Altair Gomes de Figueiredo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Altair
Informações pessoais
Nome completo Altair Gomes de Figueiredo
Data de nasc. 22 de janeiro de 1938 (78 anos)
Local de nasc. Rio de Janeiro Niterói (RJ),  Brasil
Informações profissionais
Posição ex-zagueiro/lateral-esquerdo e ex-treinador
Clubes de juventude
Brasil Manufatora
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1955-1971
1971
Brasil Fluminense
Brasil Sport
551 (2)
9 (0)
Seleção nacional
1959-1966 Brasil Brasil 19 (0)
Times/Equipas que treinou
1992
1996
1997
1998
Brasil Fluminense (interino)
Brasil Fluminense (interino)
Brasil Fluminense (interino)
Brasil Fluminense (interino)
Brasil Canto do Rio

Altair Gomes de Figueiredo (Niterói, 22 de janeiro de 1938) é um ex-futebolista (lateral-esquerdo e quarto-zagueiro) brasileiro[1].

Carreira[editar | editar código-fonte]

Lateral de boa técnica e jogador leal, Altair era um ótimo marcador que dificilmente perdia uma dividida, apesar de seu corpo magro em relação a sua altura, pois tinha 1,73 m e pesava 59 Kg[2].

Revelado nas categorias de base do Manufatora de Niterói, chegou ao Fluminense Football Club para atuar como quarto-zagueiro, mas como só havia vaga na lateral-esquerda, aceitou trocar de posição e se firmou como um dos grandes laterais esquerdos da história do Fluminense, tendo jogado 542 jogos por este clube e feito 3 gols, entre 1955 e 1970, tendo sido campeão carioca em 1959, 1964 e 1969, do Torneio Rio-São Paulo de 1957 e de 1960 e da Taça Guanabara em 1966 e 1969[3].

Pela Seleção Brasileira foi campeão da Copa do Mundo de 1962 e da Taça Bernardo O'Higgins em 1959, 1961 e 1962, tendo disputado também a Copa do Mundo de 1966. Jogou vinte e duas partidas pela Seleção Brasileira de Futebol, com 16 vitórias, 2 empates e quatro derrotas.[4][5]

Ao terminar a sua carreira jogando unicamente pelo seu clube do coração, Altair retornou à Niterói, sua terra natal, onde foi empresário lotérico e prestou serviços à prefeitura desta cidade em projetos educacionais ligados ao futebol. Nos anos 90, voltou ao Tricolor onde participou de várias comissões técnicas do elenco profissional, chegando a dirigir o time de maneira interina algumas vezes como também a equipe B na Copa Rio, na conquista do título estadual de 1995 do famoso gol de barriga, Altair era o auxiliar-técnico. Altair está doente e sofre do Mal de Alzheimer, doença que afeta, principalmente, a memória. A Torcida Tricolor já se mobiliza com a criação do Projeto Tricolor Solidário, que visa arrecadar fundos para os tratamentos. Agora, a diretoria também se organiza para auxiliar um de seus mais importantes atletas[6].

Títulos[editar | editar código-fonte]

Enlace externo[editar | editar código-fonte]

Site TARDES DE PACAEMBU, página editada em 6 de janeiro de 2013 disponível em 25 de novembro de 2016.
LOZETTI, Alexandre e CANÔNICO, Leandro - Site GLOBOESPORTE.COM - Sede, lágrimas, Flu e Copa de 62 na cabeça: o resgate de Altair em Brasília, página editada em 16 de junho de 2013 e disponível em 25 de novembro de 2016.

Referências