Diego Tardelli

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Diego Tardelli
Diego Tardelli
Diego Tardelli pelo Atletico Mg em 2014
Informações pessoais
Nome completo Diego Tardelli Martins
Data de nasc. 10 de maio de 1985 (32 anos)
Local de nasc. Santa Barbara d'Oeste (SP), Brasil
Nacionalidade brasileira
Italiana
Altura 1,80 m
Destro
Apelido Dinei
Informações profissionais
Período em atividade 2003–presente (14 anos)
Clube atual Shandong Luneng
Número 9
Posição Atacante
Site oficial Diego Tardelli Facebook
Clubes de juventude
1999–2001
2001–2003
2003–2004
Santos
União Barbarense
São Paulo
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
2003–2007
2005–2006
2006
2006–2007
2008
2009–2011
2011
2012–2013
2013–2014
2015–
São Paulo
Betis (emp.)
São Caetano (emp.)
PSV Eindhoven (emp.)
Flamengo
Atlético Mineiro
Anzhi Makhachkala
Al-Gharafa
Atlético Mineiro
Shandong Luneng
0138 000(39)
0012 0000(0)
0007 0000(1)
0013 0000(3)
0035 0000(6)
0114 000(73)
0014 0000(0)
0029 000(15)
0105 000(33)
0064 000(30)
Seleção nacional
2005
2009–
Brasil Sub-20
Brasil
0002 0000(0)
0014 0000(3)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 9 de julho de 2017.

Diego Tardelli Martins, mais conhecido como Diego Tardelli, ou simplesmente Diego ou Tardelli (Santa Bárbara d'Oeste, 10 de maio de 1985),[1] é um futebolista brasileiro que atua como atacante.Atualmente defende o Shandong Luneng.

Características[editar | editar código-fonte]

Atacante de origem, Diego Tardelli destaca-se por sua movimentação dentro de campo, tornando-o um jogar versátil em campo, podendo jogar na referência no ataque como centroavante ou também como um segundo atacante, jogando pelas pontas. Suas principais características são velocidade e finalização de curta e longa distância.

Carreira[editar | editar código-fonte]

O início[editar | editar código-fonte]

Diego Tardelli iniciou sua carreira no Partner Football, clube empresa de Curitiba. Chegou a ser emprestado para as categorias de base do Santos, na mesma geração de Robinho e Diego. Porém, devido a problemas disciplinares, o jogador acabou sendo devolvido ao clube de Curitiba.

Após isso, em negociação conturbada, apareceu atuando no União Barbarense, e aos 18 anos foi levado pelo São Paulo através de mais uma polêmica transação com o clube interiorano da qual ficou avaliada em apenas 21 mil reais,[2] um valor extremamente baixo para os padrões do futebol.

Ainda nas categorias de base do Tricolor Paulista, Tardelli era conhecido como Dinei, atacante e ídolo do rival Corinthians, pois, a exemplo do corintiano, pintava seus cabelos de loiro.[3]

São Paulo[editar | editar código-fonte]

Em 2003, chegou para integrar as categorias de base do São Paulo.

Diego Tardelli surgiu durante a Copa São Paulo de Juniores de 2004, como uma das principais promessas do futebol brasileiro, quando chegou até a final do campeonato, vencida pelo Corinthians.

Já no ano seguinte, tornou-se titular do time principal do São Paulo, tendo sido destaque na conquista do Campeonato Paulista de 2005, artilheiro da equipe com 12 gols. Em seguida, na final da Taça Libertadores de 2005, fez um dos gols, na vitória de 4 a 0 sobre o Atlético-PR, que deu ao São Paulo seu terceiro título nesta competição. Anos depois, mais precisamente em 2014, Tardelli disse que ficou certa mágoa com o Tricolor Paulista. Segundo o atacante, "eu era visto como um talento que não despontava, jogador-problema. Talvez eu tenha me empolgado no momento errado. Tinha 17, 18 anos, ia pra balada e chegava atrasado aos treinos. O São Paulo poderia ter me dado cobertura e instrução, mas nunca me defendeu. Aí a imprensa deitava e rolava. A manchete do dia seguinte era sempre garantida. Na situação difícil, ninguém ficava do meu lado."[4]

Europa e retorno ao Brasil[editar | editar código-fonte]

Contudo, a carreira de Tardelli no São Paulo, logo acabaria esbarrando em seu temperamento difícil. Envolvido em seguidos problemas disciplinares, acabou sendo emprestado ao Real Betis, da Espanha, mas não obteve sucesso.

Em 2006, Tardelli retornou ao Brasil, emprestado ao São Caetano, sob o aval do treinador Emerson Leão, com quem já havia trabalhado no São Paulo.

Porém, após somente sete partidas, Tardelli trocou o São Caetano pelo PSV Eindhoven, dos Países Baixos.

Na Holanda , recuperou o bom futebol, com belas exibições e alguns gols importantes, Tardelli foi um dos responsáveis pelo título do Campeonato Holandês de 2007.[5]

Terminado seu empréstimo junto ao PSV, Tardelli retornou ao São Paulo, em meados de 2007, onde conquistou o Campeonato Brasileiro.

Flamengo[editar | editar código-fonte]

No início de 2008, foi contratado pelo Flamengo, para a disputa da Libertadores da América daquele ano. Contudo, antes mesmo de ser integrado ao elenco rubro-negro, Tardelli já havia se envolvido em uma polêmica com Souza, que, à época, era o atacante titular do Flamengo.

Tardelli acabou sendo bem recebido na Gávea, até mesmo por Souza. Não conseguiu, porém, se efetivar como titular. Oportunidade, que surgiu durante a final do Campeonato Carioca, Tardelli entrou no segundo tempo do jogo que estava empatado e levaria a decisão para os pênaltis, mas Tardelli fez o gol da vitória, ele acertou um belo chute de fora da área, o golaço deu o título de Campeão Carioca ao Flamengo, que também se tornou o recordista de títulos estaduais.

Passado o Campeonato Carioca, Tardelli voltou a ser irregular e, com isso, não conseguiu firmar-se como titular. Todavia, no meio da disputa do Campeonato Brasileiro de 2008, com a saída de vários atacantes rubro-negros para o exterior, a vaga de titular passou a ser sua. Porém, logo em seguida, Tardelli sofreu uma fratura no braço direito, que o deixaria de fora do restante da temporada.

O auge no Atlético Mineiro[editar | editar código-fonte]

Para a temporada de 2009, o Atlético Mineiro contratou o jogador, adquirindo cinquenta por cento de seus direitos econômicos. Logo em sua primeira temporada, fazendo dupla de ataque com Éder Luís, que havia retornado de empréstimo do São Paulo, Tardelli virou um ídolo do Galo e de sua torcida pelo alto número de gols marcados e atuações decisivas.[6] O presidente do Atlético chegou a declarar que havia recusado uma proposta de 23 milhões de reais pelo jogador. Ao final da temporada, Diego Tardelli conquistou vários prêmios, entre eles o Prêmio Arthur Friedenreich, dado ao maior artilheiro da temporada,[7] o prêmio de melhor "primeiro atacante" do Campeonato Brasileiro de 2009, em disputa com Fred (Fluminense) e Fernandinho (Barueri), entre outros. Devido ao grande futebol apresentado no ano, os rumores de que Tardelli teria propostas de outros clubes aumentaram. O Benfica, de Portugal, era um dos mais especulados. Com a demissão de Celso Roth e com a badalada contratação de Vanderlei Luxemburgo, o novo treinador garantiu que Tardelli ficaria, rasgando elogios a ele.

No ano seguinte, Diego Tardelli seguiu brilhando, desta vez, formando dupla de ataque com Obina, contratado para substituir Éder Luís, que havia se transferido. Entretanto, Obina se machucou pouco tempo depois, e Tardelli assumiu mais uma vez a responsabilidade de comandar o ataque atleticano, sendo um dos responsáveis pelo título do Campeonato Mineiro de 2010, o seu primeiro título pelo clube. Em 30 de outubro de 2010, Tardelli completou 100 jogos com a camisa do Galo, e recebeu uma placa em sua homenagem.

No ano de 2011, segue marcando gols. Em 12 de fevereiro, fez três no clássico contra o Cruzeiro e se torna o sexto jogador atleticano na história do clássico Atlético X Cruzeiro a marcar 3 gols numa mesma partida, ajudando o Atlético a vencer por 4-3.

Anzhi Makhachkala[editar | editar código-fonte]

No dia 8 de março de 2011, a imprensa russa anunciou a oficialização do acerto entre Diego Tardelli e o clube russo Anzhi Makhachkala, em um contrato de 4 anos de duração. O jogador teve 62,5% do seu passe, vinculados ao Atlético Mineiro, negociados com os russos por 5 milhões de euros, cerca de 11,5 milhões de reais.[8]

Dois dias depois, Tardelli anunciou em seu twitter oficial que a negociação estava realmente concretizada. No Anzhi, Tardelli irá jogar ao lado dos ex-corintianos Roberto Carlos e Jucilei. Ele vestirá a camisa de número 9, número com o qual se destacou no Atlético Mineiro.

No dia 3 de outubro de 2011, o jornalista Tino Marcos, que estava na Rússia, noticiou que o jogador deixaria o clube russo em janeiro. Em uma entrevista o próprio Tardelli revelou seu desejo[9] de voltar a atuar pelo Atlético, dando preferência ao clube nas negociações, tendo até conversado com o presidente Alexandre Kalil. Outros clubes estiveram interessados, como o Palmeiras, times da Turquia e até mesmo do Qatar, porém seu interesse seria o de voltar ao Brasil.

Al-Gharafa[editar | editar código-fonte]

Após um ano de insucesso no Anzhi, Tardelli manifestou seu interesse de voltar ao Brasil. Foram semanas de negociações com equipes brasileiras (principalmente Atlético Mineiro, Palmeiras e Corinthians), mas no final acabou acertando sua transferência no valor de 4 milhões de euros para outra equipe do exterior, dessa vez o Al-Gharafa, do Qatar.[10]

O retorno ao Atlético Mineiro[editar | editar código-fonte]

Em 2013, após um longo período de negociações, o retorno de Diego Tardelli ao Atlético Mineiro foi anunciado pelo presidente Alexandre Kalil no dia 3 de fevereiro. O jogador assinou um contrato de 4 anos e estima-se que o valor da negociação tenha sido por volta dos 5,25 milhões de euros.[11][12]

Não demorou muito para Diego Tardelli voltar a cair nas graças da torcida. Por seu futebol de refinada técnica e sua voluntariedade tática, constantemente é reverenciado pelos torcedores atleticanos, que entoam cânticos feitos especialmente para o atleta. Segundo o colunista Tostão, para o qual faltaria à seleção um jogador com as características de Tardelli, ele "não é um centroavante, um meia de ligação nem um ponta. Ele é uma mistura de tudo isso. Toca e avança. Dribla, dá passes e faz gols.[13]

Em 2013 sacramentou sua posição de ídolo da torcida do Atlético Mineiro ao participar decisivamente da campanha do título da Libertadores daquele ano. Foi vice-artilheiro da competição, com 6 gols.

No dia 23 de julho de 2014, Tardelli marcou seu centésimo gol com a camisa do Galo na final da Recopa Sul-Americana, ajudando o Atlético na conquista do inédito título, e sagrando-se artilheiro da competição.[14]

Ainda em 2014, Tardelli continuou a escrever seu nome na centenária história do clube ao marcar o gol do título da Copa do Brasil sobre o arquirrival Cruzeiro.[15] Com mais este gol sobre o Cruzeiro, o goleador se juntou a Nilson, Paulo Isidoro, Guilherme e Lauro como o 6º maior artilheiro do Atlético em clássicos, com nove gols, deixando para trás Éder Aleixo, Dario e Nívio, que marcaram oito gols cada.[16]

No total foram 219 partidas e 110 gols, o suficiente para Diego Tardelli se tornar um grande ídolo da massa atleticana.

Shandong Luneng[editar | editar código-fonte]

Em 17 de janeiro de 2015 Tardelli foi contratado pelo Shandong Luneng da China por 5,5 milhões de euros.[17]

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Em 2005, foi convocado para a Seleção Brasileira, que disputou o Campeonato Mundial Sub-20 daquele ano, nos Países Baixos. O Brasil terminou a competição na terceira colocação, mesmo assim, Tardelli foi considerado um dos grandes destaques do torneio.

No dia 28 de julho de 2009, suas atuações pelo Atlético Mineiro lhe renderam sua primeira convocação para a Seleção Brasileira principal, para o amistoso contra a Estônia, e, no dia 12 de agosto de 2009, fez sua estreia. A partir disso, o treinador Dunga o convocou para os jogos da seleção nas Eliminatórias da Copa. Diego Tardelli terminou o ano com expectativas de ir a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, mesmo sem ter feito gols enquanto esteve jogando pela Seleção Brasileira. No dia 26 de julho de 2010, Diego Tardelli foi convocado mais uma vez para a seleção principal para jogar um amistoso contra os Estados Unidos, onde entrou em campo nos últimos minutos e não marcou nenhum gol.

Em outubro de 2013, escalado por Cuca para exercer a função do contundido Ronaldinho Gaúcho, Tardelli vem vivendo uma boa fase no Atlético. Contudo, apesar do grande momento, tem ficado de fora das listas de Luiz Felipe Scolari na Seleção, fator que vem externando certa insatisfação por parte do jogador. Segundo o próprio atacante[18]:

Em 19 de agosto de 2014, Diego Tardelli foi convocado pelo treinador Dunga para amistosos contra Colômbia e Equador.[19] No Superclássico das Américas de 2014, Tardelli fez os dois gols da vitória brasileira.

O jogador fez parte do grupo que disputou a Copa América de 2015, no Chile.[20] Após muito tempo sem ser convocado, foi lembrado por Tite, para jogar as Eliminatórias da Copa de 2018 na Rússia, contra a Bolívia e Chile.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Até 13 de fevereiro de 2013.

Clubes[editar | editar código-fonte]

Clube Temporada Campeonato
nacional
Copa
nacional[a]
Competições
continentais[b]
Outros
torneios[c]
Total
Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist.
São Paulo 2004 22 9 0 6 3 0 1 1 0 29 13 0
2004 29 7 0 6 0 0 3 1 0 38 8 0
2005 19 1 0 10 4 0 17 12 0 46 17 0
Total 70 17 0 0 0 0 22 7 0 21 14 0 113 38 0
Real Betis (emp.) 2005-06 12 0 0 12 0 0
Total 12 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 12 0 0
São Caetano (emp.) 2006 7 1 0 7 1 0
Total 7 1 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 7 1 0
PSV Eindhoven (emp.) 2006-07 13 3 1 5 0 0 18 3 1
Total 13 3 1 0 0 0 5 0 0 0 0 0 18 3 1
São Paulo 2007 20 1 1 5 0 0 25 1 1
Total 20 1 1 0 0 0 5 0 0 0 0 0 25 1 1
Flamengo 2008 16 0 2 6 1 0 13 5 4 35 6 6
Total 16 0 2 0 0 0 6 1 0 13 5 4 35 6 6
Atlético Mineiro 2009 33 19 7 5 4 0 2 3 0 16 16 0 56 42 7
2010 27 10 1 6 7 0 2 0 0 16 8 0 51 25 1
2011 2 2 0 5 4 0 7 6 0
Total 60 29 8 13 13 0 4 3 0 37 28 0 114 73 8
Anzhi Makhachkala 2011 13 0 0 1 0 0 0 0 0 0 0 0 14 0 0
Total 13 0 0 1 0 0 0 0 0 0 0 0 14 0 0
Al-Gharafa 2011–12 10 4 0 0 0 0 5 2 0 0 0 0 15 6 0
2012–13 14 9 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 14 9 0
Total 24 13 0 0 0 0 5 2 0 0 0 0 29 15 0
Atlético Mineiro 2013 26 12 3 1 0 0 15 7 2 10 4 0 52 18 5
2014 24 10 0 7 1 0 12 3 0 9 2 0 52 16 0
Total 50 22 3 8 1 0 27 10 2 19 6 0 104 34 5
Total Atlético Mineiro 110 51 11 21 14 0 31 13 2 56 34 0 218 107 13
Shandong Luneng 2015 19 6 5 1 0 0 5 0 2 0 0 0 25 6 7
Total 19 6 5 1 0 0 5 0 2 0 0 0 25 6 7
Total na Carreira 304 95 20 23 14 0 79 23 4 90 53 4 497 185 28

Títulos[editar | editar código-fonte]

São Paulo
PSV Eindhoven
Flamengo
Atlético Mineiro
Al-Gharafa
  • Copa Emir: 2012
Seleção Brasileira

Artilharias[editar | editar código-fonte]

Atlético Mineiro
Seleção Brasileira

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Perfil de Diego Tardelli
  2. O Momento. «Tardelli em Santa Bárbara D'Oeste» 
  3. 11 jogadores que “mudaram de nome” durante a carreira
  4. Patente alta: Tardelli tem como plano virar lenda no Atlético-MG
  5. IG. «Tardelli marca e PSV vence na rodada». Consultado em 22 de Outubro de 2009 
  6. UOL Esporte. «Tardelli é maior matador alvinegro em 20 anos». Consultado em 15 de Outubro de 2009 
  7. Globoesporte.com. «Classificação do prêmio Friedenreich». Consultado em 5 de Novembro de 2009 
  8. Globoesporte.com. «Imprensa russa diz que Diego Tardelli já é jogador do Anzhi». Consultado em 7 de março de 2011 
  9. José Renato Ambrosio, com redação do ESPN.com.br. «ÁUDIO: Tardelli nega pedido alto a Kalil e não descarta atuar em outros clubes brasileiros». Consultado em 4 de novembro de 2011 
  10. Globoesporte.com. «Al Gharafa frustra clubes brasileiros e tira Diego Tardelli do futebol russo». Consultado em 5 de janeiro de 2012 
  11. Globoesporte.com. «Kalil anuncia retorno de Diego Tardelli ao Galo: 'É nosso de novo!'». Consultado em 2 de fevereiro de 2013 
  12. Superesportes. «Diego Tardelli é oficialmente do Atlético, anuncia presidente Alexandre Kalil». Consultado em 2 de fevereiro de 2013 
  13. " http://www1.folha.uol.com.br/colunas/tostao/1256437-espaco-e-movimento.shtml
  14. «globoesporte.globo.com/jogo/recopa-sul-americana-2014/23-07-2014/atletico-mg-lanus.html». Globoesporte.com 
  15. «Na história do Atlético-MG, Tardelli divide título e prêmio com a torcida» 
  16. «Com o gol, Diego Tardelli vira sexto maior artilheiro do Galo contra o rival». www.lancenet.com.br 
  17. «Diego Tardelli signed with Luneng formally» (em inglês). Sítio oficial Shandong Luneng. 17 de janeiro de 2015 
  18. Tardelli mostra surpresa por não ser lembrado por Felipão na Seleção
  19. «Dunga convoca dupla do Cruzeiro e mantém 10 jogadores da Copa-2014». GloboEsporte.com. Consultado em 18 de agosto de 2014 
  20. «Confira os convocados de cada seleção para a Copa América de 2015». Consultado em 22 de setembro de 2015 
  21. a b c d e «Tardelli: artilheiro do Brasil, Chuteira de Ouro e seleção do Prêmio Craque Brasileirão». Assessoria de Imprensa - Clube Atlético Mineiro. 7 de dezembro de 2009. Consultado em 8 de dezembro de 2009 
  22. Globoesporte.com. «Craque Brasileirão 2009: Diego Tardelli leva prêmio de primeiro atacante» 
  23. «Artilheiro do Atlético, Tardelli acumula prêmios em 2009». Assessoria de Imprensa - Clube Atlético Mineiro. 28 de dezembro de 2009. Consultado em 28 de dezembro de 2009 
  24. Globoesporte.com. «Diego Tardelli fecha a temporada de 2009 como o maior goleador do futebol brasileiro» 
  25. Mineiro, Daniela (7 de dezembro de 2009). «Tardelli é eleito melhor atacante do Brasileiro». Super Esportes. Consultado em 8 de dezembro de 2009 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]