Este é um artigo bom. Clique aqui para mais informações.

Darío Conca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Darío Conca
Darío Conca
Conca atuando pelo Fluminense em 2014.
Informações pessoais
Nome completo Darío Leonardo Conca
Data de nasc. 11 de maio de 1983 (38 anos)
Local de nasc. General Pacheco, Argentina
Nacionalidade argentino
Altura 1,67 m
canhoto
Apelido El Mago, Concatólica[1]
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição meio-campista
Site oficial Instagram oficial
Clubes de juventude
1999–2000
2000–2002
Tigre
River Plate
Clubes profissionais
Anos Clubes
2001–2007
2004–2006
2006
2007
2008–2011
2011–2013
2014–2015
2015–2018
2017
2019
River Plate
Universidad Católica (emp.)
Rosário Central (emp.)
Vasco da Gama (emp.)
Fluminense
Guangzhou Evergrande
Fluminense
Shanghai SIPG
Flamengo (emp.)
Austin Bold
Seleção nacional
2002–2003 Argentina Sub-20

Darío Leonardo Conca (General Pacheco, 11 de maio de 1983) é um ex-futebolista argentino que atuava como meio-campista.

Conca era um meia-atacante conhecido por sua técnica e habilidade na construção de jogadas com a perna esquerda, principalmente nos dribles e passes. Sua baixa estatura e pouco peso lhe proporcionavam uma agilidade e velocidade que complementavam seu estilo de jogo.

Ganhou notoriedade continental após sua participação na Copa Sul-Americana de 2005 quando, atuando pela Universidad Católica do Chile, foi um dos principais responsáveis pela eliminação do Fluminense da competição.[2]

Curiosamente, seria no clube carioca que o jogador viveria o melhor momento de sua carreira, sagrando-se campeão brasileiro em 2010, sendo eleito o melhor jogador do país naquele ano, e tornando-se o segundo jogador de linha a participar de todas as 38 rodadas do Campeonato Brasileiro num mesmo ano na era dos pontos corridos.

Em 2011, ao se transferir para o Guangzhou Evergrande, da China, Conca passou a receber, à época, o terceiro maior salário do planeta para um jogador de futebol, perdendo apenas para o argentino Lionel Messi, do Barcelona e o português Cristiano Ronaldo, do Real Madrid.[3]

Em 2017, Conca se tornou o terceiro estrangeiro a defender três dos quatro grandes clubes do Rio. Antes dele, o argentino Alfredo González (na década de 40 atuou por Fla, Vasco e Botafogo) e o sérvio Dejan Petković (nos anos 2000 teve passagens por Flamengo, Vasco e Fluminense) já haviam alcançado este feito.[4]

Oficialmente aposentado do futebol desde abril de 2019, Conca se dedica a eventos, palestras e à prática do golfe. Mesmo fora dos campos, o atleta segue com a ASJ Consultoria na gestão da sua carreira pós-futebol.[5]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Descoberto pelo River Plate em 1991 — quando ainda tinha nove anos —, enquanto jogava futebol em sua escola, Conca passou seis meses nas categorias de base do clube argentino até seu desligamento, motivado pela condição econômica de sua família.

Tigre[editar | editar código-fonte]

Permaneceu sem clube até 1995, quando, com 12 anos, ingressou no Tigre, seu clube do coração.[6] Foi pelo Tigre que Conca fez a sua estreia no futebol profissional, em 1998, com apenas 15 anos, em partida válida pela Segunda Divisão Argentina.[7]

River Plate[editar | editar código-fonte]

Agora profissional, Conca foi novamente chamado pelo River. Todavia, teve de retornar às categorias de base.[7][8] Em 2003, quando disputava uma vaga na Seleção sub-20 que disputaria o Mundial de 2003 nos Emirados Árabes, Conca sofreu a pior lesão de sua carreira: uma fratura na perna direita, que o deixou seis meses afastado do futebol.[7]

Universidad Católica[editar | editar código-fonte]

Em 2004, com 21 anos e preterido no River Plate, acertou com a Universidad Católica, do Chile, por empréstimo. Foi no clube chileno que Conca despontou para o futebol sul-americano. Pela Católica, utilizou a camisa 10 na conquista do Clausura de 2005[9] e também na breve participação da equipe na Copa Libertadores da América de 2006.[10] Mas foi na Copa Sul-Americana de 2005 que Conca realmente chamou a atenção: conduziu a equipe chilena às semi-finais da competição, onde foi eliminada pelo Boca Juniors, que viria a se sagrar campeão.

Disputou 85 partidas pela Universidad Católica, marcando 15 gols.[7]

Rosario Central[editar | editar código-fonte]

Em 2006, com o término de seu contrato de empréstimo, foi obrigado a retornar ao River onde, não sendo aproveitado, foi emprestado novamente, dessa vez ao Rosario Central, da Argentina. Teve uma passagem discreta pelo clube. Disputou apenas 11 partidas,[11] com o Rosario ocupando a oitava colocação no Apertura de 2006. Novamente, Conca retornou ao River e, novamente, transferiu-se.

Vasco da Gama[editar | editar código-fonte]

Em 2007, acertou sua transferência para o Vasco da Gama.[12] Conca estreou pelo clube carioca no dia 13 de maio de 2007, em partida contra o América de Natal, substituindo o atacante Alan Kardec.[13] Assumiu a condição de titular em 30 de junho, na derrota por 3 a 1 para o Cruzeiro[11] e marcou seus dois primeiros gols pelo clube na partida seguinte, uma goleada de 4 a 0 sobre o Santos.[14][15] Atuando com a camisa 8, Conca chegou a ser escalado como segundo atacante da equipe, formando dupla com Leandro Amaral.[11] Já chamava atenção a habilidade, agilidade e determinação do franzino argentino, que viria a marcar seis gols no Brasileirão daquele ano, competição na qual o Vasco terminou na 10ª posição.

Pela Copa Sul-Americana de 2007, fez cinco partidas pelo Vasco, marcando apenas um gol. Com a camisa Cruzmaltina Conca fez 50 partidas, tendo marcado 8 gols.

Fluminense[editar | editar código-fonte]

2008[editar | editar código-fonte]

Conca em 2011.

O contrato de Conca com o Vasco se encerrava em 6 de janeiro de 2008, e foram iniciadas as negociações para a renovação. Porém, o River Plate - dono dos direitos federativos do jogador - anunciou que só o negociaria em definitivo.[16] O Vasco não era o único clube interessado no jogador e, apesar do empresário do jogador afirmar que ele não defenderia outro clube brasileiro,[17] o então presidente do Fluminense, Roberto Horcades, foi à imprensa e apresentou um contrato firmado com o jogador.[18] Com isso, Conca foi anunciado pelo Fluminense como um dos reforços do clube para a disputa da Copa Libertadores de 2008.[19]

No Fluminense, teve a oportunidade de trabalhar novamente com Renato Gaúcho, que fora seu treinador no Vasco da Gama. Estreou pelo clube tricolor em 2 de fevereiro de 2008, em partida válida pelo Campeonato Carioca daquele ano, substituindo o volante Arouca no empate em 1 a 1 contra o Boavista-RJ. Marcou seu primeiro gol em 1º de março, na vitória de 3 a 1 sobre a Cabofriense.[20] Com o início da Copa Libertadores, foi poupado das primeiras partidas do Fluminense no Campeonato Brasileiro de 2008 e, apesar de ter iniciado a primeira partida da equipe pela competição continental no banco de reservas, formou, com Thiago Neves, o meio-campo titular do clube carioca durante o restante da competição. Mesmo assumindo um papel de coadjuvante em relação à Thiago, Conca foi decisivo para a boa campanha tricolor na competição: em 30 de abril, nas oitavas-de-final, marcou o gol da vitória da equipe sobre o Nacional da Colômbia.[21] No primeiro jogo da final, disputado no Equador, contra a LDU Quito, Conca também marcou[22], muito embora tenha desperdiçado sua cobrança de pênalti no jogo decisivo.

Após a perda do título da Libertadores e a com a transferência de alguns dos principais jogadores da equipe para outros clubes (como Thiago Neves e Gabriel), Conca assumiu a responsabilidade de livrar o clube do risco de rebaixamento. Com a demissão de Renato Gaúcho e a malograda passagem de Cuca pela equipe, coube à René Simões salvar o clube da degola. Na reta final do Brasileirão daquele ano, Conca chegou a atuar sozinho na armação, à frente de uma linha de três volantes.[11]

2009[editar | editar código-fonte]

Em 2009, um imbróglio atrasou a renovação de seu contrato com o Fluminense, o que atraiu o interesse de outros clubes, incluindo o Flamengo, principal rival do tricolor.[23] Diante da perspectiva de perder o seu mais novo xodó, a torcida tricolor iniciou uma campanha na internet para que, através de uma "vaquinha", os próprios tricolores comprassem o passe do jogador, mantendo-o no clube.[24][25] Nas primeiras semanas de janeiro, no entanto, ocorreu a renovação, por mais três anos.[26]

Conca teve um mau início de temporada, chegando a ser barrado pelo técnico René Simões no Campeonato Carioca daquele ano.[27] Com a demissão de Simões, a chegada de Carlos Alberto Parreira ao comando da equipe e a volta de Thiago Neves, Conca voltou a ter um companheiro na armação das jogadas. Foi dele o gol da vitória da reestreia de Parreira no comando da equipe, na vitória por 2 a 1 sobre o Volta Redonda, em 12 de março.[28] No entanto, teve uma participação discreta na campanha tricolor na Copa do Brasil de 2009, encerrada nas quartas-de-final após empate em 2 a 2 com o Corinthians. Após uma série de maus resultados que culminaram com a entrada da equipe na zona de rebaixamento do Brasileirão, Parreira foi demitido do cargo de treinador do Fluminense, que anunciou o retorno de Renato Gaúcho ao clube.[29]

Com o retorno de Thiago Neves ao Al-Hilal, Conca viu-se novamente solitário na armação de jogadas do Fluminense, assumindo com Fred a responsabilidade de livrar o Flu da má fase.[11] Em 15 de julho, na derrota por 4 a 2 para o Internacional, Conca marcou um gol de cabeça, algo raro para alguém de seu tamanho e porte físico.[30] A má fase de Fred, somada às suas constantes lesões, deixou Conca como único jogador habilidoso do elenco que, em 12 partidas sob o comando de Renato Gaúcho, perdeu seis, empatou cinco e venceu somente uma - uma goleada de 5 a 1 sobre o Sport, na qual Conca colaborou com duas assistências.[31] Àquela altura, o Fluminense ocupava a penúltima colocação da competição.

No dia 2 de setembro, após a derrota de 2 a 0 para o Santos, Renato Gaúcho foi demitido e Cuca retornou ao cargo de treinador do Fluminense, que já ocupava a última colocação do campeonato e que, de acordo com o matemático Tristão Garcia, tinha 93% de chances de rebaixamento.[32] Conca marcou o único gol do Fluminense na partida de reesreia do treinador[33], um empate em 1 a 1 contra o Náutico. Após três empates, duas derrotas e somente uma vitória, o Fluminense já tinha 98% de chances de ser rebaixado no Campeonato Brasileiro.[34] Porém, em 10 de outubro a equipe iniciou uma arrancada histórica. Após a vitória de 2 a 1 sobre o Santo André, aquele que viria a ser aclamado como "Time de Guerreiros" pela torcida tricolor[35] emplacou uma série invicta de 11 jogos, comandados por Conca, Fred e Maicon "Bolt", livrando-se do rebaixamento na última rodada, após empate em 1 a 1 com o Coritiba. Conca foi fundamental nessa reta final, contribuindo com sete assistências e quatro gols para a manutenção do tricolor carioca na elite do futebol nacional, sendo aclamado pela torcida como o "Craque da Galera" do Prêmio Craque do Brasileirão, através de votação popular.[36]

Apesar de não ter marcado nenhum gol, teve importante participação na campanha do vice-campeonato da Copa Sul-Americana de 2009, sendo o principal homem da bola parada tricolor, marcando dois gols de falta e concretizando três assistências para o Fluminense.[37][38]

2010[editar | editar código-fonte]

Aquele que viria a ser o grande ano da carreira do argentino, começou de forma conturbada: após mau desempenho no Carioca, Cuca foi demitido, mesmo mantendo boa campanha na Copa do Brasil.[39] Em seu lugar, assumiu o então tricampeão brasileiro Muricy Ramalho que, em temporadas anteriores, já havia assumido publicamente o seu interesse em treinar o argentino.[40]

A eliminação da Copa do Brasil[41] e o começo ruim no Campeonato Brasileiro de 2010 logo foram esquecidos conforme o Fluminense de Muricy Ramalho começava a crescer na competição, com Conca se destacando, mesmo com a presença de estrelas como Fred e Deco. O argentino foi eleito vice-capitão da equipe[42] e, com as constantes lesões de Fred, envergou a braçadeira diversas vezes.

Em 5 de dezembro, após vitória de 1 a 0 sobre o Guarani, o Fluminense sagrou-se tricampeão brasileiro de futebol[43], com Conca sendo amplamente elogiado.[44] O argentino jogou todas as partidas do campeonato, tornando-se o segundo jogador de linha a participar de todas as partidas do torneio na era dos pontos corridos[45][46], terminando a competição como líder isolado de assistências além de nove gols, mesmo tendo atuado durante a reta final com dores no joelho[47][48], inserindo de vez o seu nome na galeria dos ídolos do Fluminense.

Pelas suas exibições no Campeonato Brasileiro de 2010, Conca conquistou inúmeros prêmios no Brasil. Foi eleito o Bola de Ouro da revista Placar, tradicional prêmio entregue desde a década de 1970 ao melhor jogador do Campeonato Brasileiro.[49][50] No Prêmio Craque do Brasileirão, organizado pela Confederação Brasileira de Futebol em parceria com a Rede Globo, venceu novamente na categoria "Craque da Galera" pelo voto popular, além do principal prêmio da noite, o de Melhor Jogador.[51][52] Além de inúmeros prêmios conquistados no Brasil, ganhou reconhecimento na sua terra natal. Tanto a imprensa quanto a população argentina pediram pela convocação do jogador.[53][54] Não bastante, chegou a ser cogitada a possibilidade de naturalizá-lo brasileiro com o propósito de convocá-lo para a Seleção Brasileira.[55][56][57]

2011[editar | editar código-fonte]

O ano de 2011, o quarto de Conca no Fluminense, começou de forma semelhante aos anteriores. Valorizado após o Campeonato Brasileiro de 2010, recebeu sondagens do futebol europeu (do Sevilla, e do Palermo)[58], mas renovou seu contrato por cinco anos com a equipe tricolor.[59][60][61][62]

Recuperou-se rapidamente da cirurgia no joelho, voltando a treinar com bola antes mesmo do prazo previsto.[65] Todavia, apesar do status de favorito, devido à conquista do Brasileirão no ano anterior, novamente o Fluminense iniciou mal o Campeonato Carioca, sendo eliminado nos pênaltis pelo modesto Boavista na semi-final da Taça Guanabara, tendo Conca desperdiçado a primeira cobrança do tricolor carioca.[66] Ruins também eram os resultados da equipe na Copa Libertadores. Recém-saído da cirurgia no joelho e longe de sua forma ideal, Conca não conseguia ser a referência da equipe na competição. As coisas ficaram piores quando, em 13 de março, após um empate sem gols contra o Flamengo, Muricy Ramalho pediu demissão do cargo de treinador do Fluminense.[67]

Em 20 de abril, em partida contra o Argentinos Juniors, chegou à sua ducentésima partida com a camisa do Fluminense.[68] Não conseguiu demonstrar, no começo do ano, o futebol que o levou a ser eleito como o grande jogador do futebol brasileiro em 2010. A chegada de Enderson Moreira como interino do comando técnico fez com que Deco e até mesmo Marquinho subissem de produção, mas o argentino não conseguia demonstrar o mesmo nível técnico de outrora.

No início do Campeonato Brasileiro de 2011, formando a dupla de meio-campo com um recuperado Deco, Conca voltou a dar lampejos de bom futebol, com bons passes e dribles. Em 12 de junho, recebeu uma proposta oficial do Guangzhou Evergrande, da China, que foi rejeitada pelo jogador, como dito pelo vice-presidente de futebol do Fluminense:

Guangzhou Evergrande[editar | editar código-fonte]

Especulações sobre a incerteza do futuro do jogador no Fluminense cresceram quando o Guangzhou Evergrande apresentou uma terceira proposta pelo argentino, avaliada em 19 milhões de reais, com o jogador recebendo 3 milhões de reais de luvas[69] e um possível salário de quase dois milhões de reais por mês, o que tornaria Conca o terceiro jogador de futebol mais bem pago do planeta.[70][71] Conca aceitou a proposta[72][73], fazendo sua última partida com a camisa tricolor em 30 de junho de 2011, uma vitória por 3 a 1 sobre o Atlético Paranaense.[72] A transferência foi oficializada em 2 de julho de 2011, tornando-se a mais cara da história do futebol chinês.[74][75] Apresentado oficialmente no dia 12 de julho, recebendo a camisa 15[76], Conca marcou seu primeiro gol pelo clube chinês logo em sua estreia, uma goleada de 5 a 0 sobre o Nanchang Bayi.[77][78] Em 28 de setembro, Conca marcou um gol e deu duas assistências na vitória do Guangzhou por 4 a 1 sobre o Shaanxi Chanba, vitória que rendeu, com cinco rodadas de antecipação, o título chinês ao Guangzhou Evergrande.[79][80] O argentino encerrou o campeonato chinês com 15 partidas disputadas e 9 gols marcados pelo Guangzhou, tendo recebido o prêmio de melhor meio-campista do Campeonato Chinês.[81][82] Em 30 de novembro de 2012, o jogador deixou a China levando os familiares e os pertences, apesar de ainda ter contrato com o clube chinês até julho de 2013, e teria dito em carta deixada ao presidente do clube, Liu Zhuo: "tenho coisas a fazer em minha vida. Uma delas é retornar ao Brasil".[83]

Em 31 de dezembro, contudo, apesar da insistência do Fluminense e das interseções de Conca junto à diretoria do Guangzhou Evergrande, ambas as partes não chegaram a um acordo, fator que força o retorno do jogador à China no dia 03 de janeiro seguinte.[84] Marcou dois gols na vitória do Guangzhou por 4 a 0 no dia 3 de abril de 2013, pela Liga dos Campeões da Ásia. Marcou um gol contra o Central Coast Mariners, da Austrália, e garantiu a vaga nas quartas de final da competição. Os chineses já tinham vencido o primeiro confronto na casa dos rivais por 2 a 1 e poderiam até mesmo perder em casa. Com o clube chinês, Darío Conca foi campeão da Liga dos Campeões da Ásia e ajudou o seu time a garantir uma vaga no Mundial, que ocorreu em dezembro e terminou com o Guangzhou em quarto, atrás de Atlético-MG, Raja Casablanca e Bayern de Munique.

Retorno ao Fluminense[editar | editar código-fonte]

Acertou sua volta ao tricolor carioca no dia 9 de novembro de 2013. Ele voltou a vestir a camisa do Fluminense em 2014, após assinar um contrato válido por três temporadas e que lhe garante cerca de R$ 700 mil mensais.[85] Realizou sua reestreia pelo Fluminense numa derrota por 3 a 2 para o Madureira, em partida válida pela primeira rodada do Campeonato Carioca.[86] Depois de dois jogos sem marcar após sua volta ao Tricolor, Conca marcou sua primeiro gol na sua segunda passagem pelo Fluminense numa vitória por 3 a 1 contra o Nova Iguaçu, em partida válida pelo Campeonato Carioca.

O fim da parceria do clube com a patrocinadora Unimed acarretou em atrasos salariais no elenco, o que levou Conca a deixar o clube.[87]

Shanghai SIPG[editar | editar código-fonte]

No dia 22 de janeiro de 2015, o Shanghai SIPG anuncia a contratação do meia argentino. A maior da história do clube chinês. O valor da contratação foi alto, cerca de 3 milhões de euros (R$ 9,2 milhões). O salário do jogador foi acertado em um pouco mais de R$ 2 milhões mensais. Ele recebeu a camisa de número 10. [88]

Logo na sua primeira temporada, Conca foi o segundo maior garçom do campeonato, com 13 assistências. Ele ficou atrás apenas do ex-cruzeirense Ricardo Goulart, que deu 15 passes para gol pelo Guangzhou Evergrande. Ainda no mesmo ano, o argentino viveu uma fase artilheira, marcando nove vezes nos 29 jogos disputados pelo Campeonato Chinês. Isso o colocou no Top 20 de artilheiros daquela edição, que teve como maior goleador, o ex-são-paulino Aloísio, que marcou 22 gols pelo Shandong Luneng.[89]

No dia 22 de maio de 2016, Conca renovou com a equipe chinesa por mais dois anos. [90]

No dia 26 de agosto de 2016, Conca sofreu uma séria ruptura do ligamento cruzado do joelho esquerdo.[91] A lesão aconteceu na partida contra o Shijiazhuang Ever Bright, válida pela 23ª rodada da Super Liga da China. Ele se machucou no momento em que marcou o gol da virada da equipe de Xangai.[92] Por conta dessa lesão, Conca precisou passar por uma cirurgia nos Estados Unidos. A previsão de recuperação foi de 6 a 8 meses.[91]

Por conta desta lesão, na temporada de 2016 Conca teve um desempenho menos decisivo pelo clube chinês. Foram 27 jogos, com seis gols marcados e outras cinco assistências.[89]

Flamengo[editar | editar código-fonte]

Em 2 de janeiro de 2017, foi anunciado como novo jogador do Flamengo, assinando por empréstimo de uma temporada.[93] Ele foi o segundo reforço do clube para a temporada de 2017.[94]

Para contratá-lo, o Flamengo, que havia acabado de inaugurar o Centro de Excelência em Performance do Ninho do Urubu, ofereceu suas instalações para ajudar na recuperação do atleta.[95][96] A negociação com os chineses partiu da recuperação de Conca na estrutura rubro-negra e com a assinatura do contrato de empréstimo por um ano. O Flamengo não teve custos na operação e arcou com uma parte de seus salários apenas quando ele voltou a atuar.[97] Um outro detalhe é que, mesmo negociando com o atleta a algum tempo, o jogador só pôde ser anunciado em 2017 por conta de uma cláusula de preferência ao Fluminense no retorno ao Brasil, estabelecida na venda de Conca ao time chinês, que se expirou no último dia de 2016. Caso o atleta acertasse com qualquer outro clube do Brasil senão o Fluminense antes desta data, o Fluminense teria direito a receber aproximadamente R$ 5,2 milhões.[98]

Ao acertar com o Flamengo, Conca tornou-se o 3º estrangeiro a defender três dos quatro grandes clubes do Rio. Antes dele, apenas o argentino Alfredo González, (na década de 40 atuou por Fla, Vasco e Botafogo) e o sérvio Dejan Petković (nos anos 2000 teve passagens por Flamengo, Vasco e Fluminense), já haviam alcançado este feito.

Mesmo com chances mínimas de atuar até o final do Campeonato Carioca, Conca foi inscrito pelo clube na competição.[99] Por conta disso, como o Flamengo foi o campeão do Campeonato Carioca; este foi seu primeiro título com a camisa do clube, mesmo sem ter entrado em campo.[100]

Com um mês de trabalho no clube, Conca completou a etapa de fisioterapia. Assim, a partir de então, ele já estava apto a iniciar trabalhos leves no campo, que são uma espécie de transição da terceira para a quarta e penúltima etapa de recuperação.[101] No mês de março, Conca já estava fazendo trabalhos com a bola.[102] No mês de maio, Conca já estava participando do treinos, dando indícios de que sua estreia estava próxima. No dia 22 de maio de 2017, foi liberado pelo departamento médico Rubro-Negro para estrear pelo Flamengo.[103] Com o discurso de evitar pressa ou queimar as últimas etapas da recuperação do joelho esquerdo, a ideia da comissão técnica do clube era a de que ele pudesse ficar no banco pela primeira vez no dia 4 de junho. Antes disso, porém, ele teria de disputar um jogo-treino.[104] Este jogo treino foi disputado no dia 5 de junho, contra o Mesquita. Conca participou por 47 minutos, e, apesar da disposição em participar da atividade, era nítida sua falta de ritmo de jogo.[105]

No dia 11 de junho, na partida contra o Avaí, Conca foi relacionado pela primeira vez, mas não chegou a entrar em campo.[106]

No jogo seguinte, realizado em 14 de junho de 2017 (após 10 meses afastado dos gramados, e a 5 no clube), finalmente Conca fez sua estreia pelo Flamengo, numa vitória contra a Ponte Preta, substituindo Diego. As estatísticas de Conca neste jogo foram: 10 minutos em campo, 10 toques na bola, 5 passes certos, 2 passes errados, 1 finalização, 1 assistência para finalização e 1 falta sofrida.[107]

No dia 30 de agosto, na partida em que o Flamengo empatou em 1 a 1 com o Paraná, pela Primeira Liga, e, por conta disso, teve de ser decidida nos pênaltis, Conca foi um dos cobradores do Flamengo, e não decepcionou, pois converteu sua cobrança.[108]

Em 9 de dezembro, o rubro-negro liberou o jogador para retornar ao Shanghai SIPG. Pelo Flamengo, Conca jogou apenas 27 minutos.[109]

Austin Bold e aposentadoria[editar | editar código-fonte]

Em 23 de setembro de 2018, Conca assinou com o Austin Bold, clube recém-formado de Austin, capital do Texas, que estreou na USL Championship em 2019.[110] Após disputar apenas duas partidas pela equipe americana, Conca anunciou sua aposentadoria do futebol no dia 23 de abril de 2019.[111]

Logo após sua aposentadoria, estreou como palestrante na China, no evento Soccerex, ao lado de Juliano Belletti no painel "Futebol moderno - a perspectiva dos jogadores". O ex-atleta e agora palestrante tem atualmente a gestão da sua nova carreira, assim como a assessoria e o marketing, por conta da ASJ Consultoria.[112]

Seleção Argentina[editar | editar código-fonte]

Sub-20[editar | editar código-fonte]

Em 2002, Conca fez 9 jogos e 1 gol pela Seleção Sub-20 da Argentina.[113] Em 2003, Conca foi convocado e cortado, por opção do treinador Hugo Tocalli, do Sul-Americano e do Mundial Sub-20.[114]

Seleção principal[editar | editar código-fonte]

Mesmo tendo defendido a seleção sub-20 da Argentina, Conca jamais foi convocado para jogar pela equipe principal da Argentina. Em 2010, o jornal esportivo argentino Olé realizou uma enquete sobre a convocação de Conca para a Seleção Argentina, e a maioria dos participantes pediu uma chance ao atleta.[115]

Por conta da bela passagem que teve no futebol brasileiro, principalmente na temporada de 2010, fez com que a imprensa brasileira começasse a especular a convocação de Conca para a Seleção Brasileira.[116]

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Em 2010, ainda antes de ser eleito o craque do Campeonato Brasileiro daquele ano, Darío Conca deu início ao seu processo de naturalização no Brasil. Segundo o jogador, seu objetivo para isso não era uma convocação para a Seleção Brasileira, mas apenas facilitar a sua situação no país.[117] O jogador porém admitiu à imprensa, que se um dia fosse convidado a jogar pela Seleção Brasileira, iria pensar seriamente a respeito.[116]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Atualizadas até 30 de agosto de 2017.

Clubes[editar | editar código-fonte]

[11][118][119]

Clube Temporada Campeonato
nacional
Copa
nacional[a]
Competições
continentais[b]
Outros
torneios[c]
Total
Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist.
Tigre 1999–00 1 0 0 1 0 0
Total 1 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 1 0 0
River Plate 2001–02 3 0 0 3 0 0
2002–03 11 2 0 11 2 0
Total 14 2 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 14 2 0
Universidad Católica 2003–04 18 2 0 18 2 0
2004–05 24 7 0 10 2 4 34 9 4
2005–06 23 4 0 6 1 0 29 5 0
Total 65 13 0 0 0 0 16 3 4 0 0 0 81 16 4
Rosario Central 2006–07 13 0 0 13 0 0
Total 13 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 13 0 0
Vasco da Gama 2007 30 6 7 2 0 0 5 1 0 13 1 5 50 8 12
Total 30 6 7 2 0 0 5 1 0 13 1 5 50 8 12
Fluminense 2008 30 4 5 14 2 4 12 2 0 56 8 9
2009 36 7 11 2 0 1 9 2 1 17 4 1 64 13 14
2010 38 9 19 6 0 1 0 0 0 16 5 7 60 14 27
2011 7 1 0 8 1 1 12 2 4 27 4 5
Total 111 21 35 8 0 2 31 5 6 57 13 12 207 39 55
Guangzhou Evergrande 2011 15 9 8 15 9 8
2012 24 10 12 2 1 0 9 6 3 1 0 0 36 17 15
2013 26 14 9 4 3 1 14 8 5 4 3 0 48 28 15
Total 65 33 29 6 4 1 23 14 8 5 3 0 99 54 38
Fluminense 2014 37 9 10 5 3 0 2 0 1 16 4 2 60 16 13
2015 2 0 0 2 0 0
Total 37 9 5 5 3 0 2 0 1 18 4 2 62 16 8
Shanghai SIPG 2015 29 9 13 2 2 1 31 11 14
2016 17 4 4 2 0 0 8 2 1 27 6 5
Total 46 13 17 4 2 1 8 2 1 0 0 0 58 17 19
Flamengo 2017 2 0 0 0 0 0 0 0 0 1 0 0 3 0 0
Total 2 0 0 0 0 0 0 0 0 1 0 0 3 0 0
Total na carreira 384 97 93 25 9 4 85 25 20 94 21 19 588 152 136

Seleção Argentina[editar | editar código-fonte]

Abaixo estão listados todos jogos e gols do futebolista pela Seleção Argentina, desde as categorias de base. Abaixo da tabela, clique em expandir para ver a lista detalhada dos jogos de acordo com a categoria selecionada.

Sub-20

Ano
Jogos Gols Assist. Média
2002 9 1 0 0,11
2003 0 0 0 0
Total 9 1 0 0,11

Títulos[editar | editar código-fonte]

Universidad Católica
Fluminense
Guangzhou Evergrande
Flamengo

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «A presença de Conca: meia do Fla atrai curiosidade e sonho dos "hinchas"». GloboEsporte.com. 14 de março de 2017. Consultado em 14 de março de 2017 
  2. «Após ser o "carrasco" do Flu, Conca vira ídolo e consolida status com título». UOL Esporte. 5 de dezembro de 2010. Consultado em 26 de junho de 2020 
  3. Cahê Mota, Edgard Maciel de Sá e Victor Canedo (1 de julho de 2011). «Salário de Conca na China será o terceiro maior do futebol mundial». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de junho de 2020 
  4. André Schmidt (16 de dezembro de 2016). «Perto do Flamengo, Conca pode fazer história no futebol carioca». LANCE!. Consultado em 26 de junho de 2020 
  5. «Conca encerra "sonho fantástico" no futebol e mira futuro no golfe». ge. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  6. Leandro Menezes (14 de janeiro de 2009). «Conca deixa a timidez de lado e mostra o seu lado torcedor». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de junho de 2020 
  7. a b c d Cahê Mota (9 de novembro de 2010). «De Tigre ao Rio: Darío Conca, obstinado e abençoado por D10S». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de junho de 2020 
  8. «Lancenet: 'Don Conca' volta ao lugar onde é ídolo na Argentina». Consultado em 9 de junho de 2011 
  9. «Super Vasco - Opinião: O ano de 2005 pertenceu a Conca». Consultado em 9 de junho de 2011 [ligação inativa]
  10. «Universidad Católica in Copa Libertadores 2006 players» (em inglês). Consultado em 9 de junho de 2011 
  11. a b c d e f «Dario Conca» (em inglês). Consultado em 9 de junho de 2011 
  12. «Vasco contrata estrela argentina e mais dois atacantes». Consultado em 9 de junho de 2011 [ligação inativa]
  13. «GloboEsporte.com - Vasco arranca vitória suada na estreia». Consultado em 9 de junho de 2011 
  14. Thiago Lavinas (4 de julho de 2007). «Conca desencanta na Colina». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de junho de 2020 
  15. Thiago Lavinas (4 de julho de 2007). «Conca comanda a vitória do Vasco». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de junho de 2020 
  16. «Conca diz que é difícil ficar no Vasco». GloboEsporte.com. 1 de dezembro de 2007. Consultado em 26 de junho de 2020 
  17. «Conca não vai ficar no Brasil». GloboEsporte.com. 10 de dezembro de 2007. Consultado em 26 de junho de 2020 
  18. «GloboEsporte.com - Horcades mostra contrato de Conca». Consultado em 9 de junho de 2011 
  19. «GloboEsporte.com - Conca é o presente dos capixabas». Consultado em 9 de junho de 2011 
  20. «Ataque funciona, e Flu vence Cabofriense». GloboEsporte.com. 1 de março de 2008. Consultado em 26 de junho de 2020 
  21. «Atletico Nacional vs Fluminense in Copa Libertadores 2008» (em inglês). Consultado em 9 de junho de 2011 
  22. «Liga Universitaria v Fluminense in Copa Libertadores 2008» (em inglês). Consultado em 9 de junho de 2011 
  23. «UOL Esporte - Flamengo pode tentar a contratação de Conca». Consultado em 10 de junho de 2011 
  24. «GloboEsporte.com - Torcida faz campanha para Conca permanecer no Flu». Consultado em 10 de junho de 2011 
  25. «Juntando plata para la Conca - River Plate.com» (em espanhol). Consultado em 10 de junho de 2011. Arquivado do original em 12 de julho de 2009 
  26. Fred Huber (7 de janeiro de 2009). «Conca assina por mais três anos». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de junho de 2020 
  27. Leandro Menezes (2 de março de 2009). «Sem surpresas, René Simões barra Conca e Diguinho do time titular». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de junho de 2020 
  28. «Parreira estreia com vitória no Flu: 2 a 1 sobre o Volta Redonda». UOL Esporte. 11 de março de 2009. Consultado em 26 de junho de 2020 
  29. «Fluminense acerta o retorno de Renato Gaúcho». Estadão. 20 de julho de 2009. Consultado em 26 de junho de 2020 
  30. «Internacional vs Fluminense in Brasileirão 2009» (em inglês). Consultado em 9 de junho de 2011 
  31. «Fluminense goleia no Maracanã e deixa a lanterna com o Sport». GloboEsporte.com. 6 de agosto de 2009. Consultado em 26 de junho de 2020 
  32. «Fluminense demite Renato Gaúcho e contrata Cuca». Extra. 1 de setembro de 2009. Consultado em 26 de junho de 2020 
  33. «Na estreia de Cuca, Flu empata com Náutico e segue na lanterna». iG. 6 de setembro de 2009. Consultado em 26 de junho de 2020 
  34. «Degola mais próxima: Fluminense tem 98% de chances de rebaixamento». GloboEsporte.com. 9 de outubro de 2009. Consultado em 26 de junho de 2020 
  35. «Fluminense lança novo site e adota oficialmente o 'Time de Guerreiros'». GloboEsporte.com. 14 de setembro de 2010. Consultado em 26 de junho de 2020 
  36. «Craque da Galera: Conca é o predileto da torcida e mantém troféu nas Laranjeiras». GloboEsporte.com. 7 de dezembro de 2009. Consultado em 26 de junho de 2020 
  37. «No Peru, Fluminense empata com o Alianza Atlético». Estadão. 23 de setembro de 2009. Consultado em 26 de junho de 2020 
  38. «Flu supera violência do Alianza Atlético, goleia e avança na Sul-Americana». UOL Esporte. 1 de outubro de 2009. Consultado em 26 de junho de 2020 
  39. «Globoesporte.com - Cuca é demitido e não comanda mais o Fluminense». Consultado em 9 de junho de 2011 
  40. «Emocionado, Darío Conca agradece elogios de Muricy Ramalho - 04/05/2010 - UOL Esporte». Consultado em 9 de junho de 2011. Arquivado do original em 8 de maio de 2010 
  41. «Grêmio elimina Fluminense no Estádio Olímpico e segue na Copa do Brasil». Consultado em 9 de junho de 2011. Arquivado do original em 15 de dezembro de 2010 
  42. «Na ausência de Fred, Conca é o capitão». Consultado em 9 de junho de 2011 
  43. «Campeonato Brasileiro: Fluminense é tricampeão do Brasileiro». Extra. 5 de dezembro de 2010. Consultado em 26 de junho de 2020 
  44. «Flu levanta a taça de campeão e consagra Conca». Goal.com. 7 de dezembro de 2010. Consultado em 26 de junho de 2020 
  45. «Conca iguala Wagner ao jogar todas partidas do Brasileiro». Terra. 3 de dezembro de 2010. Consultado em 26 de junho de 2020 
  46. Felippe Costa, Fred Huber e Marcelo Prado (13 de novembro de 2010). «Fernando Prass e Rogério Ceni: os homens de ferro do Brasileirão 2010». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de junho de 2020 
  47. «Conca admite dores e confirma cirurgia no joelho após Brasileiro». Terra. 27 de outubro de 2010. Consultado em 26 de junho de 2020 
  48. Diego Rodrigues (27 de dezembro de 2010). «Conca passa por cirurgia no joelho, e médico acredita em retorno rápido». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de junho de 2020 
  49. Gustavo Franceschini (6 de dezembro de 2010). «Conca fatura Bola de Ouro, mas Corinthians domina seleção do Brasileiro». UOL Esporte. Consultado em 26 de junho de 2020 
  50. «Corinthians domina lista em prêmio; Conca ganha Bola de Ouro». Terra. 6 de dezembro de 2010. Consultado em 26 de junho de 2020 
  51. «Conca é eleito o melhor jogador do Campeonato Brasileiro». Folha de S.Paulo. 6 de dezembro de 2010. Consultado em 26 de junho de 2020 
  52. «Conca é escolhido o melhor jogador do Brasileirão pela CBF». VEJA. 6 de dezembro de 2010. Consultado em 26 de junho de 2020 
  53. «Conca: "Meu sonho é defender a seleção argentina"». GloboEsporte.com. 24 de novembro de 2010. Consultado em 26 de junho de 2020 
  54. «Imprensa argentina exalta Conca e meia é pedido na seleção». Terra. 6 de dezembro de 2010. Consultado em 26 de junho de 2020 
  55. «Jornal: Mano admite convocar Conca para a Seleção». Terra. 12 de dezembro de 2010. Consultado em 26 de junho de 2020 
  56. Bruno Lousada (8 de dezembro de 2010). «Conca não descarta defender seleção brasileira». Estadão. Consultado em 26 de junho de 2020 
  57. «UOL Esporte: Mano elogia e não descarta convocação de Conca para seleção brasileira». UOL Esporte. 12 de dezembro de 2010. Consultado em 26 de junho de 2020 
  58. «Sevilla entra na briga com Palermo pelo meio-campista Conca». Consultado em 11 de junho de 2011. Arquivado do original em 8 de março de 2011 
  59. «Conca renova por mais cinco anos com o Fluminense». Terra. 10 de dezembro de 2010. Consultado em 26 de junho de 2020 
  60. «Conca renova com o Fluminense por cinco anos». O Globo. 10 de dezembro de 2010. Consultado em 26 de junho de 2020 
  61. Cahê Mota e Diego Rodrigues (10 de dezembro de 2010). «Conca renova por cinco anos com o Flu». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de junho de 2020 
  62. «Conca renova contrato com Fluminense por cinco anos». Gazeta do Povo. 10 de dezembro de 2010. Consultado em 26 de junho de 2020 
  63. esportes.terra.com.br. «Conca nega propostas e exalta amor pelo Fluminense». Consultado em 11 de junho de 2011 
  64. Lancenet.com.br. «Europa não comove Conca: 'Meu amor pelo Fluminense é maior'». Consultado em 11 de junho de 2011 
  65. «R7 Esportes: Conca surpreende e participa de rachão no Fluminense». Consultado em 9 de junho de 2011. Arquivado do original em 26 de janeiro de 2011 
  66. Fred Huber (19 de fevereiro de 2011). «Boavista elimina o Flu nos pênaltis e está na decisão da Taça Guanabara». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de junho de 2020 
  67. Eduardo Ohata (13 de março de 2011). «Técnico Muricy Ramalho pede demissão do Fluminense». Folha de S.Paulo. Consultado em 26 de junho de 2020 
  68. «Conca volta às origens para celebrar 200 jogos pelo Flu (Site Oficial do Fluminense)». Consultado em 10 de junho de 2011 
  69. Cahê Mota e Edgard Maciel de Sá (30 de junho de 2011). «Conca aceita proposta chinesa, e Flu deve perder seu maior ídolo atual». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de junho de 2020 
  70. Cahê Mota, Edgard Maciel de Sá e Victor Canedo (1 de julho de 2011). «Salário de Conca na China será o terceiro maior do futebol mundial». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de junho de 2020 
  71. Lydia Gismondi (4 de agosto de 2011). «'Diferente de tudo que tinha visto', diz Conca após quase um mês na China'». globoesporte.com. Consultado em 4 de agosto de 2011 
  72. a b «Conca aceita proposta chinesa, e Flu deve perder seu maior ídolo atual». Globo Esporte. 30 de junho de 2011. Consultado em 1º de julho de 2011 
  73. «Conca aceita oferta da China e está perto de sair do Flu». O Globo. 30 de junho de 2011. Consultado em 2 de julho de 2011 
  74. «Guangzhou Evergrande, clube chinês, oficializa a contratação de Darío Conca». UOL Esportes. 2 de julho de 2007. Consultado em 2 de julho de 2007 
  75. «Guangzhou Evergrande confirma contratação de Conca». Globo Esporte. 2 de julho de 2011. Consultado em 2 de julho de 2011 
  76. «Conca é apresentado e vestirá a camisa 15». band.com.br. 12 de julho de 2011. Consultado em 14 de julho de 2011 
  77. Dias, Thiago (14 de julho de 2011). «Conca é gol». Brasil Mundial FC. Consultado em 14 de julho de 2011 
  78. «Em sua estreia na China, Conca faz gol e é reverenciado». NETFLU.com.br. 14 de julho de 2011. Consultado em 14 de julho de 2011 [ligação inativa]
  79. «Conca faz um, Guangzhou goleia e se sagra campeão chinês pela 1ª vez». globoesporte.com. 28 de setembro de 2011. Consultado em 8 de outubro de 2011 
  80. «Time de Conca e Muriqui é campeão chinês por antecipação». terra.com.br. 28 de setembro de 2011. Consultado em 8 de outubro de 2011 
  81. «Conca é eleito o melhor meia do Campeonato Chinês». Lancenet. 3 de novembro de 2011. Consultado em 4 de novembro de 2011 
  82. «Craque do Brasileiro pelo Flu, Conca é o melhor meia da China». Terra Esportes. 3 de novembro de 2011. Consultado em 4 de novembro de 2011 [ligação inativa]
  83. Conca dá adeus a time chinês por carta e deixa presidente indignado
  84. Sem acordo com o Fluminense, Conca volta para a China no dia 3
  85. esporte.uol.com.br/ Conca assina pré-contrato e atuará pelo Fluminense em 2014
  86. «Na volta de Conca, Flu perde para o Madureira na estreia no Carioca: 3 a 2». Consultado em 18 de janeiro de 2014 
  87. «Conca minimiza salário milionário e diz que crise do Flu pesou para saída». BOL. 27 de janeiro de 2014 
  88. Globoesporte.com - Flu acerta com Shanghai Dongya, e Conca voltará ao futebol chinês
  89. a b globoesporte.globo.com/ Reforço do Fla, Conca manteve bom desempenho na China até se lesionar
  90. Globoesporte.com - Conca renova contrato com Shanghai SIPG por dois anos
  91. a b esportes.yahoo.com/ Joelho tira Darío Conca de combate na China. Só em 2017
  92. chinabrasilfutebol.com.br/ Conca sofre lesão no joelho esquerdo e põe a sua temporada em risco
  93. «Darío Conca é o mais novo reforço rubro-negro para a temporada 2017». Site oficial do Flamengo. 2 de janeiro de 2017. Consultado em 26 de junho de 2020 
  94. Fred Gomes e Raphael Zarko (2 de janeiro de 2017). «Fla anuncia Conca, lembra foto com Guerrero e brinca: "Só falta o Mickey"». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de junho de 2020 
  95. Vinicius Castro (15 de dezembro de 2016). «Fla oferece CT para recuperação e negocia empréstimo de um ano com Conca». UOL Esporte. Consultado em 26 de junho de 2020 
  96. Vinicius Castro (16 de dezembro de 2016). «Se fechar com Flamengo, Conca terá estrutura de ponta para voltar a jogar». UOL Esporte. Consultado em 26 de junho de 2020 
  97. Mauro Cezar Pereira (3 de janeiro de 2017). «Negócio da China: Flamengo gastará 'pouco' e só pagará por Conca quando voltar a jogar». ESPN.com.br. Consultado em 26 de junho de 2020 
  98. odia.ig.com.br/ Acerto de Conca com Flamengo pode encher os cofres do Fluminense. Entenda
  99. Amanda Kestelman, Fred Gomes e Raphael Zarko (9 de fevereiro de 2017). «Fla inscreve Ederson e surpreende ao incluir Conca na lista final do Carioca». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de junho de 2020 
  100. «Desfalques do Fla na final, Diego e Conca comemoram: 'Ficar fora é muito mais difícil'». Extra. 8 de maio de 2017. Consultado em 26 de junho de 2020 
  101. Amanda Kestelman, Fred Gomes e Raphael Zarko (10 de fevereiro de 2017). «Há um mês no Fla, Conca prepara transição para trabalhos no campo». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de junho de 2020 
  102. Amanda Kestelman (28 de março de 2017). «Conca "passa" em avaliações e inicia preparação física no Fla nesta semana». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de junho de 2020 
  103. «Após nove meses sem jogar, Conca é liberado pelos médicos do Flamengo - Futebol - UOL Esporte». UOL Esporte 
  104. Amanda Kestelman e Raphael Zarko (23 de maio de 2017). «Flamengo planeja jogo-treino e espera ter Conca no banco contra o Botafogo». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de junho de 2020 
  105. Raphael Zarko (6 de junho de 2017). «Conca mostra arrependimento por falta; plano é prepará-lo para jogo contra o Avaí». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de junho de 2020 
  106. «Zé Ricardo explica porque Conca não entrou em campo contra o Avaí». Torcedores.com. 11 de junho de 2017. Consultado em 26 de junho de 2020 
  107. «Veja como foi a estreia de Conca pelo Flamengo». Torcedores.com. 14 de junho de 2017. Consultado em 26 de junho de 2020 
  108. Amanda Kestelman (31 de agosto de 2017). «Conversa, apoio de Rueda, pênalti e 17 minutos: a volta de Conca 73 dias depois». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de junho de 2020 
  109. «Após pedido do Shanghai SIPG, Flamengo libera retorno de Conca à China». GloboEsporte.com. 9 de dezembro de 2017. Consultado em 26 de junho de 2020 
  110. «Conca assina com clube novato na Segunda Divisão dos Estados Unidos». GloboEsporte.com. 23 de setembro de 2018. Consultado em 26 de junho de 2020 
  111. Igor Rodrigues (23 de abril de 2019). «Conca encerra "sonho fantástico" no futebol e mira futuro no golfe». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de junho de 2020 
  112. «Golfe, família e homem de eventos: o primeiro mês do aposentado Darío Conca». ge. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  113. Cahê Mota (21 de agosto de 2010). «Em busca de algo mais, Conca sonha com a seleção. Seja qual for». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de junho de 2020 
  114. «Sobre Argentina, Conca diz: não quero ser convocado pela imprensa». Terra. 27 de novembro de 2010. Consultado em 26 de junho de 2020 
  115. «Conca inicia processo para ser cidadão brasileiro». JPNEWS. 9 de dezembro de 2010. Consultado em 26 de junho de 2020 
  116. a b globoesporte.globo.com/ Conca na Seleção Brasileira? Atletas e treinadores opinam sobre o assunto
  117. Cahê Mota e Diego Rodrigues (9 de dezembro de 2010). «Prestes a se tornar cidadão brasileiro, Conca não pensa na Seleção». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de junho de 2020 
  118. «Copa Sudamericana 2005» (em inglês). www.rsssf.com. Consultado em 22 de julho de 2012 
  119. «Copa Libertadores de América 2006» (em inglês). www.rsssf.com. Consultado em 22 de julho de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Darío Conca