jogo, no mesmo Pacaembu. No Santos, Jair e Pagão continuavam de fora. No Palmeiras, o técnico Osvaldo Brandão colocou Nardo no lugar do ponteiro Géo. O jogo foi uma repetição melhorada do primeiro. Aos 44 minutos, cobrando um pênalti, Pepe abriu a contagem. No segundo tempo, logo aos 2 minutos, Getúlio do Santos faz contra e empata para o Palmeiras. Logo no começo do segundo tempo, Chinesinho faz 2x1 e aos 40 minutos, novo pênalti para o Santos e novo gol de Pepe. Fim de jogo e mais um empate, que deixava os dois clubes em igualdade de condições para decidir o campeonato na terceira partida.

Palmeiras: Valdir de Moraes; Djalma Santos, Valdemar Carabina, Aldemar e Geraldo Scotto; Zequinha e Chinesinho; Julinho Botelho, Américo Murolo, Romeiro e Nardo. Técnico: Osvaldo Brandão

Santos: Laércio; Feijó, Getúlio e Dalmo; Formiga e Zito; Dorval, Urubatão, Coutinho, Pelé e Pepe. Técnico: Lula

Local: Pacaembu

Árbitro: Catão Montez Júnior

Gols: 1º tempo: Pepe (Santos, de pênalti aos 25') 2º tempo: Getúlio (Santos, contra, aos 3'), Chinesinho (Palmeiras aos 5'), Pepe (Santos, de pênalti aos 35')

Terceiro Jogo - Palmeiras 2 x 1 Santos[editar | editar código-fonte]

O jogo decisivo foi no dia 10/01/1960, o Santos fez voltar ao time, Jair Rosa Pinto e Pagão, que tinha se casado e estava em lua de mel na cidade de Poços de Caldas. Ele voltou correndo para jogar a decisão. E logo no inicio da partida, Pagão cabeceia a bola para Pelé que marca o primeiro gol, aos 14 minutos do primeiro tempo. Logo depois, Pagão era atingido por Aldemar e ficou em campo fazendo número. Jair também não fazia uma boa partida e o Santos perdia a agressividade no ataque e a harmonia do meio do campo. Enquanto isso, Chinesinho tomava conta do jogo e Aldemar, de Pelé. A única coisa que faltava ao Palmeiras era sorte. Romeiro chutou bolas na trave. Aos 42 minutos o futebol de Chinesinho supera a falta de sorte. No meio campo, ele desarma Pelé, e passa rápido para Romeiro, que experimenta para o gol da entrada da área. Formiga corta mal e a bola sobra para Julinho, que empata o jogo.

No segundo tempo, aos 3 minutos, o juiz Anacleto Pietrobom marca uma falta de Zito em Zequinha perto da área santista. Romeiro ajeita a bola na meia lua. Cinco jogadores na barreira. Romeiro corre e chuta forte. A bola passa pela barreira e entra no ângulo esquerdo do goleiro Laércio, ex-Palmeiras. O time do Palmeiras continuou com o domínio do jogo e ainda mandou mais duas bolas na trave do Santos. Terminada a partida, o Palmeiras era o supercampeão paulista de 1959. A torcida comemorava nas ruas o título que veio nove anos depois, em cima do aparentemente imbatível Santos de Pelé

Palmeiras: Valdir de Moraes; Djalma Santos, Valdemar Carabina, Aldemar e Geraldo Scotto; Zequinha e Chinesinho; Julinho Botelho, Américo Murolo, Romeiro e Nardo. Técnico: Osvaldo Brandão

Santos: Laércio; Urubatão, Getúlio e Dalmo; Formiga e Zito; Dorval, Jair Rosa Pinto, Pagão, Pelé e Pepe. Técnico: Lula

Local: Pacaembu

Árbitro: Anacleto Pietrobon (SP)

Gols: 1º tempo: Pelé (Santos, aos 14'), Julinho Botelho (Palmeiras, aos 43') 2º tempo: Romeiro (Palmeiras, aos 3')

Premiação[editar | editar código-fonte]

Campeão Paulista de 1959
Bandeira da cidade de São Paulo.svg
PALMEIRAS
(13º título)

Classificação[editar | editar código-fonte]

Equipes 1959 PG J V E D GP GC SG %
1. Bandeira da cidade de São Paulo.svg Palmeiras 67 41 30 7 4 112 36 76
2. Bandeira Santos SaoPaulo Brasil.svg Santos 65 41 30 5 6 155 58 97
3. BandeiraAraraquara.svg Ferroviária 53 38 23 7 8 78 44 34
4. Bandeira da cidade de São Paulo.svg São Paulo 53 38 22 9 7 79 38 41
5. Bandeira da cidade de São Paulo.svg Corinthians 50 38 23 4 11 75 45 30
6. Bandeira da cidade de São Paulo.svg Portuguesa 45 38 20 5 13 86 62 24
7. Bandeirataubate.png Taubaté 37 38 16 5 17 56 70 -14
8. BandeiraRibeiraoPreto.svg Botafogo-SP 37 38 12 13 13 61 52 9
9. Bandeira Bauru.jpg Noroeste 35 38 16 3 19 59 67 -8
10. Bandeira da cidade de São Paulo.svg Juventus 33 38 11 11 16 71 67 4
11. Bandeira Santos SaoPaulo Brasil.svg Bandeira Santos SaoPaulo Brasil.svg Jabaquara 32 38 12 8 18 50 73 -23
12. Flag piracicaba.gif XV de Piracicaba 32 38 11 10 17 54 69 -15
13. Flag of Campinas.svg Guarani 31 38 12 7 19 57 81 -24
Promovido da Série A2 de 1958 14. BandeiraRibeiraoPreto.svg Comercial-RP 31 38 12 7 19 53 77 -24
15. Flag of Campinas.svg Ponte Preta 31 38 12 7 19 57 86 -29
16. Flag of São José do Rio Preto SP.png América de Rio Preto 30 38 12 6 20 44 78 -34
17. Bandeira Santos SaoPaulo Brasil.svg Portuguesa Santista 29 38 12 5 21 54 90 -36
18. Bandeira Jaú.jpg XV de Jaú 27 38 11 5 22 48 83 -35
19. Bandeira da cidade de São Paulo.svg Nacional-SP 26 38 9 8 21 57 90 -33
20. Bandeira da cidade de São Paulo.svg Comercial-SP 22 38 6 10 22 52 92 -40
OBS.: Até 1994 cada vitória valia 2 pontos. O atual sistema de pontuação entrou em vigor por determinação da FIFA a partir de 1995.
PG – Pontos ganhos; J – Jogos; V - Vitórias; E - Empates; D - Derrotas; GP – Gols pró; GC – Gols contra; SG – Saldo de gols;

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre futebol brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.