Mano Menezes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mano Menezes
Mano Menezes
Mano Menezes em 2011
Informações pessoais
Nome completo Luiz Antônio Venker Menezes
Data de nasc. 11 de junho de 1962 (58 anos)
Local de nasc. Passo do Sobrado (RS), Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,78 m
Informações profissionais
Equipa atual Sem clube
Posição Ex-zagueiro
Função Treinador
Clubes de juventude
Rosário-RS
Fluminense-RS
Guarani-VA
Times/Equipas que treinou
1997–2002
2002
2003
2003
2003–2004
2004–2005
2005–2007
2008–2010
2010–2012
2012
2013
2014
2015
2016
2016–2019
2019
2020
Guarani-VA
Brasil de Pelotas
Iraty
Guarani-VA
15 de Novembro
Caxias
Grêmio
Corinthians
Brasil
Brasil Olímpico
Flamengo
Corinthians
Cruzeiro
Shandong Luneng
Cruzeiro
Palmeiras
Bahia
Última atualização: 20 de dezembro de 2020

Luiz Antônio Venker Menezes[1], mais conhecido como Mano Menezes (Passo do Sobrado, 11 de junho de 1962), é um treinador e ex-futebolista brasileiro que atuava como zagueiro. Atualmente está sem clube.

Foi considerado pela Revista Época um dos 100 brasileiros mais influentes do ano de 2009.[2]

Carreira como jogador[editar | editar código-fonte]

Jogou apenas em clubes amadores e não se profissionalizou como jogador. Cursou Educação física e se tornou técnico paralelamente à sua carreira amadora.

Começou sua carreira no futebol como atacante, no clube gaúcho do Rosário, administrado pelo seu pai. Logo, recuou-se para o meio-campo, depois virou volante e por fim se estabeleceu na zaga.

Depois do clube de Rosário, jogou por pouco tempo no Fluminense de Mato Leitão.

Logo, despertou interesse no Guarani-VA, e foi contratado entre o final da década de 1970 e o início da década de 1980. Seu principal momento pelo Guarani foi na disputa por pênaltis na decisão do Campeonato Amador de 1988. Capitão do time, foi o responsável pela última cobrança, convertida. O título garantiu a vaga do Guarani para disputar a segunda divisão do Campeonato Gaúcho.

Logo, iniciou o curso de Educação física, na Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC). Jogando pelo Guarani, paralelamente iniciava a carreira de treinador, em 1986 no SESI do Rio Grande do Sul.

Carreira como treinador[editar | editar código-fonte]

Após nove anos como educador físico no setor social do SESI, foi convidado a ser o treinador das categoriais de base do próprio Guarani-VA, onde jogara amadoramente, clube que se profissionalizou. Depois, treinou a base do Caxias e do Internacional de Porto Alegre. Também fez estágio no Cruzeiro em 1997, com Paulo Autuori, ano em que o Cruzeiro conquistou o bicampeonato da Copa Libertadores da América.

Retorna novamente para o Guarani-VA, agora como treinador profissional, em 1997.

Depois, treinou o Brasil de Pelotas e o Iraty, em 2002 e em 2003, respectivamente. Em 2003, volta ao Guarani-VA e fica por poucos meses.

Em 2004 ganhou notoriedade por sua boa campanha na Copa do Brasil, no comando do 15 de Novembro, chegando à semifinal e obtendo o terceiro lugar. De 2004 a 2005, treinou o Caxias.

Grêmio[editar | editar código-fonte]

Em abril de 2005, Mano Menezes foi contratado pelo Grêmio para ser o responsável por trazer o clube gaúcho novamente à Série A do Campeonato Brasileiro, pois o clube havia sido rebaixado no ano anterior. Em um dos primeiros jogos treinando a equipe do Grêmio, a equipe perdeu por 4 a 0 para o Anapolina.

A meta foi cumprida e além de levar o tricolor gaúcho de volta à elite do futebol brasileiro, Mano conquistou o título de Campeão da Série B daquele ano em uma partida que ficou conhecida como "A Batalha dos Aflitos" devido aos acontecimentos que se desenrolaram ao longo da partida e ao fato desta ter sido realizada no Estádio dos Aflitos, estádio do Náutico, em Recife. Este episódio posteriormente virou um filme: Inacreditável - A Batalha dos Aflitos, lançado em 2006. Naquela histórica partida, o Grêmio teve quatro jogadores expulsos e dois pênaltis contra a sua meta; ambos perdidos pelo Náutico. O meia Anderson marcou o gol que garantiu o retorno do tricolor à Série A. No ano seguinte, Mano levou o Grêmio ao título do Campeonato Gaúcho com vitória sobre o arquirrival Internacional, título que o tricolor não conquistava desde 2001.

Ainda em 2006, classificou o Grêmio em terceiro lugar no Campeonato Brasileiro, obtendo assim, uma vaga para disputar a Copa Libertadores da América no ano de 2007. Em 2007, foi bicampeão gaúcho fazendo uma campanha brilhante.

Na Copa Libertadores da América daquele ano, eliminou dois clubes paulistas, o São Paulo, nas oitavas-de-final, e o Santos, na semifinal, chegando à final e perdendo para o argentino Boca Juniors.

Mano Menezes deixou o Grêmio no final de 2007. Após 169 jogos, obteve 89 vitórias, 35 empates e 45 derrotas, o que representa um aproveitamento de 59,56%. Foram 302 pontos conquistados de um total de 507.[3] No dia 28 de novembro de 2007, oficializou o final de seu vínculo com o Grêmio ao deixar de renovar seu contrato, dirigindo a equipe até 2 de dezembro de 2007, no último jogo do Campeonato Brasileiro.

Corinthians[editar | editar código-fonte]

Foi contratado pelo Corinthians no final de 2007.[4] Mano chegou com a missão de levantar o clube que, com o rebaixamento pra a Série B, entrou na crise mais grave de toda a sua história.

Em 2008, disputando a Copa do Brasil, conseguiu levar a equipe paulista à final contra o Sport e ficou com o vice-campeonato após ser derrotado (venceu em casa por 3–1 e perdeu fora de casa 2–0, sendo derrotado pelo critério do gol fora de casa).

Após a derrota na Copa do Brasil, o Corinthians desviou todas as suas atenções novamente à Série B. No dia 8 de novembro de 2008, levou o time, em uma bela campanha, com apenas três derrotas, ao título da Série B.

No ano seguinte, no dia 3 de maio de 2009, levou o Corinthians ao título do Campeonato Paulista, sendo campeão invicto.

Em 1 de julho de 2009, sagrou-se campeão da Copa do Brasil contra o Internacional, disputando o segundo jogo da final na casa do adversário, e fazendo a festa no Rio Grande do Sul. Com isso, conseguiu a vaga para a Copa Libertadores da América de 2010.

Em 2010, o Corinthians vira todas as suas atenções para a Libertadores. No Campeonato Paulista, o clube foi desclassificado por apenas dois pontos para o quarto colocado.

Na Libertadores, maior objetivo da equipe no ano de seu centenário, a equipe comandada por Mano fez uma brilhante primeira fase, sem nenhuma derrota. Nas oitavas-de-final, a equipe foi desclassificada pelo Flamengo, saindo "prematuramente" da competição.

No dia 25 de junho de 2010, Mano Menezes entra para a história do Corinthians conquistando a centésima vitória no comando da equipe. A vitória aconteceu numa partida contra o Iraty, válida pelo Torneio Cidade de Londrina. O único gol da partida foi marcado por Jorge Henrique.

Convidado para dirigir a Seleção Brasileira, Mano deixou o Corinthians depois de dois anos marcados por uma passagem vitoriosa pelo clube, com três títulos, e com um aproveitamento de 64,4% dos 184 jogos que disputou pelo time.

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Em 23 de julho de 2010, após a eliminação da Seleção Brasileira nas quartas-de-final da Copa do Mundo e, consequentemente, a demissão do então técnico Dunga, Mano Menezes foi convidado a assumir o comando da Seleção.[5]

Sua primeira partida à frente do Brasil foi na vitória por 2–0 em um amistoso contra os Estados Unidos, em Nova Jérsia. Para essa partida, Mano convocou várias caras novas, inclusive os tão pedidos Neymar e Paulo Henrique Ganso, que não foram para a Copa do Mundo. Os gols foram marcados por Neymar (aos 27', foi o primeiro dele pela seleção e conseguiu marcar ainda em sua estreia) e por Alexandre Pato (aos 45').[6]

A imprensa internacional destacou a volta do "futebol arte" da Seleção Brasileira, lembrando também da superioridade técnica do Brasil durante a partida.[7]

Após a estreia, a seleção ficou sem jogar no mês seguinte, tendo que acatar um período de treinos em Barcelona, contra o Barcelona B, esse jogo-treino foi vencido por 3–0. Então, em outubro a seleção jogou contra o Irã, jogo vencido por 3–0 (gols de Daniel Alves, Pato e Nilmar), e contra a Ucrânia, novamente vencido por 2–0 (gols de Daniel Alves e Pato). Mano conseguiu três vitórias em suas três primeiras partidas, fato que não acontecia desde Carlos Alberto Parreira na década de 90.[carece de fontes?] A quarta partida da seleção sob o comando de Mano Menezes foi contra a Argentina, no dia 17 de novembro de 2010, no Qatar. Nessa ocasião, a defesa brasileira foi vazada pela primeira vez na derrota de 1–0.

Na primeira partida de 2011, em 9 de fevereiro, comandou a seleção na derrota por 1–0 contra a França. No sexto jogo da seleção pentacampeã do mundo, realizado em Londres no dia 27 de março, o Brasil venceu a Escócia por 2–0, com os dois gols da vitória marcados por Neymar. A seleção ainda jogou mais amistosos preparatórios para a Copa América, como o jogo contra os Países Baixos (0–0) e contra a Romênia (1–0), que marcou a despedida de Ronaldo. O Fenômeno, porém, não conseguiu marcar no jogo.

O primeiro torneio de Mano à frente da Seleção Brasileira foi a Copa América de 2011. Durante a fase de grupos, a seleção empatou contra a Venezuela (0–0) e contra o Paraguai (2–2). No entanto, no último jogo pela fase de grupos, contra o Equador, a Seleção conseguiu a vitória (4–2). Porém, nas quartas-de-final, a Seleção perdeu, nos pênaltis, para o Paraguai, após o empate sem gols.

Demissão[editar | editar código-fonte]

Dois dias após conquistar o Superclássico das Américas, seu segundo título no comando da Seleção, Mano Menezes foi demitido pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) em 23 de novembro de 2012, após reunião entre o presidente da entidade José Maria Marin, o vice-presidente Marco Polo Del Nero e o diretor de seleções Andrés Sanches. A demissão do treinador, dada após bons resultados em amistosos (cinco vitórias e um empate entre setembro e novembro) e o título do Superclássico contra a Argentina, gerou grande polêmica na mídia esportiva geral, com muitos jornalistas afirmando ser esta uma decisão muito mais política do que propriamente técnica.[8][9]

Flamengo[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2013, foi anunciado pelo Flamengo.[10] Fez 22 jogos no comando do clube, mas não conseguiu uma sequência de bons resultados no Campeonato Brasileiro. Após desavenças com posturas da diretoria (que havia definido, sem o consentimento do treinador, a quais emissoras e repórteres ele poderia dar entrevistas, o que não foi bem recebido por Mano), e também com alguns jogadores (que haviam comemorado além da conta uma vitória), Mano entregou o time na briga contra o rebaixamento. No dia 19 de setembro de 2013, pediu demissão do Flamengo após a derrota por 4–2 para o Atlético Paranaense, no Maracanã.[11]

Segunda passagem pelo Corinthians[editar | editar código-fonte]

No dia 11 de dezembro de 2013, o Corinthians anunciou a contratação de Mano Menezes para a temporada de 2014.[12] Chegou ao Timão após o clube não ter ido bem no Brasileirão de 2013, ficando no meio da tabela, e logo teve um árduo trabalho pela frente: reconstruir a equipe que havia entrado em um desgaste após as conquistas recentes. Passou todo o primeiro semestre renovando o elenco e se livrando de jogadores como Paulo André, Diego Macedo, Emerson Sheik, Douglas, Edenilson, Ibson, etc. Pelo Campeonato Paulista de 2014, a equipe não foi bem e não passou da primeira fase.[13] Mas, pelo Campeonato Brasileiro de 2014, o time se encaixou e começou bem no Brasileirão. Após a Copa do Mundo de 2014, vieram importantes reforços, como Elias (que já havia sido contratado do Sporting, mas não liberado a jogar pois a janela europeia ainda não estava aberta), Petros e Ángel Romero.[14] Os três rapidamente se tornaram titulares e peças importantes no esquema tático de Mano. Não teve o seu contrato renovado em dezembro de 2014, sendo sucedido justamente por seu antecessor no cargo, Tite.

Cruzeiro[editar | editar código-fonte]

Após passar um período estudando, Mano retornou aos campos em 6 de setembro de 2015, quando estreou pelo Cruzeiro vencendo o Figueirense por 5–1.[15] Terminou o Campeonato Brasileiro na oitava posição, tendo feito, junto com o Corinthians, a melhor campanha do segundo turno. Deixou o comando da equipe no dia 6 de dezembro rumo ao Shandong Luneng, da China, que lhe havia feito uma proposta milionária para tê-lo como treinador.[16]

Shandong Luneng[editar | editar código-fonte]

O clube chinês Shandong Luneng pagou a multa rescisória do contrato de Mano com o Cruzeiro e o contratou logo após o Campeonato Brasileiro de 2015 por duas temporadas.[17] No dia 7 de junho de 2016, foi demitido.[18] No futebol chinês, apesar das muitas dificuldades de adaptação, Mano levou o clube às quartas-de-final da Liga dos Campeões da Ásia, feito inédito na história do clube.

Segunda passagem pelo Cruzeiro[editar | editar código-fonte]

2016[editar | editar código-fonte]

O treinador acertou seu retorno ao Cruzeiro no dia 26 de julho de 2016. Reestreou com uma derrota diante do Santos, jogo válido pela 17 rodada do Campeonato Brasileiro, competição em que levou o clube à 12ª colocação.

2017[editar | editar código-fonte]

Em 2017, iniciou a temporada com uma série de mais de 20 jogos invictos, porém caiu de produção, perdendo a final do Campeonato Mineiro, tendo um início irregular no Campeonato Brasileiro e sendo eliminado precocemente ainda na primeira fase da Copa Sul-Americana.

No dia 30 de agosto, Mano Menezes completou 100 jogos pelo Cruzeiro na vitória por 2–0 contra o Grêmio, pela Primeira Liga, no Mineirão, chegando à sua 50ª vitória pelo Cruzeiro.[19]

Em 27 de setembro, o Cruzeiro, treinado por Mano Menezes, conquistou seu quinto título da Copa do Brasil de Futebol de 2017. Após o empate no tempo normal por 0–0, o time celeste superou o Flamengo nos pênaltis por 5–3. Esse foi o segundo título de Mano Menezes na competição nacional.[20]

No dia 20 de outubro, foi anunciada a renovação de seu contrato por mais duas temporadas, até o final de 2019.[21]

2018[editar | editar código-fonte]

Em 8 de abril, na vitória por 2–0 sobre o Atlético Mineiro, na qual o Cruzeiro sagrou-se campeão do Campeonato Mineiro, Mano Menezes chegou ao jogo 137 no comando cruzeirense, alcançando o top 10 dos treinadores com mais partidas na Raposa.[22]

No dia 30 de maio, na vitória por 1–0 sobre o Palmeiras, Mano Menezes atingiu a marca de 150 jogos pelo Cruzeiro.[23]

Em 25 de agosto, na vitória por 2–1 sobre o Fluminense, Mano Menezes completou 169 jogos pelo Cruzeiro e se tornou o nono técnico que mais dirigiu o clube celeste na história.[24]

No dia 29 de agosto, na derrota por 1–0 para o Flamengo - partida que classificou o Cruzeiro para as quartas-de-final da Copa Libertadores da América -, o treinador venceu o seu 15º duelo mata-mata no comando celeste e completou 170 jogos pelo Cruzeiro, se tornando o oitavo técnico que mais vezes treinou o clube mineiro na história.[25]

Conquistou a Copa do Brasil com o Cruzeiro no dia 17 de outubro, após a vitória por 2–1 sobre o Corinthians.[26] Esse foi o terceiro título de Mano Menezes na competição nacional, e o segundo consecutivo no comando do clube mineiro.

2019[editar | editar código-fonte]

No dia 20 de abril, o Cruzeiro empatou em 1–1 com o Atlético Mineiro[27], conquistando assim o bicampeonato seguido, somando o 38º título da história do clube e a 4ª conquista de títulos do treinador no clube (duas Copas do Brasil e dois Campeonatos Mineiros).

Já no dia 27 de abril, no jogo Flamengo 3–1 Cruzeiro, pela 1ª rodada do Brasileirão, tornou-se o primeiro treinador a receber cartão amarelo na história da competição.[28]

Em 7 de agosto, após uma derrota por 0–1 para o Internacional, pela Copa do Brasil[29], anunciou sua saída do time celeste.[30]

Palmeiras[editar | editar código-fonte]

No dia 3 de setembro de 2019, acertou com o Palmeiras até o fim de 2021, substituindo Luiz Felipe Scolari.[31]

Foi demitido no dia 1 de dezembro, após uma derrota para o Flamengo.[32] O treinador comandou o time em 20 jogos: foram 11 vitórias, quatro derrotas e cinco empates.

Bahia[editar | editar código-fonte]

Acertou com o Bahia no dia 8 de setembro de 2020, assinando até o fim de 2021 e substituindo o técnico-interino Cláudio Mendes Prates.[33]

Foi demitido no dia 20 de dezembro de 2020, logo após a derrota para o Flamengo por 4–3, que deixou o clube na 16ª posição do Campeonato Brasileiro.[34]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Atualizadas até 9 de dezembro de 2020.

Clube Jogos Vitórias Empates Derrotas Aproveitamento
Caxias 48 27 11 10 63.89%
Grêmio 169 89 35 45 59.57%
Corinthians 248 136 64 48 63.44%
Seleção Brasileira 33 21 6 6 69.7%
Seleção Brasileira Olímpica 7 6 0 1 85.71%
Flamengo 22 9 6 7 50%
Shandong Luneng 21 7 7 7 44.44%
Cruzeiro 235 112 69 54 57.45%
Palmeiras 20 11 5 4 63.33%
Bahia 24 8 2 14 36,1%

Jogos pela Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Data Competição Local Placar Adversário Ref.
2010
1 10 de agosto Amistoso East Rutherford (Estados Unidos) Brasil Brasil 2 – 0 Flag of the United States.svg Estados Unidos [35]
2 7 de outubro Amistoso Abu Dhabi (UAE) Brasil Brasil 3 – 0 Flag of Iran.svg Irã
3 11 de outubro Amistoso Derby (ING) Brasil Brasil 2 – 0 Flag of Ukraine.svg Ucrânia
4 17 de novembro Amistoso Doha (QAT) Brasil Brasil 0 – 1 Flag of Argentina.svg Argentina
2011
5 9 de fevereiro Amistoso Paris (FRA) Brasil Brasil 0 – 1 França França [36]
6 27 de março Amistoso Londres (ING) Brasil Brasil 2 – 0 Flag of Scotland.svg Escócia
7 4 de junho Amistoso Goiânia (BRA) Brasil Brasil 0 – 0 Países Baixos Países Baixos
8 7 de junho Amistoso São Paulo (BRA) Brasil Brasil 1 – 0 Flag of Romania.svg Romênia
9 3 de julho Copa América La Plata (ARG) Brasil Brasil 0 – 0 Flag of Venezuela.svg Venezuela [37]
10 7 de julho Copa América Córdoba (ARG) Brasil Brasil 2 – 2 Flag of Paraguay.svg Paraguai
11 10 de julho Copa América Córdoba (ARG) Brasil Brasil 4 – 2 Flag of Ecuador.svg Equador
12 17 de julho Copa América La Plata (ARG) Brasil Brasil 0 – 0[a] Flag of Paraguay.svg Paraguai [38][39]
13 10 de agosto Amistoso Stuttgart (ALE) Brasil Brasil 2 – 3 Bandeira da Alemanha Alemanha [40]
14 5 de setembro Amistoso Londres (ING) Brasil Brasil 1 – 0 Flag of Ghana.svg Gana [41]
15 14 de setembro Superclássico das Américas Córdoba (ARG) Brasil Brasil 0 – 0 Flag of Argentina.svg Argentina [42]
16 28 de setembro Superclássico das Américas Belém (BRA) Brasil Brasil 2 – 0 Flag of Argentina.svg Argentina
17 7 de outubro Amistoso San José (CRC) Brasil Brasil 1 – 0 Flag of Costa Rica (state).svg Costa Rica
18 11 de outubro Amistoso Torreón (MEX) Brasil Brasil 2 – 1 Flag of Mexico.svg México
19 11 de novembro Amistoso Libreville (GAB) Brasil Brasil 2 – 0 Flag of Gabon.svg Gabão
20 14 de novembro Amistoso Doha (QAT) Brasil Brasil 2 – 0 Flag of Egypt.svg Egito
2012
21 28 de fevereiro Amistoso São Galo (SUI) Brasil Brasil 2 – 1 Flag of Bosnia and Herzegovina.svg Bósnia e Herzegovina [42]
22 26 de maio Amistoso Hamburgo (ALE) Brasil Brasil 3 – 1 Flag of Denmark.svg Dinamarca
23 30 de maio Amistoso Washington (EUA) Brasil Brasil 4 – 1 Flag of the United States.svg Estados Unidos
24 3 de junho Amistoso Arlington (EUA) Brasil Brasil 0 – 2 Flag of Mexico.svg México
25 9 de junho Amistoso East Rutherford (EUA) Brasil Brasil 3 – 4 Flag of Argentina.svg Argentina
26 15 de agosto Amistoso Solna (SUE) Brasil Brasil 3 – 0 Flag of Sweden.svg Suécia
27 7 de setembro Amistoso São Paulo (BRA) Brasil Brasil 1 – 0 Bandeira da África do Sul África do Sul
28 10 de setembro Amistoso Recife (BRA) Brasil Brasil 8 – 0 Flag of the People's Republic of China.svg China
29 19 de setembro Superclássico das Américas Goiânia (BRA) Brasil Brasil 2 – 1 Flag of Argentina.svg Argentina
3 de outubro Superclássico das Américas Resistencia (ARG) Brasil Brasil Canc Flag of Argentina.svg Argentina [43]
30 11 de outubro Amistoso Malmö (SUE) Brasil Brasil 6 – 0 Flag of Iraq.svg Iraque [42][44]
31 16 de outubro Amistoso Wroclaw (POL) Brasil Brasil 4 – 0 Flag of Japan.svg Japão [42]
32 14 de novembro Amistoso New Jersey (EUA) Brasil Brasil 1 – 1 Flag of Colombia.svg Colômbia
33 21 de novembro Superclássico das Américas Buenos Aires (ARG) Brasil Brasil 1 – 2[b] Flag of Argentina.svg Argentina [45]
Legenda:      Vitórias —      Empates —      Derrotas
a. ^ O Brasil, após o empate no tempo normal e na prorrogação, foi eliminado nas quartas-de-final da Copa América na disputa por pênaltis por 2 a 0 (após perder as quatro cobranças de pênaltis).[39]
b. ^ O Brasil, após a derrota no tempo normal, foi campeão do Superclássico da Américas na disputa por pênaltis por 4 a 3.

Seleção Brasileira olímpica[editar | editar código-fonte]

Data Competição Local Placar Adversário Ref.
1 26 de julho Londres 2012, grupo C Coventry (GBR) Brasil Brasil 3 – 2 Flag of Egypt.svg Egito [46]
2 29 de julho Londres 2012, grupo C Old Trafford (GBR) Brasil Brasil 3 – 1 Flag of Belarus.svg Bielorrússia [47]
3 1 de agosto Londres 2012, grupo C St James' Park (GBR) Brasil Brasil 3 – 0 Flag of New Zealand.svg Nova Zelândia [48]
4 4 de agosto Londres 2012, quartas St James' Park (GBR) Brasil Brasil 3 – 2 Flag of Honduras (2008 Olympics).svg Honduras [49]
5 7 de agosto Londres 2012, semifinal Old Trafford (GBR) Brasil Brasil 3 – 0 Flag of South Korea.svg Coreia do Sul [50]
6 11 de agosto Londres 2012, final Londres (GBR) Brasil Brasil 1 – 2 Flag of Mexico.svg México [51]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Guarani-RS
Grêmio
Corinthians
Cruzeiro
Seleção Brasileira

*: Em 2002, o Rio Grande do Sul teve o Supercampeonato Gaúcho e o Campeonato Gaúcho, no qual não competiram os seguintes times: Internacional, Grêmio, Juventude e Caxias.

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. CREF2/RS: RS-008936
  2. «Os 100 brasileiros mais influentes de 2009». Revista Época. 5 de dezembro de 2009. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  3. [1]
  4. «Corinthians acerta com o técnico Mano Menezes para 2008». UOL. 4 de dezembro de 2007. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  5. «CBF convida Mano Menezes e já fala na primeira convocação». GloboEsporte.com. 23 de julho de 2010. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  6. Leandro Canônico (10 de agosto de 2010). «Futebol é alegria! Novo Brasil ataca forte e vence os Estados Unidos». GloboEsporte.com. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  7. «Imprensa internacional destaca volta do 'jogo bonito' da seleção brasileira». UOL. 11 de agosto de 2010. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  8. Coelho, Paulo Vinícius (23 de novembro de 2012). «A incrível e inacreditável história da demissão de Mano Menezes». ESPN.com.br. Consultado em 21 de dezembro de 2020. Arquivado do original em 27 de novembro de 2012 
  9. Luis Augusto Simon (23 de novembro de 2012). «Caiu, Mano. A guerra na CBF está aberta». Trivela. Consultado em 21 de dezembro de 2020. Arquivado do original em 28 de novembro de 2012 
  10. «Mano Menezes chega a acordo e é o novo técnico do Flamengo». Terra. 13 de junho de 2013. Consultado em 13 de junho de 2013 
  11. Mota, Cahê (19 de setembro de 2013). «Mano Menezes pede demissão no Flamengo». globoesporte.com. Consultado em 21 de outubro de 2017 
  12. «Mano Menezes é o novo técnico do Corinthians». Corinthians. 11 de dezembro de 2013. Arquivado do original em 18 de janeiro de 2014 
  13. «esporte.uol.com.br/futebol/campeonatos/paulista/ultimas-noticias/2014/03/16/corinthians-fica-no-empate-com-penapolense-e-e-eliminado-no-paulistao» 
  14. Legado de Mano ao Corinthians tem 6 titulares de Tite e R$ 13 mi em vendas
  15. «Estreia de Mano, goleada sobre Figueirense registra maior público do Cruzeiro no Brasileirão». MG Superesportes. 6 de setembro de 2015 
  16. Carlos Alberto Vieira (6 de dezembro de 2015). «Cruzeiro confirma a saída do treinador Mano Menezes». Terra. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  17. «Cruzeiro confirma a saída do treinador Mano Menezes». Terra. 6 de dezembro de 2015 
  18. «Em 15º na tabela, Mano Menezes não é mais técnico de clube chinês». UOL. 7 de junho de 2016. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  19. Thaynara Amaral (31 de agosto de 2017). «Contra o Grêmio, Mano completa 100 jogos, é expulso e chega à 50ª vitória pelo Cruzeiro». GloboEsporte.com. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  20. «Cruzeiro x Flamengo - Copa do Brasil 2017 - globoesporte.com». globoesporte.com. 27 de setembro de 2017. Consultado em 21 de outubro de 2017. Cópia arquivada em 28 de setembro de 2017 
  21. Macedo, Guilherme (20 de outubro de 2017). «Sequência do trabalho, mudanças políticas e contato do Palmeiras: Mano Menezes detalha renovação com o Cruzeiro». Superesportes. Consultado em 21 de outubro de 2017 
  22. Gabriel Duarte (12 de abril de 2018). «Mano alcança marcas, e Cruzeiro celebra 90 anos do 1º treinador da história». Globoesporte.com. Consultado em 12 de abril de 2018 
  23. «Cruzeiro vence Palmeiras, ultrapassa rival e se aproxima de líderes do Brasileiro». GloboEsporte.com. 30 de maio de 2018. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  24. «Em jogo com dois gols contra, Cruzeiro bate o Fluminense no Mineirão e confirma a 7ª posição». GloboEsporte.com. 25 de agosto de 2018. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  25. Thiago Madureira (30 de agosto de 2018). «Especialista em Copas: Mano Menezes vence o 15º mata-mata com o Cruzeiro». Superesportes. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  26. «VAR é decisivo, Cruzeiro vence novamente o Corinthians e conquista a Copa do Brasil pela 6ª vez». GloboEsporte.com. 17 de outubro de 2018. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  27. «Cruzeiro empata com o Atlético-MG no fim e conquista o Mineiro de forma invicta». GloboEsporte.com. 20 de abril de 2019. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  28. Luciano Dias (28 de abril de 2019). «Mano Menezes é o primeiro treinador do Campeonato Brasileiro a receber cartão amarelo». Jornal Hoje em Dia. Consultado em 29 de abril de 2019 
  29. «Inter vence o Cruzeiro no Mineirão e larga em vantagem na semi da Copa do Brasil». GloboEsporte.com. 7 de agosto de 2019. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  30. «Mano Menezes deixa o Cruzeiro após derrota para o Internacional na semifinal da Copa do Brasil». GloboEsporte.com. 8 de agosto de 2019. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  31. Felipe Zito e Tossiro Neto (3 de setembro de 2019). «Palmeiras anuncia a contratação do técnico Mano Menezes». GloboEsporte.com. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  32. André Hernan (1 de dezembro de 2019). «Mano Menezes é demitido do Palmeiras». GloboEsporte.com. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  33. Raphael Carneiro e Raphael Zarko (8 de setembro de 2020). «Bahia acerta com Mano Menezes, e treinador vai assinar até dezembro de 2021». GloboEsporte.com. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  34. «Mano Menezes é demitido do comando do Bahia; caso de Índio Ramírez será apurado». GloboEsporte.com. 20 de dezembro de 2020 
  35. Confederação Brasileira de Futebol (CBF). «Jogos da Seleção Brasileira em 2010». Consultado em 17 de novembro de 2010. Arquivado do original em 24 de agosto de 2011 
  36. Confederação Brasileira de Futebol (CBF). «Jogos da Seleção Brasileira em 2011». Consultado em 5 de fevereiro de 2011 [ligação inativa]
  37. «Brasil encara Paraguai, Equador e Venezuela na primeira fase da Copa América». esporte.uol.com.br. 11 de novembro de 2010. Consultado em 3 de março de 2011 
  38. Lavinas, Thiago (14 de julho de 2011). «Mano Menezes comemora a vaga: 'Necessitávamos de uma boa atuação'». GloboEsporte.com. Consultado em 15 de julho de 2011 
  39. a b Canônico, Leandro (17 de julho de 2011). «Brasil dá vexame nos pênaltis, erra 4 cobranças e é eliminado pelo Paraguai». GloboEsporte.com. Consultado em 17 de julho de 2011 
  40. «Seleção cai para a Alemanha, e Mano segue sem vencer clássicos». GloboEsporte.com. 10 de agosto de 2011. Consultado em 12 de agosto de 2011 
  41. «CBF confirma amistoso contra Gana para o dia 5 de setembro, em Londres». globoesportes.com. Consultado em 18 de agosto de 2011 
  42. a b c d «Partidas e resultados». FIFA.com. Consultado em 12 de agosto de 2011. Arquivado do original em 25 de agosto de 2013 
  43. «Superclássico das Américas é cancelado por falta de iluminação». UOL Esporte. 3 de outubro de 2012. Consultado em 11 de outubro de 2012 
  44. «Abençoado por Kaká, Oscar lidera Seleção em goleada sobre Iraque». Globo. 11 de outubro de 2012. Consultado em 11 de outubro de 2012 
  45. «a revanche do Superclássico das Américas contra Argentina x Brasil será no estádio "La Bombonera" do Boca Juniors, em Buenos Aires dia 21 de novembro» (em espanhol). conmebol.com. 12 de outubro de 2012. Consultado em 13 de outubro de 2012 
  46. «Torneio Olímpico de Futebol Masculino: Brasil x Egito - Relatório». FIFA.com. 26 de julho de 2012. Consultado em 11 de agosto de 2012 
  47. «Torneio Olímpico de Futebol Masculino: Brasil x Bielorrússia - Relatório». FIFA.com. 29 de julho de 2012. Consultado em 11 de agosto de 2012 
  48. «Torneio Olímpico de Futebol Masculino: Brasil x Nova Zelândia - Relatório». FIFA.com. 1 de agosto de 2012. Consultado em 11 de agosto de 2012 
  49. «Torneio Olímpico de Futebol Masculino: Brasil x Honduras - Relatório». FIFA.com. 4 de agosto de 2012. Consultado em 11 de agosto de 2012 
  50. «Torneio Olímpico de Futebol Masculino: Coreia do Sul x Brasil - Relatório». FIFA.com. 7 de agosto de 2012. Consultado em 11 de agosto de 2012 
  51. «Torneio Olímpico de Futebol Masculino: Brasil x México - Relatório». FIFA.com. 11 de agosto de 2012. Consultado em 11 de agosto de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Mano Menezes

Precedido por
Hugo de León
Treinador do Grêmio
2005–2007
Sucedido por
Vagner Mancini
Precedido por
Nelsinho Baptista
Tite
Treinador do Corinthians
2008–2010
2014
Sucedido por
Adílson Batista
Tite
Precedido por
Dunga
Treinador da Seleção Brasileira
2010–2012
Sucedido por
Luiz Felipe Scolari
Precedido por
Jorginho
Treinador do Flamengo
2013
Sucedido por
Jaime de Almeida
Precedido por
Vanderlei Luxemburgo
Paulo Bento
Treinador do Cruzeiro
2015
2016–2019
Sucedido por
Deivid
Rogério Ceni
Precedido por
Cuca
Treinador do Shandong Luneng
2016
Sucedido por
Felix Magath
Precedido por
Luiz Felipe Scolari
Treinador do Palmeiras
2019
Sucedido por
Andrey Lopes (interino)
Precedido por
Roger Machado
Treinador do Bahia
2020–
Sucedido por