Jefferson de Oliveira Galvão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Jefferson
Jefferson
Jefferson atuando pelo Botafogo em 2014.
Informações pessoais
Nome completo Jefferson de Oliveira Galvão
Data de nasc. 2 de janeiro de 1983 (37 anos)
Local de nasc. São Vicente, São Paulo, Brasil
Altura 1,89 m[1]
canhoto
Apelido Jeff, Homem de Gelo, Gato Negro[2]
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição Goleiro
Clubes de juventude
1995–1997
1997–2000
Ferroviária de Assis
Cruzeiro
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
2000–2005
2003
2003–2005
2005–2008
2008–2009
2009–2018
Cruzeiro
América-SP (emp.)
Botafogo (emp.)
Trabzonspor
Konyaspor
Botafogo
00070 0000(0)
00000 0000(0)
00084 0000(0)
00053 0000(0)
00019 0000(0)
00375 0000(0)
Seleção nacional
2001–2003
2010–2015
Brasil Sub-20
Brasil
00004 0000(0)
00022 0000(0)
Medalhas
Jogos Pan-Americanos
Prata Jogos Pan-Americanos 2003

Jefferson de Oliveira Galvão (São Vicente, 2 de janeiro de 1983), mais conhecido simplesmente como Jefferson, é um empresário e ex-futebolista brasileiro que atuava como goleiro.

Apelidado de Homem de Gelo, tamanha sua frieza durante os jogos e treinos,[2][3] foi considerado um dos melhores goleiros do Brasil de sua época, especialmente durante a década de 2010.[4] O arqueiro iniciou a carreira profissional no Cruzeiro e chegou a se aventurar pelo futebol europeu, atuando em duas equipes da Turquia, mas tornou-se ídolo no Botafogo, clube que defendeu por doze anos, entre 2003 e 2005, antes de ser negociado com o Trabzonspor, e depois de 2009 a 2018. Com 459 partidas pelo Glorioso, Jefferson é o terceiro jogador que mais vezes vestiu a camisa do Botafogo, atrás apenas dos dois maiores atletas da história do alvinegro, Nilton Santos e Garrincha.[5] É também o recordista de aparições no Estádio Nilton Santos, com 148 jogos disputados.[6]

Pelo Botafogo, foi três vezes campeão estadual e conquistou também a Série B.[7] Durante sua segunda passagem pela equipe carioca, foi eleito por duas vezes o melhor goleiro do Campeonato Brasileiro, em 2011 e 2014.[8][9] Também em duas ocasiões, foi considerado o melhor de sua posição no Campeonato Carioca, em 2010 (ano em que recebeu também o prêmio de melhor jogador da competição) e 2013.[10][11] Após anúncio no início do ano, aposentou-se do futebol profissional no dia 26 de novembro de 2018, aos 35 anos, depois de três temporadas perseguido por lesões que o impediram de jogar regularmente.[12][13][14]

Jefferson também foi goleiro da Seleção Brasileira, a qual defendeu em 22 oportunidades. Foi tricampeão do Superclássico das Américas, com destaque para a edição de 2012, quando foi pela primeira e única vez o capitão do Brasil no jogo de ida,[15] e para a conquista de 2014, quando pegou um pênalti cobrado por Lionel Messi.[16][17] Em competições oficiais, foi o goleiro titular na Copa América de 2015 e, como reserva, conquistou o título da Copa das Confederações de 2013 e disputou a Copa do Mundo de 2014, tornando-se o 47.º jogador do Botafogo a disputar o Mundial pela Seleção.[18][19][20]

Infância e juventude

Jefferson passou a infância no interior de São Paulo, nas cidades de São Vicente, onde nasceu, e Assis, para onde se mudou aos seis anos de idade e iniciou sua história no futebol.[21][22] Criado sem o pai, é filho de Sônia Maria de Oliveira, copeira no Fórum de Assis, e caçula de outros três irmãos.[23] Sem condições financeiras, a família chegou a sofrer com os abusos e agressões do então padrasto de Jefferson, que batia em sua mãe,[24] até que eles se mudaram para um pequeno apartamento de três cômodos em um conjunto habitacional chamado Cohab (Companhia Metropolitana de Habitação de São Paulo), no qual Jefferson precisava dormir no corredor a fim de priorizar as mulheres da casa. Apesar de todas as dificuldades, o goleiro garante nunca ter passado fome.[25][26]

"Felizmente, nunca passei fome e minha mãe sempre tratou a mim e aos meus irmãos com carinho e amor. Temos que estar preparados para superar qualquer tipo de obstáculo."[26]
— Jefferson de Oliveira Galvão

Ainda muito jovem, antes de adentrar o mundo do futebol, o goleiro chegou a ser artista circense, fazendo bico como assistente de palhaço para ajudar a família financeiramente. Segundo o jogador, os momentos no picadeiro contribuíram para que ele se afastasse do crime e das drogas.[27][28] Aos 10 anos, com facilidade para correr e a elasticidade adquirida no circo, Jefferson chegou a praticar atletismo, como velocista, e fazia capoeira.[28][29] No início da adolescência, escolheu se dedicar exclusivamente ao futebol, quando já frequentava a escolinha do professor Clélio Augusto Vieira.[28][21]

Carreira

Categorias de base

Considerado um dos melhores goleiros do Brasil,[9][30][4][31][32] Jefferson começou a sua trajetória no futebol, curiosamente, como atacante, nas divisões de base da Ferroviária de Assis, clube do interior de São Paulo.[21] À época, ele acreditava que a posição de goleiro não rendia frutos, uma vez que os atacantes "ganhavam melhor e eram mais famosos".[33] Ainda no time paulista, porém, foi convencido a trocar de função devido à sua estatura elevada.[21]

Em 1997, aos 14 anos, se transferiu para o Cruzeiro. Apesar de já ter mudado para a posição de goleiro, no dia em que foi descoberto por olheiros do clube mineiro, em um torneio amistoso em Foz do Iguaçu, Jefferson estava atuando na linha porque o meia-esquerda da Ferroviária não pôde participar da competição.[34] Ainda assim, o treinador Clélio Augusto Vieira convenceu os observadores cruzeirenses a levá-lo para um período de testes. Após disputar um mundialito amistoso pela Raposa, em Alegrete, o goleiro foi aprovado e integrado às categorias de base do Cruzeiro.[34]

Três anos depois, ganhou a oportunidade de treinar durante uma semana ao lado da equipe profissional. Seu desempenho agradou e o técnico Luiz Felipe Scolari decidiu promovê-lo definitivamente, mesmo contra a pressão de alguns dirigentes.[35] Segundo Felipão, o goleiro estava sendo vítima de preconceito racial.[36]

"Uma pessoa lá do departamento amador (do Cruzeiro) tinha contratado um outro goleiro de Londrina, um alto e loiro. E o Jefferson é preto, grandão. Eles tinham mais predileção para colocar o outro goleiro, porque achavam mais interessante. Eu achava que o Jefferson tinha muitas qualidades."[36]

Cruzeiro

Jefferson jogou pelo time mineiro de 2000 a 2002. Sua estreia como profissional aconteceu no dia 23 de agosto de 2000, contra o Bahia, na Fonte Nova, em duelo válido pela Copa João Havelange.[37] Aos 17 anos, o goleiro encarou o desafio após as lesões dos concorrentes André Döring e Rodrigo Posso.[35] Por ser muito novo, a diretoria do Cruzeiro contratou o goleiro Fabiano, emprestado pela Portuguesa.[38] No entanto, Jefferson permaneceu em alta com o técnico Felipão e fechou o ano com 17 partidas pela equipe mineira.

"Pode chegar o melhor goleiro do mundo que o Jefferson, se estiver jogando bem, vai continuar como titular."[38]

Ao final da temporada de 2000, no entanto, o Cruzeiro contratou Bosco para o gol e Jefferson voltou à reserva no ano seguinte.[39] Do banco dos suplentes, foi campeão da Copa Sul-Minas de 2001, mas fez apenas nove partidas ao longo do ano.[40] No início de 2002, Jefferson voltou ao posto de titular e faturou o bicampeonato da Copa Sul-Minas, assim como o título do Supercampeonato Mineiro.[41][42] Contudo, perdeu espaço na equipe após a chegada do técnico Vanderlei Luxemburgo, que preferia Gomes, dois anos mais velho.[35] Sua situação no Cruzeiro se complicou de vez principalmente após a atuação vexatória na final da Copa dos Campeões de 2002, contra o Paysandu.[43] Na derrota por 4–3, ele foi acusado de ter falhado em pelo menos três dos quatro gols sofridos. Sem clima no clube, foi emprestado inicialmente ao América-SP,[44] onde ficou cerca de dois meses sem nunca ter estreado.[45][46]

Botafogo: primeira passagem

Ainda no primeiro semestre de 2003, aos 20 anos de idade, foi emprestado ao Botafogo para a disputa da Série B.[46] Apresentado no dia 20 de março ao lado do meia Daniel, o goleiro chegou ao clube sob desconfiança, pouco conhecido pela torcida alvinegra.[47] Apesar da pouca idade do jogador, o Jornal dos Sports chegou a questionar sua contratação em uma coluna de opinião, lembrando que, no Cruzeiro, Vanderlei Luxemburgo "ficava de cabelo em pé quando escalava o goleiro, tal a insegurança que ele passava para o time".[48] Jefferson, no entanto, demonstrava otimismo em sua apresentação ao explicar porque aceitara a proposta do Botafogo.[49]

"Primeiro, porque confio na nova diretoria do clube, que está no caminho certo e com certeza vai conseguir reestruturar o Botafogo. E depois por causa do técnico Levir Culpi, com quem já trabalhei no Cruzeiro."[49]
— Jefferson de Oliveira Galvão

Ainda assim, iniciou sua trajetória como reserva de Max, disputando apenas duas partidas em sua primeira temporada.[50] Assumiu a titularidade no gol alvinegro em 2004 e, mesmo com a péssima campanha da equipe no retorno à Série A, conseguiu destaque com boas atuações.[51][52] No ano seguinte, o goleiro continuou sendo um dos principais nomes do Botafogo e já sonhava com a Seleção Brasileira.[53] Em junho, deixou o clube carioca rumo à Europa, onde acreditava que teria mais chances de ser convocado para a Seleção.[54]

Futebol turco

Em junho de 2005, acertou sua transferência para o Trabzonspor, como substituto do goleiro australiano Michael Petković.[54][55][56][57] Sua primeira partida foi logo nas eliminatórias da Liga dos Campeões, em derrota por 3–1 contra o Anorthosis, do Chipre.[58] Já a estreia no Campeonato Turco foi diante do Kayserispor, em vitória por 2–1.[59] Com o time da Trebizonda, ainda jogou a Copa da UEFA de 2006–07 e terminou em quarto lugar por duas vezes na liga nacional, nas edições de 2005–06 e 2006–07.[60][61] Sua passagem pelo clube foi marcada por muitas dificuldades e perseguição do técnico bósnio Vahid Halilhodžić, que afirmou claramente para Jefferson que "não gostava de brasileiros". Sem ser relacionado muitas vezes, o goleiro ficou marcado por um episódio de clara discriminação: em uma partida, precisou substituir o goleiro titular que fora expulso e ainda pegou um pênalti. No jogo seguinte, porém, não foi relacionado sequer para o banco de reservas.[62]

Após três temporadas no Trabzonspor, transferiu-se para outro time do país, o Konyaspor, assinando contrato de um ano de duração.[63][64] Ao final do Campeonato Turco de 2008–09, porém, o clube foi rebaixado.[65] Durante os quatro anos em que atuou na Europa, Jefferson foi titular em apenas dois. Segundo o goleiro, a experiência na Turquia, apesar de difícil, foi importante para seu crescimento profissional.[66]

"Lá eu amadureci tudo o que podia. Quando você enfrenta novos desafios, outras culturas, diferentes métodos de treinamento, você acaba amadurecendo, cresce como homem e profissional."[66]
— Jefferson de Oliveira Galvão

A volta ao Botafogo

Em meados de 2009, Jefferson se desligou do Konyaspor e voltou ao Brasil sem contrato com nenhum clube. Apesar da preferência pelo Botafogo, o goleiro não conseguiu fechar negócio na primeira tentativa com o time alvinegro.[67]

"Quando quis voltar, em 2009, o primeiro clube que procurei foi o Botafogo. Acertei tudo e vim. Quando cheguei, veio a informação: ‘Não vamos fechar o negócio’. A essa altura, não tinha mais clube para mim."[50]
— Jefferson de Oliveira Galvão

Sem time, o goleiro passou dois meses treinando por conta própria em São José do Rio Preto, no interior paulista.[50] Em agosto, Jefferson acertou definitivamente seu retorno ao clube carioca.[68] O status do goleiro não era alto: Jefferson chegou ao Botafogo na condição de reserva e com vínculo de apenas quatro meses. Após cinco partidas, porém, logo teve seu contrato renovado.[50]

Sua reestreia pelo Glorioso foi em um clássico contra o Fluminense, pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro. O arqueiro foi o destaque da partida com grandes intervenções e belas defesas.[69] Como Castillo vinha cometendo diversas falhas e Renan estava parado por conta de uma lesão no púbis, Jefferson conquistou seu espaço como titular na meta alvinegra.[70][71] Na reta final daquele ano, salvou a equipe em diversas partidas e ajudou o clube a evitar o rebaixamento.[72][73]

Em 2010, na semifinal da Taça Guanabara contra o Flamengo, fez uma defesa milagrosa em chute de Vágner Love à queima roupa, ajudando o alvinegro a derrotar o maior rival por 2–1.[74] Na decisão da Taça Rio, novamente contra o Flamengo, defendeu um pênalti do atacante Adriano, garantindo o título do Campeonato Carioca por antecipação.[75][76] Logo após a conquista, o goleiro acertou a renovação com o Botafogo até o final do ano de 2012.[77] No segundo semestre, graças às suas boas atuações pelo Glorioso, foi convocado para a Seleção Brasileira pelo técnico Mano Menezes, tornando-se o primeiro jogador do Botafogo a chegar à Seleção em 12 anos.[78] Desde a Copa do Mundo de 1998, quando o zagueiro Gonçalves e o atacante Bebeto foram convocados, o clube não tinha um representante na seleção.[79]

Em 2011, o Botafogo não conseguiu conquistar nenhum título. Mesmo assim, Jefferson continuou se destacando e recebeu propostas para deixar o alvinegro. O Milan, da Itália, chegou a fazer uma sondagem para que Jefferson se tornasse o substituto de Dida, mas ele permaneceu no clube carioca.[80] No mesmo ano, estreou como titular na Seleção Brasileira[81] e renovou com o Botafogo até 2014.[82] Valorizado, seu salário aumentou 150% desde seu retorno ao time carioca.[83]

No dia 15 de julho de 2012, completou 250 jogos pelo Botafogo contra o Fluminense, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro.[84] No dia 20 de janeiro de 2013, na vitória sobre o Duque de Caxias por 3–0, válida pela primeira rodada da Taça Guanabara, o goleiro se tornou o recordista de jogos pelo Botafogo no Engenhão, com 108 partidas pelo clube no estádio.[85] No dia 17 de julho, recebeu uma luva estilizada como homenagem pelos 300 jogos com a camisa do Botafogo, marca alcançada três dias antes, em duelo contra o Grêmio, pelo Campeonato Brasileiro.[86] Ao longo do ano, o goleiro teria recebido diversas sondagens de clubes europeus, como Napoli e Roma, da Itália, e Manchester United, da Inglaterra, mas nenhuma proposta concreta aconteceu.[87][88]

Em meados de 2014, Jefferson despertou interesse do Benfica, mas o clube português desistiu de sua contratação devido ao alto salário.[89][90] No dia 20 de agosto, completou 350 partidas pelo Botafogo, contra o Figueirense, em jogo do Campeonato Brasileiro.[91] Apesar de ter sido eleito o melhor goleiro do campeonato,[9] suas grandes atuações não foram suficientes para salvar o Botafogo do rebaixamento, após um ano de turbulências no elenco e problemas financeiros.[92]

Em 2015, mesmo na Série B, o goleiro renovou contrato com o alvinegro até o ano de 2017.[93] Na reapresentação ao clube, Jefferson revelou ter tido proposta do Santos e declarou amor ao Botafogo.[94]

"Tanto o Botafogo precisa de mim quanto preciso do Botafogo. Acho que foi um casamento que deu certo. Falo para a minha esposa que sou torcedor do Botafogo hoje, amo o Botafogo. Eu me sinto em casa."[94]
— Jefferson de Oliveira Galvão

No dia 3 de julho de 2015, em partida contra o Sampaio Corrêa, Jefferson completou 387 jogos pelo Botafogo e entrou na lista dos dez atletas que mais atuaram pelo clube carioca.[95][96] A marca de 400 jogos com a camisa do Glorioso foi alcançada em 15 de setembro, na partida contra o Oeste, que terminou empatada em 1–1.[97][98] Ao final do ano, o capitão alvinegro se consagrou como um dos principais nomes do Botafogo no título da Série B.[99] Em 2016, disputou o Campeonato Carioca e participou de um jogo da Copa do Brasil, contra a Juazeirense, pela segunda fase. Na partida em questão, sofreu uma ruptura parcial do tendão do tríceps e precisou passar por uma cirurgia.[13] A previsão inicial era de três meses longe dos gramados, mas o goleiro acabou ficando fora de todo o restante da temporada.[100] Em novembro, foi noticiado que Jefferson passaria por nova cirurgia, uma vez que o tendão do tríceps reconstituído não cicatrizou adequadamente, e dessa vez sem previsão de retorno aos campos.[101]

Em junho de 2017, após 13 meses afastado, o goleiro voltou a ser relacionado para uma partida oficial, contra o Vasco da Gama, em jogo da Série A, mas ficou no banco de reservas.[102] O retorno ao futebol aconteceu no dia 9 de julho, em duelo contra o Atlético Mineiro pelo Brasileirão. Na ocasião, o arqueiro alvinegro defendeu um pênalti cobrado por Rafael Moura, além de fazer outras defesas importantes no empate por 1–1.[103] Após a partida, o jogador comemorou a atuação e revelou que considerou até mesmo se aposentar durante o longo período em que ficou parado.[104]

"O que eu passei nesse ano parado foi bem difícil. Pensei até em parar. Muitos não acreditavam na minha volta. Estou como Lázaro, Deus me ressuscitou para dar continuidade aos meus sonhos. Não acabou ainda."[104]
— Jefferson de Oliveira Galvão

Dez dias após voltar a disputar partidas oficiais, Jefferson renovou contrato com o Botafogo por mais um ano.[105] No dia 29 de janeiro de 2018, em entrevista à Fox Sports, o goleiro confirmou que iria se aposentar ao fim da temporada.[12] Em 6 de fevereiro, na vexatória derrota para a Aparecidense por 2–1 na Copa do Brasil, atingiu a marca de 442 partidas pelo alvinegro, tornando-se o goleiro que mais vezes vestiu a camisa do clube ao lado do ídolo Manga.[106][107] No dia 2 de junho, fez seu 453.º jogo com o manto botafoguense, na vitória por 2–1 diante do Vasco da Gama, em São Januário.[108] Com a marca, igualou-se ao lateral-esquerdo Valtencir como o terceiro jogador que mais vezes vestiu a camisa do Botafogo.[109] Quatro dias depois, no empate em 0–0 contra o Ceará, Jefferson se isolou na terceira posição do ranking, atrás apenas dos maiores ídolos da história do Glorioso, Garrincha e Nilton Santos.[110][111]

Sua última partida como jogador profissional aconteceu no dia 26 de novembro de 2018, contra o Paraná, pela penúltima rodada do Brasileirão. Foi ovacionado pela torcida, que hasteou um bandeirão com a imagem do ídolo, e recebeu homenagens da diretoria e dos demais jogadores alvinegros. Sua mãe, dona Sônia, apareceu de surpresa antes do jogo e levou o goleiro às lágrimas. Autor dos dois gols da vitória por 2–1, o atacante Erik atravessou todo o campo para abraçar o goleiro na comemoração do primeiro gol. Após o término da partida, Jefferson pegou um bandeirão do Botafogo e deu a volta olímpica pelo Estádio Nilton Santos agradecendo ao clube e à torcida botafoguense.[112]

Seleção Brasileira

Sub-20

Em 2003, integrou o elenco da Seleção Brasileira sub-20 que foi medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo[113] e fez parte da equipe que ganhou o Campeonato Mundial Sub-20 da FIFA, disputado nos Emirados Árabes Unidos.[114] No mesmo ano, o goleiro também disputou o Campeonato Sul-Americano sub-20 e conquistou o Torneio da Malásia.[115][116]

Principal

Ao lado de Maicon e Fernandinho, Jefferson comemora a vitória sobre a Colômbia na Copa do Mundo de 2014.

No dia 26 de julho de 2010, Jefferson recebeu sua primeira convocação à seleção principal ao ser chamado pelo técnico Mano Menezes para um amistoso contra os Estados Unidos.[78] No mesmo ano, voltou a ser convocado para as partidas contra Irã, Ucrânia e Argentina.[117] Em 2011, esteve na lista para os amistosos contra Escócia, Holanda e Romênia, jogo que marcou a despedida oficial de Ronaldo da Seleção Brasileira, no dia 7 de junho, no Pacaembu.[118][119] No dia 14 de junho, com a liberação da Conmebol para a convocação de um 23° jogador, Mano Menezes confirmou a presença de Jefferson na Copa América de 2011, sua primeira competição oficial com a Seleção, para ser o terceiro goleiro.[120] Esteve presente também no Superclássico das Américas, disputado em dois jogos contra a Argentina, nos quais apenas jogadores que atuavam nos dois países poderiam participar. Na primeira partida, Jefferson estreou como goleiro titular da Seleção.[121] A convocação para o jogo de volta ocorreu no dia 22 de setembro, junto com a lista para os amistosos contra a Costa Rica e o México. Sem sofrer nenhum gol, foi campeão do Superclássico das Américas.[122] Já contra a seleção costarriquenha, o goleiro Julio César começou como titular, mas se machucou durante a partida e Jefferson o substituiu.[123] No dia 11 de outubro, contra o México, o arqueiro do Botafogo se destacou defendendo um pênalti que contribuiu decisivamente para a vitória dos brasileiros, encerrando em alta o ano na Seleção.[124][125]

Em 2012, foi convocado diversas vezes, mas só atuou em duas partidas: contra a Dinamarca e diante da Argentina, no primeiro jogo do Superclássico das Américas, quando foi capitão da equipe.[126][15] Em 2013, foi reserva na Copa das Confederações, no Brasil.[19] Em 2014, participou da Copa do Mundo, novamente como goleiro suplente.[20] No dia 11 de outubro, Jefferson conquistou pela terceira vez o Superclássico das Américas, em jogo que defendeu pênalti cobrado por Lionel Messi.[16][17][127]

Após o retorno do técnico Dunga à Seleção, em julho de 2014, Jefferson ganhou a vaga na equipe.[128][129] Em 2015, disputou sua primeira competição oficial como titular, a Copa América.[18] Ao final do ano, contudo, perdeu a titularidade para o jovem Alisson, do Internacional, por opção do treinador.[130] A decisão surpreendente repercutiu na imprensa, entre torcedores e ex-jogadores, que defenderam o goleiro do Botafogo.[131][132][133] A partir de então, Jefferson esteve presente apenas na convocação seguinte, ainda como reserva de Alisson, e depois não foi mais chamado para a Seleção.[134][135]

Em 2020, Jefferson venceu uma enquete popular do site GloboEsporte.com, em homenagem ao Dia do Goleiro, e foi escolhido como o autor da maior defesa da história da Seleção Brasileira, graças ao lance em que defende uma finalização de cabeça do atacante Karim Benzema dentro da pequena área, na vitória por 3–1 em amistoso contra a França, disputado em março de 2015 no Stade de France, em Paris. Com 47,79% dos mais de 40 mil votos, Jefferson superou os concorrentes Marcos, Félix, Leão, Júlio César, Dida, Taffarel e Alisson, alguns dos quais disputavam com lances importantes em Copas do Mundo.[136]

Defesas de pênalti

Em 459 partidas pelo Botafogo, Jefferson defendeu 19 pênaltis: 15 no tempo normal e 4 em disputas por pênaltis.[137][138][104] Pela Seleção Brasileira, o arqueiro defendeu duas penalidades em 22 jogos, ambas no tempo normal: uma cobrança de Andrés Guardado, no jogo contra a seleção mexicana em 2011, e uma de Lionel Messi contra a seleção argentina em 2014.[125][17]

Lista de pênaltis defendidos pelo Botafogo
N.º Data Competição Placar Adversário Cobrador Situação Ref.
1 29 de setembro de 2004 Campeonato Brasileiro 1 — 1 Ponte Preta Lindomar Tempo normal [139]
2 13 de março de 2005 Campeonato Carioca 0 — 4 Fluminense Juninho [140]
3 19 de março de 2005 2 — 1 Madureira Sorato [141]
4 17 de março de 2010 Copa do Brasil 1 — 0 Santa Cruz Elvis [142]
5 1 de abril de 2010 2 — 3 Santa Cruz Elvis [143]
6 18 de abril de 2010 Campeonato Carioca 2 — 1 Flamengo Adriano [75]
7 2 de outubro de 2010 Campeonato Brasileiro 1 — 1 Flamengo Dejan Petković [144]
8 2 de fevereiro de 2011 Campeonato Carioca 1 — 1 Bangu Pipico [145]
9 13 de novembro de 2011 Campeonato Brasileiro 0 — 2 Vasco da Gama Diego Souza [146]
10 23 de fevereiro de 2012 Campeonato Carioca 1 — 1 Fluminense Jean Disputa por pênaltis [147]
11 18 de março de 2012 3 — 1 Vasco da Gama Juninho Pernambucano Tempo normal [148]
12 21 de março de 2012 Copa do Brasil 1 — 1 Treze Léo Rocha Disputa por pênaltis [149]
13 8 de abril de 2012 Campeonato Carioca 3 — 1 Friburguense Rômulo Tempo normal [150]
14 9 de maio de 2012 Copa do Brasil 1 — 2 Vitória Neto Baiano [151]
15 27 de abril de 2013 Campeonato Carioca 5 — 0 Resende Elias [152]
16 24 de julho de 2013 Copa do Brasil 0 — 1 Figueirense André Rocha Disputa por pênaltis [153]
17 Nem
18 27 de agosto de 2014 Copa do Brasil 1 — 2 Ceará Souza Tempo normal [138]
19 9 de julho de 2017 Campeonato Brasileiro 1 — 1 Atlético Mineiro Rafael Moura [104]

Vida pessoal

Jefferson é declaradamente cristão.[154] Membro da Igreja Batista da Lagoinha (IBL), em Niterói, o goleiro tinha o hábito de discursar em cultos, fora do ambiente esportivo, mas também nas concentrações. Em 2015, por exemplo, tentou evangelizar o atacante Jobson, conhecido pelo comportamento problemático e pelo histórico de doping.[155] O atleta é casado com Michelle Buosi, com quem começou a namorar ainda muito jovem, aos 19 anos de idade.[156] O casal tem três filhas, Nicole, Débora e Jéssica.[157]

Patrocínio

Em 2012, seguindo os passos do atacante Jobson, que também jogava no Botafogo à época, o goleiro assinou contrato de três anos com a marca de artigos esportivos brasileira Penalty para usar chuteiras e luvas. A partir de então, passou a usar modelos da marca S11 Pro, que também era utilizada por Víctor Valdés, arqueiro do Barcelona e da seleção espanhola.[158] A partir de 2013, Jefferson ganhou patrocínio da marca norte-americana Nike.[159] No título do Campeonato Carioca de 2013, ele vestiu o modelo Nike GK Vapor Grip 3.[160]

Carreira como empresário

No final de 2016, antes mesmo de se aposentar, Jefferson abriu uma cafeteria em São José do Rio Preto, chamada Beato Cafeteria. O ex-goleiro aproveitou o tempo em que ficou sem jogar devido à lesão no tendão do tríceps para iniciar o empreendimento, um desejo antigo seu.[161] Para criar a sua cafeteria, Jefferson se inspirou no modelo da multinacional norte-americana Starbucks e adquiriu referências sobre café ao longo de suas viagens pelo mundo com a Seleção Brasileira.[162] Inclusive, foram colegas de Seleção que o incentivaram a abrir o negócio, sugestão do também ex-goleiro Taffarel. No início, até mesmo o nome dos atletas era utilizado no cardápio, como Dida, David Luiz, Kaká e Robinho.[24]

Após pendurar as luvas, Jefferson se mudou para São José do Rio Preto para ficar mais perto da cafeteria.[163] O empreendimento começou a se destacar e conquistou até mesmo alguns títulos internacionais, em países como Qatar, Canadá e Portugal.[24]

Polêmicas

Religião

Durante a semifinal da Taça Guanabara de 2013, contra o Flamengo, Jefferson desenhou um peixe no cabelo, em alusão à confraria Atletas de Cristo. O Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) prometeu analisar o caso, uma vez que o símbolo religioso configuraria desrespeito às regras da FIFA e ao Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que proíbem qualquer manifestação do gênero dentro de campo.[154][164][165] Internautas e o ex-atacante Baltazar, também membro dos Atletas de Cristo, saíram em defesa do jogador.[164][166] Poucos dias depois, o goleiro se pronunciou alegando "não estar prejudicando ninguém" e afirmando que manteria o corte. Nos tribunais, o caso não foi adiante.[167]

Furtos na adolescência

Em maio de 2015, em visita ao Departamento Geral de Ações Sócio Educativas (Degase), Jefferson revelou ao canal ESPN ter cometido furtos na adolescência.[168] Em um contexto nacional de discussão acerca da redução ou não da maioridade penal,[169] o goleiro não se pronunciou diretamente sobre o tema, mas afirmou que "todos merecem uma segunda chance".[170]

Rixa com Dunga

No mesmo ano, o goleiro se envolveu em mais uma polêmica, dessa vez com Dunga, então técnico da Seleção Brasileira. Em outubro, após a derrota diante do Chile na estreia das Eliminatórias da Copa, Dunga barrou o jogador do Botafogo do time titular na partida seguinte, contra a Venezuela, alegando opção técnica.[171] O goleiro também foi reserva nos dois últimos jogos do ano e não escondeu a frustração. Em entrevista ao programa "Bem, Amigos", do SporTV, Jefferson admitiu que não esperava ser barrado e disse que o treinador não lhe deu o devido crédito.[172] Segundo informações do jornalista Tim Vickery, da BBC, Dunga ficou muito bravo com a declaração e, por conta disso, não convocou mais o goleiro.[135] Já o treinador alegou que chamou o arqueiro até enquanto ele jogava a Segunda Divisão e que, naquele momento, estaria dando chance para outros.[173]

Sorrisos após eliminação

Em 2018, o Botafogo foi eliminado precocemente da Copa do Brasil ao perder, na primeira fase, para a Aparecidense, time da Série D do Campeonato Brasileiro. A derrota, sofrida de virada por 2–1, foi considerada um vexame histórico pela torcida e pelos principais veículos de imprensa.[174][175][176] Ainda assim, após a partida, Jefferson foi flagrado sorrindo no gramado pelas câmeras de televisão, o que gerou surpresa e revolta entre os torcedores alvinegros, que criticaram o goleiro nas redes sociais. Dada a repercussão negativa, o jogador se defendeu e disse que, no momento flagrado, estava sorrindo porque havia encontrado um amigo da época de categorias de base do Cruzeiro, mas que estava tão decepcionado com o revés quanto a torcida.[177]

Acusações de racismo na CBF

Além das afirmações do técnico Felipão alegando que Jefferson fora vítima de racismo no início de sua trajetória no Cruzeiro,[36] o goleiro revelou em entrevista ao programa "Resenha ESPN", em 2019, que chegou a ser barrado da convocação para o Mundial Sub-20 de 2003 por ser negro: garantido no plantel pelo então treinador Marcos Paquetá, ele se surpreendeu ao ficar fora da lista. De acordo com a declaração do ex-atleta, uma pessoa dentro da CBF disse que "não poderia convocar goleiro negro", em alusão implícita ao ex-goleiro Barbosa, negro e muito criticado pela derrota do Brasil na final da Copa do Mundo de 1950. A edição do Mundial Sub-20 em questão, disputada nos Emirados Árabes, aconteceria em julho, mas acabou sendo adiada para o final do ano devido à Guerra do Iraque. Nesse meio tempo, o dirigente que vetara sua convocação deixou a CBF e Jefferson acabou sendo chamado, tornando-se campeão do torneio.[24][178]

Estatísticas

Clubes

A tabela abaixo considera apenas partidas oficiais

Clube Temporada Campeonato
nacional[a]
Copa
nacional[b]
Competições
continentais[c]
Outros
torneios[d]
Total Ref.
Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
Cruzeiro 2000 17 0 17 0 [179]
2001 1 0 0 0 0 0 4 0 9 0 [40]
0 0 0 0 4 0
2002 9 0 5 0 19 0 44 0 [180]
7 0 4 0
Total 27 0 12 0 0 0 31 0 70 0
Botafogo 2003 2 0 0 0 2 0 [181]
2004 42 0 3 0 10 0 55 0 [182]
2005 8 0 3 0 12 0 23 0 [183]
Total 52 0 6 0 0 0 22 0 80 0
Trabzonspor 2005–06 26 0 1 0 2 0 29 0 [184]
2006–07 15 0 2 0 3 0 20 0 [185]
2007–08 3 0 1 0 4 0 [186]
Total 44 0 4 0 5 0 0 0 53 0
Konyaspor 2008–09 19 0 0 0 19 0 [187]
Total 19 0 0 0 0 0 0 0 19 0
Botafogo 2009 15 0 4 0 19 0 [188]
2010 36 0 4 0 16 0 56 0
2011 30 0 6 0 3 0 15 0 54 0
2012 30 0 5 0 2 0 20 0 57 0
2013 26 0 9 0 17 0 52 0
2014 27 0 2 0 8 0 3 0 40 0
2015 26 0 4 0 10 0 40 0
2016 0 0 1 0 18 0 19 0
2017 6 0 1 0 0 0 0 0 7 0
2018 13 0 1 0 1 0 8 0 23 0
Total 209 0 33 0 18 0 107 0 367 0
Total na carreira 351 0 55 0 23 0 161 0 589 0

Seleção

Ao todo, Jefferson foi convocado para 63 partidas da Seleção Brasileira, participando de 22 jogos.[189]

N.º Data Competição Local   Placar Adversário Situação Ref.
1 14 de setembro de 2011 Superclássico das Américas Argentina Córdoba Brasil Brasil 0 — 0 Flag of Argentina.svg Argentina Titular [121]
2 28 de setembro de 2011 Superclássico das Américas Brasil Belém Brasil Brasil 2 — 0 Flag of Argentina.svg Argentina [122]
3 7 de outubro de 2011 Amistoso Costa Rica San José Brasil Brasil 1 — 0 Flag of Costa Rica (state).svg Costa Rica Entrou aos 30'/2°T [123]
4 11 de outubro de 2011 Amistoso México Torreón Brasil Brasil 2 — 1 Flag of Mexico.svg México Titular [125]
5 26 de maio de 2012 Amistoso Alemanha Hamburgo Brasil Brasil 3 — 1 Flag of Denmark.svg Dinamarca [126]
6 19 de setembro de 2012 Superclássico das Américas Brasil Goiânia Brasil Brasil 2 — 1 Flag of Argentina.svg Argentina Titular Capitão [15]
7 6 de abril de 2013 Amistoso Bolívia Santa Cruz de la Sierra Brasil Brasil 4 — 0 Flag of Bolivia.svg Bolívia Titular [190]
8 14 de agosto de 2013 Amistoso Suíça Basileia Brasil Brasil 0 — 1 Flag of Switzerland.svg Suíça [191]
9 12 de outubro de 2013 Amistoso Coreia do Sul Seul Brasil Brasil 2 — 0 Flag of South Korea.svg Coreia do Sul [192]
10 5 de setembro de 2014 Amistoso Estados Unidos Miami Brasil Brasil 1 — 0 Flag of Colombia.svg Colômbia [193]
11 9 de setembro de 2014 Amistoso Estados Unidos Nova Jersey Brasil Brasil 1 — 0 Flag of Ecuador.svg Equador [194]
12 11 de outubro de 2014 Superclássico das Américas China Pequim Brasil Brasil 2 — 0 Flag of Argentina.svg Argentina [17]
13 14 de outubro de 2014 Amistoso Singapura Singapura Brasil Brasil 4 — 0 Flag of Japan.svg Japão [195]
14 26 de março de 2015 Amistoso França Paris Brasil Brasil 3 — 1 França França [196]
15 29 de março de 2015 Amistoso Inglaterra Londres Brasil Brasil 1 — 0 Flag of Chile.svg Chile
16 7 de junho de 2015 Amistoso Brasil São Paulo Brasil Brasil 2 — 0 Flag of Mexico.svg México [197]
17 10 de junho de 2015 Amistoso Brasil Porto Alegre Brasil Brasil 1 — 0 Flag of Honduras (2008 Olympics).svg Honduras [18]
18 14 de junho de 2015 Copa América Chile Temuco Brasil Brasil 2 — 1 Flag of Peru.svg Peru [198]
19 17 de junho de 2015 Copa América Chile Santiago Brasil Brasil 0 — 1 Flag of Colombia.svg Colômbia [199]
20 21 de junho de 2015 Copa América Chile Santiago Brasil Brasil 2 — 1 Flag of Venezuela.svg Venezuela [200]
21 27 de junho de 2015 Copa América Chile Concepción Brasil Brasil 1 — 1[e] Flag of Paraguay.svg Paraguai [201]
22 8 de outubro de 2015 Eliminatórias da Copa Chile Santiago Brasil Brasil 0 — 2 Flag of Chile.svg Chile [202]
Legenda:      Vitórias —      Empates —      Derrotas — Capitão Capitão da equipe
  • E. ^ Após o empate no tempo normal, o Brasil foi eliminado nas quartas de final da Copa América na disputa por pênaltis por 4–3.
Estatísticas por ano
Ano
J GS
2011 4 1
2012 2 2
2013 3 1
2014 4 0
2015 9 7
Total 22 11

Títulos

Com a Seleção Brasileira, Jefferson fez parte do elenco campeão da Copa das Confederações de 2013.
Cruzeiro
Botafogo
Seleção Brasileira
Seleção Brasileira Sub-20

Prêmios individuais

Ano Premiação Prêmio Time Resultado Ref.
2009 Troféu Armando Nogueira Melhor goleiro Botafogo Venceu [203]
2010 Melhores do Campeonato Carioca Melhor jogador Venceu [10]
Melhores do Campeonato Carioca Melhor goleiro Venceu
Prêmio Craque do Brasileirão Melhor goleiro 3º lugar [204]
2011 Melhores do Campeonato Carioca Melhor goleiro 2º lugar [205]
Prêmio Craque do Brasileirão Melhor goleiro Venceu [8]
2012 Melhores do Campeonato Carioca Melhor goleiro 2º lugar [206]
Troféu Armando Nogueira Melhor goleiro 3º lugar [207]
2013 Melhores do Campeonato Carioca Melhor goleiro Venceu [11]
Bola de Prata Melhor goleiro 2º lugar [208]
Troféu Armando Nogueira Melhor goleiro 2º lugar [209]
Troféu Mesa Redonda Melhor goleiro Venceu [210]
2014 Prêmio Craque do Brasileirão Melhor goleiro Venceu [9]
Bola de Prata Melhor goleiro 3º lugar [211]
Troféu Armando Nogueira Melhor goleiro 2º lugar [212]

Referências

  1. «Site do Botafogo: Ficha Jefferson». Site Oficial do Botafogo. Consultado em 12 de março de 2015 
  2. a b «Homem de Gelo no Botafogo, Jefferson vira Gato Negro na capoeira». GloboEsporte.com. 28 de janeiro de 2011. Consultado em 6 de setembro de 2015 
  3. «"Homem de gelo", Jefferson se emociona com despedida: 'A ficha está caindo'». UOL Esporte. 24 de novembro de 2018. Consultado em 28 de novembro de 2018 
  4. a b «Quem são os melhores goleiros do Brasil na opinião dos próprios goleiros; ranking». GloboEsporte.com. 19 de abril de 2016. Consultado em 28 de agosto de 2016 
  5. «Emoção, homenagens e pouco trabalho: o dia em que Jefferson fez história no Bota». GloboEsporte.com. 7 de junho de 2018. Consultado em 21 de novembro de 2018 
  6. «Jefferson confirma titularidade, pede despedida com amigos e desabafa: 'A ficha só está caindo agora'». Terra Esportes. 24 de novembro de 2018. Consultado em 25 de novembro de 2018 
  7. «Botafogo promove venda de ingressos e indica despedida de Jefferson». UOL Esporte. 20 de novembro de 2018. Consultado em 21 de novembro de 2018 
  8. a b «Craque do Brasileirão 2011: Jefferson é o melhor goleiro». GloboEsporte.com. 5 de dezembro de 2011. Consultado em 25 de março de 2015 
  9. a b c d «Jefferson: o melhor goleiro da Série A 2014». CBF. 8 de dezembro de 2014. Consultado em 19 de março de 2015 
  10. a b «Com craque Jefferson, Botafogo domina seleção do Carioca». Terra Esportes. 3 de maio de 2010. Consultado em 15 de julho de 2017 
  11. a b «Botafogo recebe a taça e domina seleção do Campeonato Carioca». GloboEsporte.com. 20 de maio de 2013. Consultado em 25 de março de 2015 
  12. a b «Jefferson anuncia aposentadoria para o fim deste ano: 'Não tem volta'». Lance!. 29 de janeiro de 2018. Consultado em 30 de janeiro de 2018 
  13. a b «Jefferson será operado nesta terça e ficará três meses longe dos gramados». GloboEsporte.com. 16 de maio de 2016. Consultado em 8 de novembro de 2016 
  14. «Jefferson tem trauma no tórax, quebra dois dentes e vai dormir no hospital». GloboEsporte.com. 21 de julho de 2018. Consultado em 21 de novembro de 2018 
  15. a b c «Jefferson, capitão no Superclássico». Daily Motion. 2 de outubro de 2012. Consultado em 20 de novembro de 2018 
  16. a b «Ninho do Tardelli: atacante ofusca astros, e Brasil derrota a Argentina». GloboEsporte.com. 11 de outubro de 2014. Consultado em 11 de outubro de 2014 
  17. a b c d «Pegou! Messi cobra pênalti, Jefferson pula no canto certo e defende, aos 40 do 1º tempo». GloboEsporte.com. 11 de outubro de 2014. Consultado em 11 de outubro de 2014 
  18. a b c «Após vitória magra, Jefferson pede paciência à torcida brasileira: "o mais importante é vencer"». iBahia.com. 12 de junho de 2015. Consultado em 15 de julho de 2017 
  19. a b «Confira lista dos jogadores convocados para Copa das Confederações». EBC. 14 de maio de 2013. Consultado em 16 de julho de 2017 
  20. a b «Bota faz homenagem: "Jefferson, a nossa estrela na Copa do Mundo"». GloboEsporte.com. 7 de maio de 2014. Consultado em 8 de julho de 2016 
  21. a b c d «Provável camisa 1 do Brasil, Jefferson começou como atacante em Assis». GloboEsporte.com. 9 de maio de 2014. Consultado em 16 de março de 2015 
  22. «Circo, idolatria por Dida e empurrão de Felipão: como Jefferson virou referência do Botafogo e goleiro de seleção». ESPN. 20 de julho de 2017. Consultado em 28 de novembro de 2018 
  23. «O lado B do goleiro Jefferson, de Rio Preto para a Seleção». Diário da Região. 30 de dezembro de 2016. Consultado em 28 de novembro de 2018 
  24. a b c d «"Nunca lamentei minha cor": Hoje empreendedor, Jefferson lembra da vida antes do futebol e do mais forte episódio de racismo que sofreu». UOL Esporte. 13 de abril de 2020. Consultado em 21 de abril de 2020 
  25. «Mães dos jogadores da seleção brasileira contam histórias, fazem pedidos e revelam apelidos dos filhos». Extra. 11 de maio de 2014. Consultado em 28 de novembro de 2018 
  26. a b «Um bate-papo com o goleiro Jefferson, titular da Seleção Brasileira e capitão do Botafogo». Correio Braziliense. 9 de fevereiro de 2015. Consultado em 28 de novembro de 2018 
  27. «Jefferson, goleiro do Botafogo, foi artista de circo na infância». Extra. 23 de abril de 2010. Consultado em 16 de março de 2015 
  28. a b c «Jefferson foi velocista e ajudante de palhaço antes de chegar à Seleção». G1. 24 de maio de 2014. Consultado em 16 de março de 2015 
  29. «Jefferson conta com ajuda da capoeira para vencer jogo na Bahia». O Globo. 30 de setembro de 2012. Consultado em 8 de julho de 2016 
  30. «Botafogo parabeniza Jefferson por convocação: 'Melhor goleiro do Brasil'». O Dia. 19 de agosto de 2014. Consultado em 19 de março de 2015 
  31. «Segredos da camisa 1: Felipe dá dicas a goleiro de 'Malhação'». GloboEsporte.com. 1 de abril de 2011. Consultado em 20 de novembro de 2018 
  32. «Hélton Leite chega ao Botafogo e vê Jefferson como exemplo». Fox Sports. 7 de janeiro de 2014. Consultado em 19 de março de 2015 
  33. «Criados em Assis, Jefferson e Paulo Victor acumulam coincidências». GloboEsporte.com. 25 de outubro de 2014. Consultado em 24 de novembro de 2018 
  34. a b «Mãe e policial Militar contam como Jefferson se tornou o goleiro da Seleção». Assiscity. 14 de maio de 2015. Consultado em 24 de novembro de 2018 
  35. a b c «Convocação? Felipão já havia escolhido Jefferson 14 anos atrás». MSN. 17 de junho de 2014. Consultado em 20 de novembro de 2018 
  36. a b c «Felipão revela preconceito quando promoveu Jefferson ao profissional». GloboEsporte.com. 13 de outubro de 2013. Consultado em 19 de março de 2015 
  37. «Futpédia - Bahia 1 x 3 Cruzeiro (23/08/2000)». Futpédia. Consultado em 19 de março de 2015 
  38. a b «Cruzeiro contrata o goleiro Fabiano». Diário do Grande ABC. 24 de agosto de 2000. Consultado em 19 de março de 2015 
  39. «Scolari confirma a estréia de Bosco no Cruzeiro». Terra Esportes. 26 de janeiro de 2001. Consultado em 24 de novembro de 2018 
  40. a b Jogos de Jefferson pelo Cruzeiro em 2001:
  41. «Um Cruzeiro x Atlético-PR que o torcedor celeste jamais esquecerá». O Tempo. 9 de março de 2016. Consultado em 25 de novembro de 2018 
  42. «Adversários na quinta-feira, Cruzeiro e Caldense já decidiram troféu; relembre». Superesportes. 27 de fevereiro de 2017. Consultado em 25 de novembro de 2018 
  43. «Paysandu vence o Cruzeiro e vai à Libertadores pela primeira vez». Folha de S.Paulo. 4 de agosto de 2002. Consultado em 3 de março de 2015 
  44. «América contrata goleiro do Cruzeiro». Diário da Região. 22 de novembro de 2002. Consultado em 15 de julho de 2017 
  45. «Três convocados por Felipão já passaram pelo América-SP». GloboEsporte.com. 15 de maio de 2013. Consultado em 3 de março de 2015 
  46. a b «América inicia o desmanche do elenco». Diário da Região. 18 de março de 2003. Consultado em 15 de julho de 2017 
  47. «Daniel e Jefferson chegam cheios de confiança». Jornal dos Sports. 21 de março de 2003. Consultado em 3 de dezembro de 2018 
  48. «Jornal dos Sports: Coluna Tribuna de Honra - 12 de março de 2003». Jornal dos Sports. 12 de março de 2003. Consultado em 3 de dezembro de 2018 
  49. a b «Botafogo apresenta seus dois reforços». Jornal do Brasil. 21 de março de 2003. Consultado em 3 de dezembro de 2018 
  50. a b c d «Botafogo quase recusou Jefferson em 2009: 'Fui ganhando salário de júnior'». FogãoNet. 17 de março de 2015. Consultado em 15 de julho de 2017 
  51. «Flamengo e Botafogo empatam e seguem ameaçados». UOL Esporte. 21 de novembro de 2004. Consultado em 3 de março de 2015 
  52. «Empate heróico com Atlético-PR garante Bota na Série A». UOL Esporte. 19 de dezembro de 2004. Consultado em 3 de março de 2015 
  53. «Jefferson, do Botafogo, já pensa em Seleção». Terra Esportes. 19 de março de 2005. Consultado em 3 de março de 2015 
  54. a b «Jefferson contratado pelo turco Trabzonspor». UOL. 27 de junho de 2005. Consultado em 3 de março de 2015 
  55. «Um brasileiro em Trabzon». UEFA. 31 de julho de 2005. Consultado em 3 de março de 2015 
  56. «Jefferson resmen Trabzonspor'da» (em turco). CNN Türk. 27 de junho de 2005. Consultado em 15 de julho de 2017 
  57. «Petkoviç: Devler Ligi'nde oynamak isterdim» (em turco). Hürriyet. 8 de julho de 2005. Consultado em 8 de julho de 2016 
  58. «Anorthosis-Trabzonspor 2005 History» (em inglês). UEFA. 26 de julho de 2005. Consultado em 21 de abril de 2020 
  59. «Trabzonspor 2–1 Kayserispor» (em turco). TFF. 6 de agosto de 2005. Consultado em 22 de julho de 2015 
  60. «Super Lig 2005/2006 Standings» (em inglês). OddsPortal. Consultado em 21 de abril de 2020 
  61. «Super Lig 2006/2007 Standings» (em inglês). OddsPortal. Consultado em 21 de abril de 2020 
  62. «Botafogo: Jefferson lembra dos tempos difíceis passados na Turquia». Extra. 27 de abril de 2012. Consultado em 21 de abril de 2020 
  63. «Konyaspor, kaleci Jefferson'u renklerine bağladı» (em turco). Milliyet. 9 de julho de 2008. Consultado em 15 de julho de 2017 
  64. «Jefferson Konyaspor'da» (em turco). Milliyet. 10 de julho de 2008. Consultado em 22 de julho de 2015 
  65. «Spor Toto Süper Lig Arşiv » 2008-2009 Sezonu» (em turco). TFF. Consultado em 22 de julho de 2015 
  66. a b «Entrevista Exclusiva com Jefferson – "Quero fazer 500 partidas pelo Botafogo"». GloboEsporte.com. 29 de setembro de 2014. Consultado em 19 de março de 2015 
  67. «Há quatro anos na Turquia, goleiro Jefferson ensaia retorno ao Botafogo». UOL Esporte. 26 de junho de 2009. Consultado em 19 de março de 2015 
  68. «Como "sombra" de Renan e Castillo, Jefferson é apresentado pelo Botafogo». UOL Esporte. 29 de agosto de 2009. Consultado em 19 de março de 2015 
  69. «Botafogo e Fluminense empatam e seguem "desesperados" no Brasileiro». UOL Esporte. 13 de setembro de 2009. Consultado em 3 de março de 2015 
  70. «Banco no Botafogo, Castillo segue como goleiro titular no Uruguai». ESPN. 7 de outubro de 2009. Consultado em 8 de junho de 2015 
  71. «FOTO: após quatro meses sem jogar, Renan reencontra a bola». GloboEsporte.com. 10 de novembro de 2009. Consultado em 15 de julho de 2017 
  72. «Botafogo vence no Beira-Rio, respira, e Inter termina a rodada fora do G-4». GloboEsporte.com. 1 de novembro de 2009. Consultado em 3 de março de 2015 
  73. «Botafogo vence por 2 a 1, foge da degola e tira o Palmeiras da Libertadores». GloboEsporte.com. 6 de dezembro de 2009. Consultado em 27 de novembro de 2014 
  74. «Botafogo derruba tabu, bate Flamengo e vai à final». iG Esportes. 17 de fevereiro de 2010. Consultado em 12 de julho de 2016 
  75. a b «Botafogo vence, espanta "freguesia" e leva título antecipado». Terra Esportes. 18 de abril de 2010. Consultado em 15 de julho de 2017 
  76. «Jefferson curte idolatria e revela dica valiosa para alvinegros superarem Bruno». GloboEsporte.com. 19 de abril de 2010. Consultado em 16 de julho de 2017 
  77. «Jefferson renova por mais dois anos com o Botafogo». GloboEsporte.com. 22 de abril de 2010. Consultado em 3 de março de 2015 
  78. a b «Com Neymar e Ganso, Mano convoca a seleção pela primeira vez». GloboEsporte.com. 26 de julho de 2010. Consultado em 11 de outubro de 2014 
  79. «Gonçalves vai a treino do Bota e dá parabéns a Jefferson por convocação». GloboEsporte.com. 29 de julho de 2010. Consultado em 15 de julho de 2017 
  80. «Milan quer Jefferson como substituto de Dida». Terra Esportes. 14 de outubro de 2011. Consultado em 11 de outubro de 2014 
  81. «De reserva do reserva, Jefferson estreia como titular no Brasil A». iG Esportes. 9 de outubro de 2011. Consultado em 3 de março de 2015 
  82. «Jefferson amplia contrato com o Botafogo até dezembro de 2014». GloboEsporte.com. 28 de junho de 2011. Consultado em 8 de julho de 2016 
  83. «Botafogo vê salário de Jefferson crescer 150% em 4 anos e admite venda». UOL Esporte. 27 de junho de 2010. Consultado em 19 de março de 2015 
  84. «Obcecado por títulos, Jefferson chega a 250 jogos pelo Botafogo». GloboEsporte.com. 16 de julho de 2012. Consultado em 11 de outubro de 2014 
  85. «Jefferson se torna recordista de jogos no Engenhão neste domingo». Terra Esportes. 19 de janeiro de 2013. Consultado em 15 de julho de 2017 
  86. «Jefferson recebe luva estilizada como homenagem pelos 300 jogos no Bota». GloboEsporte.com. 17 de julho de 2013. Consultado em 11 de outubro de 2014 
  87. «Napoli e Roma teriam interesse em Jefferson, diz site italiano». O Dia. 20 de junho de 2013. Consultado em 8 de junho de 2015 
  88. «Nos planos de clubes europeus, goleiro Jéfferson pode deixar o Botafogo». iG Esportes. 20 de junho de 2013. Consultado em 15 de julho de 2017 
  89. «Após problemas com Romero, Benfica quer Jefferson, diz rádio portuguesa». GloboEsporte.com. 31 de julho de 2014. Consultado em 11 de outubro de 2014 
  90. «Benfica desiste de Jefferson para atacar guarda-redes alemão». SAPO. 1 de agosto de 2014. Consultado em 11 de outubro de 2014 
  91. «Jefferson chega a 350 jogos após recusar "trairagem" para deixar o Bota». GloboEsporte.com. 20 de agosto de 2014. Consultado em 11 de outubro de 2014 
  92. «Apagou: Santos vence e rebaixa o Botafogo com dois gols de Damião». GloboEsporte.com. 30 de novembro de 2014. Consultado em 30 de novembro de 2014 
  93. «Goleiro Jefferson renova com o Botafogo até 2017». ESPN. 9 de janeiro de 2015. Consultado em 1 de março de 2015 
  94. a b «Jefferson volta, admite proposta do Santos, mas derrama elogios ao Botafogo: 'Amo o clube'». ESPN. 12 de janeiro de 2015. Consultado em 1 de março de 2015 
  95. «Jefferson chega ao Top 10 dos jogadores que mais atuaram pelo Botafogo». Site Oficial do Botafogo. 3 de julho de 2015. Consultado em 4 de julho de 2015 
  96. «Marca: Jefferson entra no top 10 dos jogadores que mais atuaram pelo Bota». GloboEsporte.com. 3 de julho de 2015. Consultado em 4 de julho de 2015 
  97. «Jefferson é homenageado antes de jogo e recebe placa, faixa e balões». GloboEsporte.com. 15 de setembro de 2015. Consultado em 16 de setembro de 2015 
  98. «Noite de festa do Botafogo termina em frustrante empate com o Oeste». GloboEsporte.com. 15 de setembro de 2015. Consultado em 16 de setembro de 2015 
  99. «No Botafogo, reconstrução a partir do ídolo e capitão Jefferson». O Dia. 22 de novembro de 2015. Consultado em 12 de julho de 2016 
  100. «Jefferson ainda sente dores e retorno nessa temporada é incerto». GloboEsporte.com. 3 de outubro de 2016. Consultado em 8 de novembro de 2016 
  101. «Jefferson fará nova cirurgia no braço e não tem previsão para voltar a jogar». GloboEsporte.com. 16 de novembro de 2016. Consultado em 17 de novembro de 2016 
  102. «Acabou a espera: Jefferson é relacionado e fica no banco contra o Vasco». GloboEsporte.com. 19 de junho de 2017. Consultado em 7 de julho de 2017 
  103. «Jefferson brilha, Atlético-MG perde chances, e Botafogo busca empate no fim». GloboEsporte.com. 9 de julho de 2017. Consultado em 9 de julho de 2017 
  104. a b c d «Destaque na volta, Jefferson pega pênalti e resume drama: "Pensei até em parar"». GloboEsporte.com. 9 de julho de 2017. Consultado em 9 de julho de 2017 
  105. «Jefferson assina renovação, e contrato com o Botafogo vai até o fim de 2018». GloboEsporte.com. 19 de julho de 2017. Consultado em 19 de julho de 2017 
  106. «Cinco dias para se tornar Top 5: Jefferson está a dois jogos de igualar Manga». GloboEsporte.com. 2 de fevereiro de 2018. Consultado em 8 de fevereiro de 2018 
  107. «Em dia histórico para Jefferson, Botafogo é eliminado na Copa do Brasil». Onefootball. 6 de fevereiro de 2018. Consultado em 8 de fevereiro de 2018 
  108. «Botafogo vence Vasco em São Januário e se afasta da zona de rebaixamento». UOL Esporte. 2 de junho de 2018. Consultado em 6 de junho de 2018 
  109. «Contra o Vasco, Jefferson igualará Waltencir e entrará em top 3 do Bota». Lance!. 2 de junho de 2018. Consultado em 6 de junho de 2018 
  110. «454 vezes Jefferson». Onefootball. 6 de junho de 2018. Consultado em 6 de junho de 2018 
  111. «Bota fica no empate com o lanterna Ceará e frustra noite de Jefferson». Terra Esportes. 6 de junho de 2018. Consultado em 6 de junho de 2018 
  112. «Gratidão, surpresa e lágrimas: como foi o último jogo de Jefferson com a camisa do Botafogo». GloboEsporte.com. 27 de novembro de 2018. Consultado em 21 de abril de 2020 
  113. «Pan-Americano de 2003: Perfil - Futebol masculino». Folha de S.Paulo. Consultado em 3 de março de 2015 
  114. «Dos 22 convocados de Dunga, 16 já passaram pela base da Seleção Brasileira». CBF. 20 de agosto de 2014. Consultado em 3 de março de 2015 
  115. «Brasil perde para a Argentina no sub 20». Terra Esportes. 24 de janeiro de 2003. Consultado em 12 de julho de 2016 
  116. «Perfil dos Jogadores SUB-20». Folha de S.Paulo. 15 de dezembro de 2003. Consultado em 12 de julho de 2016 
  117. «Jefferson comemora convocação e espera continuar invicto na seleção». UOL Esporte. 27 de outubro de 2010. Consultado em 11 de outubro de 2014 
  118. «Mano inova com Lucas e dá nova chance a Elano, Maicon e Lúcio na seleção». UOL Esporte. 3 de março de 2011. Consultado em 8 de julho de 2016 
  119. «Sai convocação para amistosos contra Holanda e Romênia». Veja. 19 de maio de 2011. Consultado em 15 de julho de 2017 
  120. «Jefferson, do Botafogo, é o terceiro goleiro da Seleção na Copa América». GloboEsporte.com. 14 de junho de 2011. Consultado em 11 de outubro de 2014 
  121. a b «Novo titular da Seleção Brasileira, goleiro Jefferson elege cinco melhores». GloboEsporte.com. 14 de setembro de 2011. Consultado em 8 de julho de 2016 
  122. a b «Brasil vence Superclássico contra a Argentina com brilho de estreantes Lucas e Cortês». UOL Esporte. 28 de setembro de 2011. Consultado em 19 de março de 2015 
  123. a b «Neymar marca, e Brasil vence a Costa Rica em jogo sonolento». iG. 8 de outubro de 2011. Consultado em 19 de março de 2015 
  124. «Brasil vira sobre o México com fim de jejum de R10 e golaço de Marcelo». GloboEsporte.com. 12 de outubro de 2011. Consultado em 3 de março de 2015 
  125. a b c «Jefferson relembra pênalti defendido contra o México». CBF. 16 de junho de 2014. Consultado em 3 de março de 2015 
  126. a b «Hulk brilha e Brasil vence bem a Dinamarca». Extra. 16 de maio de 2012. Consultado em 8 de julho de 2016 
  127. «Jefferson pega pênalti de Messi, e Taffarel diz: 'Mérito foi ficar parado'». ESPN. 11 de outubro de 2014. Consultado em 11 de outubro de 2014 
  128. «Titular com Dunga, Jefferson se diz preocupado com o Botafogo». O Povo. 3 de setembro de 2014. Consultado em 8 de julho de 2016 
  129. «Jefferson: "Estou na minha melhor fase"». Goal. 6 de março de 2015. Consultado em 22 de julho de 2015 
  130. «Dunga explica troca de Jefferson por Alisson: 'Estatura, sai com os pés'». Terra Esportes. 14 de outubro de 2015. Consultado em 10 de janeiro de 2016 
  131. «Em enquete, internautas escolhem Jefferson como goleiro titular do Brasil». GloboEsporte.com. 18 de outubro de 2015. Consultado em 10 de janeiro de 2016 
  132. «Romário defende Jefferson e volta a atacar Gilmar Rinaldi em CPI». Terra Esportes. 21 de outubro de 2015. Consultado em 10 de janeiro de 2016 
  133. «Ronaldo sobre Jefferson: Dunga errou na maneira de tirá-lo». UOL. 14 de outubro de 2015. Consultado em 15 de julho de 2017 
  134. «Dunga convoca Cássio e confirma retorno de Neymar à seleção». Estadão. 22 de outubro de 2015. Consultado em 8 de fevereiro de 2018 
  135. a b «Vickery: Ausência de Jefferson é fruto de irritação de Dunga com entrevista». SporTV. 3 de março de 2016. Consultado em 11 de outubro de 2016 
  136. «Defesa de Jefferson vence enquete e é eleita a maior da história da seleção brasileira». GloboEsporte.com. 27 de abril de 2020. Consultado em 1 de maio de 2020 
  137. «Em 302 jogos, Jefferson chega a 17 pênaltis defendidos pelo Botafogo». GloboEsporte.com. 25 de julho de 2013. Consultado em 11 de outubro de 2014 
  138. a b «Jefferson defende pênalti do Ceará». UOL. 28 de agosto de 2014. Consultado em 16 de março de 2015 
  139. «Ponte tropeça e empata em casa com o Botafogo». UOL Esporte. 29 de setembro de 2004. Consultado em 7 de abril de 2018 
  140. «Flu goleia Botafogo e se "vinga" de Scheidt». UOL Esporte. 13 de março de 2005. Consultado em 7 de abril de 2018 
  141. «Botafogo sofre mas vence o Madureira por 2 a 1». UOL Esporte. 19 de março de 2005. Consultado em 7 de abril de 2018 
  142. «Jefferson fecha o gol e garante vitória do Botafogo diante do Santa Cruz no Arruda». GloboEsporte.com. 17 de março de 2010. Consultado em 7 de abril de 2018 
  143. «Em jogo dramático, Santa Cruz marca nos acréscimos e elimina o Botafogo». GloboEsporte.com. 1 de abril de 2010. Consultado em 7 de abril de 2018 
  144. «Joel se irrita com erros do Botafogo: "é inacreditável"». Terra. 2 de outubro de 2010. Consultado em 7 de abril de 2018 
  145. «Botafogo empata com o Bangu e coloca liderança em risco». GloboEsporte.com. 2 de fevereiro de 2011. Consultado em 7 de abril de 2018 
  146. «Dedé brilha de novo, Vasco derrota o Botafogo e segue na cola do Timão». GloboEsporte.com. 13 de novembro de 2011. Consultado em 7 de abril de 2018 
  147. «Loco Abreu perde pênalti decisivo, e Fluminense vai à final contra o Vasco». GloboEsporte.com. 23 de fevereiro de 2012. Consultado em 7 de abril de 2018 
  148. «Fellype vive dia de Loco e marca três na vitória do Botafogo sobre o Vasco». GloboEsporte.com. 18 de março de 2012. Consultado em 7 de abril de 2018 
  149. «Botafogo sofre, mas consegue passar pelo Treze nos pênaltis». GloboEsporte.com. 21 de março de 2012. Consultado em 7 de abril de 2018 
  150. «Botafogo bate Friburguense por 3 a 1 e está na semifinal da Taça Rio». GloboEsporte.com. 8 de abril de 2012. Consultado em 7 de abril de 2018 
  151. «De virada, Vitória elimina o Botafogo e faz festa baiana no Engenhão». GloboEsporte.com. 9 de maio de 2012. Consultado em 7 de abril de 2018 
  152. «Botafogo faz 5, atropela Resende e vai à decisão da Taça Rio». Terra Esportes. 27 de abril de 2013. Consultado em 7 de abril de 2018 
  153. «Jefferson resolve nos pênaltis, Bota elimina Figueirense e vai às oitavas». GloboEsporte.com. 24 de julho de 2013. Consultado em 7 de abril de 2018 
  154. a b «Jefferson, goleiro do Botafogo, lê Salmo 91 antes de todos os jogos». The Christian Post. 5 de março de 2013. Consultado em 9 de junho de 2015. Arquivado do original em 26 de junho de 2015 
  155. «efferson lidera evangélicos do Botafogo. E não é só dentro do clube». UOL. 14 de abril de 2015. Consultado em 21 de abril de 2020 
  156. «Amor eterno? Conheça jogadores que estão casados há bastante tempo». UOL. 9 de outubro de 2015. Consultado em 21 de abril de 2020 
  157. «Após nascimento da filha, Jefferson volta atenções para a Seleção». O Globo. 31 de maio de 2013. Consultado em 8 de julho de 2016 
  158. «Jefferson fecha patrocínio de chuteiras e luvas». Extra. 15 de fevereiro de 2012. Consultado em 3 de março de 2015 
  159. «Jefferson cobre logo da Puma, que deve dar lugar à Topper no Botafogo». Extra. 25 de janeiro de 2016. Consultado em 21 de abril de 2020 
  160. «Luva em destaque do goleiro Jeferson». Goleiro Guerreiro. 8 de maio de 2013. Consultado em 21 de abril de 2020 
  161. «Uma vida de sonhos: agora dono de cafeteria, Jefferson fala na Copa 2018». GloboEsporte.com. 12 de março de 2017. Consultado em 26 de abril de 2020 
  162. «Ex-goleiro Jefferson montou cafeteria no interior inspirada no Starbucks». UOL Esporte. 2 de junho de 2019. Consultado em 26 de abril de 2020 
  163. «Ex-goleiro da Seleção pendura chuteiras e vem para Rio Preto». Diário da Região. 27 de novembro de 2018. Consultado em 26 de abril de 2020 
  164. a b «Atletas de Cristo: Jéfferson e mais 7 mil em todo o Brasil». SporTV. 8 de março de 2013. Consultado em 9 de junho de 2015 
  165. «Corte de cabelo de Jefferson fere regra, e TJD promete analisar o caso». UOL Esporte. 5 de março de 2013. Consultado em 9 de junho de 2015 
  166. «Internautas do UOL pedem liberdade e aprovam peixe na cabeça de Jefferson». BOL Notícias. 6 de março de 2013. Consultado em 9 de junho de 2015 
  167. «Jefferson vai manter o peixe na cabeça: 'Não prejudiquei ninguém'». GloboEsporte.com. 6 de março de 2013. Consultado em 9 de junho de 2015 
  168. «Em visita a menores infratores, Jefferson admite furtos na adolescência: 'Todos merecem segunda chance'». ESPN. 8 de junho de 2015. Consultado em 9 de junho de 2015 
  169. «Entenda a proposta que reduz a maioridade penal para 16 anos». G1. 31 de março de 2015. Consultado em 9 de junho de 2015 
  170. «Em conversa com menores infratores, Jefferson revela furto na adolescência». GloboEsporte.com. 9 de junho de 2015. Consultado em 9 de junho de 2015 
  171. «Insegurança de Jefferson fez Dunga escalar Alisson contra Venezuela». Folha de S.Paulo. 14 de outubro de 2015. Consultado em 11 de outubro de 2016 
  172. «"Poderia ter me dado um pouco mais de crédito", diz Jefferson sobre Dunga». SporTV. 23 de novembro de 2015. Consultado em 11 de outubro de 2016 
  173. «Dunga explica ausência de Jefferson na convocação da seleção brasileira». O Dia. 3 de março de 2016. Consultado em 8 de fevereiro de 2018 
  174. «Botafogo dá vexame e é eliminado pela Aparecidense». Terra Esportes. 6 de fevereiro de 2018. Consultado em 30 de abril de 2020 
  175. «Vexame histórico! Botafogo leva virada da Aparecidense e cai logo na 1ª fase da Copa do Brasil». Fox Sports. 6 de fevereiro de 2018. Consultado em 30 de abril de 2020 
  176. «Vexame: Botafogo é eliminado pela Aparecidense na primeira fase da Copa do Brasil». Extra. 7 de fevereiro de 2018. Consultado em 30 de abril de 2020 
  177. «Jefferson explica sorriso após eliminação do Botafogo: "Encontrei um amigo"». GloboEsporte.com. 7 de fevereiro de 2018. Consultado em 8 de fevereiro de 2018 
  178. «Ex-goleiro Jefferson revela ter sido barrado da seleção brasileira por ser negro». iG. 16 de fevereiro de 2019. Consultado em 21 de abril de 2020 
  179. «Futpédia - Campeonato Brasileiro 2000». Futpédia. Consultado em 15 de março de 2015 
  180. Jogos de Jefferson pelo Cruzeiro em 2002:
  181. Jogos de Jefferson pelo Botafogo em 2003:
  182. Jogos de Jefferson pelo Botafogo em 2004:
  183. Jogos de Jefferson pelo Botafogo em 2005:
  184. «Jefferson de Oliviera Galvao: 2005-2006 Sezonu İstatistikleri» (em turco). Onbirim.com. Consultado em 12 de março de 2015 
  185. «Jefferson de Oliviera Galvao: 2006-2007 Sezonu İstatistikleri» (em turco). Onbirim.com. Consultado em 12 de março de 2015 
  186. «Jefferson de Oliviera Galvao: 2007-2008 Sezonu İstatistikleri» (em turco). Onbirim.com. Consultado em 12 de março de 2015 
  187. «Jefferson - Detailed line data» (em inglês). Transfermarkt. Consultado em 12 de março de 2015 
  188. «Perfil de Jogador - Jefferson no Botafogo». O Gol. Consultado em 12 de março de 2015 
  189. «Jefferson - National team» (em inglês). Transfermarkt. Consultado em 4 de novembro de 2017 
  190. «Brasil aproveita rival fácil e bate Bolívia no fim da 'seca' de Neymar e Felipão». GloboEsporte.com. 6 de abril de 2013. Consultado em 29 de outubro de 2017 
  191. «Com Júlio César no banco, Brasil enfrenta a Suíça com Jefferson e Dante entre os titulares». ESPN. 14 de agosto de 2013. Consultado em 15 de julho de 2017 
  192. «Brasil supera pancadas e vence amistoso contra a Coreia por 2 a 0». UOL Copa. 12 de outubro de 2013. Consultado em 14 de março de 2015 
  193. «Neymar salva reestreia de Dunga e garante 1ª vitória do Brasil pós-Copa». UOL Esporte. 5 de setembro de 2014. Consultado em 29 de outubro de 2015 
  194. «Neymar perde gol feito, mas Brasil bate Equador com golaço de Willian». UOL Esporte. 9 de setembro de 2014. Consultado em 29 de outubro de 2015 
  195. «Neymar arrasa o Japão e se junta às "maravilhas" da moderna Cingapura». GloboEsporte.com. 14 de outubro de 2014. Consultado em 29 de outubro de 2015 
  196. «Jefferson vê Seleção forte e destaca resgate da confiança com Dunga». SporTV. 30 de março de 2015. Consultado em 29 de outubro de 2015 
  197. «No 1º amistoso preparatório para a Copa América, Brasil vence o México». O Dia. 7 de junho de 2015. Consultado em 29 de outubro de 2017 
  198. «Jefferson assume erro em gol do Peru; David Luiz nem comenta». Terra Esportes. 14 de junho de 2015. Consultado em 29 de outubro de 2017 
  199. «Amarelou: Brasil perde torcida e jogo para a Colômbia, e Neymar suspenso». GloboEsporte.com. 17 de junho de 2015. Consultado em 29 de outubro de 2017 
  200. «Sem Neymar, Brasil vence Venezuela e encara o Paraguai nas quartas de final». GloboEsporte.com. 17 de junho de 2015. Consultado em 29 de outubro de 2017 
  201. «Portas em automático: Brasil perde para o Paraguai nos pênaltis e volta para casa». GloboEsporte.com. 27 de junho de 2015. Consultado em 29 de outubro de 2017 
  202. «Brasil cai para o Chile e perde pela 1ª vez em estreia das eliminatórias». GloboEsporte.com. 8 de outubro de 2015. Consultado em 29 de outubro de 2017 
  203. «Regularidade define o vencedor do Troféu Armando Nogueira: Marcelinho Paraíba». GloboEsporte.com. 7 de dezembro de 2009. Consultado em 15 de julho de 2017 
  204. «Fábio leva o trófeu de melhor goleiro do Campeonato Brasileiro». GloboEsporte.com. 6 de dezembro de 2010. Consultado em 15 de julho de 2017 
  205. «Com seis jogadores, Flamengo domina a seleção do Cariocão 2011». GloboEsporte.com. 16 de maio de 2011. Consultado em 27 de março de 2015 
  206. «Na festa do Flu, Vasco é o time com mais representantes na seleção». GloboEsporte.com. 14 de maio de 2012. Consultado em 25 de março de 2015 
  207. «Neymar leva o bi do Troféu Armando Nogueira com nota média superior a 7». GloboEsporte.com. 4 de dezembro de 2012. Consultado em 25 de março de 2015 
  208. «Campeão, Cruzeiro domina Bola de Prata 2013; veja a seleção do Brasileirão». ESPN. 9 de dezembro de 2013. Consultado em 15 de julho de 2017 
  209. «Critério de desempate dá a Walter o Troféu Armando Nogueira de 2013». SporTV. 10 de dezembro de 2013. Consultado em 25 de março de 2015 
  210. «Foto: O jornalista Flávio Prado com o goleiro Jefferson, do Botafogo-RJ, e o ex-goleiro Valdir Peres, durante a cerimônia de entrega do Troféu Mesa Redonda 2013». Gazeta Press. 10 de dezembro de 2013. Consultado em 15 de julho de 2017 
  211. «Ricardo Goulart é eleito o Bola de Ouro de 2014». Veja. 8 de dezembro de 2014. Consultado em 20 de novembro de 2018 
  212. «Diego Tardelli supera rivais e leva o Troféu Armando Nogueira de 2014». SporTV. 9 de dezembro de 2014. Consultado em 27 de março de 2015 

Ligações externas