Saltar para o conteúdo

Fluminense Football Club em competições da Conmebol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ver artigo principal: Fluminense Football Club

O Fluminense participou de 24 edições de competições oficiais da Conmebol disputadas até o ano de 2024, todas elas sendo ou a primeira, ou a segunda ou a terceira competição sul-americana mais importante de suas épocas.[1][2][3] O clube ostenta como melhores resultados as conquistas da Copa Libertadores da América de 2023 e da Recopa Sul-Americana de 2024, além dos vice-campeonatos da Copa Libertadores da América de 2008 e da Copa Sul-Americana de 2009. O tricolor carioca tem ainda como destaques um terceiro lugar (em 2018), seis quartas de finais (2005, 2012, 2013, 2017, 2019 e 2021), além de um sétimo lugar antes do formato atual (1971), já tendo jogado partidas contra clubes de todos os países da América do Sul e também do México nessas competições.[4]

Na Copa Libertadores da América, a principal competição do continente, o Fluminense é o segundo clube carioca com mais pontos ganhos e com mais vitórias conquistadas até 2023. Na Copa Sul-Americana, é o segundo brasileiro com mais pontos ganhos e mais vitórias conquistadas, sendo o primeiro em pontuação e o terceiro no contexto geral, até o final de sua participação no ano de 2021.[5]

A Torcida Tricolor na final da Copa Libertadores de 2008.

Fluminense Football Club na Copa Libertadores da América

[editar | editar código-fonte]

O Fluminense Football Club participou da Copa Libertadores, a principal competição da América do Sul,[1] em dez ocasiões: 1971, 1985, 2008, 2011, 2012, 2013, 2021, 2022, 2023 e 2024, tendo como melhor resultado a conquista do torneio na edição de 2023. No total, o tricolor carioca participou de sete oitavas de final, cinco quartas de final, duas semifinais e duas finais.

Mesmo terminando em dezesseis ocasiões entre os quatro primeiros colocados do Campeonato Brasileiro, nem sempre esse foi um dos critérios de classificação para a mais importante competição da América do Sul, que passou a ter mais participantes na Copa Libertadores de 2000 e vagas para os melhores classificados nacionais do ano anterior. A partir da Copa Libertadores de 2017 passou a abranger os seis primeiros colocados do Campeonato Brasileiro, além do campeão da Copa do Brasil. No ano de 2007 o Fluminense conseguiu classificação para a edição do ano seguinte por dois critérios diferentes: foi campeão da Copa do Brasil e quarto colocado no Campeonato Brasileiro.

Em 2024, o Fluminense participa da Copa Libertadores da América sendo o campeão vigente desse torneio continental. Em 1971, 1985, 2011 e em 2013, o Flu participou da Copa Libertadores sendo o campeão vigente do Brasileirão. Já em 2008, o tricolor participou da Libertadores sendo o campeão vigente da Copa do Brasil. Além disso, o Fluzão participou da Libertadores sem possuir o status de campeão vigente de nenhuma dessas três competições (Copa Libertadores, Copa do Brasil e Brasileirão) em quatro ocasiões: em 2012, conquistando a vaga após ter terminado em terceiro lugar no Campeonato Brasileiro de 2011; em 2021, na condição de quinto colocado no Campeonato Brasileiro de 2020;[6] em 2022, sendo o sétimo colocado no Campeonato Brasileiro de 2021 (classificando-se, portanto, para a fase preliminar dessa edição); e em 2023, sendo o terceiro colocado no Campeonato Brasileiro de 2022.

Torcida do Fluminense, no setor Norte do Maracanã, durante a partida entre Fluminense e Argentinos Juniors, pelas oitavas de final da Libertadores de 2023.

Retrospecto:

Fluminense Football Club
Temporada Fase Equipe Casa Fora Agregado
1971 FG Venezuela Deportivo Galicia 4–1 3–1
Venezuela Deportivo Italia 0–1 6–0
Brasil Palmeiras 1–3 2–0
1985 FG Argentina Argentinos Juniors 0–1 0–1
Argentina Ferro Carril 0–0 0–1
Brasil Vasco da Gama 3–3 0–0
2008 FG Argentina Arsenal de Sarandí 6–0 0–2
Equador LDU 1–0 0–0
Paraguai Libertad 2–0 2–1
OF Colômbia Atlético Nacional 1–0 2–1 3–1
QF Brasil São Paulo 3–1 0–1 3–2
SF Argentina Boca Juniors 3–1 2–2 5–3
F Equador LDU 3–1 2–4 5–5 (1–3)
2011 FG México América 3–2 0–1
Argentina Argentinos Juniors 2–2 4–2
Uruguai Nacional 0–0 0–2
OF Paraguai Libertad 3–1 0–3 3–4
2012 FG Argentina Arsenal de Sarandí 1–0 2–1
Argentina Boca Juniors 0–2 2–1
Venezuela Zamora 1–0 1–0
OF Brasil Internacional 2–1 0–0 2–1
QF Argentina Boca Juniors 1–1 0–1 1–2
2013 FG Venezuela Caracas 1–0 1–0
Brasil Grêmio 0–3 0–0
Chile Huachipato 1–1 2–1
OF Equador Emelec 2–0 1–2 3–2
QF Paraguai Olimpia 0–0 1–2 1–2
2021 FG Colômbia Junior Barranquilla 1–2 1–1
Argentina River Plate 1–1 3–1
Colômbia Santa Fe 2–1 2–1
OF Paraguai Cerro Porteño 2–0 1–0 3–0
QF Equador Barcelona de Guayaquil 2–2 1–1 3–3
2022 2ºF Colômbia Millonarios 2–0 2–1 4–1
3ºF Paraguai Olimpia 3–1 0–2 3–3 (1–4)
2023 FG Argentina River Plate 5–1 0–2
Peru Sporting Cristal 1–1 3–1
Bolívia The Strongest 1–0 0–1
OF Argentina Argentinos Juniors 2–0 1–1 3–1
QF Paraguai Olimpia 2–0 3–1 5–1
SF Brasil Internacional 2–2 2–1 4–3
F Argentina Boca Juniors
2–1[a]
2024 FG Paraguai Cerro Porteño 2–1 0–0
Peru Alianza Lima 3–2 1–1
Chile Colo-Colo 2–1 1–0
OF Brasil Grêmio
Fluminense Football Club
Ano Edição Fase máxima Último adversário Jogos V E D GP GC SG Pos
1971 12ª edição Primeira fase Palmeiras 6 4 0 2 16 6 +10
1985 26ª edição Primeira fase Ferro Carril Oeste 6 1 2 3 3 6 -3 17º
2008 49ª edição Final LDU 14 9 2 3 27 14 +13
2011 52ª edição Oitavas de final Libertad 8 3 2 3 12 13 -1 15º
2012 53ª edição Quartas de final Boca Juniors 10 6 2 2 10 7 +3
2013 54ª edição Quartas de final Olimpia 10 4 3 3 9 8 +1
2021 62ª edição Quartas de final Barcelona de Guayaquil 10 5 4 1 16 10 +6
2022 63ª edição Terceira Fase Olimpia 4 3 0 1 7 3 +4 33º
2023 64ª edição Final Boca Juniors 13 8 3 2 24 12 +12
2024 65ª edição

A primeira participação do Fluminense foi nesta edição, tendo se habilitado para essa competição ao se sagrar campeão do Torneio Roberto Gomes Pedrosa de 1970, já equiparado ao Campeonato Brasileiro pela CBD em sua época e assim foi comemorado, diferentemente da Taça Brasil.[7] Neste ano o Fluminense não se classificou para a segunda fase, terminando em sétimo lugar.

Primeira fase - Grupo 3

O Fluminense ficou no Grupo 3, ao lado de Palmeiras, Deportivo Italia e Deportivo Galicia, ambos da Venezuela. Ficou em segundo lugar, atrás do Palmeiras, e com isso parou na primeira fase mesmo totalizando 8 pontos.

Equipe Pts J V E D GP GC SG
Brasil Palmeiras 10 6 5 0 1 13 5 +8
Brasil Fluminense 8 6 4 0 2 16 6 +10
Venezuela Deportivo Italia 5 6 2 1 3 7 15 -8
Venezuela Deportivo Galicia 1 6 0 1 5 9 19 -10
  DGA DIT FLU PAL
Deportivo Galicia 3–3 1–3 2–3
Deportivo Italia 3–2 0–6 0–3
Fluminense 4–1 0–1 1–3
Palmeiras 3–0 1–0 0–2

Nesta edição, o Fluminense, assim como em 1971, não conseguiu se classificar para a segunda fase. Qualificou-se para a competição ao se sagrar campeão do Campeonato Brasileiro de 1984 e caiu no Grupo 1 ao lado do vice-campeão brasileiro, o Vasco da Gama, Argentinos Juniors e Ferro Carril Oeste, esses dois últimos de Buenos Aires, Argentina.

Primeira fase - Grupo 1

O Fluminense ficou com o terceiro lugar do Grupo 1 com apenas 4 pontos e não conseguiu classificação para a fase seguinte. O Fluminense ganhou os pontos do empate por 3 a 3 contra o Vasco, por conta da situação irregular do atleta vascaíno Gersinho, decisão promulgada em 31 de agosto de 1985, com o placar não tendo sofrido alteração.[8][9]

Equipe Pts J V E D GP GC SG
Argentina Argentinos Juniors 9 6 4 1 1 9 5 4
Argentina Ferro Carril Oeste 9 6 4 1 1 7 3 4
Brasil Fluminense 4 6 1 2 3 3 6 -3
Brasil Vasco da Gama 2 6 0 3 3 6 11 -5
  ARG FER FLU VAS
Argentinos Juniors 0–1 1–0 2–2
Ferro Carril Oeste 1–3 1–0 2–0
Fluminense 0–1 0–0 3–3
Vasco da Gama 1–2 0–2 0–0

Esta foi a primeira grande participação do Fluminense na Libertadores, na qual o Flu foi vice-campeão após perder o título nos pênaltis para a LDU, com o time tricolor tendo conseguido a classificação na condição de campeão da Copa do Brasil, sendo também o quarto colocado no Campeonato Brasileiro de 2007, o que igualmente lhe daria a vaga na grande competição continental.

A goleada do Fluminense por 6 a 0 sobre o Arsenal de Sarandí na primeira fase foi a maior goleada de um clube brasileiro sobre um clube argentino na história da Copa Libertadores da América,[10] e a maior derrota do Arsenal em uma competição internacional e mesmo em campeonatos argentinos da primeira divisão, até então.[11]

A equipe comandada por Thiago Neves, Thiago Silva e Washington conseguiu a façanha de chegar a final pela primeira vez, eliminando equipes tradicionais na competição, tais como o Atlético Nacional, o São Paulo e o Boca Juniors.

Fase de Grupos - Grupo 8

Na primeira fase, o Fluminense caiu no grupo 8 considerado "o grupo da morte", ao lado da LDU, Libertad e o estreante Arsenal. Ficou em primeiro lugar no grupo 8 e no primeiro lugar geral em pontuação na Libertadores 2008.

Equipe Pts J V E D GP GC SG
Brasil Fluminense 13 6 4 1 1 11 3 8
Equador LDU 10 6 3 1 2 10 5 5
Argentina Arsenal 9 6 3 0 3 6 14 -8
Paraguai Libertad 3 6 1 0 5 5 10 -5
  ARS FLU LDU LIB
Arsenal 2–0 0–1 1–0
Fluminense 6–0 1–0 2–0
LDU 6–1 0–0 2–0
Libertad 1–2 1–2 3–1
Oitavas de final

O Fluminense, 1º colocado na classificação geral da primeira fase dessa edição da Libertadores, enfrentou o Atlético Nacional, 16º colocado.

30 de abril de 2008
20:00
Atlético Nacional Colômbia 1 – 2 Brasil Fluminense Estádio Atanasio Girardot, Medellin

Arrué Gol marcado aos 52 minutos de jogo 52' Relatório Thiago Neves Gol marcado aos 21 minutos de jogo 21' (P)
Conca Gol marcado aos 75 minutos de jogo 75'
Público: 26 546 pags
Árbitro: UruguaiURU Martín Vázquez

6 de maio de 2008
18:30
Fluminense Brasil 1 – 0 Colômbia Atlético Nacional Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro

Roger Gol marcado aos 52 minutos de jogo 52' Relatório Público: 33 616 (31 700 pags)
Árbitro: PeruPER Victor Hugo Rivera
Quartas de final
14 de maio de 2008
21:50
São Paulo Brasil 1 – 0 Brasil Fluminense Estádio do Morumbi, São Paulo

Adriano Gol marcado aos 19 minutos de jogo 19' Relatório Público: 61 710 (61 593 pags)
Árbitro: ColômbiaCOL Oscar Ruiz

21 de maio de 2008
21:50
Fluminense Brasil 3 – 1 Brasil São Paulo Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro

Washington Gol marcado aos 12 minutos de jogo 12', Gol marcado aos 90+1 minutos de jogo 90+1'
Dodô Gol marcado aos 71 minutos de jogo 71'
Relatório Adriano Gol marcado aos 70 minutos de jogo 70' Público: 72 910 (68 191 pags)
Árbitro: ParaguaiPAR Carlos Amarilla
Semifinal

Segundo o regulamento, se dois times do mesmo país tivessem passado às semifinais, os confrontos seriam alterados de forma a esses dois times se enfrentarem nessa fase, alterando os cruzamentos pré-determinados. O Flamengo foi eliminado pelo América do México nas oitavas de final, e caso tivesse seguido na competição, dois Fla-Flus teriam sido disputados nessa fase.

28 de maio de 2008
21:50
Boca Juniors Argentina 2 – 2 Brasil Fluminense Estádio Juan Domingo Perón, Buenos Aires

Riquelme Gol marcado aos 11 minutos de jogo 11', Gol marcado aos 64 minutos de jogo 64' Relatório Thiago Silva Gol marcado aos 15 minutos de jogo 15'
Thiago Neves Gol marcado aos 76 minutos de jogo 76'
Público: 37 952 pags
Árbitro: UruguaiURU Roberto Silvera

4 de junho de 2008
21:50
Fluminense Brasil 3 – 1 Argentina Boca Juniors Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro

Washington Gol marcado aos 62 minutos de jogo 62'
Conca Gol marcado aos 70 minutos de jogo 70'
Dodô Gol marcado aos 90+2 minutos de jogo 90+2'
Relatório Palermo Gol marcado aos 57 minutos de jogo 57' Público: 84 632 (78 856 pags)
Árbitro: ParaguaiPAR Carlos Torres
Final
Washington, atacante do Fluminense, momentos antes do início da final da Copa Libertadores da América de 2008.

O campeão da Libertadores 2008 teve direito de participar do Campeonato Mundial de Clubes da FIFA 2008, caso o time campeão fosse integrante da Confederação Sul-americana de Futebol. Times do México não teriam o direito de participar do Campeonato Mundial de Clubes como representante da CONMEBOL, organizadora do evento.

Além do Mundial de Clubes, o campeão da Libertadores 2008 adquiriu o direito de participar da Recopa Sul-Americana 2009, contra o campeão da Copa Sul-Americana 2008.

A final da Libertadores 2008 foi uma das melhores da história da competição. A Torcida Tricolor fez uma festa linda no Estádio do Maracanã, mas infelizmente o Tricolor não conseguiu o título inédito. A LDU foi a campeã e, automaticamente, se classificou para o Mundial de Clubes.

Na primeira partida da final, no Estádio Casa Blanca, em Quito, a LDU venceu o Fluminense por 4 a 2. Enquanto aguardava-se a partida de 2 de julho no Maracanã, os 78.918 ingressos colocados à venda foram esgotados em poucas horas ainda no dia 23 de junho, batendo o recorde brasileiro de renda em partidas entre clubes, tendo sido arrecadados R$ 3.910.044,00 apenas com a venda de entradas, equivalentes à US$ 2.460.694,77 ou 1.552.488,82 euros.

Após uma excelente partida, com uma atuação no mínimo polêmica do árbitro Héctor Baldassi,[12] perante 86.027 torcedores, o Fluminense derrotou o adversário por 3 a 1, com três gols de Thiago Neves, levando a decisão para a prorrogação e, posteriormente, para os pênaltis. Na disputa por pênaltis, o tricolor foi derrotado por 3 a 1. Conca, Thiago Neves e Washington perderam as cobranças; Cícero foi o único jogador tricolor que converteu a cobrança.

Apesar da derrota na final, o apoio dos torcedores ao técnico Renato Portaluppi e ao time foi incondicional, vista a excelente campanha no campeonato de clubes mais importante da América do Sul.

25 de junho de 2008
21:50
LDU Quito Equador 4 – 2 Brasil Fluminense Estádio Casa Blanca, Quito

Bieler Gol marcado aos 2 minutos de jogo 2'
Guerrón Gol marcado aos 29 minutos de jogo 29'
Campos Gol marcado aos 34 minutos de jogo 34'
Urrutia Gol marcado aos 45 minutos de jogo 45'
Relatório Conca Gol marcado aos 12 minutos de jogo 12'
Thiago Neves Gol marcado aos 52 minutos de jogo 52'
Público: 26 662 pags
Árbitro: ChileCHI Carlos Chandía

2 de julho de 2008
21:50
Fluminense Brasil 3 – 1 (pro) Equador LDU Quito Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro

Thiago Neves Gol marcado aos 12 minutos de jogo 12', Gol marcado aos 28 minutos de jogo 28', Gol marcado aos 58 minutos de jogo 58' Relatório Gol marcado aos 6 minutos de jogo 6' Bolaños Público: 86 027 (78 918 pags)
Árbitro: ArgentinaARG Héctor Baldassi
    Penalidades  
Conca: defesa
Thiago Neves: defesa
Cícero: marcou
Washington: defesa
1–3 Urrutia: marcou
Campos: defesa
Salas: marcou
Guerrón: marcou
 

O Fluminense garantiu a vaga após conquistar o Campeonato Brasileiro de 2010.

Após conseguir uma classificação dramática contra o Argentinos Juniors, ao vencer o clube argentino em jogo violento por 4 a 2 em Buenos Aires,[13] em grupo que contava também com os tradicionais Nacional, de Montevidéu, e América, da capital mexicana, o Fluminense viria a ser desclassificado pelo Libertad de Assunção, nas oitavas de final.

Da cidade mais ao sul do continente americano que o Fluminense jogou nessa edição, Montevidéu, até a cidade mais ao norte, a Cidade do México, são 7.561 km de distância.[14]

Fase de Grupos - Grupo 3
Equipe Pts J V E D GP GC SG
México América 10 6 3 1 2 8 7 +1
Brasil Fluminense 8 6 2 2 2 9 9 0
Uruguai Nacional 8 6 2 2 2 3 3 0
Argentina Argentinos Juniors 7 6 2 1 3 9 10 -1
  ARG NAC FLU AME
Argentinos Juniors 0–1 2–4 3–1
Nacional 0–1 2–0 0–0
Fluminense 2–2 0–0 3–2
América 2–1 2–0 1–0
Oitavas de final
28 de abril de 2011 Fluminense Brasil 3 – 1 Paraguai Libertad Estádio Engenhão, Rio de Janeiro
22:55 (UTC-3)[15]
Rafael Moura Gol marcado aos 3 minutos de jogo 3'
Marquinho Gol marcado aos 71 minutos de jogo 71'
Conca Gol marcado aos 74 minutos de jogo 74'
Relatório Gamarra Gol marcado aos 59 minutos de jogo 59' Público: 25 378 (22 505 pags)
Árbitro: ArgentinaARG Sergio Pezzotta

4 de maio de 2011 Libertad Paraguai 3 – 0 Brasil Fluminense Estádio Defensores del Chaco, Assunção
20:50 (UTC-4)
Rojas Gol marcado aos 57 minutos de jogo 57'
Samudio Gol marcado aos 85 minutos de jogo 85'
Núñez Gol marcado aos 90 minutos de jogo 90'
Relatório Público: 2 699 pags
Árbitro: UruguaiURU Roberto Silvera

O Fluminense conquistou a vaga após chegar em terceiro lugar no Campeonato Brasileiro de 2011. Além dos dois clubes da Província de Buenos Aires, na Argentina, o Flu jogou na cidade de Barinas, há 525 kms. da capital venezuelana, Caracas, na primeira fase desta edição da Copa Libertadores, e contra o gaúcho Internacional, em confronto brasileiro nas oitavas de final.

Participação marcada por quatro confrontos intensos contra o Boca Juniors da Argentina, que incluiu uma arbitragem polêmica no primeiro jogo das quartas de final que foi decisiva para a desclassificação tricolor.

Fase de Grupos - Grupo 4
Equipe Pts J V E D GP GC SG
Brasil Fluminense 15 6 5 0 1 7 4 +3
Argentina Boca Juniors 13 6 4 1 1 9 3 +6
Argentina Arsenal de Sarandí 6 6 2 0 4 6 7 –1
Venezuela Zamora 1 6 0 1 5 0 8 –8
  BOC ZAM FLU ARS
Boca Juniors 2–0 1–2 2–0
Zamora 0–0 0–1 0–1
Fluminense 0–2 1–0 1–0
Arsenal de Sarandí 1–2 3–0 1–2
Oitavas de final
25 de abril de 2012 Internacional Brasil 0 − 0 Brasil Fluminense Estádio Beira-Rio, Porto Alegre
21:50 (UTC-3)
Relatório Público: 32 268 (28 152 pags)
Árbitro: BrasilBRA Paulo de Oliveira

10 de maio de 2012 Fluminense Brasil 2 − 1 Brasil Internacional Estádio Engenhão, Rio de Janeiro
22:00 (UTC-3)
Leandro Euzébio Gol marcado aos 15 minutos de jogo 15'
Fred Gol marcado aos 45 minutos de jogo 45'
Relatório Leandro Damião Gol marcado aos 13 minutos de jogo 13' Público: 33 386 (29 430 pags)
Árbitro: BrasilBRA Wilson Seneme
Quartas de final
17 de maio de 2012 Boca Juniors Argentina 1 − 0 Brasil Fluminense Estádio La Bombonera, Buenos Aires
19:45 (UTC-3)
Mouche Gol marcado aos 51 minutos de jogo 51' Relatório Público: 37 320 pags
Árbitro: ColômbiaCOL José Buitrago

23 de maio de 2012 Fluminense Brasil 1 − 1 Argentina Boca Juniors Estádio Engenhão, Rio de Janeiro
19:30 (UTC-3)
Carleto Gol marcado aos 16 minutos de jogo 16' Relatório Santiago Silva Gol marcado aos 90 minutos de jogo 90' Público: 36 276 (31 280 pags)
Árbitro: ChileCHI Enrique Osses

O Fluminense garantiu a vaga após conquistar o Campeonato Brasileiro de 2012. Na primeira fase o time tricolor jogou contra o Grêmio, na Região Sul do Brasil, contra o Huachipato, da cidade de Talcahuano, há 427 kms da capital chilena, Santiago, e contra o Caracas, da capital da Venezuela, no Norte da América do Sul. Talcahuano e Caracas ficam há 5.296 kms de distância entre elas.[16]

Ainda sem poder atuar no Estádio do Maracanã, em reformas visando a Copa do Mundo de 2014, como ocorreu nas duas edições anteriores, o Fluminense chegou as quartas de finais da competição vindo a ser desclassificado pelo Olímpia, de Assunção, Paraguai.

Fase de Grupos - Grupo 8

Equipe Pts J V E D GP GC SG
Brasil Fluminense 11 6 3 2 1 5 5 0
Brasil Grêmio 8 6 2 2 2 10 6 +4
Chile Huachipato 8 6 2 2 2 10 8 +2
Venezuela Caracas 6 6 2 0 4 6 12 –6
  FLU HUA CAR GRE
Fluminense 1–1 1–0 0–3
Huachipato 1–2 1–3 1–1
Caracas 0–1 0–4 2–1
Grêmio 0–0 1–2 4–1

Oitavas de final

2 de maio de 2013 Emelec Equador 2 − 1 Brasil Fluminense Estádio George Capwell, Guaiaquil
20:30 (UTC-5)
Leandro Euzébio Gol marcado aos 32 minutos de jogo 32' (g.c.)
Gaibor Gol marcado aos 86 minutos de jogo 86' (pen)
Relatório Wagner Gol marcado aos 43 minutos de jogo 43' Público: 18 000
Árbitro: ColômbiaCOL Wilmar Roldán

8 de maio de 2013 Fluminense Brasil 2 − 0 Equador Emelec Estádio São Januário, Rio de Janeiro
22:00 (UTC-3)
Fred Gol marcado aos 28 minutos de jogo 28'
Carlinhos Gol marcado aos 85 minutos de jogo 85'
Relatório Público: 14 469 (12 323 pags)
Árbitro: PeruPER Víctor Carrillo

Quartas de final

22 de maio de 2013 Fluminense Brasil 0 − 0 Paraguai Olimpia Estádio São Januário, Rio de Janeiro
22:00 (UTC-3)
Relatório Público: 16 907 (14 215 pags)
Árbitro: UruguaiURU Roberto Silvera

29 de maio de 2013 Olimpia Paraguai 2 − 1 Brasil Fluminense Estádio Defensores del Chaco, Assunção
21:00 (UTC-4)
Salgueiro Gol marcado aos 34 minutos de jogo 34', Gol marcado aos 40 minutos de jogo 40' (pen) Relatório Rhayner Gol marcado aos 9 minutos de jogo 9' Público: 32 000
Árbitro: UruguaiURU Daniel Fedorczuk

O Fluminense conquistou a vaga após chegar em quinto lugar no Campeonato Brasileiro de 2020 classificando-se para a Copa Libertadores de 2021. No sorteio da Conmebol o clube ficou no grupo D, junto do argentino River Plate e os colombianos Independiente Santa Fe e Junior Barranquilla.

Fred ao ser questionado em uma coletiva de imprensa sobre o grupo que o Fluminense participaria, ele respondeu: “esses jogos dão corpo à equipe, dão confiança”. Considerado pela imprensa e por vários torcedores de diversos clubes como o "grupo da morte", o Fluminense se impôs e avançou como o primeiro colocado da Fase de Grupos, tendo destaque o último jogo na qual venceu o River Plate em pleno Estádio Monumental de Núñez pelo placar de 3 a 1.[17][18]

Nas oitavas de final, não tomou conhecimento do adversário e venceu o jogo de ida e de volta, eliminando assim o Cerro Porteño.[19] Nas quartas de final, após dois empates no jogo de ida e na volta, o Fluminense foi eliminado pela regra do gol fora de casa.[20]

Devido a pandemia da Covid-19 os jogos da fase de grupos e todos os do Fluminense com mando de campo foram realizados com portões fechados.

Fase de grupos - Grupo D
Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG Classificado Brasil FLU Argentina RIV Colômbia JUN Colômbia SFE
1 Brasil Fluminense 11 6 3 2 1 10 7 +3 Fase final 1–1 1–2 2–1
2 Argentina River Plate 9 6 2 3 1 7 7 0 1–3 2–1 2–1
3 Colômbia Junior de Barranquilla 7 6 1 4 1 6 6 0 Fase final da Sul-Americana 1–1 1–1 1–1
4 Colômbia Santa Fe 3 6 0 3 3 4 7 −3 1–2 0–0 0–0
Fonte: CONMEBOL

Oitavas de Final

13 de julho de 2021 Cerro Porteño Paraguai 0 – 2 Brasil Fluminense Estádio General Pablo Rojas, Assunção
18:15 (UTC−4)
Relatório Nenê Gol marcado aos 49 minutos de jogo 49'
Egídio Gol marcado aos 61 minutos de jogo 61'
Árbitro: ArgentinaARG Facundo Tello

3 de agosto de 2021[a] Fluminense Brasil 1 – 0 Paraguai Cerro Porteño Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
19:15 (UTC−3)
Fred Gol marcado aos 24 minutos de jogo 24' (pen) Relatório Árbitro: ColômbiaCOL Wilmar Roldán

Quartas de Final

12 de agosto de 2021 Fluminense Brasil 2 – 2 Equador Barcelona de Guayaquil Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
21:30 (UTC−3)
Gabriel Teixeira Gol marcado aos 26 minutos de jogo 26'
Fred Gol marcado aos 90+5 minutos de jogo 90+5' (pen)
Relatório Preciado Gol marcado aos 69 minutos de jogo 69'
Cortez Gol marcado aos 88 minutos de jogo 88' (pen)
Árbitro: VenezuelaVEN Alexis Herrera

19 de agosto de 2021 Barcelona de Guayaquil Equador 1 – 1 Brasil Fluminense Estádio Monumental, Guayaquil
19:30 (UTC−5)
Gonzalo Mastriani Gol marcado aos 73 minutos de jogo 73' Relatório Fred Gol marcado aos 90+8 minutos de jogo 90+8' (pen) Árbitro: UruguaiURU Esteban Ostojich

Pela primeira vez o Fluminense participa da competição nas fases de "Pré-Libertadores", no sorteio caiu na mesma chave que outros dois campeões de Libertadores, Atlético Nacional e Olimpia. Na primeira partida da 3ª Fase, contra o Olimpia, o jogador argentino Germán Cano marcou o centésimo gol do Fluminense dentro da competição.

2ª Fase (Pré-Libertadores)

O Fluminense classifica-se na sétima colocação do Brasileirão de 2021, por isso entra na 2ª fase da Pré-Libertadores.

22 de fevereiro de 2022
19:30 (UTC−5)
Millonarios Colômbia 1 – 2 Brasil Fluminense Estádio El Campín, Bogotá

Sosa Gol marcado aos 7 minutos de jogo 7' Relatório David Braz Gol marcado aos 43 minutos de jogo 43'
Cano Gol marcado aos 77 minutos de jogo 77'
Público: 31 086
Árbitro: ArgentinaARG Darío Herrera

1 de março de 2022
21:30 (UCT-3)
Fluminense Brasil 2 – 0 Millonarios Colômbia Estádio de São Januário, Rio de Janeiro

Willian Gol marcado aos 61 minutos de jogo 61'
Arias Gol marcado aos 73 minutos de jogo 73'
Relatório Público: ?*
Árbitro: ArgentinaARG Fernando Rapallini
  • Devido a problemas com a leitura dos ingressos e cartões de sócio-torcedores na entrada de São Januário, o público da partida não foi divulgado, apesar da carga de ingressos disponibilizados ter sido esgotado dois dias antes da partida.[2][3]

3ª Fase (Pré-Libertadores)

9 de março de 2022 Fluminense Brasil 3 − 1 Paraguai Olimpia Estádio Engenhão, Rio de Janeiro
21:30 (UTC-3)
Cano Gol marcado aos 11 minutos de jogo 11', Gol marcado aos 68 minutos de jogo 68'
Luiz Henrique Gol marcado aos 47 minutos de jogo 47'
Relatório Derlis González Gol marcado aos 11 minutos de jogo 11' Público: 31 799 (30 531 pags)
Árbitro: ArgentinaARG Facundo Tello

16 de março de 2022 Olimpia Paraguai 2 − 0 Brasil Fluminense Estádio Defensores del Chaco, Assunção
20:30 (UTC-4)
Recalde Gol marcado aos 36 minutos de jogo 36'
Paiva Gol marcado aos 89 minutos de jogo 89'
Relatório Público: 35 000
Árbitro: ChileCHL Roberto Tobar
    Penalidades  
Quintana: marcou
Camacho: marcou
Ortíz: marcou
Derlis González: marcou
1–3 Willian: defesa
Felipe Melo: defesa
André: marcou
 

O Fluminense conquistou a vaga após alcançar o terceiro lugar no Campeonato Brasileiro de 2022, classificando-se diretamente para a fase de grupos da Copa Libertadores de 2023. No sorteio da Conmebol, o tricolor ficou no grupo D junto com o argentino River Plate, o boliviano The Strongest e o peruano Sporting Cristal.[21]

Após 15 anos, o Fluminense voltou a jogar no Maracanã para a sua torcida, uma vez que as obras do estádio e a pandemia de COVID-19 impediram essa oportunidade em edições anteriores. Vale lembrar que, nesse contexto, os estádios do Engenhão e de São Januário alocaram o Fluminense em quatro oportunidades (2011, 2012, 2013 e 2022) e, durante a pandemia, o Maracanã recebeu o Fluminense, sem público, em 2021.[22]

O reencontro da torcida tricolor com o Fluminense no Maracanã, em partidas válidas pela Libertadores, resultou no maior público já registrado em uma final única da Copa Libertadores da América, que foi alcançado na partida do dia 4 de novembro, contra o Boca Juniors (69.233 presentes no Maracanã). Além disso, outras duas partidas do Fluminense no Maracanã registraram grandes públicos ao longo da competição: a partida de ida da semifinal, contra o Internacional de Porto Alegre, obteve 67.615 torcedores presentes[23], e a partida de ida das quartas de final, contra o Olimpia, obteve 64.047 torcedores presentes. O retorno dos jogos do Fluminense com a presença de torcedores no Maracanã promoveu, portanto, três dos dez maiores públicos da Copa Libertadores de 2023. Vale ressaltar também o público registrado na partida contra o River Plate, válida pela terceira rodada do grupo D. O jogo contou com a presença de 62.505 torcedores e terminou com uma verdadeira goleada tricolor: 5 a 1 para o Fluminense.[24]

Comandado pelo técnico Fernando Diniz, o time do Fluminense terminou a fase de grupos como líder do grupo D, com 10 pontos, e avançou para a fase mata-mata. Nas oitavas de final o tricolor encarou o Argentinos Juniors (adversário definido através do sorteio da CONMEBOL) e classificou-se para a fase seguinte após empatar em 1 a 1 o primeiro jogo, no Estádio Diego Armando Maradona,[25] e vencer por 2 a 0 o jogo da volta, no Maracanã.[26]

Nas quartas de final, o Flu enfrentou o tradicional Olimpia, do Paraguai. Contra os paraguaios, o Fluminense venceu tanto o jogo de ida como o jogo de volta. Na ida, o Flu venceu por 2 a 0 no Maracanã.[27] Na volta, o tricolor venceu por 3 a 1 em pleno Defensores del Chaco e alcançou a classificação para as semifinais.[28] Após a classificação contra o Olimpia, o Fluminense se consolidou como um dos quatro melhores times do continente ao lado do Boca Juniors, do Palmeiras e do Internacional.

Nas semifinais, o tricolor carioca enfrentou o Internacional em dois jogos históricos. Na partida de ida, no Maracanã, o Flu abriu o placar com o atacante argentino Germán Cano, levou a virada no segundo tempo e chegou ao empate no final do jogo com mais um gol de Cano.[29] Na partida de volta, no Beira-Rio, o tricolor começou o confronto perdendo por 1 a 0 e encontrou muitas dificuldades para impor seu ritmo de jogo. Mas, aos 36 minutos do 2º tempo, o jovem John Kennedy igualou o placar e, seis minutos depois (aos 42 minutos do 2º tempo), o artilheiro Germán Cano marcou seu 12º gol nessa edição da Copa Libertadores e carimbou a classificação do Fluminense para a grande final, realizada em partida única no Maracanã, contra o Boca Juniors.[30][31] A grande decisão entre Fluminense e Boca Juniors foi a 16ª final de Copa Libertadores da América entre um time brasileiro e um time argentino.[32]

Cartaz promocional da grande decisão da Copa Libertadores da América de 2023.

Com essa campanha histórica, o Fluminense retornou à final do torneio continental após 15 anos, alcançando, dessa forma, sua segunda final de Copa Libertadores da América, sendo decidida novamente no Maracanã.[33][34]

No dia 4 de novembro, Fluminense e Boca Juniors duelaram no Maracanã pelo título de campeão da Copa Libertadores da América. A final da Copa Libertadores da América de 2023 teve arbitragem colombiana, tendo o experiente árbitro Wilmar Roldán como responsável por conduzir a partida. Jogando com seus uniformes tradicionais, Boca Juniors e Fluminense contaram com a presença de 69.233 pessoas no Maracanã, sendo esse o maior público já registrado em uma final única da Copa Libertadores da América.

O início da decisão foi marcado pelas tentativas do Fluminense em controlar a posse de bola, enquanto que o time do Boca Juniors esperava pelo erro tricolor para chegar ao gol de Fábio. Aos 36 minutos de jogo, após uma tabela entre Keno e Jhon Arias próxima à linha lateral, o camisa 11 tricolor rolou a bola para Germán Cano que, dentro da grande área, chutou de primeira e abriu o placar para o tricolor carioca. O primeiro tempo terminou aos 47 minutos com o placar de 1 a 0 para o Fluminense.

Já no segundo tempo, a partida mudou de configuração. O Boca Juniors foi mais incisivo e buscou impor seu ritmo de jogo para empatar a decisão e o Fluminense adotou uma postura mais cautelosa e reativa, obtendo uma menor posse de bola em relação à primeira etapa. Após várias tentativas da equipe argentina, Luis Advíncula finalizou na entrada da grande área e empatou a partida aos 27 minutos. Com o gol da equipe Azul y Oro, o Fluminense buscou se reorganizar na partida e voltou a impor seu ritmo. Aos 48 minutos do segundo tempo, o lateral Diogo Barbosa ainda teve a chance de desempatar a decisão, mas acabou finalizando para fora. Terminava assim o tempo regulamentar da grande final.

No primeiro tempo da prorrogação, o Fluminense passou a arriscar mais a fim de evitar a disputa de pênaltis, que para o Boca Juniors seria o cenário ideal. Aos 8 minutos da prorrogação, Keno recebeu de Diogo Barbosa um passe pelo alto e ajeitou para John Kennedy, que finalizou forte para estufar as redes do gol de Sérgio Romero. O Fluminense estava mais uma vez vencendo a partida. Após comemorar com a torcida, Kennedy, o herói do título, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso de campo. Antes do término dos primeiros 15 minutos da prorrogação, Frank Fabra também foi expulso (por ter desferido um tapa no rosto do zagueiro Nino) e a partida passou a ter 10 jogadores de cada equipe.

No segundo tempo da prorrogação, o Boca partiu para o tudo ou nada e, com o passar do tempo, adotou uma postura mais agressiva no campo de ataque. A equipe argentina contou com finalizações de Darío Benedetto e com inúmeras bolas alçadas na área para buscar o gol que levaria a partida para a decisão por pênaltis. Por um erro no campo de ataque, o Boca quase levou o terceiro gol, mas Guga carimbou a trave direita do gol argentino, aos 9 minutos da segunda etapa. Já nos acréscimos, Vicente Taborda, no desespero, lançou a bola para dentro da área tricolor, mas Fábio tirou de soco e Lima chutou a bola para longe. Foi o último lance da partida. A última tentativa Xeneize. Após Lima afastar o perigo, Roldán foi buscar a bola na linha lateral e decretou o fim da decisão. O Fluminense, pela primeira vez na história, conquistava a Copa Libertadores da América ao vencer o Boca Juniors por 2 a 1.[35]

Fase de grupos - Grupo D
Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG Classificado Brasil FLU Argentina RIV Peru SCR Bolívia STR
1 Brasil Fluminense 10 6 3 1 2 10 6 +4 Fase final 5–1 1–1 1–0
2 Argentina River Plate 10 6 3 1 2 11 11 0 2–0 4–2 2–0
3 Peru Sporting Cristal 8 6 2 2 2 8 10 −2 Play-offs da Sul-Americana 1–3 1–1 1–0
4 Bolívia The Strongest 6 6 2 0 4 5 7 −2 1–0 3–1 1–2
Fonte: CONMEBOL
Regras para classificação: 1) Pontos; 2) Saldo de gols; 3) Gols marcados; 4) Gols marcados como visitante; 5) Ranking CONMEBOL.

Oitavas de Final

1 de agosto de 2023 Argentinos Juniors Argentina 1 − 1 Brasil Fluminense Estádio Diego Armando Maradona, Buenos Aires
19:00 (UTC-3)
Ávalos Gol marcado aos 14 minutos de jogo 14' Relatório Samuel Xavier Gol marcado aos 87 minutos de jogo 87' Público: 7 860
Árbitro: ChileCHI Piero Maza

8 de agosto de 2023 Fluminense Brasil 2 − 0 Argentina Argentinos Juniors Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
19:00 (UTC-3)
Samuel Xavier Gol marcado aos 86 minutos de jogo 86'
John Kennedy Gol marcado aos 90+7 minutos de jogo 90+7'
Relatório Público: 61 396 (55 865 pags)
Árbitro: VenezuelaVEN Alexis Herrera

Quartas de Final

24 de agosto de 2023 Fluminense Brasil 2 − 0 Paraguai Olimpia Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
21:30 (UTC-3)
André Gol marcado aos 43 minutos de jogo 43'
Cano Gol marcado aos 59 minutos de jogo 59'
Relatório Público: 64 047 (58 672 pags)
Árbitro: UruguaiURU Andrés Matonte

31 de agosto de 2023 Olimpia Paraguai 1 − 3 Fluminense Brasil Estádio Defensores del Chaco, Assunção
20:30 (UTC-4)
Zabala Gol marcado aos 44 minutos de jogo 44' Relatório John Kennedy Gol marcado aos 24 minutos de jogo 24'
Cano Gol marcado aos 80 minutos de jogo 80', Gol marcado aos 90+1 minutos de jogo 90+1'
Público: 40 000
Árbitro: VenezuelaVEN Jesús Valenzuela

Semifinal

27 de setembro de 2023 Fluminense Brasil 2 − 2 Brasil Internacional Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
21:30 (UTC-3)
Cano Gol marcado aos 10 minutos de jogo 10', Gol marcado aos 78 minutos de jogo 78' Relatório Hugo Mallo Gol marcado aos 45+5 minutos de jogo 45+5'
Alan Patrick Gol marcado aos 64 minutos de jogo 64'
Público: 67 515 (61 454 pags)
Árbitro: ArgentinaARG Darío Herrera

4 de outubro de 2023 Internacional Brasil 1 − 2 Brasil Fluminense Estádio Beira-Rio, Porto Alegre
21:30 (UTC-3)
Mercado Gol marcado aos 10 minutos de jogo 10' Relatório John Kennedy Gol marcado aos 81 minutos de jogo 81'
Cano Gol marcado aos 87 minutos de jogo 87'
Público: 50 002 (42 381 pags)
Árbitro: VenezuelaVEN Jesús Valenzuela

Final

4 de novembro de 2023 Boca Juniors Argentina 1 – 2 (pro) Brasil Fluminense Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
17:00 (UTC−3)
Advíncula Gol marcado aos 71 minutos de jogo 71' Relatório Cano Gol marcado aos 35 minutos de jogo 35'
John Kennedy Gol marcado aos 98 minutos de jogo 98'
Público: 69 232
Renda: R$ 31.702.250,00
Árbitro: ColômbiaCOL Wilmar Roldán
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
0
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Boca Juniors
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Fluminense
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
0
G 1 Argentina Sergio Romero (c)
LD 17 Peru Luis Advíncula
Z 4 Argentina Nicolás Figal Penalizado com cartão amarelo após 68 minutos 68' Substituído após 113 minutos de jogo 113'
Z 15 Argentina Nicolás Valentini
LE 18 Colômbia Frank Fabra Expulso a 105+7 minutos 105+7'
M 36 Argentina Cristian Medina Substituído após 106 minutos de jogo 106'
M 8 Argentina Guillermo Fernández
M 21 Argentina Ezequiel Fernández Substituído após 106 minutos de jogo 106'
M 19 Argentina Valentín Barco Substituído após 78 minutos de jogo 78'
A 16 Uruguai Miguel Merentiel Substituído após 91 minutos de jogo 91'
A 10 Uruguai Edinson Cavani Penalizado com cartão amarelo após 64 minutos 64' Substituído após 78 minutos de jogo 78'
Substitutos:
G 13 Argentina Javier García
Z 2 Argentina Facundo Roncaglia
Z 3 Uruguai Marcelo Saracchi Penalizado com cartão amarelo após 120 minutos 120' Entrou em campo após 106 minutos 106'
Z 25 Paraguai Bruno Valdez Entrou em campo após 113 minutos 113'
Z 57 Argentina Marcelo Weigandt
M 20 Argentina Juan Ramírez
M 23 Argentina Diego González
M 39 Argentina Vicente Taborda Entrou em campo após 106 minutos 106'
M 49 Colômbia Jorman Campuzano
A 9 Argentina Darío Benedetto Entrou em campo após 78 minutos 78'
A 11 Argentina Lucas Janson Entrou em campo após 91 minutos 91'
A 41 Argentina Luca Langoni Penalizado com cartão amarelo após 94 minutos 94' Entrou em campo após 78 minutos 78'
Técnico:
Argentina Jorge Almirón
G 1 Brasil Fábio
LD 2 Brasil Samuel Xavier Substituído após 85 minutos de jogo 85'
Z 33 Brasil Nino (c) Penalizado com cartão amarelo após 105+7 minutos 105+7'
Z 30 Brasil Felipe Melo Substituído após 52 minutos de jogo 52'
LE 12 Brasil Marcelo Substituído após 80 minutos de jogo 80'
V 8 Brasil Martinelli Substituído após 80 minutos de jogo 80'
V 7 Brasil André
M 21 Colômbia Jhon Arias
M 10 Brasil Ganso Substituído após 80 minutos de jogo 80'
A 11 Brasil Keno Penalizado com cartão amarelo após 67 minutos 67' Substituído após 103 minutos de jogo 103'
A 14 Argentina Germán Cano Penalizado com cartão amarelo após 120 minutos 120'
Substitutos:
G 22 Brasil Pedro Rangel
Z 4 Brasil Marlon Entrou em campo após 52 minutos 52'
Z 23 Brasil Guga Entrou em campo após 85 minutos 85'
Z 40 Brasil Diogo Barbosa Entrou em campo após 80 minutos 80'
Z 44 Brasil David Braz Entrou em campo após 103 minutos 103'
M 5 Brasil Alexsander
M 19 Uruguai Leonardo Fernández
M 20 Brasil Daniel
M 29 Brasil Thiago Santos
M 45 Brasil Lima Entrou em campo após 80 minutos 80'
A 9 Brasil John Kennedy Penalizado a 89 minutosPenalizado a 101 minutosExpulso a 101 minutos 89', 101' Entrou em campo após 80 minutos 80'
A 38 Colômbia Yony González
Técnico:
Brasil Fernando Diniz

O Fluminense, campeão vigente da Copa Libertadores da América, foi o cabeça de chave do grupo A pela primeira vez na história. Além disso, com a participação na 65ª edição da Libertadores o tricolor carioca alcançou a marca de 10 participações no torneio continental. No sorteio da fase de grupos, realizado no dia 18 de março na sede da Conmebol, em Luque, no Paraguai, definiu-se que o paraguaio Cerro Porteño, o peruano Alianza Lima e o chileno Colo-Colo seriam os três clubes adversários do Fluminense nessa etapa da Libertadores.[36]

Sob o comando do técnico Fernando Diniz, o Fluminense mais uma vez se consolidou como o líder de seu grupo, tendo alcançado um total de 14 pontos. Dessa forma, o Tricolor das Laranjeiras avançou para as oitavas de final pela sétima vez na história da Copa Libertadores.[37]

Através do sorteio dos confrontos das oitavas de final, foi definido que o Fluminense irá encarar o Grêmio. O jogo de ida será no dia 13 de agosto, na Arena do Grêmio, enquanto que o jogo da volta ocorrerá no dia 20 de agosto, no Maracanã.[38]

Fase de grupos - Grupo A
Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG Classificado Brasil FLU Chile COL Paraguai CPO Peru ALI
1 Brasil Fluminense 14 6 4 2 0 9 5 +4 Fase final 2–1 2–1 3–2
2 Chile Colo-Colo 6[b] 6 1 3 2 4 5 −1 0–1 1–0 0–0
3 Paraguai Cerro Porteño 6[b] 6 1 3 2 4 5 −1 Play-offs Sul-Americana 0–0 1–1 1–0
4 Peru Alianza Lima 4 6 0 4 2 5 7 −2 1–1 1–1 1–1
Fonte: CONMEBOL
Regras para classificação: 1) Pontos / 2) Saldo de gols / 3) Gols marcados / 4) Gols marcados como visitante / 5) Ranking CONMEBOL.
Notas:
  1. A final dessa competição é disputada como partida única.
  2. a b Gols marcados como visitante: Colo-Colo 3, Cerro Porteño 2.


Oitavas de final

13 de agosto de 2024 Grêmio Brasil Brasil Fluminense Arena do Grêmio, Porto Alegre
19:00 (UTC-3)
Público: A definir
Árbitro: A definir

20 de agosto de 2024 Fluminense Brasil Brasil Grêmio Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
19:00 (UTC-3)
Público: A definir
Árbitro: A definir

Estatísticas na Copa Libertadores da América

[editar | editar código-fonte]
  • Atualizadas até 31 de maio de 2024.

Adversários por países

[editar | editar código-fonte]
Fonte das estatísticas.[39]
Adversário J V E D GP GC SG
 Argentina 23 10 6 7 37 25 12
 Bolívia 2 1 - 1 1 1 0
 Brasil 12 4 5 3 15 15 0
 Chile 4 3 1 - 6 3 3
 Colômbia 8 6 1 1 13 7 6
Equador 8 3 3 2 12 10 2
 México 2 1 - 1 3 3 0
 Paraguai 14 9 2 3 21 12 9
 Peru 4 2 2 - 8 5 3
Uruguai 2 - 1 1 0 2 -2
 Venezuela 8 7 - 1 17 3 14
Totais 87 46 (52,87%) 21 (24,14%) 20 (22,99%) 133 (60,73% ou 1,53pj) 86 (39,27% ou 0,99pj) 47
J - jogos; V - vitórias; E - empates; D - derrotas;
GP - gols pró; GC - gols contra; SG - saldo de gols;
Nota: Contabilizado como vitória o empate por 3 a 3 contra o Vasco da Gama, por conta da situação irregular do atleta vascaíno Gersinho, decisão promulgada pela Conmebol em 31 de agosto de 1985, com o placar não tendo sofrido alteração.[40][41][42]

Dados históricos

[editar | editar código-fonte]
  1. Único clássico carioca na Copa Libertadores da América: Clássico dos Gigantes. (1985)
  2. Primeira partida de decisão de Copa Libertadores da América no Estádio do Maracanã. (2008)
  3. Único jogador a fazer três gols em uma decisão de Copa Libertadores da América: Thiago Neves. (2008)
  4. O clube contra o qual o Fluminense disputou mais partidas pela Copa Libertadores da América é o Boca Juniors, totalizando sete partidas (incluindo uma decisão). Veja mais no artigo sobre o confronto contra o Boca Juniors.
  5. O estádio no qual o Fluminense mais jogou como visitante é o Defensores del Chaco, com 5 partidas no total.
  6. Germán Cano é o jogador que mais fez gols em uma única edição de Copa Libertadores da América pelo Fluminense, tendo marcado 13 gols. Além disso, Cano é o segundo atleta da história do Fluminense coroado como Rei da América, compartilhando o feito com o paraguaio Romerito. (2023)
  7. Ao atuar pelo Fluminense na 64ª Copa Libertadores da América, o goleiro Fábio se tornou o brasileiro com mais jogos na história da competição e o primeiro a atuar em 100 partidas. (2023)
  8. Tendo integrado o elenco que conquistou o primeiro título continental do Fluminense, o jogador Marcelo entrou para o seleto grupo de atletas que foram campeões tanto da Copa Libertadores da América quanto da UEFA Champions League. (2023)
  9. Com a conquista tricolor da Copa Libertadores da América, Felipe Melo se tornou um dos poucos jogadores brasileiros tricampeões do torneio continental. (2023)
  10. Com o título inédito da Copa Libertadores da América, o Fluminense se tornou o único campeão da competição que venceu o River Plate e o Boca Juniors numa mesma edição do torneio. (2023)
  11. O Fluminense se tornou o primeiro clube do continente a conquistar a Copa Libertadores da América vencendo cinco campeões (Boca Juniors, River Plate, Olimpia, Internacional e Argentinos Juniors foram os clubes enfrentados pelo Fluminense). (2023)
  12. A final entre Fluminense e Boca Juniors registrou o maior público de uma final única da Copa Libertadores da América. (2023)
  13. Pela fase de grupos da 65ª edição da Copa Libertadores da América, Germán Cano marcou seu 17º gol na competição, ultrapassando Pelé, Zico e Jardel (cada um com 16 gols) na artilharia histórica do torneio. Além disso, o atacante argentino se tornou o maior artilheiro estrangeiro de um clube brasileiro na Libertadores da América, dividindo o posto com o peruano Paolo Guerrero. (2024)
  14. Durante a fase de grupos da 65ª Copa Libertadores, o Fluminense alcançou a marca de 14 jogos de invencibilidade, sendo essa a maior sequência invicta da história do clube na competição. (2024)

Maiores goleadas

[editar | editar código-fonte]
  1. Deportivo Itália Venezuela 0–6 Fluminense, 17 de fevereiro de 1971, Olímpico de Caracas.
  2. Fluminense 6–0 Arsenal de Sarandí Argentina, 5 de março de 2008, Maracanã.
  3. Fluminense 5–1 River Plate Argentina, 2 de maio de 2023, Maracanã.
  4. Fluminense 4–1 Deportivo Galicia Venezuela, 28 de fevereiro de 1971, Maracanã.

Maiores artilheiros

[editar | editar código-fonte]
Fred, segundo maior artilheiro e jogador que mais jogou pelo Fluminense na Copa Libertadores.
Jogador Ano(s) Gols Ref
Argentina Germán Cano 2022; 2023; 2024 17 [43]
Brasil Fred 2011; 2012; 2013; 2021; 2022 15
Brasil Thiago Neves 2008; 2012; 2013 7
Brasil Washington 2008 6
Brasil John Kennedy 2023; 2024 5
Brasil Rafael Moura 2011; 2012
Argentina Darío Conca 2008; 2011 4
Brasil Dodô 2008
Brasil Flávio 1971
Brasil Samarone 1971

Jogadores que mais atuaram

[editar | editar código-fonte]
Jogador Ano(s) Partidas Ref
Brasil Fred 2011; 2012; 2013; 2021; 2022 29 [44]
Brasil Thiago Neves 2008; 2012; 2013 28
Brasil Martinelli 2021; 2022; 2023; 2024 27
Brasil Edinho 2011; 2012; 2013 24
Brasil Nino 2021; 2022; 2023
Brasil André 2021; 2022; 2023; 2024
Brasil Fábio 2022; 2023; 2024 23
Colômbia Jhon Arias 2022; 2023; 2024
Brasil Carlinhos 2011; 2012; 2013 22
Argentina Darío Conca 2008; 2011
Brasil Paulo Henrique Ganso 2021; 2022; 2023; 2024

Técnicos que mais comandaram

[editar | editar código-fonte]
Treinador Ano(s) Partidas Ref
Brasil Abel Braga 2012; 2013; 2022 24 [45]
Brasil Fernando Diniz 2023; 2024 19
Brasil Renato Gaúcho 2008 14
Brasil Roger Machado 2021 10
Brasil Mário Lobo Zagallo 1971 6
Brasil Nelsinho Rosa 1985
Brasil Enderson Moreira 2011 5
Brasil Muricy Ramalho 2011 3

Partidas como mandante

[editar | editar código-fonte]
Estádio Ano(s) Partidas Ref
Rio de Janeiro Maracanã 1971; 1985; 2008; 2021; 2023; 2024 27 (17V - 6E - 4D) [46]
Rio de Janeiro Engenhão 2011; 2012; 2013; 2022 12 (6V - 4E - 2D) [47]
Rio de Janeiro São Januário 2013; 2022 4 (3V - 1E) [48]
Partidas Totais 43 (26V - 11E - 6D)

Partidas como visitante

[editar | editar código-fonte]
Estádio Cidade Ano(s) Partidas Ref
Brasil Pacaembu São Paulo 1971 1 (1V) [49]
Brasil Morumbi 2008 1 (1D)
Brasil Maracanã Rio de Janeiro 1985 1 (1E)
Brasil Beira-Rio Porto Alegre 2012; 2023 2 (1V - 1E)
Brasil Arena do Grêmio 2013 1 (1E)
Argentina Arquitecto Ricardo Etcheverri Buenos Aires 1985 2 (2D)
Argentina Diego Armando Maradona 2011; 2023 2 (1V - 1E)
Argentina La Bombonera 2012 2 (1V - 1D)
Argentina Monumental de Núñez 2021; 2023 2 (1V - 1D)
Argentina El Viaducto Sarandí 2008; 2012 2 (1V - 1D)
Argentina El Cilindro Avellaneda 2008 1 (1E)
Bolívia Hernando Siles La Paz 2023 1 (1D)
Chile CAP Talcahuano 2013 1 (1V)
Chile Monumental David Arellano Santiago 2024 1 (1V)
Colômbia Atanasio Girardot Medellín 2008 1 (1V)
Colômbia Centenário de Armenia Armênia 2021 1 (1V)
Colômbia El Campín Bogotá 2022 1 (1V)
Equador Casa Blanca Quito 2008 2 (1E - 1D)
Equador George Capwell Guayaquil 2013 1 (1D)
Equador Monumental Isidro Romero Carbo 2021 2 (2E)
México Azteca Cidade do México 2011 1 (1D)
Paraguai Defensores del Chaco Assunção 2008; 2011; 2013; 2022; 2023 5 (2V - 3D)
Paraguai General Pablo Rojas 2021; 2024 2 (1V - 1E)
Peru Nacional do Peru Lima 2023 1 (1V)
Peru Alejandro Villanueva 2024 1 (1E)
Uruguai Centenario Montevidéu 2011 1 (1D)
Venezuela Olímpico de Caracas Caracas 1971; 2013 3 (3V)
Venezuela La Carolina Barinas 2012 1 (1V)
Partidas Totais 43 (19V - 10E - 14D)

Partidas em campo neutro

[editar | editar código-fonte]
Ano Oponente Resultado Data e horário Local
2023 Argentina Boca Juniors
2 – 1
4 de novembro de 2023 - 17:00 (UTC-3) Brasil Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro

Fluminense Football Club na Copa Sul-Americana

[editar | editar código-fonte]

O Fluminense Football Club participou da Copa Sul-Americana, a segunda competição mais importante da América do Sul,[50] em dez ocasiões: 2003, 2005, 2006, 2009, 2014, 2017, 2018, 2019, 2020 e 2022 tendo como melhor resultado o vice campeonato na edição de 2009, chegando a semifinal em 2018 e em três outras ocasiões chegando às quartas de finais.[51]

Disputada desde 2002 e por clubes brasileiros a partir do ano seguinte, a Copa Sul-Americana é a segunda mais importante competição da América do Sul, com os clubes classificados pelo Ranking da Conmebol até 2004 e por mérito esportivo no ano anterior após isso, reunindo 54 clubes na edição de 2017.[52]

Qualificado pelo Ranking da Conmebol em 2003, o Fluminense habilitou-se a disputar as outras edições das quais participou na Copa Sul-Americana por suas classificações no Campeonato Brasileiro.

O Fluminense nunca havia perdido uma partida válida pela Copa Sul-Americana com o mando de campo, ostentando 11 vitórias e 5 empates em seu cartel, ou 11 vitórias e 7 empates se forem incluídos jogos com o mando de seus adversários na cidade do Rio de Janeiro, até o Fla-Flu de 25 de outubro de 2017, que terminou com vitória rubro-negra por 1 a 0. Continua invicto com o mando de campo contra clubes estrangeiros.[53]

Em 2022, o Fluminense se classificou para a Copa Sul-Americana após ser eliminado na Terceira fase da Copa Libertadores da América.

Retrospecto
Fluminense Football Club
Temporada Fase Equipe Casa Fora Agregado
2003 2F Brasil Atlético Mineiro X 2–0
Brasil Corinthians 2–0 X
OF Brasil São Paulo 1–1 0–1 1–2
2005 1F Brasil Santos 2–1 1–2 3–3 (4–2)
OF Argentina Banfield 3–1 0–0 3–1
QF Chile Universidad Católica 2–1 0–2 2–3
2006 2F Brasil Botafogo 1–1 1–1 2–2 (4–2)
OF Argentina Gimnasia y Esgrima 1–1 0–2 1–3
2009 1F Brasil Flamengo 0–0 1–1 1–1
OF Peru Alianza Atlético 4–1 2–2 6–3
QF Chile Universidad de Chile 2–2 1–0 3–2
SF Paraguai Cerro Porteño 2–1 1–0 3–1
F Equador LDU 3–0 1–5 4–5
2014 2F Brasil Goiás 2–1 0–1 2–2
2017 1F Uruguai Liverpool 2–0 0–1 2–1
2F Equador Universidad Católica 4–0 2–1 6–1
OF Equador LDU 1–0 1–2 2–2
QF Brasil Flamengo 0–1 3–3 3–4
2018 1F Bolívia Nacional Potosí 3–0 0–2 3–2
2F Uruguai Defensor Sporting 2–0 1–0 3–0
OF Equador Deportivo Cuenca 2–0 2–0 4–0
QF Uruguai Nacional 1–1 1–0 2–1
SF Brasil Athletico Paranaense 0–2 0–2 0–4
2019 1F Chile Deportes Antofagasta 0–0 2–1 2–1
2F Colômbia Atlético Nacional 4–1 0–1 4–2
OF Uruguai Peñarol 3–1 2–1 5–2
QF Brasil Corinthians 1–1 0–0 1–1
2020 1F Chile Unión La Calera 1–1 0–0 1–1
2022 FG Colômbia Junior Barranquilla 2–1 0–3
Bolívia Oriente Petrolero 3–0 10–1
Argentina Unión Santa Fe 0–0 0–0
Fluminense Football Club
Ano Edição Fase máxima Último adversário Jogos V E D GP GC SG Pos
2003 2ª edição Terceira fase São Paulo 4 2 1 1 5 2 3 11º
2005 4ª edição Quartas de final Universidad Católica 6 3 1 2 8 7 1
2006 5ª edição Oitavas de final Gimnasia y Esgrima 4 0 3 1 3 5 -2 14º
2009 8ª edição Final LDU 10 5 4 1 17 12 5
2014 13ª edição Segunda fase Goiás 2 1 0 1 2 2 0 25º
2017 16ª edição Quartas de final Flamengo 13 8 4 1 3 13 8
2018 17ª edição Semifinal Atlético Paranaense 10 6 1 3 12 7 5
2019 18ª edição Quartas de final Corinthians 8 4 3 1 12 6 6
2020 19ª edição Primeira Fase Unión La Calera 2 2 1 1 0
2022 21ª edição Primeira Fase Junior Barranquilla 4 2 1 1 5 4 1

O Fluminense habilitou-se para a disputa da Copa Sul-Americana de 2003, competição disputada por 35 clubes, por ter sido o sétimo colocado no Campeonato Brasileiro de 2002.

Segunda fase
Equipe Pts J V E D GP GC SG
Brasil Fluminense 6 2 2 0 0 4 0 +4
Brasil Atlético Mineiro 3 2 1 0 1 2 2 0
Brasil Corinthians 0 2 0 0 2 0 4 -4
  CAM COR FLU
Atlético Mineiro 0–2
Corinthians 0–2
Fluminense 2–0
Oitavas de final
Equipe 1 Total Equipe 2 1.º jogo 2.º jogo
São Paulo Brasil 2–1 Brasil Fluminense 1–0 1–1

O Fluminense habilitou-se para a disputa da Copa Sul-Americana de 2005, competição disputada por 34 clubes, por ter sido o nono colocado no Campeonato Brasileiro de 2004.

Fase Equipe 1 Total Equipe 2 Ida Volta
Primeira Santos Brasil 3–3 (2–4 p) Brasil Fluminense 1–2 2–1
Oitavas Banfield Argentina 1–3 Brasil Fluminense 1–3 0–0
Quartas Universidad Católica Chile 3–2 Brasil Fluminense 1–2 2–0

O Fluminense habilitou-se para a disputa da Copa Sul-Americana de 2006, competição disputada por 34 clubes, por ter sido o quinto colocado no Campeonato Brasileiro de 2005. Pela primeira vez realizou-se um Clássico Vovô válido por competição da Conmebol.

Fase Equipe 1 Total Equipe 2 Ida Volta
Segunda Fluminense Brasil 2–2 (4–2 p) Brasil Botafogo 1–1 1–1
Oitavas Gimnasia y Esgrima Argentina 3–1 Brasil Fluminense 1–1 2–0
Segunda fase
7 de setembro de 2006 Botafogo Brasil 1 – 1 Brasil Fluminense Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro

Reinaldo Gol marcado aos 62 minutos de jogo 62' Relatório Arouca Gol marcado aos 30 minutos de jogo 30' Público: 16 911 (14 418 pagantes)
Árbitro: BrasilBRA Wagner Tardelli

14 de setembro de 2006 Fluminense Brasil 1 – 1 Brasil Botafogo Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro

Marcão Gol marcado aos 90+3 minutos de jogo 90+3' Relatório Júnior César Gol marcado aos 35 minutos de jogo 35' Público: 9 737 (6 921 pagantes)
Árbitro: BrasilBRA Djalma Beltrami
Oitavas de final
28 de setembro de 2006 Fluminense Brasil 1 – 1 Argentina Gimnasia y Esgrima Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro

Cláudio Pitbull Gol marcado aos 90 minutos de jogo 90' Diego Herner Gol marcado aos 82 minutos de jogo 82' Público: 6 159 (4 191 pagantes)
Árbitro: ColômbiaCOL Óscar Ruiz

11 de outubro de 2006 Gimnasia y Esgrima Argentina 2 – 0 Brasil Fluminense Estádio Ciudad de La Plata, La Plata

Tuta Gol marcado aos 45+1 minutos de jogo 45+1' (gc)
Santiago Silva Gol marcado aos 66 minutos de jogo 66'
Árbitro: ChileCHI Rubén Selmán

O Fluminense habilitou-se para a disputa da Copa Sul-Americana de 2009, competição disputada por 31 clubes, já que a CONCACAF alegou conflito de datas para impedir a participação de seus 3 representantes, por ter sido o décimo quarto colocado no Campeonato Brasileiro de 2008.

Essa edição contou com trinta e uma equipes das dez associações sul-americanas, embora não tenha tido equipes da CONCACAF convidadas, por conflito de datas entre as duas confederações.[54] A partida da semifinal contra o Cerro Porteño no Maracanã ficou marcada por uma vitória ocorrida com gol aos 47' do 2º Tempo, em uma disputa marcada por momentos de dramaticidade.[55] Em 10 jogos o Fluminense obteve 5 vitórias, 4 empates e apenas 1 derrota, 17 gols a favor e 12 contra, tendo sido nessa edição a primeira vez que um Fla-Flu foi válido por competição da Conmebol.

Fase Equipe 1 Total Equipe 2 Ida Volta
Primeira Flamengo Brasil 1–1 (gf) Brasil Fluminense 0–0 1–1
Oitavas Fluminense Brasil 6–3 Peru Alianza Atlético 2–2 4–1
Quartas Universidad de Chile Chile 2–3 Brasil Fluminense 2–2 0–1
Semifinal Fluminense Brasil 3–1 Paraguai Cerro Porteño 1–0 2–1
Final Fluminense Brasil 4–5 Equador LDU 1–5 3–0
Primeira fase
12 de agosto de 2009 Fluminense Brasil 0 – 0 Brasil Flamengo Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
21:50 (UTC-3)
Relatório Público: 16 246 (14 221 pags.)
Árbitro: UruguaiURU Roberto Silvera

26 de agosto de 2009 Flamengo Brasil 1 – 1 Brasil Fluminense Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
21:50 (UTC-3)
Dênis Marques Gol marcado aos 60 minutos de jogo 60' Relatório Roni Gol marcado aos 45+1 minutos de jogo 45+1' (pen) Público: 12 278 (10 539 pags.)
Árbitro: ChileCHI Carlos Chandía
Oitavas de final
23 de setembro de 2009 Alianza Atlético Peru 2 – 2 Brasil Fluminense Estádio Miguel Grau, Piura
17:15 (UTC-5)
Aponte Gol marcado aos 48 minutos de jogo 48'
Valverde Gol marcado aos 70 minutos de jogo 70'
Relatório Luiz Alberto Gol marcado aos 6 minutos de jogo 6'
Conca Gol marcado aos 74 minutos de jogo 74'
Público: 8 000
Árbitro: EquadorECU Carlos Vera

1 de outubro de 2009 Fluminense Brasil 4 – 1 Peru Alianza Atlético Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
20:45 (UTC-3)
Conca Gol marcado aos 39 minutos de jogo 39'
Alan Gol marcado aos 58 minutos de jogo 58'
Adeílson Gol marcado aos 68 minutos de jogo 68', Gol marcado aos 78 minutos de jogo 78'
Relatório Valverde Gol marcado aos 15 minutos de jogo 15' (pen) Público: 10 256 (9 275 pags.)
Árbitro: ArgentinaARG Sergio Pezzota
Quartas de final
22 de outubro de 2009 Fluminense Brasil 2 – 2 Chile Universidad de Chile Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
21:50 (UTC-3)
Fred Gol marcado aos 16 minutos de jogo 16', Gol marcado aos 46 minutos de jogo 46' Relatório Montillo Gol marcado aos 51 minutos de jogo 51'
Olivera Gol marcado aos 56 minutos de jogo 56'
Público: 8 903 (7 874 pags.)
Árbitro: ParaguaiPAR Carlos Torres

5 de novembro de 2009 Universidad de Chile Chile 0 – 1 Brasil Fluminense Estádio Santa Laura, Santiago
20:15 (UTC-3)
Relatório Fred Gol marcado aos 61 minutos de jogo 61' Público: 17 000 (15 668 pags.)
Árbitro: ArgentinaARG Saúl Laverni
Semifinal
11 de novembro de 2009 Cerro Porteño Paraguai 0 – 1 Brasil Fluminense Estádio General Pablo Rojas, Assunção
20:50 (UTC-3)
Relatório Fred Gol marcado aos 75 minutos de jogo 75' Público: 22 000
Árbitro: ArgentinaARG Héctor Baldassi

18 de novembro de 2009 Fluminense Brasil 2 – 1 Paraguai Cerro Porteño Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
21:50 (UTC-2)
Gum Gol marcado aos 90+2 minutos de jogo 90+2'
Alan Gol marcado aos 90+5 minutos de jogo 90+5'
Relatório Cáceres Gol marcado aos 6 minutos de jogo 6' Público: 41 816 (39 397 pags.)
Árbitro: ChileCHI Carlos Chandía
Final
25 de novembro de 2009 LDU Quito Equador 5 – 1 Brasil Fluminense Estádio Casa Blanca, Quito
18:50 (UTC-5)
Méndez Gol marcado aos 20 minutos de jogo 20', Gol marcado aos 43 minutos de jogo 43', Gol marcado aos 59 minutos de jogo 59'
Salas Gol marcado aos 76 minutos de jogo 76'
Ulises de la Cruz Gol marcado aos 87 minutos de jogo 87'
Marquinho Gol marcado aos 1 minutos de jogo 1' Público: 39,000
Árbitro: UruguaiURU Roberto Silvera

2 de dezembro de 2009 Fluminense Brasil 3 – 0 Equador LDU Quito Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
21:50 (UTC-2)
Diguinho Gol marcado aos 13 minutos de jogo 13'
Fred Gol marcado aos 43 minutos de jogo 43'
Gum Gol marcado aos 71 minutos de jogo 71'
Público: 69 565 (65 822 pags.)
Árbitro: ParaguaiPAR Carlos Amarilla

O Fluminense habilitou-se para a disputa da Copa Sul-Americana de 2014, competição disputada por 47 clubes, por ter sido o décimo quinto colocado no Campeonato Brasileiro de 2013.

Fase Equipe 1 Total Equipe 2 Ida Volta
Segunda Goiás Brasil 2–2 (gf) Brasil Fluminense 1–2 1–0
Segunda fase
28 de agosto de 2014 Fluminense Brasil 2 – 1 Brasil Goiás Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
18:00 (UTC−3)
Edson Gol marcado aos 28 minutos de jogo 28', Gol marcado aos 33 minutos de jogo 33' Relatório Erik Gol marcado aos 90+3 minutos de jogo 90+3' Público: 7 060 (6 314 pagantes)
Árbitro: ParaguaiPAR Enrique Cáceres

3 de setembro de 2014 Goiás Brasil 1 – 0 Brasil Fluminense Estádio Serra Dourada, Goiânia
22:00 (UTC−3)
Erik Gol marcado aos 47 minutos de jogo 47' Relatório Público: 11 192
Árbitro: BrasilBRA Francisco Nascimento

O Fluminense habilitou-se para a disputa da Copa Sul-Americana de 2017, competição disputada por 54 clubes, por ter sido o décimo terceiro colocado no Campeonato Brasileiro de 2016. Nas oitavas de final eliminou a LDU, que sagrou-se campeão sobre o Fluminense nas finais continentais de 2008 e 2009, e nas quartas aconteceram novamente dois Fla-Flus válidos pela Copa Sul-Americana.

Fase Equipe 1 Total Equipe 2 Ida Volta
Primeira Liverpool Uruguai 1–2 Brasil Fluminense 0–2 1–0
Segunda Universidad Católica Equador 1–6 Brasil Fluminense 0–4 1–2
Oitavas LDU Equador 2–2 (gf) Brasil Fluminense 0–1 2–1
Quartas Fluminense Brasil 3–4 Brasil Flamengo 0–1 3–3
Primeira fase
5 de abril de 2017 Fluminense Brasil 2 – 0 Uruguai Liverpool Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
21:45 (UTC−3)
Henrique Dourado Gol marcado aos 23 minutos de jogo 23'
Richarlison Gol marcado aos 38 minutos de jogo 38'
Relatório Público: 37 145 (34 017 pagantes)
Árbitro: ParaguaiPAR Eber Aquino

10 de maio de 2017 Liverpool Uruguai 1 – 0 Brasil Fluminense Estádio Centenario, Montevidéu
21:45 (UTC−3)
Ramírez Gol marcado aos 12 minutos de jogo 12' Relatório Público: 2 000
Árbitro: VenezuelaVEN Juan Soto
Segunda fase
29 de junho de 2017 Fluminense Brasil 4 – 0 Equador Universidad Católica Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
21:45 (UTC−3)
Henrique Dourado Gol marcado aos 26 minutos de jogo 26', Gol marcado aos 44 minutos de jogo 44' (pen)
Richarlison Gol marcado aos 28 minutos de jogo 28'
Wendel Gol marcado aos 54 minutos de jogo 54'
Relatório Público: 14 373 (12 997 pagantes)
Árbitro: ColômbiaCOL Gustavo Murillo

26 de julho de 2017 Universidad Católica Equador 1 – 2 Brasil Fluminense Estádio Olímpico Atahualpa, Quito
17:15 (UTC−5)
Cifuentes Gol marcado aos 17 minutos de jogo 17' Relatório Henrique Dourado Gol marcado aos 38 minutos de jogo 38'
Marlon Freitas Gol marcado aos 60 minutos de jogo 60'
Árbitro: ArgentinaARG Darío Herrera
Oitavas de final
14 de setembro de 2017 Fluminense Brasil 1 – 0 Equador LDU Quito Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
19:15 (UTC−3)
Gustavo Scarpa Gol marcado aos 6 minutos de jogo 6' Relatório Público: 45 977 (42 270 pagantes)
Árbitro: ParaguaiPAR Julio Quintana

21 de setembro de 2017 LDU Quito Equador 2 – 1 Brasil Fluminense Estádio Casa Blanca, Quito
17:15 (UTC−5)
Barcos Gol marcado aos 57 minutos de jogo 57'
Cevallos Gol marcado aos 60 minutos de jogo 60'
Relatório Pedro Gol marcado aos 89 minutos de jogo 89' Público: 19 643
Árbitro: ArgentinaARG Fernando Rapallini
Quartas de final
25 de outubro de 2017 Fluminense Brasil 0 – 1 Brasil Flamengo Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
21:45 (UTC−2)
Relatório Éverton Gol marcado aos 26 minutos de jogo 26' Público: 30 946 (27 014 pags)
Árbitro: ParaguaiPAR Mario Díaz de Vivar

1 de novembro de 2017 Flamengo Brasil 3 – 3 Brasil Fluminense Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
21:45 (UTC−2)
Diego Gol marcado aos 9 minutos de jogo 9'
Felipe Vizeu Gol marcado aos 67 minutos de jogo 67'
Willian Arão Gol marcado aos 83 minutos de jogo 83'
Relatório Lucas Gol marcado aos 2 minutos de jogo 2'
Renato Chaves Gol marcado aos 40 minutos de jogo 40', Gol marcado aos 54 minutos de jogo 54'
Público: 41 087 (34 695 pags)[56]
Árbitro: ArgentinaARG Patricio Loustau

O Fluminense habilitou-se para a disputa da Copa Sul-Americana de 2018, competição disputada por 54 clubes, por ter sido o décimo quarto colocado no Campeonato Brasileiro de 2017. O Tricolor jogou pela primeira vez contra um clube boliviano por competições da Conmebol quando venceu o Nacional Potosí por 3 a 0 em 11 de abril de 2018 no Maracanã,[57] sendo a partida de volta disputada em Potosí, cidade com a maior altitude na qual o Fluminense jogou em sua História (4.070 metros),[carece de fontes?] perdendo por 2 a 0 e alcançando a classificação para a Segunda Fase. Jogando no Estádio Gran Parque Central, o Fluminense quebrou uma invencibilidade do Nacional de sete jogos em competições oficiais da Conmebol em seu estádio, com seis vitórias e um empate, não tendo tomado nenhum gol nessas partidas,[58] classificando-se para as semifinais, quando seria eliminado dessa competição pelo futuro campeão, terminando em terceiro lugar.

Fase Equipe 1 Total Equipe 2 Ida Volta
Primeira Fluminense Brasil 3-2 Bolívia Nacional Potosí 3–0 0–2
Segunda Fluminense Brasil 3–0 Uruguai Defensor Sporting 2–0 1–0
Oitavas Deportivo Cuenca Equador 0–4 Brasil Fluminense 0–2 0–2
Quartas Fluminense Brasil 2–1 Uruguai Nacional 1–1 1–0
Semifinal Atlético Paranaense Brasil 4–0 Brasil Fluminense 2–0 2–0
Primeira fase
11 de abril de 2018 Fluminense Brasil 3 – 0 Bolívia Nacional Potosí Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
21:45 (UTC−3)
Pablo Dyego Gol marcado aos 72 minutos de jogo 72'
Gum Gol marcado aos 81 minutos de jogo 81'
Pedro Gol marcado aos 88 minutos de jogo 88' (pen)
Relatório Público: 6 892 (6 400 pagantes)[59]
Árbitro: ColômbiaCOL Nicolás Gallo

10 de maio de 2018 Nacional Potosí Bolívia 2 – 0 Brasil Fluminense Estádio Víctor Agustín Ugarte, Potosí
20:45 (UTC−4)
Reina Gol marcado aos 50 minutos de jogo 50', Gol marcado aos 60 minutos de jogo 60' (pen) Relatório Público: 5 000[60]
Árbitro: UruguaiURU Esteban Ostojich
Segunda fase
2 de agosto de 2018 Fluminense Brasil 2 – 0 Uruguai Defensor Sporting Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
21:45 (UTC−3)
Digão Gol marcado aos 86 minutos de jogo 86'
Sornoza Gol marcado aos 90+2 minutos de jogo 90+2'
Relatório Público: 14 895 (14 242 pagantes)[61]
Árbitro: ArgentinaARG Germán Delfino

16 de agosto de 2018 Defensor Sporting Uruguai 0 – 1 Brasil Fluminense Estádio Luis Franzini, Montevidéu
21:45 (UTC−3)
Relatório Pedro Gol marcado aos 77 minutos de jogo 77' Público: 4 000[62]
Árbitro: ChileCHI Roberto Tobar


Oitavas de final
20 de setembro de 2018 Deportivo Cuenca Equador 0 – 2 Brasil Fluminense Estádio Casa Blanca, Quito
17:30 (UTC−5)
Relatório Everaldo Gol marcado aos 22 minutos de jogo 22'
Luciano Gol marcado aos 83 minutos de jogo 83'
Público: 18 000[63]
Árbitro: VenezuelaVEN Alexis Herrera

4 de outubro de 2018 Fluminense Brasil 2 – 0 Equador Deportivo Cuenca Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
19:30 (UTC−3)
Digão Gol marcado aos 33 minutos de jogo 33'
Richard Gol marcado aos 75 minutos de jogo 75'
Relatório Público: 39 157 (36 902 pagantes)[64]
Árbitro: ColômbiaCOL Andrés Rojas
Quartas de final
24 de outubro de 2018 Fluminense Brasil 1 – 1 Uruguai Nacional Estádio Nilton Santos, Rio de Janeiro
19:30 (UTC−3)
Gum Gol marcado aos 17 minutos de jogo 17' Relatório Zunino Gol marcado aos 87 minutos de jogo 87' Público: 20 415 (19 502 pagantes)[65]
Árbitro: ArgentinaARG Patricio Loustau

31 de outubro de 2018 Nacional Uruguai 0 – 1 Brasil Fluminense Estádio Gran Parque Central, Montevidéu
19:30 (UTC−3)
Relatório Luciano Gol marcado aos 48 minutos de jogo 48' Público: 32 000[66]
Árbitro: ChileCHI Roberto Tobar
Semifinal
7 de novembro de 2018 Atlético Paranaense Brasil 2 – 0 Brasil Fluminense Arena da Baixada, Curitiba
21:45 (UTC−2)
Renan Lodi Gol marcado aos 19 minutos de jogo 19'
Rony Gol marcado aos 77 minutos de jogo 77'
Relatório Público: 28 403[67]
Árbitro: EquadorECU Roddy Zambrano

28 de novembro de 2018 Fluminense Brasil 0 – 2 Brasil Atlético Paranaense Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
21:45 (UTC−2)
Relatório Nikão Gol marcado aos 4 minutos de jogo 4'
Bruno Guimarães Gol marcado aos 54 minutos de jogo 54'
Público: 37 208 (35 451 pagantes)[68]
Árbitro: ChileCHI Julio Bascuñán

O Fluminense habilitou-se para a disputa da Copa Sul-Americana de 2019, competição disputada por 54 clubes, por ter sido o décimo segundo colocado no Campeonato Brasileiro de 2018. Antofagasta é uma cidade de cerca de 300.000 habitantes, no norte do Chile, capital da província de mesmo nome, distante 1.093,99 km em linha reta ou 1.844,89 km da capital chilena, pelas rotas rodoviárias.[69] A goleada de 4 a 1 sobre o Atlético Nacional foi a maior do Fluminense sobre um clube campeão da Copa Libertadores da América por competições oficiais da Conmebol, até esse momento, com o Fluminense vindo a eliminar em seguida o Peñarol, clube cinco vezes campeão da Copa Libertadores da América e então campeão uruguaio, parando nas quartas de finais disputadas contra o Corinthians, com dois empates, eliminado pela regra do número de gols fora de casa, terminando na quinta colocação.

Fase Equipe 1 Total Equipe 2 Ida Volta
Primeira Fluminense Brasil 2–1 Chile Antofagasta 0–0 2–1
Segunda Fluminense Brasil 4–2 Colômbia Atlético Nacional 4–1 0–1
Oitavas Fluminense Brasil 5–2 Uruguai Peñarol 2–1 3–1
Quartas Fluminense Brasil 1–1 Brasil Corinthians 0–0 1–1
Primeira fase
26 de fevereiro de 2019 Fluminense Brasil 0 – 0 Chile Antofagasta Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
21:30 (UTC−3)
Relatório Público: 9 616 (9 109 pagantes)
Árbitro: ParaguaiPAR Arnaldo Samaniego

21 de março de 2019 Antofagasta Chile 1 – 2 Brasil Fluminense Estádio Regional de Antofagasta, Antofagasta
19:15 (UTC−3)
Flores Gol marcado aos 25 minutos de jogo 25' Relatório Everaldo Gol marcado aos 17 minutos de jogo 17'
Luciano Gol marcado aos 68 minutos de jogo 68'
Público: 14 231
Árbitro: ColômbiaCOL Wilmar Roldán
Segunda fase
23 de maio de 2019 Fluminense Brasil 4 – 1 Colômbia Atlético Nacional Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
21:30 (UTC−3)
João Pedro Gol marcado aos 2 minutos de jogo 2', Gol marcado aos 8 minutos de jogo 8', Gol marcado aos 33 minutos de jogo 33'
Luciano Gol marcado aos 11 minutos de jogo 11'
Relatório Barcos Gol marcado aos 17 minutos de jogo 17' Público: 28 441 (26 494 pagantes)
Árbitro: ChileCHI Roberto Tobar

29 de maio de 2019 Atlético Nacional Colômbia 1 – 0 Brasil Fluminense Estádio Atanasio Girardot, Medellín
19:30 (UTC−5)
Barcos Gol marcado aos 3 minutos de jogo 3' Relatório Árbitro: ArgentinaARG Patricio Loustau
Oitavas de final
23 de julho de 2019 Peñarol Uruguai 1 – 2 Brasil Fluminense Estádio Campeón del Siglo, Montevidéu
21:30 (UTC−3)
Gastón Rodríguez Gol marcado aos 90 minutos de jogo 90' Yony González Gol marcado aos 16 minutos de jogo 16' Gol marcado aos 71 minutos de jogo 71' Público: 15 000
Árbitro: ParaguaiPAR Arnaldo Samaniego

30 de julho de 2019 Fluminense Brasil 3 – 1 Uruguai Peñarol Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
21:30 (UTC−3)
Marcos Paulo Gol marcado aos 2 minutos de jogo 2' Gol marcado aos 48 minutos de jogo 48'
Yony González Gol marcado aos 26 minutos de jogo 26'
Relatório Lucas Viatri Gol marcado aos 71 minutos de jogo 71' Público: 35 071 (31 820 pagantes)
Árbitro: ArgentinaARG Patricio Loustau
Quartas de final
22 de agosto de 2019 Corinthians Brasil 0 – 0 Brasil Fluminense Arena Corinthians, São Paulo
21:30 (UTC−3)
Relatório Público: 37 550 (37 266 pagantes)
Árbitro: ArgentinaARG Germán Delfino

29 de agosto de 2019 Fluminense Brasil 1 – 1 Brasil Corinthians Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
21:30 (UTC−3)
Pablo Dyego Gol marcado aos 82 minutos de jogo 82' Relatório Pedrinho Gol marcado aos 54 minutos de jogo 54' Público: 57 703 (53 236 pagantes)
Árbitro: PeruPER Diego Haro

O Fluminense habilitou-se para a disputa da Copa Sul-Americana de 2020, competição disputada por 54 clubes, por ter sido o décimo quarto colocado no Campeonato Brasileiro de 2019. O clube chileno Unión La Calera, é da cidade de La Calera, Província de Quillota, na Região de Valparaíso e classificou-se pela regra do gol fora de casa.

Após dois empates, 1 a 1 e 0 a 0, tendo reclamado de um pênalti não marcado em Nenê aos 28' do 2º tempo na segunda partida, o Fluminense terminou eliminado. O La Calera sagraria-se posteriormente vice-campeão chileno de 2020.[70]

Fase Equipe 1 Total Equipe 2 Ida Volta
Primeira Fluminense Brasil 1–1 Chile Unión La Calera 1–1 0–0
Primeira fase
4 de fevereiro de 2020 Fluminense Brasil 1 – 1 Chile Unión La Calera Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
21:30 (UTC−3)
Evanilson Gol marcado aos 71 minutos de jogo 71' Relatório Castellani Gol marcado aos 74 minutos de jogo 74' Público: 17 771 (16 528 pagantes)
Árbitro: ColômbiaCOL Carlos Herrera

18 de fevereiro de 2020 Unión La Calera Chile 0 – 0 Brasil Fluminense Estádio Nicolás Chahuán Nazar, La Calera
19:15 (UTC−3)
Relatório Público: 4 243
Árbitro: Paraguai José Méndez

Fase de Grupos - Grupo H

O Fluminense habilitou-se para a disputa da Copa Sul-Americana de 2022, competição disputada por 56 clubes, após ter sido uma das quatro equipes eliminadas na terceira fase da Copa Libertadores da América de 2022. Nesta edição, somente o primeiro colocado de cada grupo se classificaria.

Pos. Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Argentina Unión de Santa Fe 12 6 3 3 0 10 2 +8
2 Brasil Fluminense 11 6 3 2 1 15 5 +10
3 Colômbia Junior de Barranquilla 10 6 3 1 2 10 8 +2
4 Bolívia Oriente Petrolero 0 6 0 0 6 3 23 –20
  JUN ORI USF FLU
Junior de Barranquilla 2–0 0–4 3–0
Oriente Petrolero 1–3 1–3 1–10
Unión de Santa Fe 1–1 2–0 0–0
Fluminense 2–1 3–0 0–0

Estatísticas na Copa Sul-Americana

[editar | editar código-fonte]

Adversários por países

[editar | editar código-fonte]
Fonte das estatísticas (até 20 de abril de 2023).[39]
Adversário J V E D GP GC SG
 Argentina 6 1 4 1 4 4 0
 Bolívia 4 3 - 1 16 3 13
 Brasil 18 4 8 6 17 19 -2
 Chile 8 3 4 1 8 7 1
 Colômbia 4 2 - 2 6 6 0
Equador 8 6 - 2 16 8 8
 Paraguai 2 2 - - 3 1 2
 Peru 2 1 1 - 6 3 3
Uruguai 8 6 1 1 12 4 8
 Venezuela - - - - - - -
Totais 60 28 (46,66%) 18 (30%) 14 (23,33%) 88 (61,54%) 55 (38,46%) 33
J - jogos; V - vitórias; E - empates; D - derrotas;
GP - gols pró; GC - gols contra; SG - saldo de gols;

Maiores goleadas

[editar | editar código-fonte]
Fluminense 4 a 1 Atlético Nacional em 2019.
  1. Oriente Petrolero Bolívia 1–10 Fluminense, 26 de maio de 2022, Ramón Tahuichi Aguilera.
  2. Fluminense 4–0 Universidad Católica Equador, 29 de junho de 2017, Maracanã.
  3. Fluminense 4–1 Alianza Atlético Peru, 1 de outubro de 2009, Maracanã.
  4. Fluminense 4–1 Atlético Nacional Colômbia, 23 de maio de 2019, Maracanã.

Maiores artilheiros

[editar | editar código-fonte]
Jogador Ano(s) Gols Ref.
Brasil Fred 2009; 2014; 2022 5 [71]
Brasil Gum 2009; 2014; 2017; 2018 4
Brasil Henrique Dourado 2017
Brasil Luciano 2018; 2019
Brasil Tuta 2005; 2006
Argentina Germán Cano 2022 3
Brasil João Pedro 2019
Brasil Matheus Martins 2022
Brasil Pedro 2017; 2018; 2019
Colômbia Yony González 2019

Jogadores que mais atuaram

[editar | editar código-fonte]
Jogador Ano(s) Partidas Ref.
Brasil Digão 2009; 2018; 2019; 2020 18 [72]
Brasil Gum 2009; 2014; 2017; 2018 17
Equador Junior Sornoza 2017; 2018 15
Brasil Júlio César 2014; 2017; 2018 14
Brasil Fred 2009; 2014; 2022 12
Brasil Paulo Henrique Ganso 2019; 2020; 2022
Brasil Richard 2017; 2018
Argentina Darío Conca 2009; 2014 11
Brasil Diguinho 2009; 2014
Brasil Pedro 2017; 2018; 2019

Técnicos que mais atuaram

[editar | editar código-fonte]
Jogador Ano(s) Partidas Ref.
Brasil Abel Braga 2005; 2017; 2018; 2022 16 [73]
Brasil Fernando Diniz 2019; 2022 9
Brasil Cuca 2009 8
Brasil Marcelo Oliveira 2018
Brasil Joel Santana 2003 4
Brasil Antônio Lopes 2006 3

Partidas como mandante

[editar | editar código-fonte]
Estádio Ano(s) Partidas Ref.
Rio de Janeiro Maracanã 2003; 2006; 2009; 2014; 2017; 2018; 2019; 2020; 2022 26 (15V - 9E - 2D) [74]
Rio de Janeiro São Januário 2005 3 (3V)
Rio de Janeiro Engenhão 2018 1 (1E)
Partidas Totais 30 (18V - 10E - 2D)

Partidas como visitante

[editar | editar código-fonte]
Estádio Cidade Ano(s) Partidas Ref.
Brasil Mineirão Belo Horizonte 2003 1 (1V) [74]
Brasil Morumbi São Paulo 2003 1 (1D)
Brasil Arena Corinthians 2019 1 (1E)
Brasil Vila Belmiro Santos 2005 1 (1D)
Brasil Maracanã Rio de Janeiro 2006; 2009; 2017 3 (3E)
Brasil Serra Dourada Goiânia 2014 1 (1D)
Brasil Arena da Baixada Curitiba 2018 1 (1D)
Argentina Florencio Sola Banfield 2005 1 (1E)
Argentina Ciudad de La Plata La Plata 2006 1 (1D)
Argentina 15 de Abril Santa Fé 2022 1 (1E)
Bolívia Víctor Agustín Ugarte Potosí 2018 1 (1D)
Bolívia El Tahuichi Santa Cruz de la Sierra 2022 1 (1V)
Chile San Carlos de Apoquindo Santiago 2005 1 (1D)
Chile Santa Laura 2009 1 (1V)
Chile Calvo y Bascuñán Antofagasta 2019 1 (1V)
Chile Nicolás Chahuán Nazar La Calera 2020 1 (1E)
Colômbia Atanasio Girardot Medellín 2019 1 (1D)
Colômbia Metropolitano Roberto Meléndez Barranquilla 2022 1 (1D)
Equador Casa Blanca Quito 2009; 2017; 2018 3 (1V - 2D)
Equador Olímpico Atahualpa 2017 1 (1V)
Paraguai General Pablo Rojas Assunção 2009 1 (1V)
Peru Miguel Grau Piura 2009 1 (1E)
Uruguai Centenario Montevidéu 2017 1 (1D)
Uruguai Luis Franzini 2018 1 (1V)
Uruguai Gran Parque Central 2018 1 (1V)
Uruguai Campeón del Siglo 2019 1 (1V)
Partidas Totais 30 (10V - 8E - 12D)

Fluminense Football Club na Recopa Sul-Americana

[editar | editar código-fonte]
Cartaz promocional da CONMEBOL Recopa Sul-Americana 2024.

O Fluminense participou da Recopa Sul-Americana pela primeira vez na história em 2024, após ter conquistado a Copa Libertadores da América de 2023.

Na Recopa, o tricolor carioca reencontrou a Liga de Quito (que venceu a Copa Sul-Americana de 2023). O confronto, que já se tornou um clássico do futebol da América do Sul, decidiu pela terceira vez uma competição da Conmebol.

No jogo de ida, a Liga Deportiva Universitária do Equador foi capaz de impor um ritmo rápido e agressivo desde o começo da partida. O Fluminense, sofrendo com os efeitos dos 2.850 metros de altitude, por muitas vezes não conseguia impedir a aproximação dos jogadores da LDU, os quais chegavam no campo adversário com bastante facilidade. Em um lance de ataque do Flu, Germán Cano recebeu um belo lançamento de Marcelo e ficou de frente para o goleiro Domínguez. Ao tentar driblar o goleiro equatoriano, Cano recebeu não apenas uma carga por trás, mas também um pisão do defensor Leonel Quiñónez. Apesar do VAR ter detectado a entrada imprudente de Quiñónez dentro da área da LDU, o árbitro colombiano Andrés Rojas manteve sua decisão de não marcar o pênalti para o Fluminense, gerando muita indignação por parte dos atletas tricolores. No momento da ação tomada pelo juiz (e também após a partida), comentaristas esportivos do Brasil, tais como o ex-árbitro Paulo César de Oliveira, se julgaram contrários à decisão de Rojas, ressaltando que o Fluminense havia sido prejudicado nesse lance.[75] Com finalizações bem direcionadas e fortes, a Liga de Quito chegou perto de abrir o marcador por diversas vezes ao longo da primeira etapa.

Já no segundo tempo da partida, a LDU buscou manter seu ritmo de jogo a fim de ''sufocar'' o tricolor carioca na altitude. O Fluminense, apesar das dificuldades físicas e da ação do ar rarefeito, conseguia se fechar, mas não conseguia envolver o adversário com o toque de bola característico do estilo de Fernando Diniz. O Fluminense suportou a pressão da LDU até os 47 minutos, quando Lucas Piovi encontrou Alex Arce na pequena área após uma cobrança de falta. Com um toque simples (e estando em posição legal, uma vez que o zagueiro Marlon dava condições para o jogador da LDU), Arce abriu o placar para os albos, que começaram o jogo da volta com a vantagem mínima sobre o Fluminense.[76]

Final (ida)

22 de fevereiro de 2024 LDU Quito Equador 1 − 0 Brasil Fluminense Estádio Casa Blanca, Quito
19:30 (UTC-5)
Arce Gol marcado aos 90+2 minutos de jogo 90+2' Relatório Público: 30 712
Renda: US$ 542.733,25
Árbitro: ColômbiaCOL Andrés Rojas
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
0
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
LDU Quito
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Fluminense
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
0
G 22 Equador Alexander Domínguez
LD 14 Equador José Quintero
Z 4 Haiti Ricardo Adé
Z 3 Equador Richard Mina
LE 33 Equador Leonel Quiñónez
V 5 Equador Óscar Zambrano Substituído após 70 minutos de jogo 70'
V 18 Argentina Lucas Piovi Capitão Penalizado com cartão amarelo após 47 minutos 47'
M 21 Equador Sebastián González Substituído após 77 minutos de jogo 77'
M 26 Equador Jhojan Julio
A 8 Equador Luis Estupiñán Substituído após 56 minutos de jogo 56'
A 7 Venezuela Jan Hurtado Substituído após 70 minutos de jogo 70'
Reservas:
G 1 Equador Gonzalo Valle
LD 13 Equador Daykol Romero
Z 24 Argentina Andrés Zanini
LE 29 Equador Bryan Ramírez
V 25 Equador Jefferson Valverde Entrou em campo após 70 minutos 70'
M 15