Odair Hellmann

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Odair Hellmann
Odair Hellmann
Informações pessoais
Nome completo Odair Hellmann
Data de nasc. 22 de janeiro de 1977 (42 anos)
Local de nasc. Salete (SC), Brasil
Nacionalidade brasileiro
Apelido Maionese, Papito[1]
Informações profissionais
Período em atividade como jogador: 1997–2009 (13 anos)
como treinador: 2017–presente
Equipa atual Sem clube
Posição ex-meia
Função treinador
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1997–1998
1999
2000
2000
2001
2002
2002
2003
2004
2005–2006
2007
2007–2008
2009
Internacional
Fluminense
Internacional
Veranópolis
América de Natal
Mamoré
Brasil de Pelotas
Enköpings
América-RJ
Remo
CRB
Eastern
Brasil de Pelotas
Times/Equipas que treinou
2017–2019 Internacional 00116
Última atualização: 3 de setembro de 2019

Odair Hellmann (Salete, 22 de janeiro de 1977), é um treinador e ex-futebolista brasileiro, que atuava como volante. Foi auxiliar-técnico na conquista do ouro inédito para a Seleção Brasileira de Futebol nos Jogos Olímpicos Rio 2016.[2] Atualmente, está sem clube.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Odair foi revelado no próprio Internacional, onde atuou entre 1997 e 1998, mas também atuou em clubes como Fluminense, América-RJ e Brasil de Pelotas. Também possui experiência internacional ao ter atuado no Enköpings, da Suécia[3], e no Eastern, de Hong Kong.[4]

Em 15 de janeiro de 2009 estava presente no trágico acidente de ônibus do time do Brasil de Pelotas, assim encerrado sua carreira como jogador de futebol.[5]

Como assistente e auxiliar técnico[editar | editar código-fonte]

Chegou ao Internacional no final de 2009, tendo sido assistente técnico do time juvenil (2010/2011) e da equipe Sub-20 (2012). Depois virou auxiliar técnico da comissão permanente do grupo profissional em 2013, tendo trabalhado com Dunga, Abel Braga e Diego Aguirre, entre outros.[6] Em paralelo ao Colorado, chegou a trabalhar com Seleção Brasileira nas Olimpíadas de 2016 - na ocasião, o Brasil levou o ouro pela primeira vez na competição de futebol.[7]

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Em 2015, Odair treinou interinamente o Colorado em duas partidas, após a demissão de Diego Aguirre. Posteriormente, treinou o time interinamente ainda em 2017, na Copa do Brasil, tendo vencido o Palmeiras por 2 a 1. Na ocasião, Antônio Carlos Zago havia sido demitido. Posteriormente, veio Guto Ferreira, que ficou na equipe colorada por quase seis meses. Mas ainda em novembro de 2017, Guto é demitido e Odair assumiu interinamente outra vez para as três partidas finais do time na Série B.[8]

Tendo apresentando um bom desempenho, com um empate e duas vitórias, sendo vice-campeão da Série B, aliado à recusa de Abel Braga, Odair foi mais tarde efetivado como técnico para a temporada de 2018.

Na temporada 2018, Odair liderou a reconstrução do futebol do clube na elite brasileira, terminando a Série A em terceiro lugar, e assim, assegurando uma vaga na Copa Libertadores de 2019.

Em Julho de 2019, Odair atingiu a marca de 20 meses no comando do Internacional, sendo assim o técnico mais longevo do clube em 40 anos, feito que não ocorria desde Rubens Minelli, treinador tri-campeão brasileiro nos anos 70.[9] Em 10 de outubro de 2019, após a derrota para o CSA no Campeonato Brasileiro, o quarto jogo seguido sem vitória, foi demitido pelo Internacional[10].

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Atualizado até 10 de outubro de 2019

Clube Jogos Vitórias Empates Derrotas Aproveitamento
Internacional 116 61 27 28 60,3%

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Internacional
Fluminense
Remo

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Guto Ferreira
Treinador do Internacional
2017–2019
Sucedido por
Zé Ricardo