Jorge Luís da Silva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jorginho
Informações pessoais
Nome completo Jorge Luís da Silva
Data de nasc. 22 de março de 1965 (52 anos)
Local de nasc. São Paulo (SP), Brasil
Altura 1,70 m
Apelido Jorginho Cantinflas
Sobrancelha
Informações profissionais
Equipa atual Água Santa
Posição Treinador
(ex-Meia)
Clubes de juventude
1981–1983 Portuguesa
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1983–1990
1990–1992
1992
1993
1994
1994
1995
1995
1996
1997
1997
1998–1999
1999
2000
2000–2001
2002
2002
Portuguesa
Palmeiras
Santo André
Paysandu
Santo André
Coritiba
Santo André
Juventude
Paulista
Santo André
Atlético Mineiro
Santos
Paraná
Portuguesa Santista
Fluminense
Rio Branco-SP
Avaí

79 (3)








36 (14)



81 (5)

Seleção nacional
1990 Brasil 1 (0)
Times/Equipas que treinou
2007
2008
2009
2009
2010
2010
2011–2012
2012
2012–2013
2013
2014
2014
2015
2016
2017–
União Mogi
Palmeiras (juniores)
Palmeiras (interino)
Palmeiras (auxiliar-técnico)
Goiás
Ponte Preta
Portuguesa
Atlético Paranaense
Bahia
Náutico
Vitória
Chapecoense
Atlético Goianiense
Portuguesa
Água Santa
Última atualização: segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Jorge Luís da Silva, mais conhecido apenas como Jorginho e, às vezes, como Jorginho Cantinflas (São Paulo, 22 de março de 1965) é um treinador e ex-futebolista brasileiro, que atuava como meia. Atualmente, é treinador do Água Santa.

Carreira.[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Iniciou sua carreira jogando pela Portuguesa, em 1981. Jogou em vários outros clubes brasileiros, ganhando maior destaque ao defender o Palmeiras, de 1990 a 1992, e o Juventude. Antes da temporada em Minas Gerais, Jorginho atuava pelo Santo André, na Série A2 do Campeonato Paulista. No ano de 1997, o jogador chegou ao Atlético Mineiro e fez parte da equipe vencedora na Copa Conmebol e na Copa Centenário de Belo Horizonte. Em 36 jogos, Jorginho fez 14 gols.

Pela Seleção Brasileira, disputou apenas uma partida amistosa contra a Espanha em 1990.

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Foi treinador interino do Palmeiras, após a saída de Vanderlei Luxemburgo em 27 de junho de 2009 por cerca de um mês, e a pedido do então técnico Muricy Ramalho, se tornou auxiliar-técnico.

Em 25 de janeiro de 2010, assumiu o comando do Goiás após a saída de Hélio dos Anjos. Mas, após resultados ruins no Campeonato Goiano e na Copa do Brasil, acabou demitido no dia 19 de abril.

Apenas dois dias depois, em 21 de abril, Jorginho foi anunciado como o novo técnico da Ponte Preta e, devido aos maus resultados, foi demitido no dia 24 de outubro.[1]

No final de fevereiro de 2011, assumiu o comando da Portuguesa. Assumiu o time durante o Campeonato Paulista de 2011, conseguindo classificar o time entre os 8 primeiros, chegando até as oitavas-de-final. Após o Paulistão, fez brilhante campanha na Série B de 2011, conquistando o título nacional com quatro rodadas de antecipação.

Ao término da Série B, após ser campeão com a Lusa, Jorginho foi especulado em muitos clubes da elite do futebol brasileiro, mas acabou confirmando sua permanência no Canindé para a temporada 2012.[2]

No dia 20 de abril de 2012, Jorginho foi demitido após não evitar o rebaixamento da Portuguesa para a Série A2 do Paulistão.[3]

No dia 27 de junho de 2012, Jorginho foi anunciado como novo técnico do Atlético Paranaense, sendo demitido em 4 de agosto.[4] Ainda teve uma passagem pelo Bahia.[5] Onde conseguiu salvar a equipe do rebaixamento, no Brasileirão 2012. Em 2013, sem os reforços esperados, acabou pedindo demissão após goleada sofrida para o maior rival, Vitória, por 5 a 1, na reinauguração da Fonte Nova.

Em 15 de agosto de 2013, Jorginho foi anunciado como novo técnico do Náutico[6]. Entretanto, após vinte dias, sete jogos e apenas uma vitória, deixou o clube em 6 de setembro.[7]

Em 23 de maio de 2014, foi contratado para dirigir o Vitória.[8] Deixou o comando do Vitória no dia 21 de agosto, após alguns maus resultados e o time em mal colocação no Campeonato Brasileiro.[9]

No dia 11 de setembro de 2014, foi anunciado como novo técnico da Chapecoense para a disputa do Campeonato Brasileiro.[10] Foi demitido em 17 de novembro.

No dia 9 de junho de 2015, foi anunciado como novo técnico da Atlético Goianiense para a disputa da Série B do Brasileiro[11]. Em 21 de julho de 2015, Jorginho com as dificuldades que encontrou no elenco não conseguiu tirar o Atlético Goianiense da zona de rebaixamento na Série B do Brasileiro, Jorginho comandou o Atlético Goianiense em 7 jogos, sendo 1 vitória, 2 empates e 4 derrotas.

No dia 13 de junho de 2016, a Portuguesa anuncia a volta de Jorginho ao Canindé, para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série C, visando promover o clube paulista à segunda divisão do futebol brasileiro de 2017.

Jorginho estreia com o pé direito na sua volta à Lusa. Vitória por 2x1 diante do Juventude, em Caxias do Sul-RS, no dia 18 de junho de 2016. Foi demitido no dia 22/08, após três derrotas consecutivas, e com o time na zona de rebaixamento da série C.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Clube Jogos Vitórias Empates Derrotas
Palmeiras 7 5 1 1
Goiás 21 10 2 9
Ponte Preta 31 12 9 10
Portuguesa 83 38 23 22
Atlético-PR 9 4 1 4
Bahia 29 11 10 8
Náutico 7 1 0 6
Vitória 10 2 4 4
Chapecoense 14 4 4 6
Atlético Goianiense 7 1 2 4
total 218 88 56 74

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Paysandu
Atlético-MG
Santos

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Portuguesa

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Vanderlei Luxemburgo
Técnico do Palmeiras (interino)
2009
Sucedido por
Muricy Ramalho
Precedido por
Sérgio Guedes
Técnico da Portuguesa
2011–2012
Sucedido por
Geninho
Precedido por
Juan Ramón Carrasco
Técnico do Atlético-PR
2012
Sucedido por
Ricardo Drubscky
Precedido por
Caio Júnior
Técnico do Bahia
2012–2013
Sucedido por
Joel Santana
Precedido por
Zé Teodoro
Técnico do Náutico
2013
Sucedido por
Levi Gomes
Precedido por
Ney Franco
Técnico do Vitória
2014
Sucedido por
Ney Franco
Precedido por
Celso Rodrigues (interino)
Técnico da Chapecoense
2014
Sucedido por
Celso Rodrigues (interino)